Personal nerd, você ainda vai ter um

personalnerd

Minha coluna no Guia do Estadão de hoje. Imagem surrupiada daqui.

Não, não fui que inventei esse personal, não. Joguei no Google e apareceram 1.330 personal nerds, no patropi e mundo afora.

A expressão me veio à cabeça durante uma troca enviezada de mensagens online. Achei que uma amiga, meio atrapalhada com as novidades da internet, poderia muito bem contratar um.

Não cliquei em nenhum dos resultados do Google, então não sei como os 1.330 personal nerds atualmente em ação definem o seu trabalho. Mas quando imaginei essa profissão, não estava pensando em nenhuma das situações problemáticas com fios e quetais que enfrentamos na última década.

Definitivamente, o meu personal nerd não é o personal arrumador de computador. Nem se confunde com o personal instalador de rede wireless. Ou ainda com o personal plugador de DVD player novo com especialização em não tirar a TV a cabo do ar. E muito menos seria um mero personal enjambrador de iPod com músicas de procedência nebulosa.
Nananina. No meu entender, o personal nerd não lida com instalações nem piratarias. O personal nerd é um profissional que se faz necessário hoje em dia simplesmente para nos ensinar a aproveitar o que já temos instalado mas que não sabemos usar.

De que adianta investir num celular de última geração, se ele não vier com um personal nerd junto? Faz séculos que eu acho que não preciso me preocupar com isso, que um dia os celulares serão tão simples e amigáveis que até eu vou saber operar – mas esse dia não chega nunca. Os celulares ficam cada vez mais modernos, e eu cada vez mais obsoleto.

O quê? Você não tem dificuldade nenhuma para usar tudo o que o seu celular oferece? Então você é o seu próprio personal nerd. Anuncie seus serviços, e você vai ver quantos interessados vão aparecer.

A utilidade mais recente do personal nerd é ajudar pessoas da vida real a transitar pelas novas redes sociais que pululam na internet. Como ir da blogosfera à tuitosfera à facebookosfera sem ser atropelado virtualmente nem ficar cyberengarrafado?

Outro dia mesmo eu, que sou novato tanto no Twitter quanto no Facebook, cheguei à conclusão de que ou bem você tuíta, ou bem você feicebuca. Então resolvi me concentrar na tuitagem – mas já apareceu personal nerd enrustido para dizer que tem um jeitinho de fazer as duas coisas ao mesmo tempo, sem trabalho extra.

Bom. Se qualquer dia desses você me vir blogando em streaming direto do celular e tuitando a novidade, saiba que aí tem personal nerd.

38 comentários

Caros Ricardo Freire e demais viajantes,

Meu nome é Arnaldo e, além de profissional de informática, sou viciado em gadgets e gosto bastante de viagens.

A minha esposa é sua leitora assídua na VT e acompanha via RSS o seu blog no Google Reader. Há alguns dias ela comentou comigo que me reconheceu completamente neste post. Eu achei engraçado mas, após praticamente finalizar os preparativos tecnológicos para a nossa próxima viagem (Canadá, de 20/05 a 12/06), comecei a concordar com ela. Por isso, queria compartilhar com você alguns posts que fiz no meu blog de tecnologias móveis:

http://mobile.agnoldo.com/2009/05/viajante-tecnologico-parte-i.html
http://mobile.agnoldo.com/2009/05/viajante-tecnologico-parte-ii-ou-adeus.html
http://mobile.agnoldo.com/2009/05/viajante-tecnologico-parte-iii-tripit.html
http://mobile.agnoldo.com/2009/05/viajante-tecnologico-parte-iv-controle.html

Nesta série de posts, estou escrevendo para alguns amigos a respeito dos meus preparativos e do “previsto X realizado” do uso de tecnologia na viagem. Em viagens anteriores pelo Chile/Argentina e por oito países da Europa usei bastante um PDA Windows Mobile com GPS bluetooth para localização, controle de despesas, webmail e comunicação via Skype. Agora estou experimentando novos sabores (iPod Touch). Espero em breve começar a desenvolver aplicações móveis para viajantes baseados em Android e iPhone e, quando tiver algo pronto, ficarei muito feliz se tiver a oportunidade de te mostrar…

Um abraço a todos,

Arnaldo

Eu já presto este serviço a tanto tempo para amigos e parentes, mas nunca tinha pensado em cobrar… Taí uma boa idéia. Pelo menos deve render mais do que fazer joguinhos para o iPhone.

Riq, adorei! Eu trabalho com um nerd que outro dia me fez fazer um teste de nerdiness em que meu nivel de resultado foi – vc até tenta mas não consegue, o que explica minha relação com a tecnologia. No momento preciso aprender a botar música no meu I-Pod pq perdi minha personal nerd para essas coisas rsrs

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.