Latinha a R$ 4,90? Processe!

beachpark450.jpg

Olhem que história sensacional que a Flavia Penido achou num site jurídico. Deu no Aprovando que um casal processou a CVC — e ganhou, em primeira instância — por ter sido levado a passar o dia na barraca do Beach Park, onde os preços são exorbitantes. O valor da indenização foi estipulado em R$ 7.600,00 — nada mau, hein?

Estive no Porto das Dunas, a praia do Beach Park, pela última vez, em setembro do ano passado, e o preço da cerveja Antarctica de lata (350 ml) estava 4,40 (mais 10%). Fiquei abismado; acho que nem na praia do Espelho era tão caro (e, antes que reclamem: acho que na praia do Espelho esse preço é necessário.)

cerveja440.jpg

Alguns trechos da matéria pinçados diretamente do site:

CVC deve indenizar casal que passou vergonha em viagem
 
A CVC está obrigada a pagar R$ 7,6 mil de indenização a um casal que teve aborrecimentos e passou por vexame durante viagem a Fortaleza (CE). A decisão é da juíza Ana Cristina Abdalla, do Juizado Especial do Consumidor de Cuiabá (MT). Cabe recurso.

A viagem ocorreu em janeiro deste ano. O casal foi obrigado a permanecer na praia do parque aquático Beach Park. No local, os preços dos produtos e serviços superavam a capacidade aquisitiva do casal, de acordo com os autos. Isso porque o veículo que os levou até o parque no período matutino só poderia transportá-los de volta ao hotel às 16h.

(…)

O casal, que teve que pegar um táxi para voltar ao hotel e gastou R$ 60 com o transporte, ajuizou ação de indenização por danos morais no Juizado Especial do Consumidor de Cuiabá. No processo, eles informaram que ao chegar em Fortaleza foram recepcionados por um guia turístico. O profissional fez todos os serviços de traslado até o hotel e se apresentou como contratado da CVC.

No dia seguinte, enquanto transcorria o city tour, o guia explicou aos turistas que se eles quisessem entrar no parque e aproveitar as instalações teriam que pagar R$ 80 pelo ingresso, o que os passageiros já sabiam, pois estava descrito no contrato assinado. A outra opção era usufruir a praia local.

Contudo, o guia não deixou claro que a praia é monopolizada pela administração do parque, segundo os autos. Na avaliação do casal, o preço dos alimentos nos quiosques era exorbitante para o seu poder aquisitivo. Diante da insatisfação com os serviços oferecidos, eles pediram para a empresa que os transportasse para outra praia ou de volta até a cidade. Porém, foram informados de que teriam que aguardar até às 16h e que se quisessem sair do local teriam que pegar um ônibus, van ou táxi. Conforme o casal, eles tiveram que ouvir isso na frente de outros turistas, passando por situação constrangedora e vexatória.

A juíza embasou a sentença no inciso IV, do artigo 6º, do Código de Defesa do Consumidor. O artigo disciplina que são direitos básicos do consumidor a proteção contra a publicidade enganosa e abusiva, métodos comerciais coercitivos ou desleais, bem como contra práticas e cláusulas abusivas ou impostas no fornecimento de produtos e serviços. Para a juíza, as empresas têm o dever de informar bem o público consumidor sobre todas as características de produtos e serviços para que ele saiba exatamente o que esperar.

Viaje na Viagem informa:

1) Fuja desses passeios em ônibus grandões oferecidos pelos guias-vendedores das operadoras. Você perde um tempão do seu dia no recolhimento e na distribuição dos passageiros pelos diversos hotéis; então fica preso numa barraca de praia conveniada com a operadora pelo dia inteiro. A partir de duas pessoas é melhor alugar um carro; todos esses passeios que as operadoras oferecem são padrão e facílimos de fazer. (Alugando em quatro pessoas, fica muito mais barato do que comprar os passeios avulsos.) Você tem total controle do seu tempo e pode fugir de roubadas como essa.

2) Porto das Dunas, a 30 km de Fortaleza, onde está o Beach Park, é uma praia boa, mas sem nada demais; não é lá muito diferente da Praia do Futuro, em Fortaleza mesmo, onde não há monopólio e os preços são mais em conta. Se você não vai brincar no Aquapark (o parque aquático do Beach Park) e quer pegar uma praia próxima na costa leste de Fortaleza, vá direto à Prainha (fotos abaixo), que é pitoresca e diferente: as barracas chegam rente à areia, há jangadas e os mascates vendem só artesanato, peixe e frutos do mar. (No Porto das Dunas há um exército de vendedores vendendo passeios de bugue… à Prainha.)

  prainha210.jpg prainha211.jpg

prainha450.jpg

(Repetindo para os distraídos: as fotos imediatamente acima são da Prainha, não do Beach Park…)

118 comentários

Lonely Planet agora é da BBC
Aviso aos viajantes: a BBC comprou a Lonely Planet. Tony e Maureen Weeler, casal de australianos que há 34 anos criaram a série de guias de viagem, vão receber em torno de 120 milhões de dólares e ainda ficam com um quarto da empresa, que hoje tem no catálogo cerca de 500 guias de viagem escritos por mais de 360 autores. Nada mal pra quem começou com um único guia, vendido a granel em poucas livrarias pra pagar o aluguel da mãe da autora.
in:http://www.dauroveras.blogspot.com/

É mole Mari ? As pessoas acabam encarando o pacote de ferias como
um coleginho com fessora e diretor para controlar …
Eu tb sou a rainha do : vou fazer outra coisa …

ÓTIMA RIQ ! 😆
Essa me fez lembrar dos pais de uns amigos que estavam sempre indo
e vindo da Europa ( meio que sempre para os mesmos lugares) e
quando queriam contar alguma coisa falavam : Sylvia aonde mesmo
fica aquela porta linda toda esculpida ? E seguiam falando.. sei que é
na Italia … E eu completava : o Batisterio em Florença.. e tb continuava
o meu papo 🙄 E assim era o papo toda a noite ..

Mas sabes o que acho Riq ? Tem só uns poucos malucos como nós aqui
que guardam para sempre todos os nomes de tudo e nunca esqueçem.

Uns 4 ou 5 anos depois da nossa primeira viagem a Grecia fomos a
um jantar e o anfitrião contava de suas descobertas em Atenas.
“… então fomos ver um show de dança, de uma compania muito
famosa… ha..ha..” e eu completei : Dora Stratou
Nem eu sei de qual gaveta do meu cerebro tirei esse nome !
Até hoje todo mundo pega no meu pé !!

Mô, quando eu fiz esse de Viña del Mar, rolou a mesma história; não era CVC, era Fenix, mas deve ser tudo a mesma coisa. Só que nós e outros 3 casais que conhecemos no ônibus não topamos ficar lá e fomos, sim, para a praia (era a primeira vez que eu via o Pacífico – acha que eu não ia molhar meu pezinho??????), marcando local para ele nos procurar. A praia estava uma delícia, lotadíssima e a gente deu sorte de ver até os leões marinho de pertinho sobre as pedras. O povo que ficou no restaurante também reclamou horrores do preço e da comida quando nos encontramos na volta. E teve gente que perguntou: ué, mas podia não ficar no restaurante? 🙄

Riq, que lindo seus pais dando a volta ao mundo!!!

Ha ha, Sylvia. Minha mãe voltou da volta-ao-mundo sem conseguir se achar no mapa. Foram tantos os lugares, que os nomes acabavam escapando. “Aquela da mulher dos sapatos!” Manila, mãe. “O lugar dos artistas!” Los Angeles, mãe.

E por assim ia…

😆
😆
😆

Minha mãe e meu pai fizeram vários circuitos europeus de ônibus com a Abreu (fizeram até uma volta ao mundo!).

Meu pai dizia que havia restaurantes de beira de estrada que fechavam ao ver o ônibus se aproximar 😀

Devia ser um exagero, mas não é de todo inacreditável 🙄

Eu fiz um tour com uma operadora local, que fazia parte do meu pacote hotel + transporte em Santiago, comprado na CVC.
Para Valle NUBLADO (ou Nevado, como algumas pessoas já viram), foi tudo bem.
Porém para Viña e Valparaiso, foi irritante. O almoço era em Viña, lá no quinto dos infernos de uma praia, onde tinha apenas aquele restaurante “conveniado”, onde gastei US$40 para comer a pior comida de todo o Chile.
Para piorar, ficamos lá por 3h e disseram que seria apenas 1h. Assim eu que queria andar os 2km até a praia e umas lojinhas, achei que não daria tempo e desisti. O que o guia deve ter adorado, né?

Pessoal,

Mais uma vez obrigadinha pela ajuda… Fiquei mais tranquila com os valores das marés agora e sim eu sei que a viagem é longa, tanto até Porto de Galinhas quanto até o aeroporto de Maceió. Mas a idéia não é fazer tudo com pressa não, é relaxar e ver um pouco, pra depois, quem sabe (sonho!!) voltar ao Toque com mais tempo e dindin!!!

Muito interessante essa história !
Bem bom a gente ficar antenado com os abusos .

Eu sou paranóica 🙁 com maré em Alagoas .
Mas fica tranquila , que quem fica menos de uma semana não vê muita
diferença entre 0,5 ou 0,8 .Qualquer maré abaixo de 1,5 é ótima !
Sempre alugo carro do Paulo , que é um menino (?) que conhecemos
na praia em Maceió a uns 10 anos atrás e que queria alugar o carro dele
para pagar o IPVA . Os pais dele foram até o nosso hotel para fazer os
procedimentos burocraticos. Hoje ele tem uma locadora mas os preços
são os mesmos destas ai de cima ( vou procurar o telefone ).