Franceses, os piores turistas?

pioresturistas
Um dos vários McDonald's do centro histórico de Roma

A Alessandra me pediu para comentar essa notícia que bombou anteontem por aí, sobre uma pesquisa da Expedia que apontou os franceses como os piores turistas do mundo.

É mais uma daquelas manchetes que todo mundo passa adiante sem se dar ao trabalho de analisar o conteúdo.

Fora de contexto, assim do nada, o que faria alguém ser o “pior turista”?

Na minha cabeça, o pior turista é o mais mal-educado, o que fala alto, o que desrespeita os direitos dos outros, o que estraga os lugares para onde vai.

Só que essa pesquisa não foi feita comigo nem com você nem com turista nenhum. Ela foi feita com funcionários de hotéis. E os funcionários de hotéis classificaram os franceses como os piores turistas do mundo basicamente por dois motivos: porque são os que dão menos gorjeta e não falam inglês.

Dã.

O mais engraçado é que os americanos ganham nota alta no quesito “tentar falar a língua local”. Sei 🙂

Como eu não trabalho em hotel e por isso não espero gorjeta de francês, no que me concerne posso dizer que acho os franceses turistas excelentes. São discretos (ou seja, guardam  a arrogância para si, ao contrário de muitos anglos…), costumam viajar aos lugares certos e, o que é melhor, não desvirtuam os lugares que visitam.

E bom 14 Juillet pra você também.

66 comentários

Paula, eu geralmente fotografo a plaquinha da obra de arte para lembrar depois e pesquisar. Acho mais fácil do que anotar. Claro que em museus que NÃO pode fotografar nem isso eu faço, pois a máquina fica na mochila.

Atrasadíssimo, eu sei, mas…
Fui para Lima em 2004, e já era uma cidade bastante interessante. Sei que de lá para cá melhorou muito.
O que eu realmente gostei foi do Centro Histórico. É meio muvucado, mas a Plaza Mayor é extremamente limpa, e bastante segura. Ali perto tem o Museu da Inquisição que é bastante interessante, onde na época tinha até guia para acompanhar contando a história da inquisição em Lima, que foi até razoavelmente forte. Ao final, no subsolo, tem alguns dos minúsculos lugares onde todos ficavam.
Além deste, outro que gosto muito é o Monastério San Francisco, outro que fiz com guia, e já está bem citado nos blogs, é muito bom mesmo (ok, é meio claustrofóbico e as ossadas são muitas, mas vale a pena).
Fora isto, é o já citado mesmo: a Catedral bonita demais, Shopping Lacormar, Plaza del Amor, e comer uma chifa (mistura peruana e chinesa) que é muito bom!

Para mim os piores são os italianos,gente bastante brusca especialmente dentro de aviões e em resorts. Mas tambem aprendi, que reagindo com eles com a mesma brusquidão eles amansam…não são grande problema, só um pouco caóticos (como toda a Italia) e com vontade de armar confusão…o maior defeito deles é mesmo nunca deixar gorjeta

Ôpa, obrigado pelas dicas.
Não fiz a lição de casa pois não olhei no blogroll ao lado, né Riq?

E Carla e Nico, pode deixar que assim que tiver pesquisado melhor, volto a importunar. Por falar nisso, Nico, o Barranco não é legal pra ficar? É que vou ficar 2 dias em Lima na ida, mais dois na volta e gostaria de ficar tanto em Miraflores como lá.

Achei legal a aparente criatividade dos peruanos ao batizarem os seus estabelecimentos comerciais. Maga, Mis Suspiros é um bom exemplo, assim como o restaurante os Sete Pescados Capitales.

    Edu, Barranco é bacana tb, porém mais alternativo, acredito que Miraflores é mais estruturado. E depois o táxi é barato (desde que se combine antes o valor) e Miraflores e Barranco são vizinhos, então dá pra ir pra lá a qualquer momento.

    Edu, eu também fiquei hospedada em Miraflores, e gostei muito da estrutura do bairro. O hotel em que fiquei, o León de Oro, é bem básico, mas valeu pela super barganha que consegui na época, menos de US$ 40 o quarto duplo, por um hotel situado a uns 5 minutos de caminhada do Shopping Larcomar. Mas, se você vai se hospedar em Lima tanto na ida quanto na volta, acho que é uma boa idéia experimentar Barranco, sim… 😉

    Carla, acho que vou ficar com a tua opinião, pois assim, experimento 2 bairros e dois hotéis diferentes ( e que como o próprio Nico disse, ficam bem perto um do outro).

    Sylvia, não conhecia os tais chocolates da Helena. E é claro que vou trazer e comer, ainda mais com a Dé sendo uma chocólatra assumida !!
    Agora, você não exagerou um pouquinho ao citá-lo como o melhor produto gourmet da maravilhosa culinária peruana?? rsrs

    Eu também comprei as tejas Helena! Para mim e para os amigos. São mesmo uma delícia! E nos supermercados é bem mais barato que nos locais turísticos. 😉

Quem, como eu, tem o planejamento do turismo como profissão não se contenta com release de pesquisa, assim quando eu vi a notícia vasculhei a internet para achar o texto completo e ainda não achei, somente retalhos de releases. Mas os critérios aplicados tem coisas curiosas como vestimenta (os americanos foram classificados como o os mais mal vestidos, costume de reclamar (dos serviços? dos locais?). Pelo que eu entendi das notícias no quesito falar é esforçar-se para fazer os pedidos em restaurante e hotel, por exemplo, na língua local.
A propósito os japoneses, tão criticados aqui, seguidos dos britânicos e canadenses, foram considerados os melhores turistas. O ranking está aqui: http://www.dailytelegraph.com.au/news/worlds-best-tourist-rankings/story-e6freuy9-1225748081640

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.