Morro de São Paulo taxa de visitação

Morro de São Paulo volta a cobrar taxa de visitação: R$ 15

Morro de São Paulo taxa de visitação

Desde 1º de novembro de 2017, visitates a Morro de São Paulo têm que pagar R$ 15 como taxa de visitação. É a TUPA, ou Tarifa por Uso do Patrimônio do Arquipélago.

Visitantes até 5 anos e acima de 60 anos estão isentos da taxa. Estudantes e portadores de necessidades especiais pagam meia, R$ 7,50.

A cobrança é feita no píer de desembarque na ilha, uma única vez por permanência. O recibo será conferido também no píer de embarque aos passeios de volta à ilha. Quem tiver chegado à ilha por outro ponto (de avião ou pela ponta sul, atravessando o rio desde Boipeba), e for fazer passeio de barco, pagará sua taxa nesse guichê.

[h3]Mas essa taxa já não existia?[/h3]

Morro de São Paulo: taxa de visitação

A prefeitura de Cairu (o município onde está Morro de São Paulo) já cobrou uma taxa de visitação à ilha. Foi entre 2013 e 2016. A taxa se chamava TPA (taxa de preservação ambiental) e acabou impugnada pelo Tribunal de Justiça da Bahia.

Um ano depois de suspensa na Justiça, a taxa volta, agora com outro nome.

A idéia da prefeitura é estender a cobrança a outros destinos do município. A ilha de Boipeba, a praia de Garapuá e o centro histórico de Cairu também cobrariam a visita.


Morro de São Paulo volta a cobrar taxa de visitação: R$ 15 1
Burocracia praiana

Outras praias que cobram taxa

Barra Grande, na Península de Maraú, também cobra taxa de quem chega por mar.

Recentemente — desde setembro de 2017 — Jericoacoara, no Ceará, passou a cobrar uma taxa de visitação. Lá custa R$ 5 por dia de permanência).

O caso mais estabelecido de destino que cobra taxa de permanência é o de Fernando de Noronha. A taxa de Noronha começa em R$ 68 por dia (e baixa um pouquinho a partir do 5º dia).

Leia mais:


Moreré

28 comentários

Os moradores de Valença deveriam ficar isentos dessa taxa absurda. Ñ é só turista endinheirado q frequenta Morro de S. Paulo.

Um absurdo..nao recomendo ninguém a visitar morro de São Paulo.. péssimo o local…fedorento..populacao sempre tentando te extorquir..horrivel

O direito de ir e vir está expresso na constituição federal de 1988, que se encontra no artigo 5º, inciso XV: “É livre a locomoção no território nacional em tempo de paz, podendo qualquer pessoa, nos termos da lei, nele entrar, permanecer ou sair com seus bens”

Todo cidadão tem direito de se locomover livremente nas ruas, nas praças, nos lugares públicos, sem temor de serem privados de locomoção”. A população de nosso país encontra algumas irregularidades no direito de ir e vir, muitas vezes o cidadão encontra dificuldade de se locomover nos municípios brasileiros devido a falta de estrutura das calçadas e dos meios de transporte oferecido pelos nossos governantes. Já pagamos impostos para que essas regiões sejam mantidas em total preservação.

Não entrarei no mérito da cobrança ser justa ou não! Porém, já que estão cobrando, deveria ser feito por pessoas no mínimo educadas! Ao chegar fui abordado de forma truculenta por um sujeito que mal sabia falar! Foi totalmente desnecessário essa abordagem! Fico pensando nos estrangeiros que ali desembarcam! É lamentável!!!!

Acho justo que seja cobrado este valor. Trabalho como guia aqui na Bahia e sempre levo clientes para Morro de São Saulo, e pelo que vejo, conversando com os locais, é de fundamental importância ter uma fonte de renda extra, para reverter a administração local.

O mesmo está acontecendo em algumas cidades de Portugal, onde o turista tem de pagar uma taxa de 1 ou 2 euros por noite (até um máximo de 7 euros). A ideia, controversa, é que o turista contribua para os custos locais que o turismo provoca (recolha de lixo, desgaste do património, etc…)

Em alguns lugares do meu pais, como nas Ilhas Baleares, uma taxa ambiental é cobrada para manter a limpeza, coleta de lixo, etc. Não me parece errado, se bem gerido. Aco que um euro por pessoa por dia é mais do que apenas. A viagem não encarece-se, somente um pouco, pouco.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.