Música para seus domingos

            dacon300.jpg

São Paulo oferece tanta coisa que a gente não dá conta nem de saber, que dirá aproveitar.

Hoje de manhã participei de algo que eu não imaginava que existisse: o projeto Música no Museu, que acontece todo domingo, às 11h, no jardim do Museu da Casa Brasileira, na av. Faria Lima.

concerto450.jpg

Quem estava se apresentando era o querido Cau Karam e seu grupo, que tocaram o quase todo o repertório do seu primeiro CD, premiado em Porto Alegre como o melhor de MPB instrumental do ano passado.

    concerto400.jpg

Consegui gravar um trecho com o finzinho de memória que ainda havia no meu Nokia N73.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=agRZs17CEiY]

8 comentários

Eu adoro o Museu da Casa Brasileira! Já fui várias vezes assistir a estes concertos das 11 horas aos domingos. Não é só música clássica. Uma vez vi a banda Mafuá que é de música “do mundo” (seja lá o que isso queira dizer…). E no restaurante também vou com frequência. A comida não é muito especial, mas o lugar vale qualquer coisa. Adoro almoçar ao ar livre quando o dia está ensolarado 🙂 E quando tem espera, dá pra ficar sentada no banquinho em baixo das árvores bebricando e petiscando 😉

É bem simpático, Gira, mas nunca comi lá.

No domingo, dá pra brunchar no pátio ouvindo o concerto…

Tem um outro agravante também… Quando estamos em casa, muitas vezes o fim de semana, que deveria ser o nosso momento de lazer, acaba virando aquele tempo necessário que não sobrou nos outros dias – e aí toca a atualizar o trabalho, estudar pra uma prova, fazer supermercado e tal… 🙁

Mô, eu sempre prometo acordar cedo também para andar de bicicleta…mas as pobrezinhas aqui já estão com o pneu murcho 🙄

Riq, sempre tem eventos musicais bacanas acontecendo no domingo de manhã. O problema é eu acordar a tempo para eles 🙁
Há anos que eu tento assistir, por exemplo, a missa na São Bento, das 10h.
Mas o museu é uma delícia, não?

Acho que todas as nossas capitais tem programas interessantes ,
mas em geral a gente acaba olhando enviesado para locais que desconhecemos ou para o que rotulamos de programa tacape sem
nem saber do que se trata.
Ontem fiz turismo em Poa e me surpreendi com uma feira de rua de
frutas , verduras, plantas e afins que eu nunca havia visto.
Me surpreendi tb com a quantidade de gente no bistrô do Margs ,e com
a gostosura que é chegar na feira do livro na hora em que está abrindo ,
poder olhar tudo com calma e sem atropelos .