Pluna: alguns casos resolvidos, muitos sem solução

Pluna

Abrimos há duas semanas um post participativo para conhecer os casos dos leitores prejudicados pela crise na Pluna. Foram mais de 120 comentários. Entre eles, depoimentos de passageiros voltando para casa que ficaram sem assistência, e relatos de muitas pessoas apreensivas, sem saber o que será de suas viagens de férias que estavam já pagas e prestes a acontecer.

O processo de liquidação da companhia segue adiante. Pelo que contam os leitores, tentativas de atendimento via e-mail ou telefone diretamente com a Pluna têm sido frustradas.

As melhores chances de uma solução rápida parecem ser através das operadoras de cartão de crédito — mas prepare-se para pendurar-se na linha e invocar o Procon.

A postura das agências de viagem, online ou físicas, varia. As online, quando concordam em devolver o dinheiro, prometem restituição em 120 dias. Nas agências físicas encontra-se tanto as que resolvem a devolução ou a substituição do pacote com rapidez, até as que continuam enrolando.

Aos que não conseguirem seus reembolsos será mais útil usar a via judicial contra as agências do que contra a Pluna, que não tem patrimônio nenhum no país.

Compilamos os depoimentos dos leitores que conseguiram estorno, reembolso ou realocação em um vôo de outra companhia aérea:

–> Luciana Martins: Visa providencia estorno e cancelamento de parcelas da passagem

A Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços) foi notificada pelo Procon e orientou que as operadoras de crédito fizessem cancelamentos e estornos.

Liguei para o Visa em 16 de julho pedindo estorno das parcelas pagas e cancelamento das parcelas ainda não pagas. Apenas precisei enviar um e-mail com os comprovantes das passagens, que eram só para setembro. No dia seguinte, pela tarde, os valores já estavam estornados na fatura do cartão de crédito.

Continuem tentando. Se não der, vão ao Procon da cidade de vocês. O Procon de Porto Alegre me ajudou nisso!

Relato aqui.

–> Juliano Oliveira: operadora troca vôo Pluna para Aerolíneas Argentinas

No meu caso, a CVC providenciou outro vôo (da Aerolíneas Argentinas) para mesmo dia de embarque do vôo que eu havia comprado antes.

Relato aqui.

–> Felipe: agente de viagens permite escolha de nova companhia

Comprei somente a passagem com um agente autorizado CVC e hoje prontamente fui trocado para uma companhia que eu mesmo escolhi, a Qatar Airlines! Meu vôo com a Pluna era no dia 16 de julho e paguei apenas 164 reais a diferença, visto que o agente muito honesto e particularmente muito profissional (ele nem tinha que fazer isso, mas ganhou ainda mais a minha confiança) dividiu a diferença que era de 328 reais entre ele mesmo e eu.

Relato aqui.

Como a Pluna tratou o seu caso? Já conseguiu ser reembolsado? Por quais meios? Vai entrar com processo? Conte pra gente!

Leia mais:

Foi prejudicado pela Pluna? Como estão resolvendo o seu caso?

Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email


106 comentários

O oficial de justiça do meu caso contra a Pluna não conseguir executar a precatória afirmando não existir mais representantes legais no endereço:

PLUNA LINEAS AEREAS URUGUAYAS S.A.
NACIONALIDADE: URUGUAI
CÓDIGO OACI: PUA
CNPJ: 33.537.622/0001-02
REPRESENTANTE LEGAL: GONZALO MAZZAFERRO GILMET
ENDEREÇO NO BRASIL: Rua Consolação, 368 – 4º andar, bl. B – Consolação
CEP: 01.302-000 – São Paulo/SP
FAX: (11) 3069-9520

Alguem poderia me ajudar? Grato

Acredito que várias pessoas terão o mesmo problema que eu estou tendo com o endereço da PLUNA. No endereço que consegui na internet( Rua Consolação, 368 – 4º andar, bl. B – Consolação)não existe mais nada e ninguém para receber intimações da mesma.

Caso alguem saiba de algum outro endereço para poder encaminhar as intimações ficaria muito agradecido.

Abraços,

Leonardo Gomes

No meu caso não foi por agência, comprei diretamente do site da Pluna. Como conseguir uma indenização neste caso? Com a justiça Brasileira?

Quando fiquei sabendo sobre a falência estava em Santiago, sem nenhuma informação e sem poder voltar pro Brasil, a passagem já estava paga a um bom tempo e não tive como reaver o dinheiro. Tive que comprar uma outra passagem de outra companhia para voltar, e as mais baratas estavam na faixa de 2.000 reais. Sem falar que perdi uns 5 dias da viagem preocupada e correndo atrás de informações, e todas as tentativas foram em vão, era como se a Pluna nunca tivesse existido.

Ontem tive audiência nas pequenas causas contra a submarino, fizemos acordo e consegui meu dinheiro de volta.

    Mesmo tendo feito acordo no JEC com a Submarino Viagens ainda não consegui receber meu dinheiro de volta.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.