Você faz seguro do seu equipamento?

Mi camerita novita!

Essa pergunta nos foi enviada pelo…. bom, pelo blogueiro mesmo. Depois do que aconteceu com a minha camerita em Buenos Aires, estou pensando num movimento porta-arrombada-tranca-de-ferro e botar tudo no seguro: as duas câmeras, o laptop e o novo integrante da turminha, o iPhone que acabou de chegar.

Daí que… se você já passou por isso e quiser me ajudar (e, de tabela, a todos os que estiverem interessados), eu agradeço!

Se puder dar detalhes práticos (é preciso levar os objetos até a seguradora? precisa apresentar nota? em caso de ‘sinistro’, é necessário algo além do B.O.?), melhor!

Obrigado!

71 comentários

Pesquisei sobre esse tema mas continuo precisando de ajuda.

Há muitos tópicos em fóruns de discussão especializados mas o mais completo que encontrei foi esse aqui:

http://www.digiforum.com.br/viewtopic.php?t=68656&postdays=0&postorder=asc&start=0

Nesse e em outros tópicos a Kertzmann é muito sugerida, mas não encontrei ninguém que tivesse precisado usar o seguro para saber como a coisa aconteceu depois de um sinistro.

http://www.kertzmann.com.br/equipamentos/

De todo modo, a cobertura é apenas para o território nacional, o que, no meu caso, torna o seguro bem desinteressante, porque minhas maiores exposições a risco são no exterior.

Pergunto: alguém conhece alguma seguradora brasileira ou estrangeira (neste caso, que cubra brasileiros residentes no Brasil) que segure equipamentos fotográficos para uso amador no exterior?

Boa tarde sou corretora e é ótimo saber que mts se sentem mais tranquilos contratando um seguro, infelizmente somente a Porto Seguro tem esta carteira, outras Cias deviam ampliar e ter cobertura para o exterior, se alguém quiser entrem no meu site e façam uma cotação, tb sou membro do Clube Foto Rio, gde abç.

Boa tarde sou corretora e é ótimo saber que mts se sentem mais tranquilos contratando um seguro, infelizmente somente a Porto Seguro tem esta carteira, outras Cias deviam ampliar e ter cobertura para o exterior, se alguém quiser entrem no meu site e façam uma cotação, tb sou membro do Clube Foto Rio, gde abç.

Voltei há uns dias de minha última viagem e dessa vez precisei usar o seguro saúde…

Comprei as passagens com cartão Visa e resolvi usar o seguro que eles oferecem. Como estava indo para a Europa, entrei em contato com eles para pegar o “certificado Schengen” para apresentar à imigração se fosse o caso. Não foi.

O procedimento foi simples. Por telefone, me deram um endereço na internet que eu precisava acessar para preencher meus dados e, dentro de 72 horas, receberia o certificado por e-mail. Não recebi no prazo, mas liguei para eles novamente e recebi na mesma hora. Também me passaram os números de telefone para os quais eu deveria ligar em cada um dos países do meu roteiro (isso foi iniciativa deles, eu não perguntei).

No meio da viagem, em Budapeste, precisei de atendimento e liguei para o número indicado. Fui atendida em português. Expliquei o problema, me deram o número de protocolo e disseram que devia aguardar a visita do médico em 50 minutos. Dentro desse prazo, me ligaram para dizer que, por causa do tipo de problema que eu tinha, seria necessário fazer o deslocamento para um hospital, mas que o médico da seguradora viria ao hotel para me acompanhar e que eu tinha de pagar esse custo, não coberto pelo seguro. Esse foi o único contato feito em inglês.

Aguardei mais um tempo – não foi muito – e o médico chegou apenas para me acompanhar ao hospital. Se eu não estivesse viajando sozinha e se não fosse de madrugada (medo!), eu teria tentado dispensar essa etapa, mas, nessas circunstâncias… Paguei 60 euros para o médico me levar no carro particular dele ao hospital.

Chegando lá, o lugar parecia meio abandonado, porque não era um local que tivesse internação, então, havia só uma atendente dormindo atrás do balcão(!). Ela chamou a médica de plantão e fui para a sala de exames. Fiz uma ultrassonografia e fui liberada para voltar ao hotel com a receita dos medicamentos que precisava comprar. Saí procurando o médico do seguro (que, na minha imaginação, deveria me levar de volta ao hotel), e ele tinha ido embora(!) sem me avisar (!!).

Pedi para a médica que havia me atendido chamar um táxi (e ela tinha muito boa vontade). Paguei o equivalente a 4,00 euros pelo táxi.

Em resumo: o atendimento da seguradora por telefone foi ótimo, todos foram bastante atenciosos e ter podido falar em português ajudou muito. O atendimento pela médica no hospital também foi ótimo. Agora, o médico da seguradora tinha de ter ficado me esperando para me levar de volta ao hotel! Arquei com um custo de 60,00 euros apenas pelo serviço de transporte, porque a assistência médica que ele me prestou foi mínima. Essa semana foi que enviei toda a documentação para a seguradora, então ainda não sei se vão me ressarcir ou cobrar alguma das desperas, mas não tive de pagar nada adiantado pelo atendimento no hospital nem pela ultrassonografia. Paguei a medicação na farmácia (muito barata, aliás). No geral, fiquei satisfeita com o atendimento (tirando o médico fujão…), principalmente pela rapidez com que foi prestado. Acho que usarei de novo o seguro do cartão.

    Wanessa,
    Hoje mesmo lembrei-me de você! Estava mexendo nos meus guias de viagem e, quando vi o de Budapeste, me perguntei se você já havia voltado!
    Espero que – apesar do problema de saúde – todo o resto da viagem tenha sido legal! Ficarei de olho no seu blog!
    Bjs,

Eu fiz o seguro da minha Rebel com a Kertzmann. Foi tudo muito tranquilo, na negociação e a apólice chegou bonita pelos Correios. Graças a Deus eu não precisei usar…hehehehe

O problema é que eu estou indo a BsAs, no meio de Janeiro, e o seguro da Kertzmann só voga em território nacional…
O que ocorreu com a tua câmera, que eu rodei o blog e não encontrei nada sobre??
Hehehhehe

Riq e cia,
Que falta vc fez esses dias, me senti orfã !
Tenho seguro de todo o meu equipamento, feito pela Porto. Pago e ando sossegada, aliás +-.Sempre peço ajuda do meu anjo. Olhe que já andei
bastante por aí mas, os lugares + perigosos, como Rio e Sampa, ando sempre meio alerta. Não vou deixar o meu maior prazer que é fotografar de lado e viva o seguro !
Bjs,
Vera

Eu fui furtado em Nova Iorque, no Woogo Central Park, e de agora em diante só viajo com seguro. Deixei minhas malas no hotel e viajei pra California onde fiquei dez dias. quando voltei pra pegar as malas no bagageiro, tendo pago taxas e etc, senti que estavam leves. levaram tudo que estava dentro!!!! Ou seja, náo fiquem neste hotel, Woogo Central Park, certamente foi algum funcionário, pois as malas ficam em quarto sem acesso aos hóspedes. O gerente primeiro me perguntou se eu realmente tinha os objetos dentro daquela mala, uma tipica pergunta americana. E depois disse que nao poderia me indenizar já que o regulamento do hotel só autorizava guardar malas por um dia!!!! E a recepcionista havia me dito que eu poderia deixá-las pelos dez dias de viagem. Enfim, preju de U$$ 2.000,00. Woogo Central Park, nunca fiquem aí o voajar pra NYC!!!!

Ricardo,

Como já tem muitos comentários, não li todos e não sei se já te responderam, mas vou lhe falar da minha experiência com seguro.
Todo o meu equipamento é Canon segurado pela Porto Seguro. Quem intermediou o processo de seguro foi a corretora da família de um grande amigo. Não foi preciso fazer vistoria, apenas o envio das notas fiscais de cada item, junto com os respectivos números de série. O valor fica entre 10% e 15% do valor apresentado em nota fiscal.
Em 2004, ou 2005, tive o equipamento roubado na Marginal Pinheiros, num final de tarde de trânsito intenso. Estava dentro de um táxi, parado no trânsito da marginal, e fomos abordados por dois motoqueiros, um em cada lado do carro. Nisso, levaram minha mochila com o equipamento. B.O. feito na delegacia, aviso o corretor que organiza o que é preciso e entra em contato com a Porto. Depois de alguns dias, a seguradora entra em contato agendando uma visita de um de seus funcionários. Este vai no dia e local combinados ao seu encontro e lhe faz todas, mais algumas e outras inúmeras perguntas sobre tudo o que aconteceu no “sinistro”. Então, se você tiver memória fraca, fodeu, porque podem achar que é fraude. No meu caso tudo ocorreu tranquilamente. Quer dizer, demorou acho que um mês pra liberação do dinheiro, mas foi liberado. Ah, e eu não sei se existem diversos tipos de apólice, mas comigo não liberaram o dinheiro exato das notas que havia enviado anos antes, mas sim do valor de mercado do equipamento da época do acontecido. O que acabou não sendo um prejuízo, porque o valor de mercado brasileiro permitiu que eu comprasse de volta os equipamento por importabando.

Acho que é isso!

Abraços!

Eu como o Marcio acima já fiz seguro pela Kertzmann, que ig falou acima. Eu mandei imagens dos equipamentos e dos números de série.

Eu pesquisei com outros fotógrafos e muitos fazem por lá.

Mas o preço fica entre 10% e 15% do valor total da nota. O bom desse modelo é que as câmeras, lentes e etc… podem ter sido compradas fora do Brasil. O seguro mesmo só vale para o território nacional.

Ainda não sei se vale a pena. Com a tecnologia o equipamento perde valor rapidamente.

Abs pra tripulação!!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.