Entreouvido em São Paulo: no barbeiro

Ou: geografia para carecas.

De vez em quando eu traio o meu Philishave com algum dos barbeiros do bairro. (Santa Cecília deve ter a maior concentração de salões furrecos de São Paulo.)

O de ontem estava inspirado, reclamando da ex-sogra que mora de frente pro mar na Praia Grande.

– Por que aquele mitsunami tinha que ter dado tão longe? Bem que podia ter dado aqui. Né não? Se não fosse o mitsunami, podia ter sido pelo menos aquele furacão Kabrina que deu na Austrália.

(Juro pela memória da minha mãezinha.)

🙂

17 comentários

nossa, Sylvia, vc foi tomar um banho de sal grosso depois de topar essa criatura do mal??
credo… se não leva a cunhada mocréia pra passear merece a morte!

ai, que medo das pessoas…

Ontem anotei pra não esquecer a conversa entre duas balconistas:
” Pois é,está APROVADO aqui se faz aqui se paga;não é que o chato no meu cunhado tá no hospital…bateu a cabeça numa PARTELEIRA…
…é esse mesmo, ele nunca levou a gente pra andar de CATAMARÉ..!!

hahaha tá ótima pra desopilar o fígado.
E uma estudante que perguntou à professora por que o Tancredo deu o golpe ? Tá hoje no Ancelmo Gois

Sensacional!!! Mitsunami ??? deve estar vindo por aí!!! Vai saber!!

Cada uma!! tudo isso por ódio a sogra!!

Mas veja bem, pelo menos está por dentro das coisas! Só trocou os nomes…

Pior é um estudante recém saído do ensino médio, responder a um reporter da Jovem Pan, o nome de 3 continentes: São Paulo, Rio de Janeiro e Los Angeles!!!

Ou então um pretendente a advogado, responder no exame da OAB, “Corpus Christi” ao invés de “Habeas Corpus”.

QUÁ QUÁ QUÁ QUÁ QUÁ QUÁ QUÁ QUÁ QUÁ!!!!
tadinho!!
o que vale é a intenção!!
matar a véia!!!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.