Na carona dos amigos

Olha que bacana: está ficando cada vez mais difícil fazer o post da ronda dos blogs da comunidade 😆 . Nesse momento estou com 30 (triiiiiiiinta) janelas abertas no laptop, e o Windows já mandou um recadinho dizendo que estou com “memória virtual mínima” e que o sistema vai fazer isso ou aquilo. Dá um medo de perder o trabalho inteiro… 🙄

Vamos começar a nossa volta ao mundo de hoje pelo extremo Oriente — no recém-iniciado blog do Amilton, passageiro do VnV desde priscas eras mas que comenta mais por email do que nos posts. O Amilton fala chinês (entre outras dezesseis línguas e meia) e acaba de realizar o sonho de se mudar para Pequim.

     tongli.jpg

Não são só as fotos que são lindas; aí vai um trechinho de um post que é das coisas mais bonitas que eu já li sobre estar longe de casa:

Eu sempre acho que, tão logo deixamos para trás as fronteiras do país onde nascemos e até estarmos realmente conformados aos contornos da nova realidade, nossa percepção do mundo passa a funcionar num modo alterado, algo nebuloso, algo entorpecido, algo onírico. As imagens do dia-a-dia estrangeiro vêm e vão antes que as possamos seguir, apreender, registrar. Então surgem as pessoas familiares com rostos desconhecidos, as ruas de sempre que levam aos lugares de nunca, os diálogos cotidianos perfeitamente improváveis, as cenas que se repetem sempre diferentes, como se sonhássemos tudo o que vivemos. A memória do dia que acaba vai se partir em mil pedaços desconexos e seus significados vão evaporar antes que amanheça o novo dia. E assim, tontos, demoramos a encontrar um fio que nos conduza para fora do labirinto de impressões vagas, reticentes, inconclusas.

Antes de sair da China, podemos dar uma olhadinha nas fotos de Xangai que o Henrique Martin continua subindo para o seu Shangai 2.0 e que continuam me matando de inveja.

                   xangai-henrique1.jpg

Vamos direto do leste da Ásia para o Leste Europeu: o Breno B. do Vem Comigo postou sua visita no ano passado a Ceský Krumlov, uma cidadezinha de contos-de-fada na República Tcheca.

    cesky.jpg

De quebra, ele explica por que a recepção dos albergues costuma ser o melhor posto de informações turísticas que você pode encontrar, e publica uma das fotos mais bacanas de interior de trem que eu já vi:

corredor-do-trem.jpg

Bora pro sul?

O Luciano do Planes, Trains, Ships and Automobiles blogou com detalhes sua passagem pá-pum por Taormina, na Sicília — a melhor idéia que ele poderia ter tido para aquele dia em que seu cruzeiro pelo Mediterrâneo aportou em Messina.

    taormina.jpg

Era você que queria mochilar pela Europa a partir da Itália? Pois o Daniel Bender do coletivo Goitacá já pôs no ar os cinco primeiros trechos do seu mochilão europeu: de Milão a Roma, de Roma a Florença, de Florença a Madri, de Madri a Lisboa e de Lisboa a Paris. (A foto aí de baixo é do Parque das Nações, em Lisboa.)

    lisboa-bender.jpg

Oba: nesse momento tenho apenas dezoito janelas abertas no Windows.

Se em vez de voltar a Paris com o Bender você quiser ficar pela península ibérica, vale a pena acompanhar o Marcio nel Cimatti d’A Janela Laranja no seu rolê gastronômico por San Sebastián, postado originalmente no blog dos guris destemperados (olha a integração aí, gente…).

    pintxos.jpg

Do País Basco para a Catalunha: nossa querida correspondente Carmen do En busca de la cuadratura del círculo continua a nos desvendar os encantos de Girona, com links para regiões, atividades e hospedagem charmosa.

    girona400.jpg

Pois pois: eis que o Beto Paschoalini d’O Meu Lugar nos faz cruzar a península de costa a costa para comer um pão com chouriço em Cascais, do ladinho de Lisboa. (Não deixe também de ler essa tocante pensata sobre o nosso jeito perambulante de ser.)

    cascais.jpg

Vamos atravessar o oceano?

A primeira parada no novo mundo é em Washington, de onde o Arnaldo Interata Affonso do Fatos & Fotos de Viagem acaba de voltar. Prepare-se para um tour guiado com a riqueza de informações e a beleza de imagens de sempre (a amostrinha aí embaixo é da Union Station, páreo duríssimo para a Grand Central Station de Nova York).

    unionstation.jpg

Fazendo uma conexão no Canadá ou no México a gente pode ir dos Estados Unidos para… Cuba. A Meilin do Pergaminho Eletrônico confessa que, por mais que tenha adorado a cultura, o povo e a arquitetura, ela tinha decidido ir a Cuba por causa das praias — e até nesse quesito acabou tendo suas expectativas superadas.

    cayolargo-meilin.jpg

Vamos entrar no Brasil pelo norte: lá de Bruxelas, a Dani G. (que está para ser mamãe a qualquer momento) dá o serviço completo sobre o festival de Parintins, que está acontecendo exatamente nesse fim-de-semana. Eu fui em 99 e adorei, adorei, adorei. (Que tal uma conVnVenção por lá ano que vem?)

                 parintins.jpg

Descendo pelo Nordeste, o Arthur do Agora Vai nos leva para passar o finalzinho das férias dele em João Pessoa, com direito a uma moqueca na praia do Coqueirinho:

    coqueirinho.jpg

E sem sair do blog do Arthur a gente chega até o Sudeste, com um post com tudo o que você precisa para curtir o trecho da costa brasileira com praias de água mais cristalina: Arraial do Cabo.

    forno.jpg

E o Jorge Bernardes do Giramundo? Abandonou a pequena Clara para cumprir uma curta temporada de trabalho em Londres. Mas antes de deixar São Paulo, olha só o que a mãe da Clara deu de presente para ele no dia dos namorados:

            paulista.jpg

É melhor nem aterrissar. Vamos continuar em direção às latitudes mais meridionais. Em Porto Alegre, o Diogo e o Diego dos Destemperados trocaram temporariamente a comida pela bebida. O Diego aproveitou uma noite fria (!) para propor à namorada uma degustação de milk-shakes; na outra noite, encarou a cerveja da minha família (o meu sobrenome do meio é igualzinho, com dois TT e tudo); enquanto o Diogo levou sua respectiva para tomar um vinhozito no Ritz-Carlton de Santiago do Chile. (Por falar em Chile, vem aí um superguia do Chile que os Destemperados produziram especialmente para o VnV.)

    milkshakes.jpg

    cerveja-schmitt.jpg

    ritzcarltonchile.jpg

E já que chegamos ao Cone Sul, não podemos deixar de dar aquela paradinha obrigatória em Buenos Aires.

Primeiro, vamos passar no Idas e Vindas, onde a Carla Portilho vai nos levar por um passeio que desvenda a avenida mais rica em História (e histórias) da cidade: a Avenida de Mayo.

           avenidadiagonalnorte.jpg

E depois vamos aceitar o convite da Mônica Gribel, d’A Caverna da Morcega, para um tourzinho pelo Cemitério da Recoleta. (Tudo fica ainda mais bonito quando você usa os óculos de ver em preto e branco da Mô.)

 recoleta1.jpg recoleta2.jpg recoleta3.jpg

Gostou da nossa volta ao mundo? Então dê uma passadinha no Pelo Mundo, onde a Mari Campos compilou todas as tarifas de volta-ao-mundo oferecidas pelas alianças de companhias aéreas.

E falando em passagem, cada vez mais não dá pra não conferir o que o Rodrigo Purisch publica no Aquela Passagem!; o homem continua impossível, furando a imprensa escrita, falada e até internetada. Dá-lhe, garoto…

52 comentários

Ricado, buzios ou arraial em meados de janeiro? Tenho 3 dias e não conheco nenhuma das duas…

    Olá, Shaula! Quem responde é A Bóia. São duas cidades de perfis bastante diferentes. Búzios tem badalação, Arraial é mais rústica. Búzios tem algumas praias mais delicadas, enquanto Arraial tem o mar mais bonito. Ambas estarão lotadíssimas em janeiro, a infra estrutura costuma não dar conta.

A foto que faz menção à Arraial do Cabo na verdade é em Búzios. Pra ser mais exata, canto direito da Praia Brava onde tem a trilha pra Olho de Boi.

Loucura total! Há mais blogs para visitar do que lugares??? Não dá para sair da frente do computador. Vou comprar um tablet, para ler “nos intervalos”. Bom demais. E VnV cada vez mais viciante.

Que bacana pais de so maravilha eu adorei ter lido e feito uma conclusão de tudo sobre lisboa e a melhor coisa quem me dera eu poder e ter condicoes de conheçer eu tenho muito prazer de dizer que nu paos em que vivemos e uma porcaria eu admiro quase todos os outros paises deixo meu depoimento com muita sastifação…

A fotografia do Parque das Nações tem direitos de Autor.

S.f.f. crie uma referência para o link original ou remova a fotografia

Parabéns a todos, realmente é aflitivo sair daqui sem dar uma “passadinha” nuns sete ou oito blogs antes…não dá pra sair da frente da máquina, é um tour ao redor do mundo, comentado, personalizado e editado por gente bacana, de bom gosto e (fundamental!!!!) bom humor. Valeu Riq, por reunir aqui a melhor parte dos usuários de internet.

Sylvia, eu prefiro ficar mais para a DIREITA da estação, quase na altura da Dam Square.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.