O quente de Flexeiras, por Denise Mustafa

Flexeiras (CE). Foto: Denise Mustafá

No fim do ano passado teve gente aqui perguntando sobre o Réveillon em Flexeiras (ou Flecheiras, dependendo da placa que você segue), uma praia 150 km a oeste de Fortaleza. Eu não sabia explicar — e pior: não sabia que a querida Denise Mustafa é graduada no assunto. Denise, que é fotógrafa e jornalista, acompanhou a evolução desta praia que hoje é a preferida de quem quer dar uma escapadinha de Fortaleza sem precisar enfrentar muita estrada (seja para Jeri, seja para Pipa). Aí vai o Dossiê Mustafá sobre onde comer e onde dormir em Flexeiras. As fotos, claro, são todas dela.

Flexeiras (CE). Foto: Denise Mustafá

Flexeiras ‘cresceu’ muito de uns dois anos pra cá. O público passou a ser mais sofisticado (principalmente por conta do hotel Orixás, que tem um público de classe social mais elevado) e, por isso, a praia sentiu essa necessidade de abrir lugares que acolhessem esse tipo de turista.

Flexeiras (CE). Foto: Denise Mustafá

Tem pra todo gosto: pra quem vai com menos grana, as barracas de praia oferecem um vasto cardápio de frutos do mar. Dessa vez nós fomos pra Barraca Maré Alta, onde comemos a moqueca de arraia especial, que inclui camarão e lagosta (naquela região tem muuuuita lagosta, por isso o preço baixo). O preço da moqueca foi 28,50 e dá pra 3 pessoas, tranqüilo.

Flexeiras (CE). Foto: Denise Mustafá

Os restaurantes legais que abriram:

Restaurante do Nonô: tem pizza, massas e frutos do mar. A sugestão é comer o peixe grelhado ao molho de maracujá (na faixa dos 45,00 pra 2 pessoas) e a pizza de alga marinha (na faixa dos 25,00 a média). OBS: Todos os anos Flexeiras tem o Festival das Algas, tipo uma feira gastronômica com pratos a base de alga marinha. Delícia! Vale a pena conferir esse prato diferente. O único defeito é que não tem muita variedade de vinhos. E, normalmente, eles cobram 45,00 pelos que têm no dia. Em compensação, eles cobram apenas 10 reais na rolha. Assim vc pode levar o vinho que quiser.

Oca do Sabor: você monta o prato. Os preços variam de R$ 16 (peixe) a R$ 35 (carne). Tem sanduíches e saladas. O restô é de um casal que veio de Goiânia e abriu em julho. É todo decorado com produtos indígenas. Aqui já tem uma carta de vinhos e de outras bebidinhas.

Ozio: o dono é o italiano Ozio. Não cheguei a provar a comida de lá, mas os preços são bem acessíveis. É normal ir pra lá tomar uns drinks depois do jantar. Fica bem em frente à pracinha principal.

La Terracita: é um bar de tapas de drinks de um espanhol da Galícia.

Kalangos: barzinho lounge, com um som eletrônico chill out, na beira do mar.

Flexeiras (CE). Foto: Denise Mustafá

Pousadas:

– Dessa vez fiquei na Pousada Nootka – diária em quarto duplo a partir de 180,00. De frente pro mar, quarto básico mas aconchegante e internet wi-fi (com custo de 10,00 por dia). Foi a que mais gostei. Os donos são espanhóis (já deu pra notar que tá cheio de gringo por lá, né?)

– E também já fiquei na Pousada Catavento – diárias a partir de 150,00 (quarto duplo). Também fica de frente pro mar.

É isso. Vale lembrar que Flexeiras faz parte do município de Trairi, que incluem mais 2 praias: Mundaú e Guajirú. Todas são belíssimas! E é uma do lado da outra (é uma extensão só. Muda apenas o nome.)

Eu acrescento: Mundaú é a cidadezinha maior, e por isso mais bagunçada — mas oferece um lindo passeio pelo rio (ou braço de mar, não sei) ao longo de dunas incríveis. O melhor é fretar uma jangada (os passeios de grupo são uma farofa). Guajiru é ainda mais sossegado que Flexeiras, e tem um hotel bem-estruturado, o Rede Resort.

Obrigado, Denise!

116 comentários

Flecheiras ficou famosa porque gravaram o programa No Limite ali por perto. É uma praia sem graça, feinha, com preços inflacionados e caminhonetes na areia com som alto ligado. Mundaú tem mais encantos (dunas e rio), mas também tem esgoto a céu aberto e já tem casos de turistas tendo câmeras roubadas na areia da praia. Uma pousadinha simples, dentro da cidade, instalou cerca elétrica. Desculpem pela sinceridade…

Denise,
deu água na boca mesmo ! 🙂
E como é a estrada de Fortaleza para lá? Os 150km são feitos em quanto tempo?
Parabéns pelo post!

    A estrada é boa e desimpedida. Não tem caminhão. Você sai de Fortaleza ali pelo Marina Park, e depois da ponte da Barra do Ceará é só seguir as placas para a CE 085 (Estruturante). Uma vez na estrada, o difícil é respeitar o limite, de tão vazia que é…

    Acho ótimo esse nome: estruturante.
    Em 2h, no máximo, vc chega lá. A estrada até a Taíba, metade do caminho, tá toda bonitinha. E no meio do caminho vc ainda pára pra comer uma tapioca!
    rsrsrs

    e a estrada só fica vazia e épocas não festivas. Em feriado fica super lotada pq, além de Flecheiras, várias outras praias são feitas por esse caminho. Eu sempre prefiro ir fora de feriados. Pra qualquer uma, inclusive, jeri!

Humm moqueca na hora do almoço, é dureza, já deu vontade, a boca encheu de água, que delícia.

Denise, adorei as fotos, valeu pela dica.

ai gente, será? ultimamente não tô viajando taaaaanto quanto gostaria… não vai rolar atualizar sempre.. I will think about it, ok?
mas brigadão pelos comentários!!!

Denise, você acabou de debutar como blogueira, agora não tem volta, siga em frente !!!
Ótimas dicas para guardar e conferir quando for ao Ceará, visse ?
As fotos estão bárbaras 🙂

Ai, eu quero essa moqueca 🙂

Um dos problemas de ler VNV é que a wish list só vai aumentando e nada de ter tempo (€€€€) pra conhecer tudo isso 😉

Já passei um reveillon em Mundaú – eu gostei, mas mesmo pra mim o quesito comida foi meio roots demais. Tenho a impressão que ficar em Flexeiras e passear nas outras praias é melhor…

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.