furtos em Santiago

Santiago: leitores alertam sobre furtos e taxistas desonestos

furtos em Santiago

No auge do real valorizado, as maiores queixas dos leitores do Viaje na Viagem sobre furtos no exterior se localizavam em Buenos Aires, e estavam relacionadas com compras. Teve uma época em que os alertas vinham de viajantes que estiveram em Montevidéu, com relatos de assaltos, à moda brasileira, nos domingos ermos da Ciudad Vieja.

Este ano estão aparecendo relatos de problemas em Santiago — uma cidade que transmite grande sensação de segurança, o que faz com que a gente baixe a guarda. É sempre bom lembrar que estamos tão condicionados a detectar situações em que há risco de violência, que acabamos não usando nosso radar para evitar um tipo de crime que é raro no Brasil: o furto (que por aqui só costuma acontecer em grandes aglomerações como carnaval e megashows).

O primeiro relato foi enviado em abril pelo Plínio, por email:

  • Fui a Santiago correr a Meia Maratona de abril. No metrô, na hora do almoço (13h) do dia 31 de março roubaram a carteira da minha esposa com documentos, passaporte e cartões. Passamos a tarde indo na Comissaria/Carabineiros, Consulado Brasileiro e Polícia Federal.
  • O consulado informou que esse problema de furto no metrô lotado acontece sempre… Mulheres: cuidado com as bolsas; usem as do tipo bem fechadas e grossas, pois eles cortam o couro. Se for usar o metrô, consiga um mapa das linhas, não fique dando mole olhando o mapa das linhas nas estações — com certeza você será abordado por algum malandro (ou alguma malandra, no nosso caso), oferecendo ajuda. Só peça ajuda para funcionários do metrô com coletes verde-limão e faixas vermelhas.
  • O consulado aconselha também a manter todos os seus documentos escaneados numa pasta em seu email, facilita muito para emitir um novo. A partir de agora eu vou levar os meus também num pen drive. Outra dica: para saber se a nota vermelha de 5.000 pesos é falsa, coloque na palma da mão e então feche, amassando a nota. Ao abrir a mão, a nota verdadeira desamassa; a falsa continua amassada.

Ontem foi a vez da Regina contar seu incidente. (Ela usa a palavra ‘roubo’, mas acredito que tenha querido dizer ‘furto’.)

  • Acabamos de voltar do Chile e infelizmente não temos apenas boas histórias para contar. Fomos roubados dentro do Starbucks na porta do Costanera Center (o shopping ainda estava fechado, pois era antes das 10 da manhã) e a menos de 50 metros de uma base da polícia.
  • Não espere a menor empatia da polícia local se você for roubado no Chile. O consulado brasileiro está recebendo brasileiros todos os dias vítimas de roubo e pequenos golpes, e a alta temporada está só começando. Muito necessário alertar a todos.

O terceiro relato é do Marcelo, e fala de problemas com táxi — e táxi de ponto, no shopping Parque Arauco. (É bom ressaltar que táxi em Santiago sempre foi uma fonte de reclamação dos leitores.)

  • Alerta! Muito cuidado com os táxis em Santiago! Evitem pegar (se possível, usem Uber ou EasyTaxi ou outro app). Descobrimos da pior forma possível que em Santiago os taxistas também aplicam o golpe do ‘cambiazo’ nos turistas!
  • Conosco aconteceu no shopping Parque Arauco, e foi um duplo golpe! Primeiro o taxista falou que as linhas de metrô mais próximas estavam fechadas (já tínhamos iniciado a viagem para a estação mais próxima quando o comparsa do taxista ‘avisou’ pelo radio que o metrô estava ‘fechado’).
  • Depois, quando chegamos ao destino, na hora de pagar, ele trocou as notas (dei duas de dez mil e ele falou que recebeu duas de mil). Seguiu-se aquela discussão, stress, medo, e para encerrarmos logo a situação pagamos novamente o táxi.
  • Voltamos para o hotel, conferimos no metrô que não havia problema nenhum nas linhas e, finalmente, que estava faltando o dinheiro na carteira… Falamos com o pessoal do hotel e eles falaram que é melhor usar uber, pois é mais confiável e barato. Achávamos que esse tipo de coisa só acontecia em lugares como Buenos Aires e acabamos pegos desprevenidos em Santiago…
  • Informei ao shopping Parque Arauco sobre o ocorrido e eles deram aquela resposta preguiçosa típica do ‘não podemos fazer nada’, que não é responsabilidade deles e que eu deveria ter pego o táxi em frente ao restaurante Perla — justo o lugar em que pegamos! (Se havia outro lugar para táxis ‘do shopping’, este devia ser melhor sinalizadom, pelo menos).
  • Ressalto que ao reclamar não solicitei nenhuma compensação do shopping, apenas informei do ocorrido para que não aconteça o mesmo com outras pessoas. Ponto negativo para o shopping que, na hora de atrair o turista para visitar o centro de compras é de um jeito, mas para realmente dar algum suporte real ao turista, nada…
  • Espero que o ocorrido sirva de alerta a todos, e que meu prejuízo seja compensado com a economia dos internautas usando app ao invés dos taxis ordinários!

Obrigado a todos pelos relatos!

Leia mais:


Valle Nevado

93 comentários

Em 18/05/2018 ao chegar no aeroporto de Santiago me dirigi ao balcao da locadora de veículos e juro por questão de segundos bateram minha carteira levando meus documentos , cartão de crédito ,dinheiro e habilitação. Minha sorte é q meu passaporte estava numa pochete na minha cintura. Fui até o posto policial fomos até sala de câmeras do aeroporto pra ver se dava pra ver nas imagens e nada. Fiz um boletim de ocorrência chamado “constancia” . Não precisei ir no consulado brasileiro pq meu passaporte estava comigo. Quanto ao cancelamento cartão de crédito esqueça os números q a agência te passar porque eles não funcionam. O q funcionou comigo foi habilitar o roaming internacional junto a operadora vivo ligar no telefone que sempre ligo do banco e fazer o cancelamento como se eu estivesse no Brasil. Vai por mim é menos estressante e não vai estragar sua viagem. Quanto ao chip de celular comprei no centro de Santiago por 4mil pesos da operadora wom q é ótima e de 3GB . Comida é bem cara geralmente refeição sai uns 200,00 cada por casal. No trânsito o pessoal é bem apressadinho e adoram uma buzina kkkkk. Fiz passeios por conta e valeu muito a pena. Ah fiquei no hotel Bonaparte e gostei bastante principalmente do jantar q tem pratos bem elaborados por um preço bom. Adoramos Santiago e região. Não vejo a hora de voltar aqui. Ah é em maio não tem neve.

Taxi no Shopping Costanera – Santiago
Antes de entrar no táxi perguntei ao motorista sobre o preço até o centro e fui informado que seria o preço do taximetro. Após entrar no táxi e já com as portas travadas ele informou que eu teria que pagar 8.000 pesos (2 vezes o preço habitual). Disse a ele que não queria mais o transporte e ele respondeu, ja irritado, que só abriria as portas por 5.000 pesos. Como estava com minha esposa resolvi pagar os 8.000.

Hoje no metrô furtaram da bolsa da minha esposa o celular e o seu óculos de grau!!! Lamentável, pois ela não consegui ler sem o mesmo!!! Ficamos muito tristes e decepcionados!

Quero deixar meu relato sobre furtos em Santiago, eu e meu noivo voltamos recentemente de lá, e tentaram dois golpes com a gente. Primeiro: os taxistas aplicam o golpe da nota rasgada, eles pegam a sua nota (trocam como num passe de mágica por uma falsa quem tem um pequeno rasgo) e dizem pra vc que sua nota estava rasgada, pra vc dar outra…então vc fica com a nota falsa deles, tentaram duas vezes esse golpe na gente, um deles eles conseguiram, no outro já estávamos mais atentos e não caímos. Segundo problema: com os hotéis, eles anotam nosso número de cartão de crédito pra um valor em caução, coincidentemente dps disso tentaram diversas compras com nosso cartão, sorte a nossa que a inteligência do banco bloqueou o cartão e não tivemos prejuízo. Infelizmente passamos por esses problemas, apesar da cidade ser muito legal para curtir as férias.

Aconteceu comigo os dois: taxista desonesto e furto.
Peguei um taxi em frente ao Shopping Costanera e pedi pra me levar até as proximidades do morro Santa Lúcia. Tinha visto no app do Uber e a corrida dava 3.700 pesos, o que seria aproximadamente uns R$18,00 (infelizmente meu celular descarregou antes de eu chamar o Uber). Perguntei pro taxista e ele disse que seria pelo taxímetro. Fiquei uns 10 minutos no taxi. O taxista, malandro, ligou o taximetro (uma barra com números em led, que não fica no painel) e o colocou no painel virado, de forma que nao dava pra ver o quanto marcava. Acabou que cheguei no local de destino e ele me cobrou 37.500 pesos (algo em torno de R$187,50). Não satisfeito, trocou uma nota de 10.000 pesos por uma de 1.000, dizendo que eu dei errado. Começamos a discutir, mas ele começou a gritar e dizer que iria chamar a polícia, chamando a atenção de todos na rua. Acabei desistindo e descendo do veículo.

Além disso, precisei ir ao hospital e lá “perderam” meu documento de identidade no balcao de atendimento, o que me deu a maior problema posteriormente. Perdi o voo de volta (eu estava sem o passaporte, só com a habilitação, o que não é permitido pra embarcar), tive que ir na Polícia de Imigração deles, que se recusaram a registrar uma ocorrencia, tive que ir no consulado brasileiro pegar uma ordem de autorização de retorno ao Brasil (só fazem mediante o registro da ocorrência – “constancia”). Só dor de cabeça.

obs.: o senhor do consulado disse que eu era o 6º brasileiro só naquele dia que tinha a identidade furtada, bem como, que era essencial o registro de ocorrência para emissão da autorização de retorno e para evitar problemas futuros, uma vez que costumam utilizar os documentos para realizar trafico de pessoas, órgãos e drogas.

O país é lindo, mas muito cuidado! E muita paciência com as autoridades chilenas.

Também fui vítima do golpe da troca de notas por taxistas em Santiago. Notei que aqui o Cabify funciona melhor que o Uber. O Uber aqui (como em Paris) muitas vezes apenas cancela a corrida, depois de fazer você esperar por mais de 10min. Fiquem atentos aos furtos nos metrôs e restaurantes. Soube de vários casos recentemente em Santiago.

Infelizmente escrevo para reiterar que o problema com relaçÕ aos taxistas em Santiago é mesmo muito sério. Apesar de termos sido alertadas, eu e uma amiga acabamos pegando um taxi na primeira noite em Santiago e sofremos o duplo golpe: taxímetro adulterado e o da troca de nota ( devolveu uma nota alegando que havíamos dado uma de valor inferior). A partir daí, só usamos Uber que funcionou muito bem.

Por duas vezes distintas e com duas pessoas distintas do grupo em que estou aqui no Chile fomos excepcionalmente mal atendidos por uma atendente que vende tíquetes para o metrô. Ao chegar no guichê e solicitar um número x de tiquetes, a mesma se descontrola totalmente ao não especificarmos o que queremos…bom, se houvesse um mix enorme de produtos…mas ela só vende tíquetes para metrô. Percebo que, por mais incrível que pareça, a mesma, totalmente sem a mínima condição de fazê-lo, se dedica a promover uma discriminação contra brasileiros. A gente morre e não vê tudo. O último atendimento que tive dessa senhora, que tem entre 50 e 60 anos, deu-se na estação Escuela Militar, no dia 31/12/17, por volta das 18h. Inaceitável a conduta da mesma. Já oficiei comunicado à administração do metrô bem como ao Consulado Geral do Brasil aqui no Chile. Repito… INACEITÁVEL a conduta da atendente. Fica o registro.

    Com relação ao comentário sobre o atendimento no metrô de Santiago (não consegui responder logo abaixo dele), os tíquetes do metrô de lá são diferenciados por horário: tem o horário normal, o de pico e o reduzido, e todos têm preço diferente. Apesar de nada justificar o mau atendimento por parte da funcionária, há diferença entre os bilhetes sim.

Cidade bonita, fui bem recebido em um evento agora em novembro/2017, andei várias vezes de taxi, mas justamente na ultima vez o valor deu o dobro do que estava nos outros dias. Peguei o taxi na porta do sky costanera !!! Uma pena voltar com essa lembrança, não da cidade, que é bela, mas deste tipo de profissional!

Também fomos roubados descaradamente por um taxista que pegamos no Costanera Center. De lá até a estação Manoel Montt queria cobrar 16.500 pesos. Era extremamente grosseiro e nos trancou no taxi até pagarmos. Acabou fazendo um “desconto” para 15 mil pesos, no entanto, quando pagamos, aplicou o velho golpe da nota trocada e disse que estava pagando mais 9 mil. Tivemos que dar pois ele está se tornando violento e tinha o endereço do nosso hotel ou poderia sequestrarnos. Ou seja, 25 mil pesos (R$130) por uma corrida de pouco mais de 2 kms. Era um Toyota placa BJ ZH 25, mas acho que o melhor é não pegar NUNCA NENHUM taxi em Santiago, pois segundo o atendente do nosso hostel, são RAROS os taxistas honestos nessa cidade. e esses golpes acontece já há muito tempo e tem uma enorme quantidade de denúncias na internet, no entanto, as autoridades nada fazem. Esse mesmo taxista que nos roubou, aplicou o mesmo golpe em janeiro de 2017 (ver comentário do booking.com) e continua praticando os mesmos crimes e fazendo ponto tranquilamente no Costanera Center, o maior shopping da cidade. Eu tive uma PÉSSIMA impressão com isso e não pretendo voltar NUNCA MAIS para Santiago, infelizmente.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.