Síndrome de Senac (minha crônica no Divirta-se do Estadão)

Serhs, Natal

Qual é a categoria profissional mais eficiente do Brasil? Não tem pra ninguém: são os garçons de café da manhã de hotel.

Sim, eu sei que os garçons de café da manhã de hotel são os mesmos que estão no almoço e, às vezes, no jantar. Acontece que eles perdem a eficiência lá pelo meio da manhã. Acho que gastam toda a eficiência no café. No almoço e no jantar eles fingem que não te vêem. Mas no café da manhã são uns aviões.

A culpa deve ser do Senac. Os estudantes de garçom aprendem que nenhum prato, talher ou xícara do café da manhã pode permanecer sujo por mais de cinco segundos sobre a mesa do hóspede. O conceito de sujeira é rígido. Migalha é sujeira. Café pela metade na xícara é sujeira. O pedacinho de bolo que você deixou para o final é sujeira.

Garçom de café da manhã de hotel opera no sistema tolerância zero. Resultado: você vai ao buffet para se servir de algo mais e quando volta – cadê o seu lugar? O garçom passou, implacável, e levou xícara, prato, talheres. The Flash! Caso você demore quarenta e cinco segundos a mais na fila da tapioca, vai ter uma outra família acampando na sua mesa. (Já cansou de acontecer comigo.)

Se você estiver sozinho, não há maneira de evitar. A não ser que você tenha suficiente sangue frio para deixar o iPhone ou o Ray-Ban sobre a mesa marcando lugar. Quem estiver em dupla pode agir em equipe. Vai, se serve você, que eu fico aqui vigiando a sua xícara. Quando você voltar, vou eu. No almoço a gente conversa com calma.

Encontrei um hotel, o Serhs de Natal, que inventou um paliativo contra a supereficiência dos garçons de café da manhã. Foi criado um cartão com um lado verde e outro vermelho, tipo os de churrascaria rodízio. No lado vermelho está escrito ocupada/taken/ocuppato/occupée/Besetzt, para que na volta você não encontre uma outra pessoa/person/persona/personne/Person no seu lugar. O problema é que o cartão não impede que o garçom/waiter/cameriere/garçon/Ober desapareça com a melhor metade da sua fatia de queijo branco.

Mas o pior é voltar ao quarto e ver aquele aviso de “vamos economizar água, reaproveite a sua toalha!”. Hmpf. Tudo o que a gente economiza de Comfort, os garçons gastam em Limpol.


37 comentários

Ri demais com a cronica feita de muito bom gosto e concordo com tudo,mesmo sendo eu um garçom de hotel formado pelo Senac rs rs rs
Acontece que o maitre, gerente ou a dona do Hotel em si, ficam incomodados se os garçons nao agirem assim, chamando atençao dos mesmos. embora eu concorde com tudo que os hóspedes disseram,infelizmente cumprimos as formas de atendimento do local que trabalhamos.
Pediria que os hóspedes com toda razão, fizessem reclamação da logística de trabalho do hotel.
ha ha ha ha parabéns a todos e vou procurar ser menos eficiente rs rs rs

Excelente crônica. Quem sabe os resorts e hotéis possam oferecer um novo serviço para os hóspedes, o Tabajara personal breakfast companion, acabando assim com os nossos problemas. HAHAHA

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.