Tenebroso

Minha crônica no Guia do Estadão de hoje.

tenebroso

Tenho simpatia por esses adjetivos que andam por aí em duplas. Em algum momento da vida eles formam um par e dali por diante coabitam felizes num clichê próprio. “Firme e forte”. “Velho e bom”. “Lépido e fagueiro”. “Ledo e ivo” – ops, esse é gozação.

Algumas vezes os dois constituem sociedade com um terceiro parceiro, um substantivo, que lhes justifica (e monopoliza) a existência. É o caso, veja só, de “longo e tenebroso”. Se não fosse por “inverno”, o casamento entre “longo” e “tenebroso” já teria ruído há muito tempo. Por mais que um filme, um túnel ou um mandato de senador pelo Amapá possam ser tão longos quanto tenebrosos, o uso de “longo e tenebroso” só se aplica a “inverno”, e pronto.

O que eu achava mais divertido em “longo e tenebroso inverno” era o fato de se tratar de um clichê desconhecido na vida real. Nossos invernos não são longos nem tenebrosos. Pelo contrário: costumam vir em pílulas, na carona de frentes frias que passam bem mais rápido do que aquelas que nos atormentam no verão. Entre uma frente passageira e outra, os dias se sucedem ensolarados, e as noites, agradáveis. Manga curta ao meio-dia, edredom à meia-noite, não existe época do ano mais feliz.

Como eu sei disso? Não sou meteorologista, mas sou cronista. E para mim o finalzinho de junho é tradicionalmente o momento de tirar sarro de quem teima em suar encasacado em Campos do Jordão, quando poderia se bronzear sem chuva em Ubatuba.

Só que nesse ano minha crônica de sempre foi pro beleléu. Pela primeira vez na década, estamos vivendo um longo e tenebroso… outono. Tenho dormido todo encapotado. Bati o meu recorde pessoal de dias consecutivos saindo de casa vestido com meias. Estou tremendo não só de frio, mas também de medo do inverno que vem aí.

A última vez que senti tanto frio assim foi na Bélgica. Num longo e tenebroso final de verão na Bélgica. Escrevi no meu diário de bordo:

“Você acorda e não consegue sair da cama, meditando sobre os prazeres do final de verão na Bélgica, embaixo do seu edredom reforçado por mais um cobertor. Daí você olha pela janela, oba: entrevê-se uma nesga de sol. Então mais do que rapidamente você veste a capa de náilon, pega o guarda-chuva e sai para apanhar alguns raios de sol antes que seja tarde demais. (Se você bobear, pode contrair osteoporose no final de verão na Bélgica.)”

São Pedro, por favor nos poupe de uma longa e tenebrosa primavera.

39 comentários

Que texto ótimo!

Riq, será que você ou algum dos outros viajantes poderia me indicar um bom site para aluguel de apartamento por temporada (15 dias) no Porto?

Ah, sim. Estou fechando a viagem da minha mãe para a Rússia e mesmo com agente de viagens… s-u-f-o-c-o! A Luisa merece uma medalha por ter destrinchado essa viagem sozinha, na cara e na coragem… 🙂

Riq e tripulantes, desculpem-me por sair do tópico, mas já que o pecado está cometido, vou fazer duas perguntas de uma vez só:

1) vocês me recomendam algum resort acima de Pernambuco, de preferência all inclusive (vou com meu bebê) e fora das capitais? É pra ir em setembro/outubro.Procurei no seu Guia de Resorts, no Freire’s, mas me pareceu desatualizado, e tudo que tenho achado me parece feio, velho ou os dois.

2) vocês sabem o que aconteceu com o blog Giramundo, do Jorge Bernardes? O endereço que eu tinha não tem recebido atualizações…

Obrigada!

Hehehe é isso mesmo ! 😆 😆
Aqui em POA , pela primeira vez em montes de anos , a
estufa permaneceu ligada nestas ultimas tres semanas de
primavera 😉
Riq, mais chato que usar meias , é ter que colocar um calçado um tamanho maior pra caber palmilhas de lã 🙄

    Isso existe, Sylvia? Palmilha? Só meia de lã não resolve não?
    Isso porque aqui (nordeste de Minas) está é calor durante o dia, e meio fresquinho de noite…

    Sabes “aquele” frio patagonico , que congela os ossos?
    Para conseguir caminhar na rua de manhã , coloco um tenis um numero maior , com uma palmilha de lã 😉 , tipo roupa pra esquiar 😆

    Sylvia, Sylvia… Nessas horas, até que eu gosto de Valadares (me arrependerei em seguida, assim que começar o verão, ali pelo fim de agosto).
    Eu tenho que aproveitar essa época pra tomar todos os vinhos do ano, porque depois… olha a minha bochecha como fica: 😳

BSB continua com dias ensolarados, e noites, agradáveis. Manga curta ao meio-dia, edredom à meia-noite, uma delicia!!!

O meu casamento de susbtantivo e adjetivos preferido é “design+moderno+arrojado”. E quanto ao tempo, moro no Rio, nem posso reclamar muito.

Está um frio do cão mesmo. Tanta paranóia com a gripe suína e hoje percebo que deveria usar máscara aqui no trabalho. TODO MUNDO gripado. Nem a minha dose diária de vitamina C me salvou. Às vezes, tenho vontade de fazer igual ao Michael Jackson, só andar de máscara fora de casa.

Sensacional. Um dia ainda vou pensar que escrevo assim…

    Ohhh a modéstia..
    Arnaldo, você escreve tão bem qto o Ric..
    Seus textos são sempre tão claros e apaixonados..
    Uma perfeita sintonia com as fotos..
    =)

Riq, você escreve tão bem, é um prazer ler frase por frase, e divertido!

Eu particularmente adoro outono e inverno, e ainda não consegui usar um casaco de couro 3/4 que eu tenho, já limpei e deixei prontinho esperando o inverno.

bjks

Fantástico Riq!! Ainda ontem a noite eu falava sobre isso, como não acaba esse frio… Tô aqui hoje com duas calças, meias, blusa de lã e casaco. Quero calorrrrr!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.