66 comentários

Lena, não vejo sentido em ficar trocando farpas com você pelos comentários.
Claramente esse não é o propósito.
Se quiser discutir comigo, me acha no danierp arroba gmail ponto com .
[]s

Não chamei a opinião de ninguém de “a verdade”. Existem análises, boas ou más. Prezo a liberdade de opinião, a imprensa livre, a democracia. Espero muito que o nosso país não tenha o destino da Venezuela, porém receio muito por isso, já que pessoas de nosso governo dizem pérolas como : “A Venezuela tem o direito democrático de fechar a rede de televisão”. O conceito de democracia que aprendi não tem nada a ver com o deste partido.

Eu sei que o momento não é dos melhores, mas que tal pensarmos no que nos une (viagens, alegria de viajar, alegria de compartilhar alegrias) e esquecermos o que nos desune?

Essas diferenças de opinião nunca foram problemas para nós!

Boa tarde, Lena.
Não sou leitor do Dimenstein não.
Eu li o editorial da Folha.

Vindo de alguém que afirma que Reinaldo Azevedo e Diogo Mainardi falam as verdades sobre o assunto, não me surpreende você achá-lo uma boa análise.

Me surpreenderia se você mostrasse alguém que fizesse uma análise do acidente em si, já que as evidências apontam cada vez mais para motivos que pouco tem a ver com o chamado “apagão aéreo”.

Mas beleza, cada um com a sua opinião.

Daniel, eu já desconfiava que você era leitor do Gilberto Dimenstein. Só ele, para citar mtoboys e criancinhas pobres na análise de um acidente aéreo. Já que você é leitor da Folha, deveria ler o editorial, que desta vez, faz uma boa análise do caso.

Beto,

Eu também me afasto quando as discussões tomam uma conotação de disputa entre torcidas movidas a paixão. Isso sempre ocorre aqui no VnV quando se posta algo sobre futebol, nos foruns de aviação quando se discute aeroportos do RioXSP e etc.

Não acredito que o problema que vivemos seja exclusivo do governo ou da oposição. O apagão moral e ético escurece grande parte da sociedade, elite (notadamente a anestesiada classe média) ou não elite, como agora querem dividir o Brasil.

O Lula sofre mais com as críticas por ter sempre se colocado e colocado os integrantes do seu partido como bastiões da moral e ética. O erro dos demais sempre foi comemorado. Hoje eles servem de desculpa para os próprios erros. Só aceito essa desculpa se a teoria de que o poder corrompe e embriaga for aceito como fato por todos. Se fosse outro presidente e tomasse as mesmas atitudes estaria sofrendo com as mesmas críticas, talvez a intensidade fosse um pouco menor pelo exposto acima. Não acredito em preconceito. Já no segundo mandato temos direito a ter um conceito formado e o dever de respeitar os dos demais como respeitamos os votos da maioria.

A falta de opinião é que seria grave.

Estamos frustrados e entristecidos, nesses momentos podemos parecer mais agressivos do que somos.

Sylvia,

O presidente é culpado pela falta de atitude. Nesse momento ele se chama Lula. O FHC foi duramente criticado e recriticado durante as últimas eleições devido ao apagão elétrico.

Arnaldo,

Quando for ocorrer uma pré-inauguração de algum vôo onde blogueiro possa comparecer, pode me colocar no mail list! 8)

O presidente é culpado sim.
É culpado por omissão, culpado por desrespeito.
Não é culpado pelo acidente , isto é óbvio.
A culpa que carrega por ser omisso e desrespeitar o povo vai persegui-lo pois é totalmente inadmissivel que por politicagem o presidente não
tenha feito uma declaração pública de pesames imediatamente após
o acidente.

Arnaldo, Tahiti, combinado! Mas, como dizer, vc não poderia me colocar nesta boquinha? Se não puder, tudo bem, mas para de fazer água na boca dos outros, ok?

Não achei onde colocar, mas acabei de chegar de Ribeirão Preto.
Meu vôo era hoje pela manhã e deu tudo errado.
Havia uma neblina digna de BsAs em RP e fui para lá já imaginando que o aeroporto estaria fechado, além de por causa do acidente, também pela neblina.
Eu fui para lá seguindo orientação da GOL, que ontem por volta das 23h disse que meu vôo estava confirmado.
Assim que cheguei o tumulto já estava formado. Lembrando do que passei lá há pouco tempo, já estava preparada pro pior.
O atendente muito educado me disse que o vôo estava cancelado e que eu deveria ir embora de ônibus ou remarcar para a noite, porém não havia garantia que o mesmo saísse.
Eu disse que então remarcasse para a noite enquanto eu pensava e perguntei: por que vcs não fazem como a TAM está fazendo e nos coloca em um ônibus para SP? Ele respondeu que não o fariam.
Então perguntei por que vcs não nos mandam para o hotel então para aguardarmos o vôo da noite e durante o dias vcs confirmam se sai ou não, para não fazermos check in e termos que retornar?
Ele novamente respondeu que não o fariam.
Eu perguntei então qual era a solução e ele disse que era pedir reembolso e ir embora de ônibus por conta própria ou esperar no aeroporto até a noite – 15 horas, por um vôo que não sabia se teria.
Eu conto isso tudo porque por mais que eu seja compreensiva, por mais boa vontade que eu tenha, por mais que eu realmente entenda que a situação era extraordinária, eu acho a maneira como nos tratam quase indigna. E se eu estivesse em Rio Branco, viria de ônibus por conta própria também?
Sabem quanto custou a brincadeira de taxi pro aeroporto, taxi pro centro, taxi pra rodoviária, taxi para minha casa do Tietê, sendo que moro do lado de Congonhas? Bem mais que a passagem aérea.
Não é o custo, mas o sentimento que fica, onde não somos tratados como consumidores e que merecemos respeito. Após 10 meses de crise, as equipes continuam despreparadas, as empresas continuam tratando seus clientes como lixo, ninguém informa nada corretamente, tá tudo errado.
Eu pretendo ficar no chão por muito tempo.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.