Ibismômetro: um termômetro do custo de hospedagem no mundo

Ibis Lausanne

Colaborou | Mariana Amaral

O venerável semanário britânico The Economist criou — no início como blague — um índice que mede o poder de compra de cada moeda a partir da comparação dos preços locais do sanduíche Big Mac.

A lógica é a seguinte: o Big Mac é igual em todo lugar; leva exatamente os mesmos ingredientes, e é servido sob circunstâncias idênticas. Acabou que o Big Mac Index é hoje usado como um indicador informal da sobrevalorização ou subvalorização de uma moeda. Em janeiro deste ano, o Big Mac brasileiro era o segundo mais caro do mundo, atrás apenas do suíço; segundo o Big Mac Index, o real poderia estar valendo 38% acima do que deveria.

Outro dia tive um insight: o Big Mac da hotelaria é o Ibis. É o único hotel que conheço que é exatamente igual onde quer que se vá. O Ibis aí do alto fica nos arredores de Lausanne, na Suíça; mas poderia ser usado para falar do Ibis de Florianópolis, de Jakarta ou de Dubai. Veio a idéia então de construir o Ibismômetro, uma versão hoteleira e caseirinha do Big Mac Index.

O maior problema deste meu índice é que não existem em todos os países; os Estados Unidos e o Japão são duas das lacunas mais importantes. Nos lugares onde não encontramos Ibis, pesquisamos uma rede que também é bastante uniforme, e está mais ou menos na mesma categoria: a Holiday Inn Express. No Japão verificamos o preço do Toyoku Inn.

Outra diferença entre os índices é que um Big Mac é vendido pelo mesmo preço o ano inteiro em todos os pontos de venda de um mesmo país. Já hotéis da mesma rede, mesmo numa rede altamente padronizada como a do Ibis, praticam preços diferentes dependendo da localização e da época. Isso pode causar distorções; o certo seria repetir essa pesquisa todos os meses para tirar uma média.

Enfim, o índice é imperfeito, não tem valor 100% científico — mas é divertido e dá uma idéia, sim, da diferença de preço médio de hospedagem nos diversos destinos.

Como pesquisamos

Simulamos reservas nos sites do Ibis, do Holiday Inn e do Toyoku Inn para a noite de 13 de setembro. Anotamos a menor tarifa reembolsável disponível. Configuramos o preço em dólar já no próprio site. Usamos o Oanda.com para converter o preço de yen para dólar.

Ibismômetro

Como podemos ver…

A semana pesquisada em Nova York está caríssima e criou um ponto fora da curva — mas de todo modo indica como é difícil conseguir hospedagem econômica decente em Manhattan por menos de US$ 250. O Nordeste e o Sul do Brasil estão com preços simpáticos, enquanto Rio e São Paulo só perdem para Paris, Amsterdã, Londres, Seul, Cingapura e Nova York.

Os hotéis pesquisados:

Ibis Bangkok Riverside, Ibis Cancún Centro (fora da zona hoteleira), Ibis Xangai Yu Garden, Ibis Marrakech Centre Gare, Ibis Bali Kuta, Ibis Fortaleza, Ibis Salvador Rio Vermelho, Ibis Tunis, Ibis Curitiba Batel, Ibis Saigon South, Ibis Montevideo, Ibis Mall of The Emirates, Ibis Santiago Providencia, Ibis Larco Miraflores, Holiday Inn Express Miami Airport Miami Springs, Ibis Lisboa Liberdade, Ibis Porto Alegre Moinhos de Vento, Holiday Inn Express Orlando International Drive, Ibis Buenos Aires Obelisco, Ibis Amman, Ibis Istanbul, Ibis Berlin Mitte, Ibis Barcelona Plaça Glòries, Ibis New Delhi Gurgaon, Toyoko Inn Shinjuku, Ibis Rio de Janeiro Santos Dumont, Ibis Milano Centro, Ibis São Paulo Paulista, Ibis Sydney King Street Wharf, Ibis Paris Bastille Opéra, Ibis Amsterdam Centre, Holiday Inn Express Toronto, Ibis London Euston St. Pancras, Ibis Singapore on Bencoolen, Ibis Seoul Myeong-Dong, Holiday Inn Express Los Angeles Century City, Holiday Inn Express New York Times Square.

Leia mais:

Dinheiro vivo, cartão, débito ou VTM?

Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email


51 comentários

Prezados, minha pergunta é de ordem acadêmica. Sou estudante de mestrado na FEA-USP, e estou fazendo minha dissertação sobre preços no mercado imobiliário. Em minhas pesquisas encontrei seu site, e pude ler sobre o ibisometro, e também sobre o índice big mac. Gostaria de saber se existe uma série mensal de dados de um ou de outro, para que eu possa tentar utilizar em meu estudo. Quanto ao índice Big Mac, fiz uma solicitação à Economist, mas ainda não obtive resposta. Quanto ao ibisômetro, estou contatando-os em primeira mão. Agradeço e fico no aguardo.

    Olá, Cássio! Começamos este ano, ainda não temos uma série completa (e mudamos ligeiramente a metodologia no meio do caminho, então vamos demorar mais um pouco para ter um ano sob os mesmos parâmetros).

    Você pode ver todos os Ibismômetros publicados em https://www.viajenaviagem.com/category/ibismometro

    Clicando no nosso link do big Mac Index provavelmente você chega ao arquivo de todos os publicados.

Ótima ideia Ricardo!
Mas eu acho que mesmo o Íbis já não é garantia de padronização. Ano passado fiquei num próximo à Gare Montparnasse só para dormir e pegar trem de manhà; era um lixo, mal dava para me mover no quarto e no banheiro. Cheguei a escrever uma reclamação para a Accor, sem resposta.
Acho que vendo essa queda de qualidade do padrão Ibis, a Accor fez uma recente mudança, e criou 3 categorias de Ibis, identificados pela cor do logo. O Ibis como o conhecemos continua o mesmo e é identificado por um travesseiro vermelho. Agora há também um Ibis Budget (travesseiro azul) que parece ser super espartano, pra não dizer outra coisa. E criaram também o tal do Ibis Styles, para os quais quiseram dar um certo ar moderninho, e cujo logo é um travesseiro verde.
Não me hospedei em nenhum para saber se as mudanças foram válidas, mas vale a lembrança. Será que vale considerar uma só das categorias no seu índice?

Riq. Já tinha aprendido com você a usar o Ibis como parametro de acomodação economica. Está muito bom o índice.

Gente,
SEm esquecer que, como o IBIS é uma rede muito procurada por empresas, nos finais de semana geralmente a tarifa é mais barata e o café da manhã cortesia! Pelo menos no Brasil. Levando isto em consideração, uma diária no IBIS de Blumenau num fim de semana de julho (21/07) sai a 58 USD (o quarto preço mais barato no atual IBISMOMETRO). E não preciso comentar a respeito do asseio de um hotel na serra catarinense, né?!

Adorei o índice! E realmente constatei que o Ibis de Londres é um dos mais caros!! O Íbis é realmente a primeira referência em hospedagem decente e barata, para quem quer só um lugar para dormir e tomar banho. Quem quer mais do que isso, já não recomendo. O de Paris, por exemplo, os quartos são tão pequenos que é difícil andar por ele!Mas o que acho mais bacana da rede é que normalmente, os hotéis são bem localizados e próximos às estações de metrô.

    Realmente são tão pequenos que no Ibis Paris Montparnasse não foi possível “abrir” a 3ª cama para o meu filho de 4 anos. Preferimos deixar o colchão no chão senão as malas ficariam no corredor. rsrsr. Claro que pra ele foi uma festa!
    Mesmo assim a estadia em geral foi muito boa. Ótimo custo benefício.

Já fiquei em alguns Ibis da lista e vou mostrar esse índice para o meu marido, que é quem pede para ficar em Ibis. Localização, limpeza, café da manhã a preços razoáveis (só no exterior pelo visto, aqui nunca paguei), comidinhas bem legais até (hum, o bacalhau do de Lisboa é inesquecível). Adorei! Se repetir então melhor ainda!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.