Restaurantes no Leblon pra Lili

leblon1A Lili de Fortaleza está indo essa semana pro Rio. Ela vai ficar meio confinada num congresso no Sheraton do Vidigal, mas quer dar suas escapulidinhas, claro. E pergunta onde pode comer ali perto.

O final do Leblon está a cinco minutos de táxi do Sheraton;  uma corrida até lá (em táxi comum que use o taxímetro) não deve sair mais do que 8 reais.

As três ou quatro primeiras quadras tanto da Ataulfo de Paiva quanto da Dias Ferreira têm mais restaurantes, botequins e delis do que alguém pode experimentar num mês inteiro. Tirando um ou outro restaurante mais metido (ou que feche entre o almoço e o jantar), dá pra escolher na hora, na base da empatia. Mas querendo já sair do hotel com algumas idéias engatilhadas, aí vai uma listinha dos meus preferidos — devidamente calçada com links para dois gourmets cariocas que eu particularmente respeito: a Constance Escobar e o Bruno Agostini.

Botequins. Dois clássicos “incontornáveis”, como se diz nas revistas de viagem portuguesas: o Jobi, na Ataulfo, e o Bracarense, na João José Linhares. O Jobi é boêmio, enquanto o Bracarense brilha na saída de praia e no happy hour. Ambos recentemente deixaram de ser pés-sujos para ganhar um vernizinho de pé-limpo; na minha opinião, o resultado caiu melhor no Jobi do que no Braca. Esse ano o Bracarense sofreu perdas sensíveis: sua cozinheira e seu garçom mais carismático abriram o Chico & Alaíde, na Dias Ferreira (mas fora da zona mais chique, já na esquina com a Bartolomeu Mitre). O Chico & Alaíde já nasceu pé-limpo, pós-neobotequins, e com uma aura de baixa gastronomia de autor. Leia o que a Constance e o Bruno acham dele. 

Comidinhas. A qualquer hora do dia, o Talho Capixaba, na Ataulfo, é um pit stop perfeito para matar a fome com coisinhas bem-feitas, com ingredientes de qualidade (resenha da Constance aqui). A parte da frente do complexo Garcia & Rodrigues funciona como café/delicatessen. No mesmo departamento, brilham o novo Café Aquim (leia a Constance) e a tradicional confeitaria Kurt (de novo Constance). Vizinhas, a temakeria Koni Store (resenha do Bruno) e kebaberia Keb (posts da Constance e do Bruno) fazem a fast food da hora; tome a sobremesa no Yogoberry (Constance; Bruno). A novidade mais muderninha, porém, é o bar de tapas Venga!, na Dias Ferreira (as opiniões da Constance e do Bruno).

Quilos. O Leblon tem pelo menos dois restaurantes de comida por quilo com algum apelo gastronômico: o La Cigale, de Christophe Lidy, o mesmo chef do Garcia & Rodrigues (a Constance adora), e o Fellini, na General Urquiza.

Exóticos. Os dois tailandeses do Rio ficam a poucas quadras de distância. O pioneiro Nam Thai, que veio de Itaipava e é o meu favorito, e o novo Sawasdee, que veio de Búzios (e é o favorito do Bruno). Mas o lugar onde eu sempre quero voltar é o pequenino Togu, um japa que tem um cardápio de entradas espetacular (nele eu dispenso o sushi; os Destemperados gostaram também).

Grifes.  As melhores saladas do Brasil estão no Celeiro, que só funciona de dia, e por peso (leia o Bruno). O Carlota nem parece que nasceu em São Paulo; vá acompanhado, comece com o mix de rolinhos e termine com um petit-gâteau de doce de leite (Constance, aqui). O Garcia & Rodrigues tem dois cardápios: um mais prêt-à-porter, servido na parte da frente e no mezzanino, e o de alta gastronomia, no salão dos fundos (leia a Constance). No Sushi Leblon, experimente o sushi de foie gras (veja também o Bruno). O Zuka pratica uma cozinha contemporânea leve, baseada em grelhados (opinião da Constance, aqui). Finalmente, o Antiquarius é com certeza um dos três ou quatro restaurantes mais caros da cidade; mas seu couvert vale a viagem (resenha do Bruno, aqui).

Isso que não listei os neobotequins e neocafeterias de rede, os cafés das livrarias, os bares de sucos, as sorveterias, a mauriçolândia do fim da General San Martín, os bares da Conde de Bernadotte, os pés-sujos da Cobal, as novidades do Shopping Leblon…

Quer contribuir com a lista? A caixa de comentários está aí pra isso mesmo!

Atualização: Falando nisso, Marcelo e Camila lembram que nas próximas duas semanas tem Restaurant Week no Rio! (Obrigado!)

42 comentários

Sucos!
Os do BB Lanches são clássicos de TODAS as horas!
E o Juice & Co tem sucos INCRÍVEIS e comidinhas deliciosas!

    Ah, e ainda tem os do Universo Orgânico, funcionais-sensacionais!

Dificila achar um restaurante que o Ric nao tenha falado. Eu amo o suco de fruta do conde do Bibi Sucos. Acho que é esquina da Ataulfo de Paiva com Jose Linhares ( 1 rua antes do Marina).

affff água na boca!
tô fuçando dicas de restôs legais em Madrid tb! quem tiver dicas…

Eu conheço todos e citaria apenas mais um, o Quadrucci, ao lado do Zuka e, na minha opinião, “assim assim” . O que eu mais frequento é o Zuka, que pertence às mesmas donas do Sushi Leblon, esse um dos meus MENOS favoritos. E citaria também o Manekineko, melhor do que o Sushi Leblon, mais tradicional no ponto de vista culinário, na Dias Ferreira um pouco antes do Sushi.

Gosto do La Cigale, que é da mulher do dono do Garcia & Rodrigues, de cardápio francês bacana, assim como o do Gacia, que é muito bom na parte do restaurante lá de dentro.

O Celeiro é o único que não abre aos Domingos (!).

O Fellini é um dos melhores restaurantes “self-service” da cidade, mas eu recomendaria apenas pra quem ficar muito tempo na cidade, porque tem outras coisas mais charmosas e bem cariocas pra uma pessoa que vem de fora.

Apenas um ligeira correção, Riq, que é pra Lili e situar na hora de pedir o taxi: é José Linhares.

O Antiquarius é tradicionalísismo e semrpe ganha estrelas dos guias, especialmente da Veja, mas é português, ainda que espetacular, não sei se seria exatamente a pedida pra uma turista. E é mais sofisticada a frequência, um pouco restaurante de coroas.

O guia está um espetáculo!

Eu gostei (pra comer no estilo “rapidinho” e principalmente dos sorvetes) do Felice, que fica no Shopping Rio Design. Eu de-tes-to restaurante de shopping com todas as minhas forças, é quase contra a minha religião entrar em um deles, mas o fato é que ano passado ele ficava do lado de fora, numa área aberta, e por isso fiz uma concessão (os frozen drinks são bárbaros). Esse ano quis voltar e ele está escondido. Mas o sorvete vale…

Que emoção, chegar ao trabalho e me deparar com um post (teoricamente) só pra mim! Obrigada! Vai ser difícil mesmo, CarlaZ!

Ih…já tem tantas opções que contribuir só vai aumentar a dúvida de aonde ir!
Outros lugares que eu frequento muito por lá são o Santa Satisfação e o Cafeína (um bem perto do outro na Ataulfo com Rita Ludolf). Os dois se enquadram na categoria comidinha e ótimos almoços.
Durante o dia lembro de mais…

Lili, se você conseguir escapar do seu congresso em um fim de tarde, sugiro um café bem gostoso no Armazém do Café, na Rita Ludolf quase na Ataulfo. Além de uma variedade imensa de cafés (quentes e gelados), as torradas Armazém, feitas com pão Petrópolis e queijo parmesão, são sensacionais… 😉

Oi Riq! Eu recomendo fortemente o BB Lanches (não é Bibi, é o BB mesmo), fica na Aristides Espinola, naquele cruzamento onde tem a Pizzaria Guanabara, o Diagonal, etc. Melhores sucos, melhores sanduiches (o de pasta de galinha com azeitona é uma perdição), atendimento express e o clima 100% carioca.

Agora mudando de assunto, viajei mês passado em férias, e peguei várias dicas aqui. Agora estou escrevendo um blog sobre a viagem, com textos e fotos e vídeos. Humildemente (heh) mando o link, se você quiser ver… 🙂
http://viagensligelena.wordpress.com

Bjs!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.