Côte d'Azur e Provence: estratégia de viagem 1

Côte d’Azur e Provence: estratégia de viagem

St.-Paul

Côte d’Azur

Melhor base: Nice

Permanência: o mínimo para dar conta basicão, em ritmo puxado, são 4 dias. Você pode dedicar o dia de chegada a Nice e fazer, nos dias seguintes, passeios a Mônaco + Èze,  a  Haut de Cagnes + St.-Paul + Antibes  e a Grasse + Cannes. Com menos do que 4 dias, vai precisar selecionar os passeios. Com mais de 4 dias, poderá passear com mais calma e aproveitar a praia — ou se mudar para St.-Tropez, que é perfeita como segunda base. Uma semana é a permanência ideal para não sair da Côte sem ter visto/experimentado o que vale mais a pena.

A costa

Nice é muito mais do que um balneário: é uma cidade de verdade, que tem vida própria o ano inteiro. Por isso considero Nice o lugar mais interessante — diverso, animado — para estabelecer base na Côte. Seu centro histórico é uma graça e tem um mercado autêntico, no Cours Saleya, que funciona de terça a domingo (6h às 13h30). A praia tem pedrinhas, mas as plages (as barracas de praia francesas) têm passadeiras de sisal entre as espreguiçadeiras, para não machucar os seus pezinhos. O mar tem uma linda tonalidade azul-celeste. Se eu fosse você, me hospedava no centro histórico; a região do porto tem uma saída superconveniente para as Corniches. Eu fiquei no Ibis Budget Nice Vieux Port. Na mesma região estão o Le Genève e o econômico Campanile Nice Acropolis. Ali perto, e também fácil de chegar e sair para quem está de carro, o Mercure Nice Marché aux Fleurs é uma boa opção.

Mônaco está a apenas 20 km. Você pode ir de carro (esse roteiro aqui, modéstia às favas, é campeão) ou de trem (22 minutos). Em ambos os casos, faça uma parada na ida no vilarejo de Èze, no alto da montanha, no meio do caminho.


monte-viagem-europa2
Tá na mão

Antibes, a 22 km, um pouco antes de Cannes, tem um centrinho histórico murado à beira-mar que é puro charme. Também é uma boa alternativa a Nice para montar base (veja hotéis aqui), se você prefere evitar cidades maiores. Está a 21 minutos de trem. De carro, Antibes compõe um roteiro triangular perfeito de um dia com Haut de Cagnes e St.-Paul.

Cannes está a 32 km e permite que você imagine os artistas chegando pela Croisette ao Palais des Festivals. Mas não espere muito do centro histórico. Há bons restaurantes e bares, mas que existem em função dos turistas, sem aquela cor local do centro de Nice. De trem são 32 minutos. Dá para combinar com um pulinho antes em Grasse, tanto de trem quanto de carro.

St.-Tropez está a 112 km pela auto-estrada e 120 km pela costa, mas não é um bate-volta muito aproveitável. No verão você vai pegar muito engarrafamento (a costeira estará totalmente parada, assim como o trecho final na tortuosa estradinha entre a auto-estrada e St.-Tropez, caso você vá por fora). St.-Tropez tem pouco o que ver e muito o que curtir: o bacana aqui é veranear, pegando praia num dos clubes de Pampelonne (como o mítico Club 55, o badaladinho Nikki Beach — em julho e agosto é bom reservar — ou qualquer outra plage) e curtindo a noite do centrinho histórico. Não há trem para St.-Tropez; a estação mais próxima fica em St.-Raphaël (1h de trem de Nice); você segue de ônibus local da estação até St.-Tropez.

A montanha

As montanhas que acompanham a costa escondem vilarejos adoráveis.

Èze está a 13 km na direção de Mônaco e se equilibra precariamente na beira de um precipício, em torno de um castelo medieval.

Ao sul de Nice,  Haut de Cagnes (15 km) é um bibelozinho superpreservado. De transporte público, pegue o ônibus 400 de Nice ou o trem (15 minutos) até Cagnes-sur-Mer;  lá prossiga no ônibus local para a cidade antiga, que fica (como o nome sugere) nos altos do balneário.

A mais fotogênica das cidades da montanha é St.-Paul (20 km de Nice) cuja pracinha na entrada funciona como campo permanente de pétanque. As vielas da cidade murada lembram as de Èze — só que com lojas mais sofisticadas. O trem não chega a St.-Paul, mas ônibus 400 de Nice deixa você lá (você pode pegar também no meio do caminho, em Cagnes-sur-Mer, depois de ter visitado Haut de Cagnes).

Finalmente, a razão de ir até Grasse (43 km de Nice) é fazer uma visita a uma de suas perfumarias, como a Fragonard, para conhecer o processo de criação e fabricação de perfumes. Grasse está a 1h15 de trem de Nice e 30 minutos de Cannes.

Não se engane com as distâncias

No mapa, tudo está pertinho. Só que o trânsito na costeira é bastante lento (em julho e agosto, totalmente engarrafado). Sair da cidade para pegar a auto-estrada também é embaçado. Não tenha planos muito ambiciosos para os seus dias para não se estressar. Em agosto, ir pela costa de Nice a St.-Tropez é enlouquecedor; prefira a auto-estrada.

Quando ir à Côte d’Azur

Entre o fim de maio (quando acontece o festival de cinema de Cannes) e meados de setembro tudo estará funcionando e vai dar até para pegar praia. Entre outubro e abril, o frio tira muito do encanto da região. Agosto é indicado apenas para quem quer ficar parado num lugar e ir à praia ali todos os dias; turistar pode ser um suplício por causa do trânsito.


aix-en-provence
Os leitores indicam

Provence

Lourmarin

Melhor base, de carro: Lubéron

Melhor base, sem carro: escolha entre Aix-en-Provence e Avignon

Permanênciapara fazer o basicão você vai precisar de 4 dias: um dia para percorrer o Lubéron, outro para Aix, outro para Avignon e um quarto para ir a St.-Rémy + Les-Baux. Dias suplementares podem ser usados para brincar de Lubéron com mais calma, ver a feira em L’Isle-sur-la-Sorgue, dar um pulinho nas Gorges du Verdon, ver as Calanques, dar um rolê por Marselha ou ir às cidades romanas de Nîmes ou Arles. Com uma semana (dividida entre duas bases) você já sairá com a sensação de não ter deixado nada muito essencial para trás. Com 10 dias (divididos entre três bases) você terá visto e curtido o melhor da região.

As bases

Lubéron é um parque nacional que abriga um rosário de vilarejos tombados pelo charme e pelo bom-gosto. Gordes, no coração do Lubéron, está a 40 km de Avignon, 75 km de Aix-en-Provence e 250 km de Nice. Este é o território dos livros de Peter Mayle sobre a Provence — e é onde mora o tal “estilo provençal” que você vê nas revistas de decoração. As estradinhas são todas vicinais, e não há indústrias nem arrabaldes feios a macular os seus deslocamentos. Se você não precisa de igrejas, ruínas, museus e monumentos, talvez nem queira sair daqui: passar os dias entre a piscina do hotel e um mercado provençal (pegue a lista no seu hotel) e um restaurante num outro vilarejo já configura férias inesquecíveis. Estar de carro é essencial. A pé, você vai precisar usar os ônibus locais, que não são tão freqüentes assim (antes de ir, informe-se sempre sobre os horários de voltar para ver se o passeio é factível). As Gorges du Verdon estão a 130 km de Gordes. Saindo dos limites do parque, você verá que o caminho perderá muito em beleza (mas os pontos de chegada valem a pena). As distâncias, a partir de Gordes: L’Isle-sur-la-Sorgue a 18 km, Châteauneuf-du-Pape a 50 km, Avignon a 75 km, St.-Rémy a 43 km, Les-Baux a 46 km, Nîmes a 81 km e Arles a 87 km. Na região, já fiquei no Domaine de l’Enclos, um hotelzinho charmoso, nem barato nem caro, nos arredores de Gordes, e amei. Dê uma olhadinha nos hotéis de Gordes, Lourmarin, Bonnieux, Ménerbes e Roussillon.

Aix-en-Provence é uma cidade animada, com muitos estudantes e uma rua que se tornou famosa como “a mais bonita da França”, o cours Mirabeau. Está bem posicionada para passeios ao Lubéron (40 km) e ao litoral: Marselha está a 30 km, as Calanques a 45 km. No interior, o Lubéron está a 40 km, L’Isle-sur-la-Sorgue a 70 km, Avignon a 80 km, Les-Baux a 68 km, St.-Rémy a 71 km, Arles a 75 km, Nîmes a 115 km e Gorges du Verdon a 120 km. Tem TGV para Paris e para Nice.

Avignon é a cidade de maior peso histórico da região; foi sede do papado. É a base mais central para fazer toda a região de carro: o Lubéron está a 75 km, as vinícolas de Châteneuf-du-Pape a 18 km, os antiquários e o mercado de L’Isle-sur-la-Sorgue a 28 km, St.-Rémy a 25 km, Les-Baux a 28 km, Arles a 40 km, Nîmes a 45 km, Aix a 80 km, Marselha a 110 km, Gorges du Verdon a 220 km. Tem TGV para Paris e Nice.

Quando ir à Provence

Sua viagem vai ser muito mais bacana nos meses mais quentes e ensolarados, entre maio e setembro, iniciozinho de outubro. Novembro é nublado e chuvoso, e no inverno as cidades menores hibernam e perdem bastante do seu encanto. Para ver os campos de lavanda floridos, vá entre o fim de junho e o a primeira quinzena de julho. Se puder, evite agosto, que é o mês em que o sul da França fica mais cheio, com algumas estradas intransitáveis.


portovenere
As viagens do leitor

Chegar e partir

Paris ou Barcelona à Côte d’Azur

A melhor rota para Nice é de avião: 1h20 de Paris, 1h15 de Barcelona.

De trem, Nice está a 5h40 de Paris e a 9h40 de Barcelona.

Paris ou Barcelona à Provence

O trem é o mais indicado. Paris-Avignon leva 2h40 (saindo do aeroporto CDG, 3h10); Paris-Aix, 3h (saindo do CDG, 3h30).

Barcelona-Avignon se faz em menos de 4 horas; Barcelona-Aix, em 4h15.

Entre Côte d’Azur e Provence

Há trens rápidos entre Nice e Avignon (3h) e Aix (3h30).

De carro, você pode ir pelo litoral (seja pela costeira, seja pela auto-estrada), parando uma, duas ou três noites em St.-Tropez, ou ir pelo interior, passando pelas Gorges du Verdun (durma em Moustiers-Ste.-Marie).

Com 10 a 15 dias, dá para fazer um roteiro circular, pegando e entregando o carro em Nice ou Avignon.

Leia mais:


4-villefranche-sur-mer

Passagens mais baratas para Nice no Kayak

Encontre seu hotel em Nice no Booking

Faça seu Seguro Viagem na Mondial Assistance

Alugue de carro em Nice na Rentcars em até 12 vezes e sem IOF

Passeios e excursões em Nice com a Viator

569 comentários

ola! depois que tudo isso passar eu gostaria de fazer uma viagem com meu marido para aproveitar as praias mais belas e calmas da França. sou apaixonada pelo mediterrâneo, mas da parte francesa não conheço quase nada só a Córsega e Sète e montpelier. Quais locais você indicaria para passar uma lua de mel bem praiana na França naquele verde maravilhoso do mediterrâneo? Sou muito fã desse site. muito obrigada pelas dicas sempre!!!!! me ajudam demais!!!

    Olá, Camila! O Ricardo Freire é apaixonado por Nice, mas é um balneário urbano. Em termos de praia, pense na região de St.-Tropez (a melhor praia é Pampelonne).

Oi Bóia, td bem? É muita loucura fazer Barcelona (5 dias) / Nice (4 dias somente em Nice) / Costa Amalfitana (6 dias por lá)? Beijos e obrigada!!!!!!

    Olá, Guilherme! O tempo em cada destino é o mínimo adequado (na verdade você vai aproveitar um dia a menos em cada um dos lugares, por causa do deslocamento).

    Ah, essa contagem já tá sem o dia de deslocamento, então acho que vou nessa! (Só agora vi que mandei duas perguntas em lugares diferentes, pensei que não tivesse ido)

    Obrigado!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.