Quito, a bela capital do Equador, nas dicas do Junior

Quito -- foto: Junior

Sempre ouvi falar muito bem de Quito, a capital do Equador. Fiquei feliz de receber de presente este ótimo relato do Junior, que esteve por lá no ano passado. Deu mais vontade ainda de ir…

Fui pra Quito em abril de 2010. Para chegar ao Equador eu aproveitei uma ida ao Peru, e fiz o trecho Lima – Quito pela Lan. O vôo  não foi dos melhores. Devido o mau tempo em Quito o piloto “ameaçava” pousar em Cáli, na Colômbia. Mas aí sem esperar veio uma das coisas mais bonitas que eu já vi pela janela de um avião: estávamos voando por cima das nuvens que, iluminadas por uma lua cheia fantástica, formavam um mar branquinho. E minha surpresa foi quando eu vi surgindo por meio das nuvens o pico do vulcão Cotopaxi, de quase 6 mil metros de altura, formando um cenário de filme pra ficar guardado na memória.

Apesar do receio, até que o pouso em Quito foi tranqüilo. O aeroporto fica bem no meio da cidade e lembra bastante Congonhas em SP. Um novo aeroporto estava em construção fora da cidade, mas seguindo o roteiro de obras públicas na maioria dos países da América Latina, já estava com cronograma atrasado.

Centro Histórico de Quito -- foto: JuniorCentro histórico de Quito -- foto: Junior

Quito fica em um vale na cordilheira dos Andes, quase no meio do país. Ela é “fina e comprida”, em um eixo basicamente norte – sul. No sul ficam as regiões mais interessantes para turistar: o centro histórico e o bairro de La Mariscal. O centro histórico (que foi um dos primeiros patrimônios culturais da Unesco) é bem extenso e tem muitos prédios coloniais lindos e interessantes. Até pra um mineiro ele chega a impressionar :). Os destaques são a Praça da Independência, onde ficam a Catedral e o Palácio do Governo (cujo interior se pode visitar), a Igreja da Companhia com interior todo decorado a ouro, e a praça San Francisco com a igreja de mesmo nome, a mais antiga do Equador, de 1534 (e que tem um restaurante na parte de baixo onde é possível tomar uma cerveja vendo o movimento da praça).

Quito vista do alto -- foto: Junior

Em dois pontos eu dei azar nessa viagem. O primeiro foi o clima. Acho que a época da ida não foi das melhores, já que choveu bastante. A chuva não atrapalhou tanto os passeios dentro da cidade, mas uma das coisas mais legais de Quito é conhecer os arredores. Daqui dá pra fazer passeios muito interessantes à vulcões (como o próprio Cotopaxi), visitar a feira indígena da cidade de Otavalo (interessantíssima e considerada a maior feira desse tipo na América), ir até o parque da Mitad del Mundo e brincar na linha do Equador, ou indo um bocado mais longe até as ilhas Galápagos. Fora que com o tempo fechado a visão das montanhas em volta da cidade ficou bem prejudicada.

Lago da cratera do vulcão Cuicocha -- foto: Junior

O outro ponto foi o do momento político/econômico. Deu pra perceber que há muita coisa bacana na cidade que está meio abandonada ou que precisa de recuperação logo. Alguns prédios no centro histórico já viveram melhores dias e esperam, mas sem muita esperança, por reformas. E não sei se foi por vir pra cá depois de passar por Lima (onde o país passa por um dos seus melhores momentos), mas conversando com o povo dá pra sentir um certo pessimismo. Há aquela vontade de ser mais do que uma república instável latino americana, mas eles acham que estão perdendo o trem do avanço dos vizinhos. E isso refletiu em um momento desagradável, quando no primeiro dia, caminhando por volta das 11 da manhã pelo parque do El Ejido, fomos abordados por dois assaltantes. Felizmente não levaram nada, porque alguém no parque começou a apitar e chamar a atenção pra situação, mas a partir dali todos os deslocamentos foram feitos por táxi. Mas com o cuidado redobrado foi possível aproveitar muito a cidade.

Teto da Capilla del Hombre -- foto: Junior

A hospedagem foi no Hostal La Rábida (La Rábida 227), no bairro de La Mariscal. Foi uma das estadias mais agradáveis que eu já tive. O pessoal muito bacana, a pousada limpa e bem agradável (e com um bom restaurante). Em La Mariscal fica uma parte mais moderna da cidade. É aqui que está a maioria dos hotéis e restaurantes mais descolados. A muvuca se concentra mais na praça Foch.

Comendo em Quito -- foto: Junior

Há muita opção de restaurante legal ali por perto. Indicaria o Mama Clorinda (Reina Victoria 1144) para uma comida mais tradicional e o La Boca del Lobo (Calama 284) mais moderno e com um público mais jovem. É por ali também que estão escritórios de companhias que vendem as excursões para os passeios fora da cidade. Para balada, não se pode deixar de ir a uma salsoteca. Fui na Seseribó (325 Gral. Veintimilla) e mesmo não dançando nada dá pra se divertir tomando uma Pilsener curtindo a música.

Mercado de Otavalo -- foto: Junior

Outras visitas que valem a pena: conhecer a Basílica del Voto Nacional (Carchi 122), uma igreja neogótica que te faz imaginar estar na Europa, até você perceber que os gárgulas são animais da fauna local: iguanas, lagartos, etc; subir até o topo do vulcão Pichincha pelo Telefériqo (av Occidental s/n), chegando até 4100m. Se já é difícil respirar na cidade (aos 2800m de altitude) aqui a coisa fica séria. É ótimo pra ver a cidade toda e, em um dia claro, os outros vulcões das redondezas. Sensacional também são as obras do maior artista equatoriano: Oswaldo Guayasamin. Ele tem dois museus: a fundação (José Bosmediano 543), que funciona na casa onde ele morava e onde estão expostas suas obras e que tem uma coleção legal de peças pré-colombianas; e a Capilla del Hombre (Lorenzo Chávez EA18-143), uma impressionante estrutura com várias obras dele e que é dedicada aos povos da América Latina.

Enfim, Quito é uma cidade interessante com várias opções de passeio e que vale a visita. Dá pra aproveitar bem tudo o que a cidade oferece e, tomando um pouco mais de cuidado do que nas demais capitais sulamericanas, ter uma viagem tranqüila.

Ah, um guia me contou uma curiosidade que eu achei interessantíssima: o vulcão Cotopaxi fica bem perto de Quito e ainda está em atividade. Se ele entrasse em erupção a cidade sofreria com.. enchentes! É que ela está até segura dos fluxos de lava, mas com o aumento da temperatura o topo de neve e gelo do vulcão derreteria e inundaria o vale da capital, deixando a cidade submersa em algumas dezenas de metros de água.

Obrigado, Junior!

Viagem feita em 2011.

Leia mais:

70 comentários

Seguindo o Forum do Junior acima, visitei o Ecuador em fevereiro deste ano. Em Quito, fiquei no Hostal de la Rábida que continua merecendo todos os elogios que o Junior fez. O Aeroporto novo já está pronto e fica longe da cidade. Então usei os serviços de um motorista excelente cuja indicação também tirei deste site: germanpc1 at hotmail dot com. German é um professor de história que faz esse tipo de serviço como bico. Além dos transfers, ele também nos mostrou toda a cidade, explicando sua história. Recomendo!

Quero fazer uma viagem de onibus de Bogota para Quito de preferencia saber o valor e quanta horas leva? Obrigado

    Olá, João Heraldo! A viagem de ônibus leva mais de 24 horas. Não recomendamos.

Olá, você sabe se consigo comprar algum passeio em Quito direto no aeroporto internacional? Vou fazer escala em Quito e ficarei um dia.

Oi
Estou planejando ir de Lima a quito de carro passando pelo pontos mais importantes. Gostaria de ajuda e dicas…

    Olá, Luciana! Se você buscar na Internet, vai encontrar pouquíssima informação em qualquer língua sobre viagens de carro pelo Peru e pelo Equador. Existe um motivo, acredite. Pense em avião, ônibus e trem.

Muito obrigado pela resposta (A Boia?). Guayaquil vai ser só passagem para descansar depois de quinze horas desde Chiclayo, Peru. Meu destino final é Quito, onde ficarei cinco dias para conhecer o Centro Histórico, Cotopaxi, Quilotoa e Mitad del Mundo. Parece corrido, mas não é. Se pudesse eu iria direto de Chiclayo a Quito, mas de avião fica muito caro e de ônibus são muitas horas, por isso esse intervalo em Guayaquil, que não estava nos meus planos. Muito obrigado pelas dicas sobre o trem e ônibus.
Abraços.
Humberto.

Olá, chegarei em Guayaquil no dia 15 de janeiro de 2015, depois de 15 horas de uma viagem de ônibus, partindo de Chiclayo, Peru. Pretendo ir para Quito no dia seguinte, mas não encontro nenhum site que venda essas passagens. Alguém, por favor, pode me ajudar? De preferência empresa de ônibus que vá pela Avenida dos Vulcões. Grato. Humberto.

    Olá, Humberto!

    Para passar pela avenida dos vulcões, você precisa tomar o trem de luxo:
    http://trenecuador.com/en/

    A viagem de ônibus entre Guayaquil e Quito pode ser comprada neste site:
    http://latinbus.com/ (selecine via Santo Domingo)

    Conselho: não queira fazer a América do Sul de ônibus com pressa. Programar um itinerário com intervalos curtos é uma receita pra muita dor de cabeça. O mochileiro tem que ser slow pra que a viagem dê certo. Mochilão com ritmo de excursão é problema na certa.

Olá pessoal. Preciso de uma informação de alguém que visitou Quito. A altitude atrapalha? Passa-se mal como La Paz? Grato.

Olá. Meu marido e eu queremos conhecer as cidades equatorianas de Cuenca, Ambato e Salinas. Se alguém puder nos dar informações sobre estas cidades agradeceríamos. Tenho pesquisado na internet e todos falam muito bem da cidade de Cuenca. Queremos conhecer cidades de clima ameno (nada muito quente, de calor demasiado) e que tenham uma infraestrutura boa para turistas. Sei que Cuenca fica entre montanhas e que Salinas é cidade de praia. Já Ambato li que é uma cidade agradável conhecida como a Terra das Flores. Queremos cidades pequenas, tranquilas mas que não fiquem muito para o interior nem muito afastadas de tudo. E também para nós tem a questão do clima pois não suportaríamos uma cidade com o clima muito quente do tipo Belém do Pará aqui no Brasil. E se tiverem outras indicações de cidades interessantes agradeço pelas indicações.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.