Making of: Desempacotando RJ, dia 1

Vista do Parque da Cidade, Niterói

Desculpem a falta de notícias. O lerê ontem foi das duas da tarde às duas da manhã. Mas quem me acompanha pelo Twitter ficou sabendo sempre onde eu estava (pelo menos enquanto o iPhone ainda tinha bateria…)

Estações de barcas da Praça XV

Começamos pegando a barca pra Niterói. Foi a minha primeira vez na barca. Achei civilizadíssima — tanto em termos absolutos, quanto na comparação, fresca na memória, com o ferribôtchi de Itaparica. E pensar que essa barca é a opção mais popular para atravessar a baía — há também os catamarãs mais rápidos. Mais um motivo para voltar a Niquíti.

Dentro da barca

Espiadinha básica na Ilha Fiscal

Primeira parada, claro, o MAC. Outra primeira vez: nunca tinha chegado tão cedo ao museu. Normalmente é a minha última parada e já não tem mais luz para fazer fotos realmente nítidas. Pronto. Já tenho.

O MAC, nosso OVNI de estimação

Isto é Hollywood, digo, isto é Colmeia: Felippe no som, Julio Taubkin na câmera, roteiro e direção, meu xará Ricardo na produção.

Colmeia people

Continuamos pela beira-mar niteroiense, passando por Icaraí e São Francisco (agora sim, vi os barzitos de que o Arthur fala — achei a região ma-nei-rís-sima) e subimos ao Parque da Cidade, que para mim poderia se chamar Mirante da Baía. De lá você avista todo o elenco de montanhas do Rio de Janeiro — e em especial as duas estrelas, o Pão de Açúcar e o Corcovado, excepcionalmente reunidas na mesma foto.

Pão de Açúcar e Corcovado vistos do Parque da Cidade, em Niterói

O sol já estava no fim, mas num oferecimento Horário de Verão ainda conseguimos fazer uma sonora em Itacoatiara.

Itacoatiara

Que tal essa vara de pescar fantasiada de destaque de escola de samba?

Entrevistando o mar

Depois de uma pausa para jantar e recarregar a bateria (do celular), ainda nos bandeamos pro ensaio da Unidos da Tijuca. Conveniência é tudo: a quadra da escola fica agora pertinho da rodoviária. Tipo mais perto, impossível.

Na quadra da Unidos da Tijuca

Momento Sargentelli

Continuo admirado (negativamente) com a acústica sofrível das quadras de escolas de samba do Rio. Será que ninguém nunca foi à Bahia ver como se sonoriza um ensaio? Então vá!

Para saber em primeira mão por onde eu vou zanzar hoje, sintonize o meu Twitter. Ou volte aqui para foto-resumos e edições extraordinárias 🙂

28 comentários

essas fotos dos morros do RJ parecem feitas em computador né? incrível como é lindo e real! Maravilha.
Vai contando que a gente vai acompanhando!

Vivo em Niterói e acho q vc fez um roteiro básico e mto show pra quem ñ conhece a cidade. Volte com calma. E, se precisar de cicerone, te sigo no twitter e sou ex-coleguinha sua de Rádio Paradiso. Estou às suas ordens! Adoro viajar na viagem….Abs!

SÓ ALEGRIA! A barca é ótima e faz um balancinho gostoooso pra dormir! Só fica ruim no rush mesmo, mas mesmo assim acho bastante civilizada.
Gosto muito de Niterói. Que bacana essa sua visita lá 🙂

PS: Essas fotos praticamente grayscale dos morros ficaram lindas demais.

beijocas!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.