Teotihuacán

Cidade do México: como ir às Pirâmides de Teotihuacán (tour, ônibus e táxi), por Sylvia Lemos

Teotihuacán

Texto e fotos | Sylvia Lemos

A capital do México é riquíssima em opções de passeios; em seis dias tivemos que fazer escolhas difíceis 😉 Mas dois lugares são obrigatórios pela magnitude: o Museu Nacional de Antropologia e as Pirâmides de Teotihuacan, que ficam 40 km ao norte da capital. Estima-se que a Cidade dos Deuses, patrimônio da humandidade desde 1987, tenha sido a sexta maior cidade do mundo entre 500 e 600 a.C. Duzentas mil pessoas habitaram a área que foi maior e mais avançada do que qualquer cidade européia da época.

As três formas mais usadas para conhecer Teotihuacán são:

Excursão de ônibus ou van

Indicado para quem dispõe de um dia inteiro, curte conviver com um grupo desconhecido ,e não se importa em chegar na atração principal depois de passar em vários hotéis (para pegar outros turistas), lojinha de artesanato, fábrica de tequila e de jóias, uma basílica (a da Virgem de Guadalupe), e acima de tudo aprecia um guia. As excursões são fácilmente compradas nos hotéis e na web, com preços médios que variam entre US$ 45 e US$ 68 por pessoa (este combo Pirâmides + Guadalupe sai US$ 48 na Viator). Alguns sites oferecem este serviço guiado por especialistas, historiadores ou arqueólogos , por preços bem mais elevados.

Ônibus de linha

Indicado para espíritos aventureiros e dispostos a usar um dia inteiro para o passeio. A Nati e o Marvila do Sundaycooks fizeram de ônibus e dão o caminho aqui.

Táxi

Indicado para quem busca independência e quer usar apenas um turno para fazer o passeio .

Qual táxi?

As empresas credenciadas para operar táxis no aeroporto internacional da Cidade do México podem realizar o trajeto. Outra opção é o táxi municipal da Cidade do México — foi o que usamos no passeio.

Ao fazer contato com qualquer um deles, certifique-se de que o veículo seja novo.

Táxi e ingresso

O preço

Varia em função da empresa utilizada: entre 1.300 pesos mexicanos (em torno de US$ 103) e US$ 130; valores de agosto de 2014.

As despesas com pedágio, estacionamento e entradas no sítio arqueológico são por conta dos passageiros (pagamos por estes tickets em torno de US$ 30).

Duas pessoas num táxi comum (dourado e vermelho) gastam no total, em torno de US$ 130 (sem refeições).

Como funciona

Os táxis passam no hotel na hora que o cliente marcar e ficam à disposição num total máximo de seis horas, pelo preço combinado. Conte com uma hora para ir e outra para voltar. As quatro horas restantes podem ser usadas à vontade, incluindo deslocamentos de carro entre os diversos portões na área arqueológica, parada para almoço e visita à Basílica de Guadalupe, que está no caminho. Talvez seja possível fazer outras paradas, mas combine tudo antes de sair da cidade.

Nossa experiência

Achamos perfeita para a proposta do passeio.

Antes da viagem, dediquei muito tempo na busca de um transporte que permitisse escolher o melhor dia em cima da hora (com tempo ruim, não!), que fosse possível chegar nas pirâmides entre 8 e 9 da manhã, que não houvesse nenhuma parada além do destino, e que houvesse garantia de voltar a tempo de almoçar na Cidade do México.

A querida Lu Malheiros, do Dividindo a Bagagem, que esteve dez dias na cidade um pouco antes de nós, se ofereceu para pesquisar opções que atendessem aos requisitos acima, e me enviou um contato. Com esta informação, o único problema que nos angustiava na viagem estava resolvido. Obrigada, Lu !

Num sábado à tarde pegamos um táxi comum, para um percurso curto entre La Condesa e La Roma. O carro era novo e bem cuidado, o motorista discreto, profissional, muito educado. Bingo! Pedimos informações, anotamos o contato dele e telefonamos à noite combinando para nos buscar às 8 da manhã no hotel.

Na fase de planejamento, li que o único dia da semana que não era adequado para o passeio era o domingo, quando os defeños (moradores da Cidade do México) saem para passear e não pagam entrada em Teotihuacán. Mas depois descobri que todos os dias são bons, desde que chegue cedo.

Teotihuacán

Num domingo de sol, chegamos às 9h em ponto no Portão 2 (Pirâmide da Lua). O local estava quase deserto, vendedores ambulantes estavam começando a chegar, caminhamos com calma, sem ser importunados por ninguém. Às 10h45 retornamos ao estacionamento para ir de carro ao Portão 5 (ao sul da Pirâmide do Sol), onde está o Museu Arqueológico que eu queria revisitar. As filas de carros na estrada, antes de chegar aos estacionamentos, eram imensas. Agradeci por ter acordado cedo 🙂

Museu Antropológico de Teotihuacán

Às 13h estávamos de volta à Cidade do México para almoçar, conforme o planejado.

Resumindo: para se dar bem de táxi nas Pirâmides

• Combine préviamente o que fazer e como/quanto vai pagar;
• Saia de manhã cedo: chegar antes das 9h é garantia de ter o lugar quase vazio;
• Para ir direto a Piramide do Sol, vá ao portão 3;
• Para ir direto a Piramide da Lua, vá ao portão 2;
• Deixe o portão 5 para o final (onde estão o Museu do Sitio e as barracas de comida ao longo da estrada);
• Pessoas credenciadas como guias estão em todos os portões de acesso e podem ser contratadas para contar a história do lugar;
• Telefones de contato de motoristas de táxi usados em julho/agosto 2014:
** Sr. Rodrigues, tel. 55/1813-7538 , da empresa Sitio 300 (@lumalheiros)
** Sr. Lopes, tel. 55/1657-1693, táxi da municipalidade (@sylviatravel)

Leia mais:

46 comentários

Sylvia, por favor, vc teria ainda o contato do taxista que pegou para ir às Pirâmides? Gostei dos seus elogios a ele e pretendo fazer o passeio em janeiro.
Obrigada.
Helerina

Eu fui de metro + ônibus de linha e aproveitei uma segunda em que os museus do centro estão fechados. Foi super tranquilo, inclusive com pouquíssimas pessoas e não levamos o dia inteiro. A ida de táxi é mais cômoda, mas gastamos menos de R$20,00 com direito a ouvir bolero ao vivo dentro do ônibus, coisa que nenhum táxi pode oferecer. 😉

Mais um post mastigadinho, da série Sylvia no México pra favoritar 😉 Os Lemos são demais 😆 😆 😆

Acho as pirâmides obras admiráveis de engenharia, e certamente só povos muito adiantados poderiam ter técnica para construí-las naquela época, sem os recursos atuais.

Esperando o próximo post 😉

fui de van, super tranquilo, só havia mais dois turistas da colômbia, ótima oportunidade para interagir e praticar espanhol, excelente passeio guiado, conhecemos vários lugares… nao vi problema, acho q essa historia do taxi é para quem tem pressa, eu recomendaria a van.

Sylvia,
Muito obrigada pela citação 🙂 Como te disse, você já me deu tantas dicas incríveis que o mínimo que podia fazer era tentar retribuir um pouquinho!
Estou arrependidíssma de não ter chegado mais cedo. A Av dos Mortos sem vendedores é outra coisa!
Escreve mais!

    Quando o assedio de vendedores é inevitável, a
    regra q vale no mundo todo, é ter um guia local.
    A presença do guia mantém todos afastados

Eu fui de ônibus de linha, em novembro do ano passado.
Foi suuuuper tranquilo. Melhor do que eu esperava. O ônibus é super ajeitadinho.
E na volta paramos na Basílica de Guadalupe com comodidade.
Vale a pena!

Não achei perrengue ir de ônibus, não 😉 O metrô fica bem lotado pela manhã, mas pode ser substituído perfeitamente por uma corrida de táxi até o terminal.

Nosso passeio durou meio dia e por volta das 14:30 / 15:00 já estávamos na Basílica de Guadalupe.

Também é possível fazer uma visita guiada grátis em Teotihuacán com um funcionário do próprio museu/setor de arqueologia. Basta enviar um email para teotihuacanvisitasguiadas @ inah.gob.mx e solicitar o pedido de tour para o dia da sua preferência. Em seguida, eles irão lhe orientar direitinho em como proceder.

http://sundaycooks.com/2013/07/22/teotihuacan-um-tesouro-perdido/

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.