Peru: a viagem gourmet do EduLuz

Em outubro o EduLuz e a Débora foram ao Peru para uma viagem um pouco diferente do habitual. Sim, eles passaram por Cusco e Machu Picchu, e até se dedicaram a ver sítios arqueológicos próximos a Lima, mas a ênfase do tour foi comer in loco a gastronomia da vez: a peruana. De quebra, bons vivants que são, ainda se hospedaram nos melhores hotéis, subiram a Machu Picchu no trem mais confortável — enfim, só suaram mesmo na hora de fazer um giro de bicicleta pela capital. Para experimentar o lado mais chic do Peru, siga o Edu:

Os milhos deles humilham os nossos (ops)
Os milhos deles humilham os nossos (ops)

Fomos ao Peru.

É claro que fomos aos lerês normais de toda viagem ao Peru :

Lima: Plaza Central
Lima: Plaza Central

1. Plaza Central de Lima onde vimos uma grande festa na ocasião do enterro do grande cantor criollo Arturo Zambo Cavero, praticamente um Tim Maia (pelo peso) peruano. Foi uma festa de cores e tivemos contato com um jeito diferente de encarar a morte, uma característica marcante do povo peruano.

Lima: o enterro de Zambo Cavero
Lima: o enterro de Zambo Cavero

2. Cusco (Qosqo em quíchua), uma cidade 3360 m acima do nível do mar e com um jeitão daquelas cidadezinhas da Toscana  (guardadas as devidas proporções). Uma plaza principal ( a Praça das Armas) com igrejas maravilhosas acopladas…

Cusco: Plaza de Armas
Cusco: Plaza de Armas

… e vários sítios históricos como o Qoricancha e as grandes muralhas de Sacsayhuaman (mais conhecida como SexyWoman), um grande exemplo de construção estratégica inca.

Cusco: Sachsayhuaman
Cusco: Sacsayhuaman

3) Machu Picchu, um lugar tão bonito, mas tão bonito que poderia muito bem ter sido criado pelo Steven Spielberg. E tão emocionante que (literalmente) choramos muito a cada uma das visões e ângulos (são inúmeros) que ela nos proporciona.

Machu Picchu: o sol abriu bem na hora
Machu Picchu: o sol abriu bem na hora

Machu Picchu: cidadela
Machu Picchu: cidadela

4.  Até o traslado de trem de Cusco até Águas Calientes feito pelo trem Hiram Bingham da cia. Orient-Express foi empolgante. Lindas paisagens, comidas e instalações.

Machu Picchu: subindo pelo Hiram Bingham
Machu Picchu: subindo pelo Hiram Bingham

Hiram Binghan: train bão
Hiram Binghan: train bão

Além dessas, fizemos algumas coisas não tão usuais. Ficamos 5 noites em Lima, suficientes pra conhecermos ótimos restaurantes:

6. O sensacional Pescados Capitales (grande trocadilho e excelente lugar pra comer frutos do mar). Os garçons te recebem com um: Vamos pecar?

Lima: Pescados Capitales
Lima: Pescados Capitales

7. O manjado, mas ótimo Astrid y Gastón do grande chef Gastón Acurio, superinfluente e famosíssimo por lá (e no mundo também, vide a Cevicheria La Mar, em São Paulo).

Lima: Astrid, Gastón e couvert
Lima: Astrid, Gastón e couvert

8. O monumental Rafael (dica de vários gourmands, inclusive da Carla Pernambuco) do chef Rafael Osterling onde fizemos a melhor refeição (um menu degustação de 4 pratos) de toda a viagem.

9. O Huaca Pucllana, que além de boa comida ainda fica dentro das ruínas de um santuário superantigo em plena Lima.

Lima: Wa Lok
Lima: Wa Lok

10. Fomos numa chifa também, a Wa Lok. Chifas são restaurantes populares onde a comida chinesa se funde à peruana e formam pratos de sabor muito particular. Não esqueçamos que a colônia chinesa em Lima é uma das maiores do mundo.

Lima: mercado de Surquicho
Lima: mercado de Surquillo

11. Neste mesmo nicho, fomos conhecer o Mercado de Surquillo em Lima, onde degustamos uma série de frutas deliciosas e desconhecidas, provenientes dos Andes e da floresta. Você já ouviu falar de aguaymanto, sachatomate, tumbo, tacu tacu e rocoto?

Ceviche: o Edu que fez!
Ceviche: o Edu que fez!

12.  Também fizemos uma aula de culinária, onde aprendemos a preparar um legítimo ceviche com produtos frescos que nós mesmos compramos no mercado. Se quiser a receita com os segredos incas, é só pedir! E terminamos a aula, comendo a lição de casa, além de causas, lomo saltado e um belo suspiro limeño..

13. Fomos conhecer a região de Pachacámac (40 km — meia hora — de Lima), um complexo de pirâmides (um tanto quanto acabadas, mas muito interessantes) que são do século II e onde é possível encontrar uma série de vestígios da época tais como cerâmicas, tecidos e até ossos.

Pachamácak, a meia hora de Lima
Pachamácac, a meia hora de Lima

Pachacámac era um oráculo venerado por todos e que era tido como um grande mestre em previsões (praticamente um Nostradamus peruano). O lugar mostra bastante como eram os povos e as crenças naquela época onde o Sol e a Terra ( a Pacha Mama) eram cultuados. Segundo pesquisas,  a cidade foi habitada até 1533.
Lá existe uma mescla de construções pré-incas como o Templo Viejo e o  Pintado (vermelho), e
incas, como templo del Inti (o Sol) e uma casa das garotas escolhidas, onde as meninas mais bonitas eram “guardadas” pra se casar com o Inca, o grande imperador.

Cien minutos de Soledad
Cien minutos de Soledad

É mais do que necessário fazer uma visita guiada e nós tivemos a sorte de termos a Soledad (aqui están mis credenciales…) pra nos informar sobre toda a história do lugar. Ela não é a cara da Sue Johanson?

Lima, o barranco e o mar
Lima, o barranco e o mar

14. Por fim, fizemos um city tour! Mas city tour é diferente? Sim, se ele for feito de bicicleta! E fizemos o tour pela baía! Não sei se todo mundo sabe, mas Lima é uma cidade litorânea bastante estranha. Ela fica uns 50 m acima do nível do mar e a praia é logo ali, embaixo!! Muita vista pro mar e muito fog ( lá não chove, mas também não faz sol!).

Los blogueros y sus bicis
Los blogueros y sus bicis

Pois bem, fomos conhecer de bicicleta os bairros de Barranco ( praticamente uma Vila Madalena de lá) com direito a uma passada pela Ponte dos Suspiros. Diz a lenda que quem a atravessar sem respirar, realiza o desejo pedido. Adivinhe se nós fizemos isso? Passamos também por Chorrillos, um bairro antigo e onde as tradições são mantidas. Até vila de pescadores tem por lá.

Lima: Parque do Amor
Lima: Parque do Amor

E retornamos por Miraflores ( os Jardins de lá), um bairro com muitas casas bonitas, excelentes vistas do mar — e parques como o do Amor em plena orla de cima, e um shopping, o Larcomar, que foi construído no barranco, o acidente geográfico.

Resumo dos hotéis :

Lima: piscina do Miraflores Park
Lima: piscina do Miraflores Park

Miraflores Park, Lima: tido como o melhor da cidade (quase topamos com o David Graham do Depeche Mode); achei bastante “cansado” e com cara que precisa de uma reforma urgente. Já a piscina tem uma vista cinematográfia (quando o fog dá uma trégua e deixa ver alguma coisa!).

Cusco: hotel Monasterio
Cusco: hotel Monasterio

Monasterio, Cusco : este é imperdível pois você se hospeda num verdadeiro mosteiro  com as devidas obras de arte.

Aguas Calientes: hotel Inkaterra
Aguas Calientes: hotel Inkaterra

Inkaterra, Águas Calientes – Excelente hotel com cara de bicho grilo como convém a qualquer coisa próxima de Machu Picchu. Ele tem uma reserva de ursos peruanos (sabia que eles existem? Nós, não!), um santuário de beija-flores, além duma plantação de chá verde.

eduluz-casaandina
Lima: hotel Casa Andina

Casa Andina Private Collection, Lima: modernoso e bem posicionado (próximo ao Parque Kennedy). Muito melhor que o Miraflores Park.

É isso! O Peru é uma grande surpresa sul-americana com uma história interessantíssima e muito antiga; com crenças curiosas e melhor, com um povo acolhedor e muito simpático.

E tem mais! Cumpri a minha promessa de escrever um post inteiro sem nenhuma piada de duplo sentido!
Adiós!

Dicas finais:

1. Use táxi. Mas não se esqueça de combinar o preço da corrida com o motorista antes de fazer a corrida.

2. A maioria das lojas e restaurantes aceita dólar e normalmente numa cotação melhor do que as casas de câmbio.

3. Eu sei que ninguém vai ao Peru pra fazer compras. Mas é impossível voltar de lá sem trazer algum tipo de artesanato de primeira seja em cerâmica ou em madeira além das excelentes blusas de alpaca e mesmo os chapeuzinhos estilo Chaves, um berimbau bem interessante.

4. Nós carimbamos o nosso passaporte em Machu Picchu. Grato, Arthur, pela excelente dica.

5.  Sim, tomamos Inka Cola (bem ruinzinha, parece um guaraná Jesus); bebemos muitas chichas moradas (fermentado de milho e  muito bom) e  comi cuy, o porquinho da Índia ( em forma de coxas e é excelente).

Leia também:

Todos os posts do Peru no DCPV, o blog do EduLuz

E o Peru nos blogs da comunidade:

Dividindo a bagagem, por Lu Malheiros

Cadernos de Viagem, por Wanessa Lima

Aquela Passagem, por Rodrigo Purisch

Idas e Vindas, por Carla Portilho

Agora Vai, por Arthur Patitucci Filho

Expedição Inca, pelo JB

Viaggiando, por Camila Navarro

O Meu Lugar, por Beto Paschoalini

160 comentários

Edu, obrigado pela citação e excelente texto sobre a gastronomia peruana, que também adoro (inclusive a Inka Kola, objeto de recente polêmica aqui rs). Depois me empresta o passaporte para eu tirar uma xerox do carimbo de Machu Picchu 😉 Quando vierem ao Rio, venham no Intihuasi, no Flamengo, um dos três restaurantes peruanos no Brasil – os outros são o Wanchako, em Maceió, e tem mais um em SP, que infelizmente esqueci o nome. Entrem com um ceviche, depois um arroz chaufa, ou uma carapulcra, ou uma pachamanca, ou um piqueo, ou um majarisco, e terminem com um suspiro limeño (minha sobremesa predileta, ao lado do petit gateau e do tiramisú)
Abs!

    Arthur, somos gratos a você pelo souvenir absolutamente gratis. E saiba que comecamos a falar do visto por lá e todo mundo também carimbou o passaporte!
    Vamos fazer uma reunião peruana (sem Inka Cola, please) na próxima conVnVenção.

    Pois é, nenhum guarda, guia, funcionário avisa que tem o guichê para carimbar o passaporte, não sei porque. O negócio é meio secreto, deve ser para voltar lá… (o que não deixa de ser uma boa pedida)

    Nessa, estou com o Arthur: a Inka Cola é ótima! Até provei o Guaraná Jesus há poucos dias e achei bem diferente, a Inka Cola é mais suave. Que não me levem a mal, mas Jesus é muuuuito enjoado…

Que relato gostoso Edu! Ficou ótimo e me deu ainda mais vontade de ir.

É engraçado que eu irmão está no Peru esses dias também e a gente tem se falado tanto…mas outro estilo de viagem…ele fez trilha inca e tal…

    CarlaZ, a nossa trilha inca foi um pouco mais light… rs
    Mas fica um conselho: todo mndo tem que ir, pelo menos uma vez na vida, a Machu Picchu ( curiosidade: lá se diz, matchu pictchu!!)

    CarlaZ, eu era bem sedentária até ir ao Peru. Aquela altitude deixa a gente meio cansada o tempo inteiro e isso me incomodou muuuuito! Percebi que já era hora de começar a cuidar do corpo. Desde que voltei – e lá se vão 6 meses – tenho ido à academia 3 vezes por semana religiosamente!

    Um dia, ainda volto em condições de fazer uma trilha como se deve! E tem umas trilhas mais “finas”, pra quem não quer dormir em barraca (presente!)! http://www.mountainlodgesofperu.com/

E o amigo está fotografando tão bem quanto comendo e relatando!

    Nossa, acabo de voltar do Peru!!
    Em Cusco só incremento uma visita obrigatória ao Museo de arte precolombiana com jantar no Map Café (dentro do museu) ou ao Fallen Angels, Hotel/Restaurante mais descolado da cidade. Comida bueníssima!
    Em Lima, o Rafael é realmente uma experiência de matar!!! bom demaaaais! Tb fui ao Pescados Capitales. Muito bom! A revista da LAN indicava o Fiesta, mas não consegui ir. Estava fechado no domingo.
    Agora, sobre as compras, eu diria – leve espaço na mala!!! e não compre em Lima… eu comprei muuuuuito em Cusco! tudo muito barato e lindo! Ponchos, xales para vestir e para sofá, toalhas de mesa, artesanato, prata, turquesas, etc, etc, etc…….
    Quero muito esta receita de ceviche! qual seu email??
    Beijos a todos!

    Carol, também fui ao MAP e ao restaurante dele. Achei a comida boa, maso mais interessante é que ele é uma caixa de vidro dentro do próprio museu.
    Quanto as compras, achamos o artesanato moderno peruano fantástico!

    Também acho! Há tempos que babo pelas fotos de pratos de comida dele!! Já tinha lido os posts no blog DCPV, mas não cansou nenhum pouquinho ler de novo 🙂

    Edu, se não der para colocar a receita no seu blog, manda pra gente! Meu e-mail está na super planilha 🙂

    Lena, vou colocar lá no DCPV quando postar sobre o passeio ao Mercado de Surquillo. Mas se quiser antes é so mandar um e-mail pra eduardoarrrobaveranpontocompontobr.

Belo relato!
Pessoal, peço desculpas por sair totalmente do tópico mas acho que nunca vi ninguém falar sobre isso aqui: vcs compram o seguro de viagem pela internet mesmo? Ou fazem na agência? Vi que tem na mondial assintance. Any special advice? Obrigada

    Eu compro com agente porque sai o mesmo preço e é uma maneira de ajudar a remunerar o seu trabalho. Mas se a cia. for conhecida e vender online, não deve haver problema.

    Geo, eu só não faço na agência quando vou para os EUA. O Zé me indicou um seguro ano passado quando fui na bolsa-sanduíche, e agora só faço esse: http://www.patriotamericainsurance.com/ É bem vantajoso também quando se vai a turismo, sai muito mais barato do que nas agências! 😉 (Mas, olha, nunca precisei acionar o seguro, então não tenho a menor idéia de como seria o atendimento… Sei apenas que as coberturas oferecidas são compatíveis com as que nos oferecem aqui.)

Edu,
Gostei de ler o seu relato – pareceu-me a viagem perfeita.
Este Verão uma colega da escola foi também ao Peru e também gostou imenso.
É pena haver tantos sítios de que toda a gente “gosta imenso” , só dá é vontade de ser “turista profissional” como certas (afortunadas) pessoas.

    Isabel, dá uma vontade danada de só viajar, né mesmo?
    E pior, pra ser uns bons vivants, como nós (hahaha) só trabalhando bastante no “lojinha”!!

    A minha “lojinha” paga-me o mesmo há mais de 5 anos porque as regras para a progressão na carreira foram alteradas e fiquei bloqueada. Tabalhe muito ou pouco, é difícil fazer mealheiro com o custo de vida em Portugal.
    Mas professor no Brasil também se queixa, né?

    E se queixa com razão também, Isabel… Pra você ter uma idéia, eu precisei terminar um doutorado para finalmente ter um salário que um advogado ou um médico conseguem apenas com a graduação… 🙁

Adorei o relato, Edu! Grande viagem! E claro que quero a receita de ceviche, já que você ofereceu!

    Jurema, me manda o teu e-mail que eu te envio. E eles tem alguns pulos-do-gato pra que o ceviche fique fresquíssimo!!

Parabens ao Edluz pela viagem, e pelas dicas! Confirmo todas as que ele passou para nos!

Estou no Peru, e estou adorando.

Para quem tem milhagem, e uma opcao de primeririssma. E, para quem nao tem, tambem vale muito a pena.

Atencao Sylvia, tem promocao da TACA por 399 desde Porto Alegre. E, a TACA e a melhor companhia com quem viajei nos utlimos 10 anos. Assentos folgados, avioes bem cuidados, pontualidade total e refeicao quente com bebidas a vontade e de graca a bordo.

Comidas exclenetes (se voce gosta de tiramisu, vai adorar a torta de lima, se é viciadao em sushi, prepare se para os Ceviches) , uma parte cultural ineressentissimas, paisagens sesacioanis, como voces acabararam de ver…. Ah, e as compras, acabei de comprar uma linda malha de alpaca por 45 dolares… O povo e muito cordial e simpatico, em 15 dias, nao presenciei um unico golpinho, ou desonestidade,e a Cidade de Lima, onde estive em 89 e 96 mudou de uma maneira absolutamente surprendente para melhor.

Estou em Nazca, e amanhã vou realizar um grande sonho. Conhecer as famosas linhas, num pequeno avião. Como eu sobrevivi a bela viagem de ônibus entre precipícios de mais de 300 metros no ônibus entre Huancayo e Ayachucho, numa estrada de terra, acho que vai ser fichinha…

Estamos adorando o Peru, e o destino tem tudo para bombar com uma excelente alternativa, em especial para quem tem milhas. Troque a carne pelos frutos do mar, e você vai ter uma Buenos Gastronômica, com preços baixissimos, paisagens espetaculares, e uma historia riquíssima…. E, o melhor, da para fazer uma excelente viagem com todas as dicas do pato econômico….Você já ouviu falar das viagem de trem ate Huancayo, que ate a inauguração do ferrovia do Tibet era a mais alta do mundo, e que você faz este passeio de dia inteiro, na classe mais luxuosa, e com almoço incluído por 65 dólares? Que Lima tem um curioso museu com uma parte dedicada as artes eróticas dos povos incas? Que o maior parque de fontes luminosas do mundo esta em Lima, com ingressos a 1 dólar, e um espetaculo lindíssimo? Que você por 3 ou 4 dólares você anda 30 minutos de táxi em Lima? Que existem ruínas em Ayacucho que São maiores do que as de Machu Pichu, e que uma excursão para la de 1 dia custa cerca de 12 dólares? Que se come muito bem, seja um ceviche e outros frutos do mar, nos melhores restaurantes de Lima por 30 dólares por pessoa com vinho, ou um frango ao limao num chinês por 3 dólares? Que nas Islas Balestras existem 30 tipos de aves, que se vêem com muita facilidade, além de Leões marinhos e pinguins, e do Candelabro, uma pintura pré inca, num passeio de barco de 3 horas que custa 15 dólares?

Aguardem as nossas dicas!!!

    Gracias Ernesto ! Mas essa promo é incomprável pois só vale no sentido contrário, Lima-Poa-Lima . Já liguei varias vezes.
    Aliás , povo da Taca : melhorem o atendimento do call center em portugues , os caram não compreendem nadicas …

    Ernesto, boa viagem e curta bastante pois nos transformamos em fãs de carteirinha do Peru. Vimos a parte gastronômica (óbvio!), mas gostamos mais ainda da história e das tradições peruanas. Especialmente de tudo o que remete a crenças e formato de vida.
    Ah! Fomos ao Museu Larco também ( o das peças eróticas!) e é excelente!!
    Boa viagem e belas linhas de Nazca pra vocês.

    Ed

    Tambem virei fa ! Uma das proximas viagens e ir para Cuzco por terra, via Rio Branco (com milhagem). Fiquei muito curioso sobre o curso dee Ceviche, voce nao quer escrever um pouco mais a respeito?

    Ernesto, o negócio foi o seguinte: acertei este tour através da agência brasileira Gouté, especializada em pacotes especiais. Eles te pegam no hotel por volta das 10:00 hs e te levam ao meracdo municipal pra experimentar um montão de frutas e legumes super-diferentes. Ao final dumas 2 horas que você está lá, te dão uma lista de ingredientes pra você comprar pois com eles você vai fazer o teu ceviche.
    Depois disso, te levam ao (no nosso caso) restaurante Senorio del Sulco, onde o chef vai dar a aula de como fazer um perfeito ceviche além de também ensinar a fazer causas ( aqueles purês de batatas recheadas) e um belo lomo saltado. Só não aprendemos a fazer a sobremesa, o suspiro limeño se bem que comprei um livro e já fiz aqui em casa. Resumindo: super-curioso e um passeio e tanto que mostra como eles veneram uma boa refeição.
    Vou postar brevemente sobre esta experiência e colocar todas as receitas lá no DCPV.

    Assino embaixo quanto à TACA, Ernesto! Fui com eles para a Bolívia e o Peru e só tenho pontos positivos a ressaltar – até quando as coisas deram errado! E não estou falando só do serviço atencioso, da pontualidade e da comida quente (até o pãozinho era quente, nem acreditei…) No dia em que ia de SP para La Paz, o meu vôo foi cancelado por atraso no vôo que vinha de Lima (um passageiro passou mal logo após a decolagem e eles tiveram que retornar) e todos os passageiros que fariam conexões foram transferidos para o dia seguinte, por falta de tempo hábil para pegar a conexão. Eles foram corretíssimos com tudo – transporte, hotel, alimentação – e isso na época em que o caos aéreo estava comendo solto!

    Sobre a TACA: a primeira impressão foi péssima, porque trocaram o horário do meu vôo, que seria à noite, para a manhã do mesmo dia. E essa antecipação aconteceu uns cinco dias antes da viagem! Foi um deus nos acuda conseguir trocar o meu vôo até São Paulo. Na volta, também houve alteração, mas, com ela, ganhamos umas 12 horas em Lima.

    Mas a má impressão parou por aí, pois os vôos foram ótimos (atraso, só de Lima para Cuzco, mas por causa do clima). E ganhei um upgrade no vôo de Cuzco pra Lima: voei na executiva, com direito a um ótimo café da manhã, com um prato imenso de frutas variadas, pão quentinho, toalhas e guardanapos de linho.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.