A grande viagem da Lu: Baviera, Alsácia, Rota Romântica e Berlim (com uma passadinha antes no Douro)

Lindhof, Baviera

Adoro o estilo de viajar da Lu (a.k.a. “Lu Maldivas”). Ela se encaixa com naturalidade do básico ao luxo, sempre atenta ao que os anglos chamam de “value”, e que a gente ainda não conseguiu traduzir (“valor” não chega lá, e “custo x benefício” não exprime a beleza da coisa). Ela perdeu as fotos do início da viagem, mas trouxe dicas precisas e universais. Obrigado, Lu!

Texto e fotos | Lucia Gomes

Antes de mais nada, esqueçam tudo que já ouviram sobre o clima na Europa (e em qualquer lugar no mundo). Saí daqui em 15 de julho achando que ia ser o maior calor. Pois no Porto, estava frio — suéter+casaco de couro! Na Alemanha, apesar do sol, era fresquinho, a não ser no meio do dia, sob o sol. E quando o sol sumia (à noite e nas poucas vezes que ele sumiu durante o dia), a temperatura caía (16 a 19 graus). Todos falaram que o verão tinha acabado de começar (20/6), e que tinha chovido muito, o que não é comum nesta época do ano.

Portugal

Socalcos ao longo do Douro

Antes da Alemanha, passei uns dias em Portugal e usei os hotéis da cadeia Fénix — Ipanema Park no Porto e Fénix Garden em Lisboa. Recomendo os dois, principalmente pelo excelente custo x benefício.

Cruzeiro pelo Douro
Apesar da maioria dos cruzeiros de um dia serem somente até a Régua, a parte mais interessante é para lá da Régua, que é onde começam a aparecer mais quintas de vinhos, e os socalcos (terraços de vinhedos) são uma paisagem constante. Para poder curtir um pouquinho mais, pegamos o cruzeiro de um dia do Porto ao Pinhão, que fica 30 km adiante da Régua. E em vez de voltar no trem logo em seguida, ficamos uma noite no Vintage House, no Pinhão (que é um luxo), para voltar no dia seguinte (a estação de trem é nos fundos do hotel). Mesmo assim, ainda foi mais barato do que qualquer cruzeiro de dois dias. Na região, a dica de uma amiga que mora no Porto: almoçar no restaurante DOC. E no Porto, almoçar ou jantar no Shis, à beira-mar, próximo à Foz. Ela nos levou lá e nós aprovamos c/louvor, pela comida, pelo serviço e pelo local!

Munique & Baviera

Marienplatz

Fiquei impressionada como a Alemanha está barata em relação ao resto da Europa, inclusive Portugal. Não sei se é a crise, mas os preços por lá estão mais ou menos como aqui no Brasil.

Quanto à língua, o alemão é muito difícil mesmo… não dá para captar alguma coisa, uma ou outra palavra sozinha ainda vai. A começar pela construção das frases, que é ao contrário, além das declinações, como no latim. Ou seja, depois de quase um mês, não aguentava mais ouvir aquela lingua e ficar boiando. E, no interior, em cidades menores, nem todo mundo fala inglês. Então, a mímica tem que funcionar!

Munique
Continua uma cidade muito alegre, cheia de vida … e de turistas! Gostei muito do Creatif Elephant, achei que ele atende ao que se propõe: um hotel básico, reformado, para uma cidade onde você passa o dia todo na rua e vem ao hotel só para dormir e tomar banho. Mas não tem ar condicionado, ou seja, no calor, tem que dormir de janela aberta — mas não é barulhento, apesar de ser bem perto da estação de trem. Os quartos menores (um pouco espartanos no espaço, mas com móveis bem modernos) para compensar têm frigobar, já os maiores não tem. Na minha opinião, o ponto mais legal de se ficar em Munique é acima da Marienplatz, no sentido oposto ao da estação. Mas, por ali, é outra faixa de preço. E, afinal de contas, dá prá ir a pé do Elephant até lá mole, mole. Descobrimos uma pizzaria nessa área, que fica dentro de uma galeria que bombava tanto que nos chamou a atenção de tanto tititi! Sem falar que era verão e a maioria das mesas era ao ar livre. Chama-se Hugo Pizza Bar, fica na Promenadeplatz, e recomendo fortemente — uma das melhores pizzas que já comi (me perdoem os paulistanos)!! Mas, como toda badalação tem um preço, não é lá muito baratinho. O Museu da BMW também é imperdível, um mundo à parte!! Uma curiosidade para os ciclistas: se você, como eu, acha as ciclovias daqui perigosas, espere só até conhecer as de Munique — são entupidas de ciclistas, todos sem capacete, indo ou voltando do trabalho; não tem mureta, apenas uma marcação no chão, uma loucura!!! Eu não pedalava ali nem morta!

Neuschwanstein

Hohenschwangau/Neuschwanstein
O Hotel Schlossblick, tipo pousada, é bem “ficável”, tem café da manhã de buffet, mas não tem telefone no quarto, nem recepção 24 horas, e outros luxos mais — mas, para o preço, funcionou bem. Além de ficar embaixo mesmo dos castelos, com vista belíssima. Essa região é realmente muito bonita. O circuito que os trips sugeriram, passando pela Áustria, é magnífico, com visuais maravilhosos — lagos e montanhas, em lugares por vezes ainda bem selvagens, inabitados. E o castelo de Neuschwanstein é um deslumbre! Só mesmo um cara louco para construir algo assim!! Mas é tudo bem “interior” mesmo. Atenção para não ficar sem jantar, pois tudo fecha bem cedo. Para os mais aventureiros, caminhantes ou ciclistas, pode-se subir, depois de visitar o castelo, até a antiga cabana de caça do rei, onde hoje funciona uma confeitaria e descer por outro caminho. É um passeio para um dia inteiro, de modo que é bom sair cedo (e ter bom preparo físico). Outra coisa importante: nos castelos, preste atenção, pois as visitas são obrigatoriamente guiadas, em horários marcados quando se compra a entrada — que, por sua vez, não é comprada na porta do castelo, e sim, no início da subida (em Neuschwanstein), e na entrada do parque (Linderhof).

Nos arredores de Füssen

Lago Constance/Bodensee
No caminho da Baviera para a Alsácia, passamos pelo lago Constance. Ao olhar no mapa pensei que daria para visitar algo por ali, talvez Mainau (a ilha das flores), mas o lago é enorme e acho que seria outro passeio. Talvez saindo bem cedo dê tempo. Mas atenção: evite o domingo, pois como não existem autoestradas por ali, o tráfico é intenso, alongando bastante a viagem!

França

Strasbourg

Alsácia
Chegando à França, a primeira coisa que se nota é a enorme diferença de preço (para mais) e, me desculpem os alemães, a comida maravilhosa. Aí, o hotel já fugiu daquela faixa mais econômica, mas valeu muito a pena. O Le Colombier em Colmar é muito legal, parece um hotel-design, bem localizado, com estacionamento grátis na porta, as pessoas bem atenciosas, quarto ótimo, e café da manhã excelente! Colmar é uma gracinha de cidade, e as cidadezinhas próximas, quase todas vinicultoras, são medievais, muradas, e bem turísticas, mas, mesmo assim, mto bonitinhas. Fomos até aquele castelo no alto do morro, Haut-Koenisbourg. Acho que é mesmo para o “Riq vir” conhecer Riquewhir :mrgreen: Em Colmar, recomendo especialmente um pequeno restaurante próximo ao hotel, o Petite Venise, que tem um foie- gras mto bom. É melhor reservar pq é bem pequeno. Já Strasbourg é uma cidade grande com um centro antigo muito bonito, incluindo naturalmente a tão famosa catedral. Bem interessante o Museu Alsaciano, que expõe os seus costumes e história.

Floresta Negra & Rota Romântica

Rothenburg ob der Tauber

Baden-Baden
Visitamos só de passagem. É  muito bonita (e rica, dá para ver pelos carros!). Para entrar no Cassino, mesmo durante o dia, só de paletó e gravata (ou seja, fomos barrados). Recomendo muito passear no parque, pela Liechtentaler Allee. É enorme, bem arborizado, separado dos grandes hotéis, que dão fundos para lá, por um canal, de modo que dá para ver o “povo” tomando seus drinks, pegando sol, ou simplesmente lendo (eta vida dura!!). E tem também um roseiral fantástico com rosas de todos os lugares do mundo, de muitas cores diferentes.

Heidelberg
Também só de passagem, visitamos o Castelo, e aquela praça da igreja com seus cafés, restaurantes e uma feirinha muito simpática, pois era sábado, com artesanato e comidas.

Rothenburg ob der Tauber
O anexo do hotel Goldener Hirsch é um achado! O quarto é muito pequeno, mas bem confortável — sem falar no café da manhã que é ótimo, servido no hotel principal, do outro lado da rua. Adorei ter dormido em Rothenburg. Acho que para nós, de um país novo, tropical, ficar numa cidade murada é algo bem especial. Realmente, à noite, a cidade fica bem sossegada, mas há vários restaurantes; e como não tem mta gente, dá para tirar altas fotos (sobretudo se você tiver um tripé).

Estrada Romântica
Como está escrito em vários lugares, o legal não é a estrada e sim as cidades. Ela começa em Würzburg, ao norte, e acaba em Füssen, na Baviera (onde fomos no início da viagem). Visitamos Dinkelsbühl, que é bem pequenina, mas uma gracinha (curiosamente, tinha uma Ferrari estacionada na rua principal, pode?); Nordlingen, também pequenina (onde por acaso assistimos a um concerto grátis na igreja); e Würzburg, que tem uma fortaleza (Marienberg) numa colina de onde se avista a cidade toda. Tem também a Residenz, antigo palácio real, mas não visitamos porque era segunda-feira, dia de museus fechados. Fora da estrada romântica, a nordeste, a caminho de Berlim, visitamos Bamberg, que é bem bonitinha, com muitas igrejas, e uma catedral imponente. Lá, fui apresentada ao chopp defumado … é bem interessante, mas tem um gosto um tanto ativo!

Passeios

Berlim

Berlim: prainha no Spree

Hotel
Não tenho palavras para agradecer a dica do Circus!! O hotel é 10 em tudo! Como disse a Denise Mustafá, no calor, tem que dormir de janela aberta, pois não tem ar, mas o meu quato era de fundos, ou seja, sem barulho!! No lobby, tem sempre uma pessoa que fica à disposição para ajudar no que precisar, seja para reconfirmar passagens, ou para dar dicas, horários e endereços de tours, como chegar a tal lugar, com uma simpatia incrível, o que aliás é comum a todos os funcionários. O hotel é mto bem localizado — à noite, só saíamos a pé para jantar, no máximo, pegávamos o bonde M1 para subir à Kastanienallee e escolher onde comer. Dá para ir tanto para um lado (Häckescherhof) como para o outro, toda a região tem ótimos restaurantes. Fora tudo que já foi dito nos diversos posts, tenho alguns comentários a acrescentar.

Comer
Bem pertinho do hotel, o italiano Al Contadino (Sotto le Stelle), na Auguststrasse é muito bom, mas não tão baratinho (recomendado pelo hotel). Na Oderberger Strasse, transversal à Kastanienallee, tem um restaurante do lado do outro, cheio de berlinenses, para você escolher. Incrível! Se estiver em Berlim sábado, não perca a feirinha da Kollwitzplatz, pracinha simpaticíssima do Prenzlauer Berg, cheia de “locais”. O wurst embaixo da estação da Eberswalder Strasse é muito bom, mas se você estiver no lado ocidental, próximo à catedral destruida, procure uma barraquinha de wurst na mesma calçada, e delicie-se! Não esqueça de pedir uma Berliner para acompanhar!!

Museus
Dois museus que adorei, e acho que não estavam no post Berlim pra Mira, foi o do Helmut Newton, de fotografias, perto do Zoo; e outro que tem muito Picasso, além de Klee e Matisse, que fica pertinho de Charlottenburg, o Berggruen (dica do manager — ou dono?? — do hotel). Vi quadros ali que nunca tinha visto nem em livros; e além disso, é bem pequeno! Na volta, passeamos por Charlottenburg (S-Bahn Savigny Platz), que me lembrou muito o Upper East Side em Manhattan — bem chique! Aproveite para conhecer a pizzaria 12 Apostel (dica de uma brasileira que mora por lá). Com pouco tempo,eu dispensaria o Bode-Museum, preferi outros.

Otras cositas
Adorei também ir de bike a Potsdam!! Tem uma floresta incrível no caminho e um lago lindo, já quase chegando lá. Fui a Kreuzberg, o bairro turco, mas confesso que, para passear e me sentir “local” não troco Prenzlauer Berg e Häckescher Hof (Mitte) por nenhum outro lugar em Berlim!

Programação
Fiquei lá 6 dias inteiros e a estratégia foi a seguinte: 3 dias para fazer o turismo propriamente dito (achei bem corrido!!), 1 dia para ir a Potsdam, e os 2 outros dias foram de férias, passeando pelos lugares menos turísticos, e descobrindo coisas. Adorei, mas menos de 5 dias é pouco para curtir Berlim!!! Detalhe: não consegui entrar no Reichstag, a fila era enorme!! Ou seja, eu também vou ter que voltar a Berlim para subir na cúpula do Reichstag…

Leia mais:

309 comentários

Riq

Voce viu as fotos do serviço de bordo pago da Varigol no Rodrigo, vale a pena dar uma passsada!

Riq e amigos, minha mulher está grávida e pensa em ir à Miami para comprar coisas de bebê, eu ja fui aos EUA, mas nunca reparei em nda disso, nem imaginei que iria ser pai.
Vcs acham que vale a pena ir para compras de bebe?
Obrigado

    Acho que vale sim, Fernando. As coisas de bebe aqui nos EUA sao de qualidade e com precos super em conta. Semana passada fui na Target e comprei 9 pecas de roupa (das marcas Carter, Winnie The Pooh, OshKosh, etc) pra bebe pra mandar de presente pra uma amiga que vai ter um filhinho e o total foi 36USD. Carrinho de bebe e carseat tb sao bem mais baratos. Mas acho que o preco da passagem acaba igualando com os custos que vcs teriam comprando o enxoval do baby no Brasil.

    Carolina, essa loja Target fica em Miami? Vou em 15 de novembro, não para comprar roupas de bebê- algumas lembrancinhas para bebês- e sim fazer um SPA mental. Dar um rolê.
    Vou ficar uma semana, quero conhecer os Shoppings, mas quero também caminhar por Coral Gables, Coconut Grove, Miami Beach e South Beach. Visitar a Vila Viscaya. Faz muito tempo que não vou a Miami.
    Ainda não fiz meu roteiro nem pesquisei nos trips.
    Minha idéia inicial era ir para New York,papear com a Marcie e o Ciro, Boston, tomar um cafezinho com o Zé e a Débora em Burlington e fazer o tour pela Universidade de Vermont, indicado pelo Zé em seu blog http://brasilbelowzero.wordpress.com/ (eles nem sabem disso hehe). O frio que está fazendo por lá me fez mudar para o Sul. Adoraria pitacos de todos. Vou sozinha, então nada de sugestões de baladas e restaurantes mas um ótimo lugar para tomar um lanche, com uma linda vista, será legal.
    Se tivesse que escolher dois Shoppings, quais seriam? Obrigadíssimo.

    A Target eh uma loja de departamento. No entanto,se vc puder ir num outlet seria ainda melhor. Varios outlets tem as lojas Carter e Oshkosh B’gosh com precos otimos e bastante variedade. As vezes tb nas lojinhas da Disney no shopping center na sessao clearance e nas lojas de desconto como Ross Dress for Less e/ou Marshalls (ambas tem filiais em Miami).

    Querida, vamos ficar muito contente de vê-la. Vamos conversar datas…de 18 a 23 não estaremos em NY. Você já fechou passagem?

    Marcie querida, acabei desistindo de NY…muito frio. Ano que vem, com certeza, nos encontraremos. Agora em novembro, MIAMI. Comprinhas para o Natal e relax. Beijos.

    Malu, tem lojas da Target espalhadas pelos EUA inteiro… Clique em “find a store” no site deles ( http://www.target.com ) e coloque o zip code do seu hotel em Miami pra descobrir a loja mais próxima! 😉

    Obrigada Carlinha. Só resolvi na semana passada ir para Miami e vou começar a organizar tudo. O importante são dicas quentíssimas, depois faço as rotas. Beijos.

    Malu, eu não vou a Miami faz algum tempo, mas não perderia uns passeios pela Lincoln Road, em South Beach, e por Coral Gables. Se você se interessar pela história dos exilados cubanos, uma incursão à Calle Ocho, em Little Havana, é bem interessante… 😉

    Se quiser sair de Miami prá passear, vá a Naples, um balneário bem gostoso, e ñ mto cheio, mas bem transadinho!

    Malu,
    Se você quer descansar e comprinhas a dica da Lu é excelente. Naples é o local ideal. Localizada no Golfo do México, fundada por italianos é um pequeno balneário, com centro antigo bem conservado, seguro e lindo, freqüentada por europeus, com cafés, bons restaurantes, praias limpíssimas, mar calmo e ainda não foi descoberta por brasileiros.
    Existem vários shoppings ao redor, mas se preferir outlet o melhor é o Miromar. Visitar a ilha de Sanibel é imperdível. Do aeroporto de Miami são 198 km ou duas horas pela I 75 N.
    E com certeza será uma nova maneira de olhar a Flórida.

    Acho que super vale a pena, sim. A julgar pelo número de gente que pede pra eu comprar…

    Fernando, eu fui fazer compras de enxoval de bebê com uma amiga em Orlando, em abril deste ano. Fomos em um pacote da Submarino Viagens e passamos uma semana, voando Delta e ficando em um HoJo bem econômico. No cômputo final, ela achou que os custos totais se igualaram ao que ela gastaria aqui – mas incluíram uma semana de férias e a compras de váaaaarios itens que ela não conseguiria encontrar aqui… 😉

    Oi Fernando,
    Se decidirem vir… tenta dar uma passadinha nos websites das lojas para fazer cadastro e receber e-mail com as promoções – isso mais para as roupinhas…
    Fui no google ver se tinha dicas de lojas em portugues para o enxoval do bebe e fiquei impressionada com a quantidade de informação 🙂
    Abs

    Fernando fui aos EEUU em abril e valeu super a pena, ainda mais com milhas. As coisas são absurdamente baratas comparadas com o mesmo produto encontrado no Brasil. Pra vc ter uma idéia, uma pomada p/ amamentação de 9 dolares é vendida por 120 reais aqui em Fortaleza. Compre o q puder, a Tam me combrou 125 dolares por um volume extra (mas tb, até cadeirinha de comer eu trouxe). Indico tb a Babies ‘r’us, da mesma cadeia da Toys’r’us. Boa sorte!

    Fernando, vale sim, não tanto pela economia em $$$, mas como a Carla falou, para encontrar produtos muito melhores e mais adequados para bebês por lá, adicionando isso a uma semana de férias e custo equivalentes. Eu posso te dizer mil produtos de bebê que valem a pena serem comprados nos EUA, desde pasta de dente até carrinhos que aqui custam ubber caros e lá vc comprar por um bom preço. Voltei agora de NY e fiz a festa lá (e olha que Miami/Orlando é mais barato ainda). Tenho uma filinha de 1 ano e 8 meses, mas sempre comprei tudo para ela fora ou no Ebay. Meu e-mail é pcdrocha arroba gmail ponto com.

    Para enxoval e artigos tipo carrinho, etc, a Baby’R’US é imbatível, mas tem muita coisa nos Wallmart da vida, além de farmácias como Wallgreen e Duane Reade. Não sei se o seu bebê é menina ou menino, mas as melhores marcas como o melhor custo-benefício a Carter’s, a Osh Kosh, a GAP baby, e tem coisas lindas da Adidas, DKNY. Juice Couture e Fila para bebês tb.Acho que essas todas vc pode encotar nos outlets da vida. Fora pomada de amamentação, babá eletrônica, mamadeiras, bicos, bombas tira-leite, etc, etc….

    Fernando, vale sim. Vai pelas dicas que já estão aqui (lojas e marcas) e principalmente nos outlets onde dá pra conseguir preços com 70% de desconto facilmente. Minha sogra trouxe um cadeirão e car seat e se fôssemos comprar aqui, os mesmos produtos, teríamos gasto quatro vezes mais.

Que belo post! Confesso ter alguns poréns com a Alemanha, mas deu muita vontade de conferir o Douro!

Oi, adoro o site, as dicas são ótmas, mas não consegui achar nada sobre natal em Amsterdã… Na verdade estou edúvida se vou para Amsterdã ou para Munique. Vou para Europa no dia 23 e volto no dia 02. Durante esses dias queira passar 2 dias em um dos dis lugares citados e passar o resto em Paris virar o ao lá, preferencialmente no Grand Cobert, de acordo com as dicas do CONEXÃO PARIS. i no seu livro que se for para ir para Europa no inverno, que o ntal germânico é uma boa idéia, mas não sei o que fazer por lá e outra queria conhecer Amsterdã, ms tenho medo dos canais estarm congelados no Natal… Me ajude, please, onde passo o natal??? Beijos e obrigada

    Milene, por tudo o que leio (nunca fui) o Natal na Alemanha é lindo, mas se você tem vontade de ir para Amsterdã, vá para Amsterdã, uai. Se os canais estiverem congelados vai ser mais bonito ainda…

    A cidade tem também sua feira de Natal, na Museumplein.

O passeio de barco pelo Rio Douro, de um dia, mesmo indo só até Régua, vale muito a pena. A paisagem é linda e subir as três eclusas é uma experiência incrível, para quem não está acostumado. Fomos de barco e voltamos de trem.

Lu, hospedei-me no Ipanema Park no Porto, na Rua de Serralves, da mesma cadeia Fenix, e, condordo com voce que foi um achado. Excelente custo-benefício. Hotel de excelente padrão, quartos espaçosos, tudo muito limpo, excelente café da manhã e atendimento nota 10.

http://www.hfhotels.com/?s=6&ss=57

Lu,
adorei essa viagem! Quero também!
Berlim já estava na listinha…mas não dá pra ir agora mesmo 🙁

Puxa, Riq, ficou bacana, hein? Tb, c/um editor desses!! Fico contente de poder colaborar c/o blog! E tb saber que os trips gostaram!!

Qto ao meu estilo “value” de viajar, achei a sua observação mto interessante! Realmente, volta e meia me liga alguém querendo saber da próxima viagem – onde e qdo, pq sempre brincam que qdo viajam comigo gastam menos do que se ficassem por aqui … e fazendo tudo que tem direito!!

Riq, ñ sei se vc notou que há algumas pequenas falhas no texto, tipo palavras coladas, uma letrinha faltando,enfim, coisas bobas. Se vc quiser, eu posso copiar, consertar o que vi, e te mandar por e-mail. E, ñ sei se ficou claro que o lago da foto, nos arredores de Fussen, ñ é o lago Constança, acabo de encontrar o nome: Plansee, e fica na Austria, naquele circuito a partir de Fussen.

Vera Lúcia, essa viagem demorou 4 semanas, portanto foi bem tranquila, sem correrias.

Virginia, ñ precisa tanta grana assim ñ, basta um bom planejamento(o que dá um certo trabalho,mas faz parte da viagem),estar atenta às promoções das cias aéreas(tarifas e milhagem), e aproveitar esse montão de dicas do VnV, que vc pode, se quiser, gastar bem menos que imagina! Principalmente na Alemanha!!

Bjs,
Lu
P.S. O que é a.k.a.??

    Also known as! (tipo: “vulgo” hehe)

    Me manda os erritos que eu corrijo junto com o nome do lago. (Não, eu não achei que fosse Constance, não. É que não deu pra pôr antes…)

Que delicia de viagem… dah ateh vontade de pegar o primeiro voo, as dicas da Lu e pronto… aproveitar!
bjs

Caros amigos, aproveitando o assunto, que muito me interessa, venho mais uma vez pedir a ajuda de vocês.

Com a recente parceria da Gol e Air France, no mês que vem quero pegar duas passagens para a Europa com pontos Smiles.

O período da viagem deve ser entre 13 de novembro de 2010 e 9 de dezembro de 2010 em virtude do meu trabalho e da mimha esposa. Mas ainda estamos tentando antecipar um pouco isso para pegar menos frios. Nessa primeira viagem à Europa, considerando tooooodos os posts e dicas que já li, optei por uma viagem por algumas capitais, e com mais tempo em cada lugar.

Dia 1: BH – Londres (avião)
Dias 2 a 8: Londres (7 dias inteiros)
Dia 9: Londres – Berlin (avião)
Dias 10 a 14: Berlin (5 dias inteiros)
Dia 15: Berlin – Amsterdã (trem)
Dias 16 a 18: Amsterdâ (3 dias inteiros)
Dia 19: Amsterdâ – Paris (trem)
Dias 20 a 26: Paris (7 dias inteiros)
Dia 27: Paris – BH (avião)

Selecionei cidades relativamente próximas entre si, por isso destinos como Roma, Madrid, Barcelona, Veneza, Lisboa ficarão para próximas viagens (provavelmente 1 viagem só para a Itália e outra só para a península Ibérica).

O que vocês acham do número de dias em cada local e das cidades escolhidas? Tinha dúvidas se 5 dias em Berlin e 3 em amsterdã seriam razoáveis, mas pelo post da Lu, pelo menos no caso de Berlin o período é adequado.

    Hugo, como nessa época do ano faz um friozinho razoável na Europa, se fosse eu daria um jeitinho de ir para a Espanha plus Pórtchugal (é mais quentinho, hehe) 😉

    Oi Zé, vou até conversar com minha esposa, mas estávamos com muita vontade de ir em Londres e Berlin. O frio é que o problema mesmo, e certamente vai atrapalhar um pouco.

    O ideal seria se conseguíssemos ir em outubro, mas acho que vai ser difícil.

    Eu achei otima sua programacao. No entanto, irao sim, passar frio. Vou com o Ze e sugiro que vcs troquem por Portugal e Espanha, que vai da pra aproveitar mais…My 2 cents.

    Hugo, seu roteiro é bem legal. No entanto, ano passado passei 7 dias em Paris e achei que ficou corrido, tanto que este ano dei uma passadinha de 4 dias pela cidade, antes de ir para Itália. Paris é tãaaao bom…

    Pra mim tá ótimo, Hugo. Eu simularia colocar Berlim-Amsterdã de avião, porque a viagem de trem é bem longuinha (mas não tira pedaço, não).

    Virginia, eu até gostaria de colocar mais dias em Paris, mas nesse caso teria que diminuir os dias de alguma outra cidade. Mas dentre todos os lugares, acho que Paris é que eu tenho mais chance de voltar.

    Riq, vou olhar sim. Pensei que não fosse tão longe, mas vou comparar o avião + tempo para chegar no aeroporto + antecedência x trem.

    Acho que a viagem Berlim-Amsterdã de avião sai carinha. Quando olhei pra minha viagem tava na faixa de 300, 400 euros. Sim, porque não tem low cost. Mesmo sendo uma viagem longuinha de trem (7h) vale a pena. A vista é LIIIINDAAA! E saindo de manhã cedo não se perde muito… apesar de que o dia tá anoitecendo cedo nessa época do ano…
    Mas, caso vc resolva trocar por lugares quentinhos, Espanha e Portugal são ótimas pedidas. Ou itália…

    Denise, para quem sai do Brasil a dica é pelo menos orçar a inclusão desses trechos “internos” na passagem intercontinental. Muitas vezes é um ótimo negócio.

    ahhh sim Riq. É verdade. Se der pra colocar dentro da passagem intercontinental vale a pena. O que não vale é comprar solta por lá, né?

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.