Maldivas? Seychelles? Taiti? Maurício?

mald450.jpg

Com o real valorizado e o novo vôo da Emirates (que leva quase direto às Maldivas, com uma conexão bem rápida em Dubai), muita gente volta a sonhar com as ilhas paradisíacas do Índico e do Pacífico Sul.

Se a gente criasse uma moeda chamada txai, ou Tx$, que equivalesse à diária do bangalô mais barato do resort de Itacaré (R$ 1.250,00, ou cerca de 600 dólares), veríamos que dá para se hospedar em resorts top dessas ilhas entre Tx$ 1 e Tx$ 1,50. Claro que é preciso levar em consideração a passagem aérea, o tempo de deslocamento, e todos os extras. Mas se você já cogitou alguma vez fazer essa extravagância, esse é um bom momento.

Eu já estive nas Maldivas, em Zanzibar e em Bora Bora. E acrescento o que sei de orelhada das Seychelles e de Maurício.

Maldivas. 1.100 ilhotas de cartum de náufrago (só areia e coqueiros), um pouco acima da linha do Equador, próximas à Índia. Apenas 100, escolhidas a dedo, têm hotéis — e somente um hotel em cada ilha. Águas transparentes. Barreiras de corais pertíssimo da areia. Snorkel facílimo. Hotéis de luxo — e, devido à grande concorrência, com boa relação custo x benefício. Os hotéis mais novos importaram a estética palafita-chic do Taiti. (Às vezes, com densidade demasiada, para o meu gosto.) Os pontos baixos são o exotismo zero (não há hotéis em ilhas habitadas) e o fato de não haver nada a fazer a não ser tomar sol e mergulhar. O ponto alto é não haver nada a fazer a não ser tomar sol e mergulhar 😀 Acesso: via Dubai (Emirates), Cingapura (Singapore) ou Viena (Austrian). Quando ir: novembro a abril. Site oficial: Visit Maldives.

Seychelles. 115 ilhas de vários tamanhos, um pouco ao sul do Equador, no meio do Índico, à altura (mas longe) da costa da Tanzânia. Há desde ilhas bem grandotas, como Mahé (onde fica a capital) e Praslin, até ilhotinhas desabitadas. A paisagem mistura montanhas com vegetação densa e praias pequenas; as mais fotografadas — normalmente em La Digue — têm enormes pedras graníticas sobre a areia (em Trindade — Paraty — a gente tem umas meio que por aí, mas não com água turquesa). A maioria dos visitantes passa por essas três ilhas, ou então monta base em Mahé e faz bate-e-voltas de avião para outras ilhas. Na alta temporada, as praias de La Digue podem ficar cheias demais durante a estada dos excursionistas. Além desse circuito mais popular existem as ilhas-de-um-hotel-só, como Frégate, North Island e Desroches. Vendo pelas fotos, acho que North Island e Frégate podem ser páreo para as Maldivas, sim — sobretudo para quem acha o visual ilha-de-cartum-de-náufrago muito monótono. Mas os hotéis dessas ilhas exclusivas são mais caros que as Maldivas (até porque têm menos bangalôs). Há um ótimo mapa interativo no site Seyexclusive. Acesso: via Johanesburgo (Air Seychelles), Dubai (Emirates), Maurício, Munique, Roma e Paris (Air Seychelles). Quando ir: maio a outubro. Site oficial: Seychelles Travel.

Maurício. Uma grande ilha no Índico, a leste de Madagascar, numa latitude que, no continente africano, daria em Moçambique. Há montanhas, florestas, praias azul-turquesa e uma capital pitoresca, Port-Louis. O povo é de origem predominantemente indiana, com imigrantes africanos, malgaxes e chineses. O turismo é controlado, com poucas opções para o mochileiro e inexistência de turismo de massa de pacotes. Os resorts são elegantes. Sem nunca ter ido a nenhum dos dois lugares, eu arriscaria dizer que Maurício seria uma Jamaica mais segura e com resorts, na média, mais sofisticados. Acesso: via Johanesburgo (South African, Air Mauritius), Seychelles (Air Seychelles) ou Londres (British). Quando ir: maio a setembro. Site oficial: Discover Mauritius.

Zanzibar. Ilha na costa da Tanzânia (é o “Zan” de Tanzânia; “Tan” vem da parte continental do país, a antiga Tanganica.) Um dos lugares mais exóticos do planeta: mistura mundo árabe com África negra e colonização britânica. É o lugar mais em conta de todos esses listados aqui; e, a julgar somente pelas praias, talvez nem merecesse estar nesta seleção. A praia realmente sensacional da ilha fica na ponta norte: é Nungwi, que também é um vilarejo de pescadores. O resto da costa é tomado por resorts melhorzinhos ou piorzinhos, como no nosso Nordeste. A pequena (e labiríntica) capital — a cidade histórica de Stone Town — é fascinante, e merece pelo menos uns dois pernoites, em algum hotelzinho de charme como o Emerson & Green. Se em vez de ficar numa pousada em Nungwi a idéia for gastar Tx$ 1,50 por noite, então vá direto ao Mnemba Club, um hotel caríssimo de cabanas rusticíssimas (tudo de madeira e palha, chão de areia) numa ilha privada. Foi lá que eu passei um réveillon com Emma ThompsonAcesso: via Johanesburgo e Dar Es Salaam (South African, depois companhias regionais). Quando ir: julho a fevereiro. Guia independente: Zanzibar.org.

Taiti. Ilha principal da Polinésia Francesa, cujo nome é erroneamente atribuído ao país inteiro (perdão, à dependência francesa ultramarina inteira). Um lugar LLL: lindo, longe e louco de caro. O que faz essas ilhas tão especiais é a topografia: montanhas majestosas dominando ilhas relativamente pequenas, circundadas por anéis de coral. Se você for até lá, ponha a mão no bolso e passe pelo menos uns dias em Bora Bora, onde esse visual é ainda mais lindo. Foi aqui que inventaram a palafita chic; mas se você não quiser pagar entre Tx$ 1 e Tx$ 1,50 para dormir debruçado na água transparente, pode tentar a sorte num hotel simples ou pousadinhaAcesso: via Santiago (Lan). Quando ir: maio a agosto. Site oficial: Tahiti Tourisme.

E você? Esteve recentemente num desses lugares? Ou foi a Fiji, Marquesas, Ilhas Cook, Tuvalu, Vanuatu, Comores, Moçambique? Conta pra gente vai…

Leia mais:

222 comentários

Ilhas Mauricius:
Passamos 1 semana na ilha, chegando lá através da Africa do Sul.
Pitoresca, agradável, praias muito bonitas, resorts ao redor da ilha de boa qualidade.
Preços? Pouco mais caros que os equivalentes do Caribe.
Vale a pena ficar em 2 resorts diferentes, nos 2 lados da ilha.
Recomendo Hilton e Shangri-la, este último extraordinário.
Alugando um carro ( direção inglesa ) cuidado pois não há acostamentos nas estradas de duplo sentido e ladeadas de cana de açúcar.
Conhecemos 64 paises: esta ilha vale a pena!

Amo viagens de praia e já estive em alguns lugares citados, como Polinésia Francesa, Seychelles e Ilhas Maurício. Também já fui a Madagascar, nas praias da Tailândia, Grécia e algumas do Caribe, como Bahamas, SAN andres, cozumel… Na minha opinião, Polinésia Francesa foi o lugar mais lindo de todos, principalmente Moorea (achei mais bonito do que Bora Bora). Estou planejando ir a Maldivas em breve e volto pra dar minha opinião sobre qual é o mais lindo. : )

Oi, eu novembro estou indo para Maldivas.
Sem resort. Mochilão. Um jeito bem barato de ir é pegar um voo em Bombaim (ou em Sri Lanka).
Já reservei as pousadas. Bem acessíveis ( usei o booking). Vou ficar 10 dias, em 3 ilhas.
A capital Mahé, Ilha Maafushi e Ilha Thulusdhoo.
Já estive em Galápagos TB. É magnífica. Acho que merece estar nessa lista, já que Zanzibar se encontra.
😉

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.