Suíça pro André

O André vai a Paris, à Suíça e à Itália em lua-de-mel; as partes francesa e italiana da viagem parece que estão resolvidas, mas ele não consegue achar as informações que precisa sobre a Suíça.

Eu te entendo, André. Também não estive na Suíça (quer dizer: só rapidinho, há 20 anos, mochilando, dois dias chatíssimos em Zurique, não dá nem pra contar). Há algum tempinho atrás, quando me propus a estudar o assunto, também fiquei perdido.

Por tudo o que eu li, se você só fizer uma parada na Suíça, que seja em Berna, que é tida como uma das mais preservadas cidades medievais da Europa. Ali você vai estar pertinho de Interlaken, onde está a estrada de ferro mais alta do continente, a Jungfraubahn, que leva ao pico de Jungfraujoch. A viagem até lá em cima é cara (tipo uns 150 dólares, com 25% de desconto para quem tem passe europeu ou suíço) e só deve ser feita num dia ensolarado. Perto de Interlaken também existem vilarejos alpinos quase falsos de tão bonitinhos, como Grindelwald.

Se você quer fazer três paradas, André, então seria bacana que cada uma delas fosse feita num cantão suíço diferente.

Comece pelo cantão francês; escolha entre Lausanne e Genebra para sua primeira base (eu iria de Lausanne, que é menorzinha e fica do ladinho de Montreux). Se você for entre junho em outubro, pode pegar o tal do Trem do Chocolate, que vai de Montreux (ali pertinho) a Gruyère e Broc, terminando numa fábrica antiga comprada pela Nestlé — uma bobagem clássica, mas que a patroa vai gostar 🙂  (Mas veja os horários, porque não é todo dia que o passeio sai.)

Em Montreux começa a estrada de ferro panorâmica que, para muita gente, oferece a maior diversidade de paisagens alpinas (montanhas, lagos, vales), a Golden Pass Line, que vai até Lucerna. Na verdade são três estradas de ferro, de bitolas diferentes, que são justapostas; mas é preciso fazer duas baldeações. O primeiro trecho leva 1h50 de Montreux a Zweisimmen; o segundo, mais 1h até Interlaken; o último, 1h50 até Lucerna. A viagem inteira custa mais ou menos 100 dólares na 2a. classe, mas é grátis para quem tem passe europeu ou suíço (só é preciso pagar pela reserva de assentos).

Minha sugestão: depois de Lausanne, pegue a Golden Pass até Interlaken; desça e faça a segunda base em Berna. Depois continue até Lucerna, mas não fique lá não; Lucerna parece ser a mais aborrecida das grandes cidades suíças. Saia cedinho para conseguir pegar o William Tell Express das 11h25.

A primeira parte dessa viagem panorâmica é feita de barco, atravessando o Lago Lucerna; é servido almoço a bordo. Em Flügen você desembarca e pega um trem que vai até Lugano ou Locarno (você decide), já na Suíça italiana, onde você pode fazer sua terceira base. A viagem também está inclusa no passe europeu ou suíço; só a reserva e o almoço (compulsórios) são cobrados à parte — tipo 50 dólares. O trajeto completo, barco + trem, de Lucerna a Lugano, leva 6 horas.

(Se bem que eu acho que a Região dos Lagos, na Itália propriamente dita, deva ser mais interessante do que o lado suíço. De Lugano você pode continuar direto a Como…)

Mas como eu disse, esse é o quebra-cabeça que eu consegui resolver teoricamente, à distância.

Atenção amáveis membros da tripulação: se você já foi à Suíça, deposite sua sugestão na caixa de comentários, bitte/s’il vous plaît/prego.

76 comentários

Ok, obrigada. Vou tentar descobrir dicas em Genebra. Quando voltar, conto aqui. Até breve.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.