Noites cariocas na faixa: ganhe noites grátis em hotéis do Rio no Hoteis.com

Vista do Rio Othon PalaceTem promoção nova e exclusiva no Hoteis.com: diárias grátis em hotéis do Rio de Janeiro!

São 14 hotéis, em diferentes pontos da cidade e todas as faixas de preço, onde você pode descolar a 3a., a 4a. ou a 5a. noite na faixa.

Alguns exemplos:

Em Copacabana, reservando 3 noites no renovado Mar Palace , a 3a. noite sai de graça. No Rio Othon Palace, à beira-mar (a foto aí do lado foi tirada do seu terraço), a 5a. noite é por conta da casa.

Em Ipanema, o Praia Ipanema, próximo à divisa com o Leblon, oferece a 3a. noite; no Promenade Visconti, no ponto mais badalado do bairro, você não paga a 4a. noite.

Faz o gênero hotel-boutique? Descubra o Gávea Tropical Boutique Hotel, com a floresta no quintal, ou confira o que falam do Relais &  Châteaux Santa Teresa, e ganhe a 5a. diária.

O que você faz com a economia conseguida no Hoteis.com?

Aproveita a noite carioca de fato — os restaurantes da Dias Ferreira, as novidades do Baixo Copa, a muvuca da Lapa.

Prainha, Rio de Janeiro

Ou aluga um carro por um dia e vai aproveitar as praias fora da Zona Sul. Como a Prainha, para lá da Barra (na foto), ou Itacoatiara, em Niterói.

A promoção é válida para estadas até 30 de setembro. Clique para ver todos os hotéis participantes.

Assista também:

Desempacotando o Rio de Janeiro

39 comentários

Noossa, e olhando este tópico do Rio de Janeiro, eu, que sou carioca e moro em Copa, não sei quais são as novidades do Baixo Copa. Isso é grave…só pode.

    Haha, as novidades do Baixo Copa, para quem não mora no Rio, é a existência dele 🙂 Pra você já faz parte da paisagem.

Olhei na internet e esta meia-maratona sai de São Conrado, então a sugestão do Luca é sem dúvida nenuma a melhor:hospede-se no Intercontinental. Você ficará ótimamente situada, como ele escreveu.

    Gente, a dica do Intercontinental foi perfeita quanto a localizaçao da prova(meia do Rio)! Corri a meia ontem, obrigada.
    Só o que ninguém podia imaginar foi o que aconteceu lá no hotel. Estávamos chegando bem na hora da invasao, o hotel foi isolado, ficamos no meio da rua sem ter prá onde ir, com malas, assustados e cansados. Nem o Fashion Mall estava aberto, fecharam até próximo as 13 horas com medo dos traficantes!O hotel foi “reaberto “depois das 16 horas por ordem do capitao do Bope que fazia um pente fino lá. Um rolo!
    Foi bem chato e assustador.Ainda bem que dentro das circunstancias nao houve mais vítimas.Me senti num fime de guerra.
    Mas valeu, apesar de tudo.Espero ser otimista e voltar pro Rio com mais calma!

    Pensei muito em você ontem! Se quiser fazer um relato em primeira pessoa, o site está às ordens 😳

    Sobre o episódio vivido por mim e meu marido no sábado no Rio de Janeiro:
    Chegamos ao Rio pela manha, fomos diretamente ao Monumento aos Pracinhas retirar os kits de corrida e de lá tomamos um táxi para o hotel Intercontinental.
    No caminho, conversando com o taxista, ele nos contava de quao tranquilo estava a cidade, que as Unidades Pacificadoras nos morros vinham fazendo toda a diferença, etc. E nao tem como nao se render a beleza do Rio num dia de sol, sábado de manha!
    Chegamos ao hotel e estranhamos toda a movimentaçao(dois “caveiroes”), helicóptero, muitos policiais armados até os dentes…
    Nosso taxista nos disse que uma “autoridade”estava hospedada no hotel e “vapt”zarpou de lá!!!
    Ficamos em frente ao hotel(na rua , junto a guarita), com mais dois hóspedes, sem nenhuma informaçao.O hotel estava com as entradas fechadas.Entao procurei um funcionário ou algum policial que pudesse nos dizer algo. Nao havia funcionários . O policial(acho que era do BOPE)nao me respondeu nada.
    O outro hóspede me disse que um bando de traficantes estava lá dentro, que o BOPE tinha entrado , mas que a situaçao estava caótica e sem definiçao.
    Nao havia mais táxis por ali.
    Fomos entao(no meio dos policias, imprensa, etc) ao Fashion Mall, pois eu estava com muito medo de um tiroteio, bala perdida, etc.
    Chegamos ao Fashion Mall fechado e deserto. Eles fecharam o shoping com medo.
    Tentei ligar várias vezes pro próprio hotel e ninguém atendia, claro.
    Liguei ao 0800 do Intercontinental e nenhuma informaçao. A atendente nao quis cancelar minha reserva, pois era uma tarifa internet, nao sei o que. Eu lhe explicava que nao era uma situaçao normal, que eu nao podia entrar no hotel. Ela me pediu um momento e …desligou!
    Saquei meu livro do mestre”Cem praias..”, que sempre carrego em destinos de praia(quando te conheci no Toque, estava com o livrinho também, sem imaginar que voce fosse estar lá!!) e ia começar a ligar de hotel em hotel prá tentar arrumar vaga. A cidade estava lotada, só de corredores eram 18.000 .
    Mas aí, por volta de 12 e 40 horas o shoping reabriu. Me acalmei, fomos almoçar e esperar.
    Depois de umas duas horas, voltei a ligar pro hotel , neste momento atenderam, mas nao tinham previsao da reabertura.
    Bom, ia ligando e monitorando, quando por volta das 16 horas conseguimos entrar no hotel.Nao fui “passear”neste meio tempo, pois estava cansada, confusa , com medo e sem táxi!
    Os funcionários estavam atonitos, uma fila enorme no balcao, a cozinha nao funciona(escutei o gerente dizer que estava tudo ao chao), só estavam servindo bebidas.
    Os quartos ainda nao estavam liberados.
    Áreas comuns trancadas.
    Resumo da ópera: uma sensaçao estranha, parecia um “fim de festa”, por incrível que pareça.Ainda tinha gente chorando no lobby.
    Bom, Riq e trips, por sorte eu cheguei durante o acontecido mas nao estava dentro do hotel, tomando café, por exemplo. Os 5 hóspedes que foram feitos reféns estavam no café.
    Conversei com um funcionário que foi refém, e ele me disse que a princípio os traficantes estavam “calmos”, mas depois ele foi ameaçado, com uma arma na cabeça.
    Acho que foi um fato lamentável, mas de certa forma “isolado”pela maneira como se desenrolou.Nao é (ou pelo menos era) comum invasao de hotéis.
    Fiquei com muito medo, e acho que a desinformaçao pesou.Nao pude descansar quase nada prá prova.
    Fiquei com medo de correr.
    Mas fui (fomos) otimistas e corremos, a corrida foi linda, todo o pessoal do Vidigal nos apoiando, mas tava um clima de “ressaca”.
    Voltaria ao Rio, a esta meia maratona, mas com um pouco de receio.
    Nao sei, no Rio tudo está muito ligado, o morro e a praia, zona Sul e favela, turismo e tráfico.Parece muito lábil esse equilíbrio.
    Entre tantos hotéis no Rio, estava lá. A indicaçao dos trips teria sido perfeita mesmo, mas …
    Obrigada pessoal, desculpa se fui muito prolixa!
    Minha proxima meia maratona é em Estocolmo, dia 11/09, embarco dia 04/09, acho que lá nao vou ter essa “emoçao”.
    Espero que o Rio e o Brasil sempre melhorem, pros turistas e prá todos.

    Só mais uma coisa: nao houve qualquer “compensaçao”por parte do hotel. Eu pedi “late ckeck out”e me deram uma hora.
    Nem reclamei, pois afinal eu nao passei pelo pior e todo o hotel estava na mesma situaçao.
    P.S.: Desculpe alguns erros de digitaçao, um erro de concordancia nominal e outras “cositas”de construçao de texto, é que sou interrompida a todo momento enquanto escrevo!Escrevi em “doses homeopáticas”!!!!

Ué, mas a meia-maratona já não acabou de ocorrer??

De qualquer forma, para programas no futuro, se a meia-maratona sai da Praia do Pepê(no início da Barra), o hotel mais próximo me parece ser o Sheraton-Barra. dä para ir a pé até o ponto de partida, a pessoa não fica dependendo de tráfego, que no dia de maratona ou meia-maratona, sempre fica complicado. E nesse sentido eu não recomendaria o Intercontinental, não, pois fica em São Conrado, que não é longe, mas você teria que necessariamente ser conduzida à Barra.

    Nao, é dia 22 de agosto!
    Nem me fala, estou treinando c o maridex!
    Riq e trips, na próxima vcs podiam vir também!!!Daí vamos com camisetas da equipe “Viaje na Viagem”!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.