Momento (mega) Tommy

    100melhores183v.jpg 100melhores183h.jpg

Ele voltou: Tommy. O primo da Tássia. Da Tássia Achando. Lembra?

Pois é. Ele deu uma passadinha por aqui só para você não se assustar, caso compre a antologia das Cem melhores crônicas brasileiras organizada pelo Joaquim Ferreira dos Santos e encontre, na página 329, uma crônica do autor deste blog.

😳

Estou há 10 dias fazendo este post, e até agora não consegui arranjar palavras que exprimissem tanto o orgulho por estar na companhia de meus ídolos (e da minha querida amiga Martha Medeiros, e de meu coleguinha de Guia do Estadão Antonio Prata), quanto a culpa por ocupar o lugar de cronistas donos de obras muito mais consistentes (a começar pelo próprio Joaquim).

E falando em obra (!), aí vai uma seleçãozinha clicável de crônicas que eu publiquei na coluna Xongas, primeiro no Jornal da Tarde (de 2000 a 2003), depois na Época (de 2003 a 2005).

Para você estar passando adiante (a que foi selecionada para a antologia)

Tímidos Anônimos

Afins de comer (I), Afins de comer (II) e Afins de comer (III) — que deram origem a O Efeito Sanfona – Confissões de um dependente químico de comida, meu único livro ainda em estoque

Digite sua senha

O primeiro Herchcovitch a gente nunca esquece

L’acqua nera del capitalismo

No farol

Festa das flores

Tendência de mercado

Maria Rita vive

Complicabilizando

Última chamada, portão 6

Breve manual de alemão

55 comentários

As crônicas “Afins de comer” leram a minha alma. O que até então eu considerava uma relação doentia com a comida foi finalmente diagnosticado. Eu sou normal. Ou pelo menos não estou sozinha.
O livro vai ser minha companhia para encarar o aeroporto amanhã.
Obrigada pelo diagnóstico e parabéns pelos seus textos.

Uelcambeque, EduLuz!

Ponha as observações lá nos posts de St.-Barth e St. Maarten, assim a informação fica completa pra quem ler depois!

Parabéns Comandante!!! Eu concordo com a Emília.. o primeiro que eu li foi o festa das flores e até hj eu rio…. muito bom.

Riq e tripulantes, voltei de St Martin/Barths e já pego logo de cara as maravilhosas crônicas saudosíssimas da nossa Xongas nas quais voce demonstra o óbvio, ou seja, que voce escreve muito, de uma maneira tão agradável e com um enfoque tão inteligente quanto inesperado que não tem como não ficar viciado nos teus textos. Até hoje eu escrevo ao JT ( do qual sou assinante) reclamando da volta da Xongas.
Voltando ao ¨pesado¨ eu fiz algumas anotações sobre lugares que voce não citou ( e provavelmente, não visitou) e dos que voce indicou também ( é claro ! Ah O Mayas!!)e se voce quizer, eu te mando. Escolha o meio : ou por email ou por aqui mesmo. E tem mais, St Barth é realmente demais !

Parabéns!!!! Que orgulho vc deve estar sentindo. Nem que vc ficasse um mês preparando o post, duvido que conseguiria exprimir o seu sentimento. Muito merecido, essa crônica repercute demais e volta e meia, eu me pego lendo mais uma vez. A manual do alemão também é ótima. Eu também tenho o outro livro da série com os Cem Melhores Contos. Na época, comprei porque queria ter textos rápidos para ler, hoje, eu definitivamente compraria esta edição de crônicas. Parabéns!!!!!

Parabéns, Ricardo!
Na única vez que fui ao Brasil comprei os Cem Melhores Contos Brasileiros numa livraria de Trancoso. De vez em quando folheio o livro e leio um ou outro conto. Da próxima vez que for ao Brasil, vou procurar esta versão-crónica.

momento tommy?? tá podendo, como sempre, mestre. achei que conhecia todas, mas o que foi ´o primeiro herchcovitch?? estou rolando de rir. parabéns, e muito muito obrigada!!!
sorry pela tietagem, mas vc estava comendo pastel dia desses no hortifruti da veridiana? se não, te conto que tens um sósia..rs
sucesso sempre!

Riq, que seria das suas fotos (excelentes) se não tivessem um texto (maravilhoso!)? Viva nosso comandante multitalentoso. Parabéns!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.