66 comentários

RIQ, você quer receber um convite para duas noites para JORNALISTAS para a pré-inauguração do FASANO Vieira Souto, nos dias 10 e 11 de agosto, com antar na sexta-feira, dia 11, no Al Mare, o restaurante do hotel? Se quiser e puder, me avise para conseguir incluir vc no mailing a tempo.

O BETO está certíssimo! Eu perdi o auto-contrôle…me desculpem.

Ah, Fábio …ainda bem que vc e o Ernesto me salvariam! Aidna mais com um tempo pra ler um guia de viagem! Olha, sem querer abusar demasiadamente, as chances de eu encontrar com a “desqualificada” são mínimas, mas SE encontrar, esteja certo, ela vai ouvir palavrões que jamais ouvir na vida de sexóloga. Ah, pode se um guia do Tahiti?!

Abração!

Não acho que o Ricardo tenha jogado a culpa no Lula ou na Marta, é só ler o que ele postou com um pouquinho de atenção. Que bafão, zentchi, não levem tudo a ferro e fogo. O que ele criticou foi o comentário infeliz.

E lendo o que escreveram acima:

“Mas o que eu acho mais engraçado é que eu nunca vejo tanta comoção e indignação quando um ônibus cai numa pirambeira lá no Nordeste e morrem 50 pessoas.”

Isso é TÃO verdade. Infelizmente.

Daniel, Riq e Sylvia (vou confessar, respondo a vocês porque não li a maioria dos comentários do meio da caixa, com todo o respeito que devoto à opinião de qualquer um), não falei uma vírgula sobre o assunto porque virou um tiroteio político, entre oposição e situação, como sempre acontece nos meios de comunicação, internet entre eles. O clima de linchamento pode até ser compreensível mas me repugna. Acho, sinceramente, que o Brasil nada ganha com o Fla x Flu partidário, nem com o paredão sumário a que a objetividade vem sendo submetida. É evidente que há uma incompetência brutal na condução do que chamam de crise da aviação. E isto pode até justificar a suspeita de que o terrível acidente é conseqüência da má gestão de Congonhas. Mas daí a apontar o dedo para culpar este ou aquele pela morte de quase 200 pessoas há um longo e necessário caminho de serenidade e apego à razão. É muito fácil dizer que o Lula matou aquelas pessoas (ninguém diz com todas as letras, ou melhor, tem um sujeito na Folha de hoje que diz isso, mas está implícito no contexto de boa parte das manifestações).
Acho que um país civilizado dá muito trabalho pra ser construído. Não é um caminho fácil. O inferno, nem sempre, está nos outros. Muitas vezes está em nós mesmos e não é nada agradável reconhecer isto.
Antes que alguém me mande voltar à leitura de Pequeno Príncipe, o que jamais deveria ter deixado de fazer, recomendo calma nesta hora, pois podemos acabar fazendo o jogo do diabo, que como todos sabem anda à solta e disfarçado.

Arnaldo, só vc pra me fazer rir numa situação dessas, por querer falar o impublicável (q todos nós temos vontade de falar) para aquela “desqualificada”. Mas fica tranquilo, se vc fosse preso eu iria pedir a tua liberdade provisória (antes iria no presídio de levar um guia de viagem, ok?) e vc sairia de lá aclamado por todos os brasileiros. Realmente, eles gozam todos os dias, da nossa cara e com o nosso dinheiro

Reproduzo aqui uma notinha do Blue Bus de hoje. Fala sobre a perda de um colega nosso, do SBT. Na verdade foram 2 colegas. A nota se refere apenas a um deles, mas serve para mostrar o sentimento.

E aí, Marta, gozou? | Acabo de chegar da ante-sala do pesadelo 08:30 “Julio, Joao Roberto Brito, executivo do SBT falecido no acidente da TAM, estava entre meus mais próximos e melhores amigos. Éramos parte de uma geraçao que colocou TV por assinatura de pé no Brasil. Ele, oriundo da RBS, e eu vindo de comunicaçao e varejo, fomos nos conhecer diretores na Net em 1986. De lá para cá tive o privilégio de compartilhar 11 anos de profunda amizade, nutrida por admiraçao, respeito, debate, inteligência, competência, generosidade e grandeza. Brito conseguia ser um bem sucedido executivo, extremamente competente e focado, sem perder a humanidade. Casado com Ana Paula, formavam um daqueles casais de cinema. Lindos, articulados e afetivos. Vi as filhas dele nascerem, gêmeas, sapecas sorridentes. Vao fazer 3 anos agora”. 19/07 Fernando Coelho

“Estou chegando do Aeroporto de Congonhas, onde fomos (amigos) acompanhar o processo legista para começar a identificaçao de corpos. Nao vai ser fácil. O ambiente carregado de um misto indescritível de dor e perplexidade. Era a ante-sala do pesadelo, enquanto os nomes eram chamados para a entrevista legista com o pesadelo em si… Como era ele? Tinha cicatrizes? Tatuagem? Vc tem a arcada dentária?… Olha, a temperatura chegou a 1500ºC… Até pinos ortopédicos fundem nessa temperatura… Talvez precise do DNA… Dias? Meses? etc, etc”. 19/07 Fernando Coelho

“Brito havia me telefonado no começo do fatídico dia para dizer que viria a SP para uma reuniao no SBT, e que se desse jeito a gente jantava juntos antes dele voltar. Ironicamente nao precisava ter vindo no vôo que o levou embora. Mas, tomou essa decisao e optou por se antecipar, justamente para evitar os atrasos do caos aéreo, caso tentasse o vôo do dia seguinte, direto para a reuniao”. 19/07 Fernando Coelho

“Este meu relato, escrito dentro do mais profundo pesar, pretende tangibilizar a qualidade dessa perda. Exibir a humanidade que é criminosamente desperdiçada (assassinada) nessa cadeia de incompetência a qual estamos submetidos. Nao importa para que time você torce. Essa ou aquela visao política. A operaçao de um aeroporto é em qualquer sistema ideológico uma operaçao técnica, com padroes. Gostaria de ver a Policia Federal exibir agora a mesma coragem (covardia?) com a qual indiciou o jovem controlador do caso da GOL (Sargento Jomarcelo Fernandes dos Santos) por homicídio doloso (com intençao premeditada), fazer o mesmo com a cadeia alimentar, que, debaixo para cima segue – Infraero, ANAC, Aeronáutica, etc etc. Fica aqui a frase final, circulando na internet, que sintetiza o descalabro público completo no qual vivemos – ‘E aí, Marta? Gozou?’. Canalhas…” 19/07 Fernando Coelho

Este lado A do disco só faz sentido se deixar o campo das idéias e
partir para ação.

Ricardo, eu concordo com você.
A minha bronca não foi contigo, foi com os comentaristas.
Eu não quero criar nenhuma animosidade, eu sei que os comentaristas freqüentes são uma parte muito importante do seu blog e do seu sucesso.
Eu leio seu blog diariamente desde a primeira encarnação e tenho que dizer que briguei bastante (dentro das minhas limitações) para que ele não saísse do UOL.
Só não consigo ver as pessoas citando Reinaldo Azevedo e Diogo Mainardi como pessoas que falam as coisas “certas”, sendo que claramente a análise deles é enviesada. Só isso.
Só para finalizar, quanto à Marta, eu acho que ela estava em uma situação em que iria se ferrar de qualquer jeito –calada ou falando. Mas é claro que preciso deixar claro uma coisa: foi ela quem provocou essa situação com a declaração infeliz que deu sobre a crise aérea. Aliás, muito infeliz.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.