Espetáculo (minha crônica no Divirta-se do Estadão)

2014 precisa ser a copa do turismo

Passei boa parte da Copa pulando de ilha em ilha no Caribe. (A trabalho, pessoal, a trabalho.) Em todos os lugares o Brasil era o campeão de bandeirinhas penduradas na lateral dos carros. Em qualquer lojinha havia camisetas e bugigangas verde-amarelas.

As pessoas com quem eu falava, porém, nem faziam tanta questão assim de que o Brasil ganhasse. O que elas queriam é ver o Brasil jogar bem. Jogadas bonitas. Cobranças de falta de efeito. Dribles. Alegria. Espetáculo.

O que precisamos entender é que, no futebol, o Brasil compete é consigo mesmo. Com o seu significado no mundo. A Holanda e a Espanha (e também o Inter ou o São Paulo ou o Corinthians) podem – precisam – vencer a qualquer custo. O Brasil não. Vencer a qualquer custo, para um time como o Brasil, é indigno. E ser eliminado jogando feio é muito mais humilhante do que ser eliminado jogando bonito.

Escrevo isso não por ranzinzice, viuvez de 1982 ou nostalgia de 2002. Escrevo isso porque segunda-feira, 12 de julho de 2010, vai ter início uma Copa do Mundo que o Brasil não pode de jeito nenhum se achar na obrigação de ganhar.

A Copa de 2014 tem que ser a copa do espetáculo. Dentro e fora do campo. É quase certo que os estádios sejam enjambrados, os aeroportos não funcionem e o trânsito resulte ainda mais caótico do que na África do Sul. Não tem importância. O que importa é fazer uma festa como nunca se viu.

O Brasil de 2014 não pode jogar pelo resultado. E a torcida precisa ter consciência de que vai ter um outro papel: em 2014, seremos antifitriões. A mídia não pode esperar até um mês antes da Copa para lembrar que os argentinos – que vão invadir o Brasil, com ou sem ingresso na mão – precisam ser tratados como visitantes, não como rivais figadais.

Não é difícil conseguir isso. Basta botar na cabeça que em junho de 2014 o Brasil vai fazer o maior carnaval da sua história. Que o Brasil precisa desfilar para a arquibancada, não para o regulamento. E que, qualquer que seja o resultado (inclusive um novo Maracanazo, vira a minha boca pra lá), a festa vai ser garantida. Porque o título que precisamos disputar – e temos tudo para ganhar – é o da Copa mais bonita de todos os tempos.

24 comentários

Muito linda a sua crônica, concordo com gênero, número e grau! A Copa de 2014 já começou para o Brasil! Parabéns pelo texto!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.