Sumpaulo

Uma coisa é inegável: esta é uma cidade que recompensa a todos os que têm coragem para tirar a câmera da bolsa no meio da rua 🙂

patiocolegio450.jpg

           banespa300.jpg

           9julho300.jpg

    9julho201.jpg  9julho200.jpg

galeriavermelho452.jpg

39 comentários

É assim mesmo! A galera de BH, todos conhecem o Museu de Artes e Ofícios? E o CACI, em Brumadinho? ; )

😀 Isso tá me lembrando aquela enquete das lacunas… Pois é, Carla, eu moro em Niterói desde criança e nunca entrei no Solar do Jambeiro, acredita? E olha que fica pertinho do meu trabalho, passo pertinho dali o tempo todo… Acho que a gente vai deixando de lado o que está muito à disposição, o que é muito fácil, e acaba perdendo ótimas oportunidades de viajar dentro da nossa própria cidade… Uma pena!

Legal Riq, mais uma dica no roteiro “explore a sua cidade antes de explorar a dos outros..” :o) :o)

Carla2, na verdade eu não fui à Galeria Vermelho, mas ao Sal, o restaurante que funcionava no pátio e que agora ganhou instalações protegidas. Muito bom… e vai funcionar à noite.

Ricardo, fantásticas fotografías!!!

Gracias por colocar unos graffitis.

Me fascinan los graffitis. Algunos son realmente muy buenos. Es un arte generoso, sin ningún ánimo de lucro. Pintar y dibujar, simplemente por el placer de hacerlo. Como dice una amiga, es un arte verdaderamente democrático. Un arte para que lo puedan contemplar todos.
Muchas de esas pinturas son más interesantes que ver una pared gris desvencijada.

Carla esta historia de conhecer o bairro me fez lembrar de
um motorista de taxi no Rio, que tinha um comboloi dependurado
no espelho retrovisor. Perguntei a ele se era grego ( e era) e
onde havia nascido : ” em atenas, na plaka”
Eu , toda emocionada imaginei uma criança crescendo e olhando
para o Partenon todos os dias.
O taxista leu meus pensamentos e disse : ” vc acredita que eu nunca
visitei a acrópole? ”
Eu não acredito até hoje, mas sempre me lembro do episódio.
(confere o yahoo)

Obrigado, Carla.

E vc tem razão: Ouro Preto tem, sim, um clima todo especial…dá para “ouvir”, às vezes, algumas estrofes de “Marília de Dirceu” pairando no ar… 😀

Belas fotos, Nelson! também adoro fotografia em preto e branco. Uma vez em Ouro Preto um amigo levou somente filmes em preto-e-branco (sim , naquela era longínqua de rolos, revelação, ampliação) e as fotos ficaram maravilhosas, parecia outra viagem. O preto e branco acentuou toda aquela aura de mistério e surpresa que ronda Ouro Preto, aquela sensação que vai se trombar com um inconfidente ao virar a próxima esquina…..

Quem não tem coragem de tirar a câmera pode só observar…. só não dá para ficar muito tempo parado olhando p/ cima que vão achar que vc está maluco… :o) Mas ninguém vai falar nada, afinal, nesta cidade é cada um na sua e “não tô nem aí p/ vc…”

Riq, a galeria Vermelho fica na rua de casa e eu nunca fui, acredita? Aliás, podia ser uma enquete : “quanto vc conhece do seu bairro, da sua cidade?” Domingo fui a uma exposição em Niterói num lugar muito agradável (Solar do Jambeiro), com uma amiga que mora lá há bastante tempo e não conhecia o local…