Uyuni

Salar de Uyuni nas dicas de 10 leitores

Uyuni

Salar do Uyuni | Foto: Bolivia.travel

Um deserto branco, feito de sal, enfeitado aqui e ali por flamingos cor-de-rosa e cactus gigantes: o Salar de Uyuni é uma das paisagens mais exóticas da Terra. A maneira mais fácil de chegar é voando de La Paz até o pequeno aeroporto do povoado de Uyuni (a Amaszonas faz o trecho três vezes ao dia).

A rota mais comum entre os brasileiros, porém, é via Chile, a partir de San Pedro de Atacama, de onde não há transporte regular até Uyuni.

Os passeios — saindo tanto da Bolívia quanto do Chile — incluem pernoites no salar, e por isso devem ser arranjados com uma operadora local. De todo mundo que deixou comentários sobre o passeio pelo deserto de sal na Bolívia, quatro empresas foram citadas, em número praticamente igual de indicações: Colque Tours, Red Planet Expedition, Cordillera Traveller e Ruta Verde.

A seguir, alguns dos melhores depoimentos:

Dica da Maria Bernadete Malerbo: “Fechamos pacote com a Colque Tours para um passeio de 3 dias incluindo as lagoas, e o salar. Recomendo a empresa: eles são pontuais e a 4×4 com motorista não deixou a desejar. Nos serviam lanche e refeição na caminhonete mesmo e sempre com muito cuidado.”

Dica da Daniela Araujo: “Em dezembro de 2013 fechamos o passeio de 3 dias e duas noites com a Colque Tour. Durante o passeio, dormimos nos alojamentos do deserto com pessoas que estavam fazendo o passeio com outras empresas. Não espere saneamento básico ou banho, leve seu próprio papel higiênico e baby wipes pra tomar ‘banho’. O passeio todo é maravilhoso, mais bonito até que o deserto do Chile. Demos sorte porque tinha chovido então o espelho d’água estava todo formado e é uma vista maravilhosa, sei que nunca verei algo similar de novo. Contudo, o esquema é bastante primitivo. A comida é ruim, no nosso grupo havia 3 vegetarianos e eles comeram muito mal todos os dias, chegou uma hora que ninguém mais aguentava ver ovo na frente. No segundo dia dormimos no tal ‘hotel de sal’ que parece ser um paraíso diante do primeiro alojamento, mas não se deixe enganar, é tão ruim quanto os outros ‘hotéis’ que você vai encontrar no caminho.”

Dica da Mariana: “Fui para o Salar de Uyuni com a Colque Tours. Contratamos o roteiro de 4 dias e 3 noites, mas não faria esse roteiro de novo, pois o última alojamento foi nojento e passamos uma tarde inteira sem fazer nada em Uyuni. Se encontrar um roteiro de 3 dias e 2 noite, acho o ideal.”

Dica da Ana Carolina Serrano: “Estava com um grupo de 6 pessoas (3 jovens e nossas mães), o que nos dava uma responsabilidade ainda maior, porque nós até aceitávamos passar perrengue, mas colocar as nossas mães numa fria era preocupante. Fechamos com a Cordillera Traveler, após muitas buscas. O nosso motorista foi o Sandro…que era um doce de pessoa, muito atencioso, responsável e educado! Simplesmente sensacional! Recomendo ele e a agência para todos que planejam fazer a travessia.”

Dica da Nívia: “O tour com a Ruta Verde compreendia alimentação (razoável durante o dia e boa nos hotéis à noite), e duas estadias em hotéis da região (melhores do que esperava, no último tinha até wi-fi). O único ponto negativo foi que a empresa não tem escritório em Uyuni, na verdade ela terceiriza o serviço. Quem nos levou foi a Mundi Expeditions, então o motorista parecia não ter o roteiro em mãos e acabamos não vendo algumas atrações mais desconhecidas, como o Salar de Chitana.”

Dica do Tiago: “Toda vez que me perguntam eu respondo: mesmo com todo o nosso perrengue, eu faria aquela viagem toda de novo e com a Ruta Verde – que, apesar de ter furado na bola na escolha do nosso motorista, se mostrou verdadeiramente séria e fez de tudo para minimizar os transtornos, inclusive devolvendo o nosso dinheiro integralmente. Só uma coisa eu faria diferente: contrataria um guia em inglês, só pela segurança de ter mais uma pessoa no carro. Acho que isso poderia inibir atitudes irresponsáveis por parte do motorista. Além disso, os hotéis da Rede Tayka são mesmo as melhores opções de hospedagem no deserto. São superconfortáveis e com aquela arquitetura integrada à região.”

Dica da Mariana Sbrana: “Fiz o passeio pela Red Planet e paguei em torno de 200 dólares por pessoa no passeio de 3 dias e duas noites. Na primeira noite ficamos em quartos duplos e na segunda num alojamento com quarto quádruplo com outro casal. Vale a pena se você não ligar para conforto. No alojamento do último dia, que é dentro da reserva, o banheiro é “natural” (praticamente um buraco no chão). Para o banho há uma fonte termal dentro da propriedade, mas é preciso ficar atento ao entrar pois o chão é muuuito escorregadio e fica absolutamente escuro, não há nenhuma iluminação adicional.”

Dica da Cassiana: “Fiz o tour de 3 dias e duas noites com a Red Planet Expedition. Viajamos em 6 turistas, um guia e um motorista, que também eram os responsáveis pelas refeições, que aliás foram muito boas, o ruim era só a bebida que era temperatura ambiente. Dormimos a primeira noite em um hotel de sal, num quarto privado com pia, e chuveiro coletivo e pago, +/- 3 reais por um banho de 5 minutos de água quente.”

Dica do Daniel Conceição: “O tour é feito normalmente em 4 dias (3 noites), mas nossa agenda estava apertada, então preferimos reduzir um dia. Pra isso, fechamos um carro do tour só para nós. Os carros têm 6 vagas, então tivemos que pagar o preço de 6 pessoas.”

Dica de Dai Godoi: “Chegamos no fim do dia em Uyuni, mortos de cansados e a sorte foi ter encontrado o Lithium Club, um restaurante bem legal e quentinho, pois neste dia estava 6 graus negativos.”

Leia mais:

16 comentários

O salar e a lagoas são lindos e merecem todo o esforços para chegar lá. Top 10 destino de aventura no mundo!
Fiz o tour clássico de 3 dias/2 noites partindo e voltando a Uyuni em out/18. Foi a minha 2a vez na região – na 1a segui para São Pedro de Atacama – e tenho alguns comentários:
Se a ideia é terminar em Uyuni, comece em Tupiza. O passeio será mais redondinho e melhor aproveitado. Na viagem tradicional, o tour praticamente acaba quando há a parada na fronteira chilena, cerca de 10:30 da manhã. Ali desce quem segue viagem ao Chile a começa a volta à Uyuni. São cerca de 7 horas de retorno, basicamente comendo poeira e sacolejando pelo meio do deserto. Não há paradas interessantes e você já está cansado de ver as mesmas coisas. É um dia bem desgastante. Já se partir de Tupiza, a viagem é “linear” e melhor distribuída. Além disso, há menos agências em Tupiza, o que torna o serviço menos predatório e melhor.
Pesquise bastante sobre as agências antes de contratar o passeio em Uyuni. Há cerca de 150 estabelecimentos, todos prestando os mesmos serviços e muitas vezes compartilhando carros. Você compra com uma e vai com outra; super normal. Independente da agência, você verá as mesmas coisas e irá pelos mesmos caminhos. A diferença entre uma e outra está no respaldo em caso de problemas. Usei a Sandra Tours, fica na rua do terminal de ônibus, e NÃO recomendo. Paguei cerca de USD 90 com tudo incluído, que é o preço médio, mas o carro estragou em todos os 4 dias. Inclusive tivemos que voltar a Uyuni no segundo dia para consertar o motor, o que nos obrigou a passa mais uma noite na cidade e com a promessa de troca de carro, que não ocorreu. No 3o dia, a caminhonete estragou novamente. Agora no meio do deserto, a uma hora da lagoa colorada. Conseguimos ligar para a agência com um telefone via satélite de outra operadora que nos socorreu. Sabe o que eles disseram? Virem-se. Tivemos que desentupir o carburador para prosseguir a viagem. Sorte que os companheiros de excursão eram fantásticos (espanhóis, italiano e colombiana) e todos riram da desgraça, mesmo com o problema sério que tínhamos. No retorno a Uyuni fomos na polícia turística, que fez um BO do caso porque a Sandra Tours é rererereincidente em fazer coisas erradas. Inclusive, esta é uma sugestão: antes de fechar o pacote vá na polícia turística, que dentro da torre do relógio do calçadão central, e pergunte sobre a reputação da agência. Bom, no final tudo dá certo e o que fica é a emoção da aventura, mas essa é diferença entre as agência. Por, talvez, 10 ou 20 dólares mais há agência que têm carros melhores e mais estrutura para te auxiliar em caso problemas. Senão você fica entregue a própria sorte. Pode dar tudo certo ou ter alguns perrengues…

olá, pensei em fazer o roteiro San Pedro – Salar de Yuni com carro locado a partir de Calama, por conta. Alguém pode ajudar? só encontrei dicas com pacotes contratados de agências.

    Olá, Jonas! Acho muito difícil que um carro alugado no Chile possa ser levado para a Bolívia. E mesmo se puder, é preciso GPS satelital para se locomover em Uyuni. Há um motivo para que os passeios sejam feitos por operadora.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.