Gripe suína: leitores do VnV em viagem ao exterior dizem que não há paranóia

Ocean Drive, South Beach, Miami
Ocean Drive, South Beach, Miami

As caixas de comentários dos posts da gripe suína estão recheadas de depoimentos totalmente desestressados de tripulantes (ou trips, na nova denominação), que não estão vendo na vida real nem sombra do pânico que atormenta as primeiras páginas dos jornais (e as homes dos portais).

EduLuz, da Flórida: Estamos há 4 dias em Miami e até agora só vimos uma pessoa com mascara : uma “tiazinha” que estava limpando um banheiro num shopping. No restante do tempo estivemos em 3 restaurantes (todos cheios!), dois malls mais cheios do que o Pacaembu em dia de final ( Timão, êeeôooo !), passeamos pela Ocean e pela Rodeo Dr e nada da gripe ! Pra não dizer que nos nao ouvimos falar, uma dona duma loja em Key West nos perguntou se andávamos de máscara no Brasil, no que a sócia dela respondeu que “o Brasil não fica perto do México!”. Bom, pelo menos não disseram que a nossa capital e Buenos Aires. Ah! Vimos também máscaras de … mergulho.

Dani S., de Nova York: Viajei direitinho, sem problemas. Nós fomos os únicos no vôo com máscara, ficou todo mundo olhando esquisito pra gente (mas como diz o marido, melhor prevenir do que remediar, e passamos o nosso ridículo tranqüilos). No aeroporto de BH, ninguém de máscara nem nada. No de Miami, nada. No de Nova York, tampouco. (Só teve uns engraxates que fizeram um “vade retro” pra gente passando de máscara). O fuzuê é só no Brasil mesmo. Tó tudo normal pelas ruas. Aliás, hoje de manhã no aeroporto vimos uma entrevista com uma cientista que disse que grande parte dos resultados positivos pra gripe suína foram falsos positivos, outras gripes mal diagnosticadas. A minha irmã que já estava nos EUA nos disse que a recomendação aqui é NÃO usar máscara, que não serve pra nada (a não que você esteja doente, pra não transmitir) e observar os cuidados de higiene básicos.
Resumindo: desestressa, povo. Se o país mais alarmista, onde tem mais casos, não está nervoso, não é caso pra desespero. Cautela, sim. Pânico, nem pensar.

Joana, de Madri, Londres e Berlim: No Galeão: quase ninguém da equipe do aeroporto de máscara e luvas, mas tinha um ou outro gato pingado. Os passageiros, esses sim, estão desesperados. No meu vôo tinha uma família de 4 adultos, que eu ja tinha visto na sala de embarque, com máscaras que pareciam coisa de centro cirúrgico mesmo, sabe? Quando eu olhei eu pensei: ih, estao em conexão e vieram do Mexico. Pois bem: quando entro no avião, eles estao atrás de mim!!! Confesso que me bateu um desespero… todas as pessoas em volta sacaram suas máscaras das bolsas e as usaram o vôo inteiro! Mas os comissários da Iberia ficaram sem nenhuma proteção o vôo todo – assim como eu. Chegando em Madrid, alguns agentes da imigração estavam com máscara, outros sem, vc percebia que era uma decisão pessoal. A mesma coisa acontecia com as pessoas de solo da Iberia, mas na segurançaa todos com proteção. Os passageiros: muita gente de máscara, diria que um terço das pessoas, vindas de todos os lugares.

Em Londres, ninguém, absolutamente ninguem de máscara, nem as pessoas do aeroporto nem os passageiros. Aqui em Cambridge isso nem é assunto de conversa e… todos muito tranqüilos no metrô, em todos os lugares.

Pessoal, estou em Berlim! Aqui no aeroporto, absolutamente ninguém, mas ninguém mesmo de máscara – como na Inglaterra. Nem passageiros nem funcionários. Aliás, eu ja tinha relatado a minha experiência em Heathrow, hoje embarquei em Stansted e nada de novo… nem um aviso na parede, um cartaz, absolutamente tudo na normalidade. Aqui em Berlim ainda nao fui nas areas fechadas (Parlamento, museus, etc), mas nas lojas e nas ruas… vida normal!

Edu Luz, de volta ao Brasil (via email): Acabamos de voltar da Flórida e o parecer continua o mesmo. Só vimos  tal da gripe em algumas noticias de jornais (e com espaço cada vez menor) e nos assustamos quando chegamos aqui em São Paulo, pois todos os funcionários da Infraero estavam usando as tais máscaras. Será que eles estão com receio de serem contaminados ou alguém achou que eles poderiam contaminar os passageiros ?

Repito o que eu venho dizendo: enquanto as manchetes falarem em “casos”, tomemos as precauções normais de higiene e deixemos as autoridades se preocuparem em debelar a epidemia. Quando — e se (toc, toc, toc) — as manchetes começarem a falar em  mortes ao redor do mundo, só aí eu cancelaria uma viagem a qualquer lugar que não se chame México.

64 comentários

olá, acabei de voltar de buenos aires e bariloche…não tem ninguém de máscara em lugar nenhum. Só nos aeroportos. Eu estou com tosse, mas não apresentei febre..mas já sai assim do Brasil…
Fui em vários lugares na Argentina, como bares e shows e não vi nada demais…Ademais, todos os lugares estavam com calefação e pessoas com frio..pois está muito frio lá. Beijos.

Crianças, só pra dar o fidibeque completo: depois da viagem (eu voltei num vôo Miami-BH), fomos recebidos com todo mundo de máscara em Confins, entregando papeizinhos. Uns cinco dias depois, recebi um telefonema da Anvisa no recesso do meu lar, só pra saber se a gente não tinha morrido (bem, se não tinha sintomas de gripe =), colocando um telefone 0800 à disposição, caso tivéssemos algum sintoma nos próximos dias. É só pra ninguém ficar paranóico depois! Eu achei até simpático…
Agora, a próxima gripe que eu pegar, já tenho certeza que é gripe mamífera, mesmo. :mrgreen:

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.