Santiago: Vale de Casablanca de ônibus e táxi (dica do Fábio)

Vale de Casablanca

Conhecer uma vinícola do Vale de Casablanca era um dos planos do Fábio para sua viagem a Santiago. Ele queria fazer o passeio de forma independente e econômica, sem tour contratado. E o Fábio foi independente mesmo: ele e a esposa descobriram sozinhos como chegar até lá, usando transporte público e táxi. Bravo! A experiência deu muito certo, e o Fábio generosamente dividiu o passo-a-passo com a gente. Vai por ele:

Minha cara Bóia,

Eu estive em Santiago com minha esposa na semana de 19 de março e queria visitar pelo menos uma vinícola no Vale de Casablanca. O problema durante a fase de planejamento foi encontrar informações sobre como chegar lá sem gastar os olhos da cara com um tour particular. Acabei não encontrando nada e acho que acabamos desbravando o caminho ou, pelo menos, acho que somos um dos primeiros a escrever sobre ele.

Vou pular a parte do “ficamos perdidos em Santiago” e do desencontro de informações e ir direto ao ponto:

Pegue o metrô da linha vermelha (linha 1) e siga até a Estación Central. Logo acima dela, quando sair na rua, você verá um pequeno shopping (pequeno na largura mas muito comprido) chamado Paseo Arauco Estación. Entre nele e se dirija aos fundos. Você verá indicações nas placas para o “Terminal San Borja”. Ele fica bem lá na fundo, um nível acima da praça de alimentação do shopping. Para referência no Google Maps, basta procurar esta coordenada: -33° 27′ 16.60″, -70° 40′ 47.56″.

Procuramos pelo Tur-bus (acho que é a maior empresa de ônibus de lá) mas eles estavam sem sistema e não vendiam passagens. Fomos então ao guichê da Pullman e a atendente nos disse para ir para a plataforma 67 que um ônibus passaria dali a 15 minutos, com pagamento direto para o motorista. Localizamos o micro-ônibus e pagamos $ 2.000 pesos cada. Ele saiu 11h20 e chegou às 12h50 em Casablanca.

Aí você pergunta: se de Santiago até Valparaiso demora mais ou menos 1h30, como é que para Casablanca demora tanto assim?

Dois motivos: o primeiro é que é um micro-ônibus mais lento. O segundo, é que ele faz um belo tour por Curacavi (uma cidadezinha próxima a Casablanca) antes.

Curacavi fica no caminho entre Santiago e Casablanca, bem aqui: -33° 23′ 58.68″, -71° 7′ 39.28″ (também é só copiar a coordenada para o Google Maps). No caminho, só terreno árido.

Vale de Casablanca

Vale de Casablanca


Depois, mais próximos a Casablanca, começamos a ver as parreiras.

O ponto final é na praça da cidade, onde tem um ponto de táxi onde pegamos um para o vinhedo mais próximo, a Casas Del Bosque, e, do outro lado da rua, um pequeno salão com uma mesa e um atendente vendendo as passagens de volta para Santiago.

Duas coisas que devem ser consideradas: não perguntei qual a periodicidade do ônibus de Santiago para lá, mas a volta somente ocorria a cada 2 horas e o ônibus permite o embarque de pessoas em pé, ou seja, ele enche bem. Na volta, foi um ônibus normal (e não um micro) que atendeu o horário.

Pelo mesmo preço, saímos às 16h40 e chegamos ao Terminal San Borja às 18h10.

A vinícola Casas del Bosque fica bem próxima do centro e pagamos algo em torno de $ 1.000 pesos por trecho do táxi. O taxista me disse que por $7.000 pesos nos levaria até a Viña Indómita (que fica na beira da estrada) mas não chegamos a ir até lá.

Casas del Bosque

Casas del Bosque

Casas del Bosque


Sobre a vinícola, ela é linda e as parreiras estavam carregadas. Havia uma opção de participar da colheita mas ele estipulam um mínimo de 6 pessoas no grupo e no dia que estivemos por lá não houve esse quórum para a experiência.

Casas del Bosque

Casas del Bosque

Casas del Bosque


Fizemos somente a degustação acompanhados por um especialista e depois comemos uma tábua de frutos do mar no restaurante Tanino.

Para dar uma idéia dos preços do local (em pesos):

– Family Tasting (4 vinhos): 8.500 por pessoa
– Garrafa de Sauvignon Blanc Gran Reserva: 7.200 (Simplesmente fantástico!)
– Garrafa de Pinot Noir Gran Reserva: 8.200

No restaurante, pagamos 3.200 por taça de vinho (da própria viña), 3.800 por uma garrafa de água e 15.900 pela tábua de frutos do mar.

Sensacional, Fábio! Muito obrigada!

Leia mais:

131 comentários

Vou ao Chile em maio e estou adorando as dicas postadas. Escolhi visitar a Casa del Bosque e ficar para o almoço. Pelo que li ir de onibus e taxi é uma boa dica mas se somos 4 talvez tenhamos mais opções. Também queremos visitar a Concha y Toro que li que tem um dupla metro/taxi. Outro ponto que queremos visitar são as estações de esqui mas sabemos que ainda não há neve neste período. Alguma recomendação? Obrigada.

    Regina,
    Vocês podem alugar um carro. Não sei quanto custa o aluguel do carro, mas o metrô+ônibus+taxi deu aproximadamente 13500 pesos chilenos para o casal, pra vc se basear.
    Nós encaramos essa aventura, mas os outros turistas que estavam no nosso tour tinham alugado carro.

Olá a todos! Muito bons o relatos do Fábio e do Vitor. Estou planejando uma vigem a Santiago para agosto de 2013 e também fiquei em dúvida se as vinícolas do Vale de Casablanca funcionam normalmente no inverno. Desde já, obrigada!

Emanuelle e Victor, desculpem a má educação e a intromissão!!!
Emanuelle eu conheci poucas vinícolas no Chile, em geral as menos comerciais, e posso dizer que a Vinãs Santa Rita é fantástica!
Ela é uma Vinícola muito trdicional com uma história muito rica que é contada no passeio…
Na própria vinícola existe um Museu Andino com uma coleção particular que só quem vai pode ver (é proibido tirar fotos!), o restaurante Doña Paula e o Café la Panadería que são ótimos!
veja o site deles se lhe interessar: http://www.santarita.com

No livro, Guia de vinícolas – le winery guide, já indicava a Casas Del Bosque, como umas das melhores vinícolas para se visitar no chile.Pra quem gosta de vinho e adora conhecer vinícolas, o livro é excelente.

Olá Vitor, estaremos em santiago na proxima semana e estamos super na duvida em quais vinícolas irmos. Vi o post do Vitor e adorei. Quais vc indicaria?

    Fomos apenas na Conha y Toro (lotada) e na Casas del Bosque. Essa última é minha recomendação pelo que vi, bebi e comi e por tudo que li antes de ir, sem dúvida. Achei o chardonnay deles divino.

    A Concha também pode ser interessante se vocês, assim como nós fizemos, economizarem indo por conta própria e optarem pelo tour deles que dá direito a uma degustação com uma sommelier. Há duas opções de tour: o tradicional Concha y Toro, que custa $8.000 CLP e o Marques que é com queijos e vinhos, cujo preço é de $17.000 CLP (R$68,00). O passeio normal dura 1h e possui duas degustações de vinho, enquanto o completo tem duração de 1:30h e conta com seis degustações de vinho. Ambos iniciam juntos e percorrem o mesmo roteiro dentro da propriedade, mas, no final, quem optou pelo Marques vai para uma outra sala onde são feitas as outras degustações, conduzidas por uma sommelier.

    Mas, ainda assim, não se compara a beleza, atendimento e ao maravilhoso almoço da Casas del Bosque. Minha sugestão é fazer o tour das 10hs e ficar para o almoço.

    Tenho muitas fotos, mas, não sei como postar por aqui.

    Fiz um passeio parecido com o do Vitor, acrescentando a Viña Indômita (que vale mais pelo visual que pelo vinho).

    Uma dica pra quem for a Concha y Toro, e, de fato, aprecia vinhos, faça o tour Marques de Casa Concha. Pq? O tour tradicional é muito simples, acaba rápido. No final vc se pergunta: ué, já acabou? O tour Marques tem desconto pra grupos de 4 pessoas ou mais. Vale a pena, pois são mais 4 vinhos de excelente qualidade, com a presença de um sommelier que ajuda na identificação dos aromas e sabores presentes nos vinhos, e vc ainda leva a tábua de queijos (a tábua não é lá essas coisas, mas não deixa de seu um “regalo”).

    Outra: no Winebar vc pode provar as verdadeiras obras de arte da Concha y Toro, como o Almaviva e o Don Melchor, também com dicas de um sommelier. Vale conhecer!

    Ah.. tem um tour especial, o Don Melchor, mas esse só sob consulta, e custa USD$ 139.

    Abs,

Visitei a Casa del Bosque no ano passado e concordo com todos os comentarios acima e gostei bastante das dicas do Vitor!
O meu passeio foi diferente, pois eu conheci um taxista em Santiago que é famoso por Brasileiros e costuma fazer passeios personalizados…
No meu caso fechar um Táxi o dia inteiro valeu a pena ( apesar de mais caro), Pois fiz o meu o passeio à algumas vinícolas no caminho para Viña del Mar e Valparaíso, tudo com calma e eu podia parar nos lugares o tempo que eu quisesse e fazer o que eu realmente queria… O interessante que o Juan (taxista) se arrisca no português e também ele conhece muito da história local, fazendo da viagem muito agradável.

    Augusto, estarei indo a Santiago agora no final de junho de 2013. Qual o contato do taxista? Será que no inverno alguns passeios às vinícolas ficam fechados?

    abs, Gabriel

    Olá! Eu e meu marido estamos indo pra Santiago agora em maio, você poderia me dar o telefone desse taxista? obrigada!

    Oi gente! adorei as dicas de vocês!

    Augusto! você tem o contato de email desse taxista? por favor se tiver post pra gente. Em novembro fui pra Buenos Aires e todas as dicas postadas foram muitos utéis, inclusive de taxis, câmbios e roteiros. Agora em maio chegou a vez do Chile.

    Parabéns VnV, valeu Boia!

    Gostaria de saber se voce ainda tem o tel para contato com o Juan?
    Obrigada

Morei no Chile por 1 ano, tive oportunidade de visitar várias vinícolas e, sem dúvida, minha recomendação é a Casas del Bosque para visitas: linda, grupos pequenos, restaurante incrível!
Realmente o Sauvignon Blanc é sensacional até para quem não gosta dos brancos (meu caso!) – vale trazer, pois no Brasil não é fácil achar e custa mais que o dobro.

Para quem vai com crianças, então, a Casas del Bosque é a parada certa, um programa perfeito que agrada pequenos e grandes. Muito diferente da Concha y Toro, que é grandona e mais comercial.
Aqui está meu post sobre nossa visita em família por lá. Sempre fomos de carro ( também muito fácil), mas é bom lembrar que, quem dirige, não bebe!

http://www.chileparacriancas.blogspot.com.br/2011/10/vinicola-kids-friendly.html

Vou linkar esta dica no meu blog. Gracias!
Cinthia
@chilecriancas

fui a santiago em 2012 e nao fui a vinícola, realmente o preço de pacote é bem salgado, agora em junho voltarei por 5 dias. ja anotei o trajeto do Fabio e o trajeto do Vitor. Mais uma vez valeu. VnV como sempre me ajudando a viajar.

Olá Bóia!

1º – agradecer as dicas de todos, com elas montei meu roteiro de viagem p. B. Aires, Mendoza e Chile (02/05 a 16/05/13).

2º – iremos, eu e o marido, fazer o passeio de ônibus de Mendoza ao Chile –
Minhas dúvidas:
– vi alguns comentários sobre problemas na fronteira de um país p. o outro. Posso levar os vinhos comprados em Mendoza no ônibus? precisaremos de alguma autorização/visto etc? tem quantidade mínima por passageiro?
Se for dar muita confusão estamos pensando em ir p. o Chile de avião e visitar o Parque Aconcagua em Mendonza.
– vale a pena irmos de ônibus mesmo tendo feito o passeio ao parque?

aguardo seu retorno

Tem algo errado com o site, hoje ao entrar meu computador detectou vários virus!!! isso ocorreu só hoje, é bom vcs darem uma checada ok?

Quando voltarmos passaremos nossas dicas,impressões contribuindo com todos.

um abraço,

Tania

    Olá, Tania! A estrada está em obras até junho; é melhor ir de avião sim. Em Mendoza você contrata o passeio Alta Montanha, que vai ao Aconcágua.

    Estamos vendo isso do vírus; aparece só para quem tem antivírus AGV e no navegador Explorer.

Ótimo post!
Confesso que eu deveria ter escrito também – e antes – já que fiz isso no carnaval desse ano.
Eu tinha em mente que definitivamente teria que ir a Casas del Bosque por conta de um link externo que encontrei aqui e que me deixou encantado. A visita não faz por menos, o lugar é lindo, o tour família é encantador e muito intuitivo na hora da degustação já que diversas taças ficam a nossa frente com diferentes ingredientes para reconhecermos os aromas e sabores de cada vinho.
Almoçar no restaurante Tanino, dentro da vinícola, é um capítulo a parte de sabor incrível. Toda a vinícola é aprazível e optamos por almoçarmos na varanda externa com linda vista. Daqueles lugares e momentos para esquecer da vida.
Só fizemos diferente o caminho para chjegar até lá: pegamos um dos ônibus que saem do terminal Universidad de Santiago (metrô de mesmo nome) e custa que custa CLP 3000 o trecho por pessoa com destino final para Vina del Mar e pedimos ao motorista para descer em um cruzamento da pista em Casablanca e, de lá, um taxi de mil pesos até a vinícola. As indicações foram dadas por telefone pela própria atendente da Casas del Bosque, muito simpática e paciente com nossa dificuldade em entender Espanhol por telefone, quando do momento que ligamos para fazer a reserva. O tour foi privado para nós dois, pois, quando fomos éramos os únicos que havíamos escolhido o tour em Espanhol (por algum motivo cósmico ao vivo não temos dificuldade em entender e conversar) e havia um pequeno grupo “gringo” de não mais que 15 pessoas que optaram por Inglês. Não precisa destacar a diferença dessa vinícola para outras tantas lotadas como a Conha y Toro(que, claro, também fomos).
Para nós, ir por conta própria compensou muito a diferença de custo se fóssemos fazer um tour que custaria muito mais. Com a economia, optamos por almoçar no Tanino que está entre um dos 20 melhores restaurantes em vinícola do mundo. Informação que não conferi ainda, mas, para falar a verdade, nem me importa, pois, a comida é fantástica e o prazer da calma e satisfação que nos foi proporcionados são impagáveis. E nem custou tanto assim… 🙂

    Segui direitinho a orientação do Vitor para chegar a Casas del Bosque, testada e aprovada!
    Confesso que fiquei com um pouco de medo dessa história de descer na estrada e o pior de na volta conseguir um ônibus na estrada, mas deu tudo certo. Ufa!
    Achei melhor pegar o ônibus para Valparaíso do que a opção do Fábio, pela frequência dos ônibus.
    Chegando na Casas del Bosque ainda conseguimos aproveitar a última semana de colheita, com degustação e depois um almoço maravilhoso. E o dia estava lindo!
    Ainda bem que surgiu esse post aqui 😉

    Sabe que nunca consegui visitar uma vinícola na época da colheita?! Serra Gaúcha, Porto, Santiago e nada de casar as datas…
    Que bom que gostou, deve ter sido ótima experiência!

    Oi, Vitor
    Você pode me ajudar com algumas dúvidas, por favor?
    O lugar onde você desceu, esse cruzamento da estrada em Casablanca, já tinha táxis disponíveis lá mesmo ou você agendou um previamente?
    E como foi sua volta? Pegou táxi na própria vinícola e depois ficou esperando na estrada o ônibus?
    Muito obrigada, desde já.

    Estou em Santiago. Visitei Casas Del bosque (imperdível; almoço espetacular: menu degustação harmonizado com vinhos). Fui de ônibus para lá e tive sorte com o taxista , que vou sugerir. Trouxe da vinicula para Casablanca por 2000 pesos. No do seguinte retornei para almoçar na Vinícula Matetic. Os taxistas variam muito na cobrança. Telefonei para o mesmo taxista (Nicolas 8366-3666). Ele fechou por 10000 pesos e nós esperaria para almoçar (um taxista na praça queria 16000 só para levar). No caminho Nicolas ofereceu visitar Estância El Quadro e outras. Escolhi El Quadro. Ele cobrou mais 6000 pesos, levou, esperou a visita e trouxe de volta para Casablanca, onde pegamos o ônibus para Santiago. Valeu a pena. Recomendo o taxista. E a viagem de ônibus para casablanca é tranquila e barata. Quantas às vinícolas, sugiro reservar na véspera.

    Oi Pessoal. Estou indo semana que vem para visitar Casas del Bosque. Gostaria de uma sugestão de qual degustação fazer ? Minha mulher não bebe, existe algum preço diferenciado pra quem não bebe ?? obrigado a todos

    olá Carlos vc teria o email do taxista Nicolas pra eu entrar em contato?
    obrigada

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.