Fujadafila.com

Para informações atualizadas, leia este post: Como furar (legalmente) a fila em monumentos e museus

Minha coluna na Época dessa semana. Agradeço ao pela inspiração do tema e pelas três primeiras dicas da lista 😀

De todos os inconvenientes possíveis de acontecer numa viagem – atrasos, mau tempo, contratempos de saúde – existe um que está ficando cada vez mais fácil de evitar: as filas. Algumas das atrações mais concorridas do planeta montaram sistemas de reserva antecipada de ingressos ou de acesso privilegiado. Na maioria dos casos dá para resolver tudo pela internet, em alguns cliques (e algumas idas ao dicionário). À primeira vista pode parecer complicado fazer a reserva pelos sites. Mas é melhor perder meia hora, no conforto da sua casa, destrinchando os procedimentos de compra, do que quarar duas ou três horas numa fila, com o taxímetro das suas férias rodando em euro ou em dólar.

Torre de Pisa. Apenas 30 pessoas por vez podem subir à torre, em visitas guiadas de meia hora. Dez lugares em cada grupo são postos à venda pela internet, pela Opera Primaziale Pisana. Custam 17 euros (2 euros a mais do que o preço na bilheteria) mas podem fazer a diferença entre subir ou não subir na torre. Chegue meia hora antes para retirar os ingressos.

Galeria Uffizi, Florença. Existem muitas agências online que oferecem ingressos para a Uffizi, mas o mais seguro – e barato – é reservar sua entrada por telefone, com antecedência. Já se pode comprar ingresso para a Uffizi (e também para a Accademia) pela internet. O endereço da bilheteria oficial é http://www.b-ticket.com/b-ticket/uffizi/default.aspx. A central de vendas dos museus de Florença atende pelo telefone (39-055) 29-4883, e você pode optar entre o atendimento em italiano ou inglês. Custa 9,50 euros. Aproveite e reserve seu ingresso para ver Davi, de Michelangelo, na Accademia: são outros 9,50 euros.

Capela Sistina, Vaticano. Para não perder uma manhã na fila, inscreva-se num tour guiado oficial do Vaticano. Custa 23,50 euros (10,50 euros a mais do que o ingresso simples), dura duas horas e pode ser reservado por fax: (39-06) 6988-5100.

Museu do Louvre, Paris. Não adianta procurar no site do museu: as entradas são vendidas em centrais como a TicketNet. O ingresso custa 9,60 euros, e a taxa para imprimir em casa, em formato PDF (evitando, assim, os custos e a demora de envio pelo correio), é de 1,30 euro.

Alhambra, Granada. Este palácio mouro é a maior atração turística da Andaluzia; no verão europeu é impossível conseguir ingressos na hora. No site Alhambra Tickets você escolhe dia e horário da visita. Para ter mais tempo dentro do palácio, reserve o primeiro horário da manhã (8h30) ou da tarde (14h). Os ingressos custam 10,88 euros e são retirados no local.

Reichstag, Berlim. Aparentemente é impossível visitar a cúpula de vidro do parlamento alemão – obra-prima de sir Norman Foster – sem mofar uma ou duas horas na fila; mas a visita, pelo menos, é grátis. Quem quiser abrir a mão, porém, pode reservar uma mesa no restaurante Käfer ([email protected]), que funciona na cúpula, e entrar direto por uma entrada lateral.

Museu Metropolitan, Nova York. O Met não cobra ingressos: sugere uma doação de 20 dólares por adulto. Para quem não quer esperar na fila, porém, a doação é compulsória. Entre pelo site do museu você pode escolher entre ser direcionado para uma central de ingressos ou preencher um formulário e pedir seus ingressos por… fax!

Empire State, Nova York. Para subir no edifício mais famoso do planeta é preciso enfrentar três filas: do controle de segurança, da bilheteria e do elevador. O site do Empire State vende dois tipos de ingresso antecipado. O de 20 dólares permite que você cabule a fila da bilheteria; o de 48 dólares faz você furar a fila do elevador também.

136 comentários

Carla, adorei! pode continuar nos presenteando com poeminhas!! 🙂

Tô com a Katy – ignorar – talvez ainda tenhamos uns dias de turbulência, mas como dizem, depois da tempestade vem a bonança!!

Minha opinião: muitos dos que escreveram ofensas aqui não eram torcedores fanáticos não, mas sim Trolls, que não perdem uma oportunidade de espalhar discórdias e ofensas se aproveitando de uma situação pré-existente (no caso as reclamações de alguns torcedores “legítimos”), mas aqui não funciona.

Pessoal, aqui vai um presentinho literário para alegrar o fim de semana de todos:

POEMINHA DO CONTRA (Mario Quintana)

Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!

😀

Oi, gente

Sou nova no pedaço, apesar de acompanhar o trabalho do Ricardo há muitos anos. Adorei conhecer o blog e tenho passado horas lendo o que já foi escrito por vocês e por ele. Achos as dicas de todos maravilhosas e já estão me ajudando a planejar a próxima viagem. Obrigada!

Hoje, porém, fiquei assustada e muito triste ao ver o rumo que as coisas estão tomando por aqui. Que tal simplesmente ignorar a grosseria e a falta de educação desses fanáticos (na pior acepção da palavra)? Vamos fazer de conta que eles não existem e retomar a nossa “filosofia turística”. Penso que nesses casos a indiferença é a melhor resposta. Não se fala tanto que o turismo pode facilitar a paz entre os povos? Vamos voltar a falar apenas sobre turismo e, quem sabe, trazemos de volta a paz a essa nossa aeronave? Beijos.

Oi,Riq.Fiquei dois dias sem ler seu blog e hoje levei um susto.Aqui agente se diverte e aprende tanto…que triste esse povo chegar com tanta agressividade.Você,como sempre,na maior classe.
Bjs.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.