Time Out: agora .br

    timeoutbr400.jpg

Já faz duas semanas que entrou no ar — e chegou às livrarias — a versão brazuca dos ultra-bem-informados guias Time Out, meus preferidos quando se trata de grandes cidades do mundo.

Ouço falar da vinda do Time Out para o Brasil há séculos. Primeiro por um pessoal do Rio associado a um povo de produtora aqui em São Paulo, depois por uma grande editora paulistana. Acabou vindo pelas mãos do Silvio Giannini, colaborador da Gula, que se associou ao Estadão, com patrocínio da Visa.

Sei que, em princípio, serão seis guias de papel: Nova York, Buenos Aires, Paris, Miami (todos já prontos), Dubai e Londres. Outros destinos vão depender do sucesso de vendas dos guias impressos.

O detalhe mais interessante da operação verde-amarela é que, por conta do acordo com Estadão e Visa, o conteúdo integral dos guias impressos em português está disponível no site do Time Out no portal do Estadão.

E, nisso, o site brazuca é melhor do que o internacional, onde há alguns anos o Time Out resolveu esconder o jogo, deixando uma ou outra informação no ar. Por exemplo: se você for à página de hotéis em Nova York do site internacional, vai encontrar 7 indicações. Já se consultar a seção de hotéis em Nova York do site brasileiro, você vai ler resenhas de mais de 150 hotéis. Mas é preciso paciência: cada bairro está subdividido em categorias de preço, e ler tudo implica em pelo menos trinta cliques e carregamentos de página. Isso se repete em todas as seções, em todos os quatro superguias que estão no ar. Se você resolver imprimir o guia inteiro, vai gastar em toner muito mais do que se comprasse o livrinho. Acho que essa deve ser a idéia, mesmo.

Fora os quatro destinos principais (que serão seis, quando publicarem Londres e Dubai), o site também traz os miniguias de quase 200 cidades, a maioria na Europa. Não dá para planejar uma viagem a Roma, Istambul ou Berlim só com essas pílulas de informação, mas quando você precisa alguma informação em português sobre lugares menores, como a ilha de Zakintos, Innsbruck ou Olbia, o site se torna uma fonte de consulta obrigatória.

Eu poderia falar uma coisa ou outra da tradução, mas prefiro não reavivar esse assunto durante algumas semanas, se fazem o favor.

Há também um guia de destinos no Brasil, compilado do arquivo de reportagens do caderno de viagem do Estadão.

26 comentários

Fabiana, sobre locação eu não conheço, mas te recomendo a Babies -R-Us ( http://www.babiesrus.com ) para compras do teu bebe. Eu comprei tudo para meu filho lá. Existem várias lojas em Miami, basta colocar no gps o nome que aparecem várias opções. Tem uma mega-store que fica perto do aeroporto. Agora te prepara: a gente pira lá! Eu tive que comprar duas malas só pra trazer o que eu comprei por lá. Boas compras.

Adorei o Time Out. Mais uma super dica, Riq!

Lembra que vc me ajudou a casar em Punta Cana, sempre serei grata por isso…
Bom agora, estou com uma outra demanda aqui.
Vou para Miami no final de outubro.
A idéia é passear um pouquinho e fazer compras para o nosso primeiro baby que chegará no início do ano que vem.
Tem um monte de grávida viajando para lá com o mesmo objetivo, dizem que os voos vem cheios de carrinhos, kit berço, bolsas cheias de mamadeiras… a diferença nos preços/qualidade é absurda e compensa muito.
Já comprei as passagens saindo de Bsb, via Manaus, que parece ser o voo mais confortável para gestantes, por ser mais rapidinho que aqueles que saem por SP ou RJ.
Agora estou providenciando a hospedagem por lá…
Vamos com outro casal.
Inicialmente estou procurando alugar um apto de dois quartos em condomínio com serviço, perto da praia (South Beach).
Pelo que tenho visto na NET o preço é mais em conta que os hoteis de conforto semelhante e tem aquela liberdade de estar quase em casa… Aqui no Brasil eu não vi oferta desse tipo de hospedagem, mas no site tripadivsor.com e outros tem sempre o “vacation rentals”, me parece que lá fora é mais comum esse tipo de coisa.
Vc tem informações sobre essas “vacation rentals”? Alguma dica?
E quanto a localização, onde é melhor ficar? Queria um lugar para curtir praia, bons restaurantes, andar a pé… etc… sei que para as compras a gente vai ter que sair de carro mesmo.
Li muito sobre o “South Disctrict” ou “South of 5th”. É um lugar legal para ficar?
Mais uma vez muito obrigada, Riq

Eu sou totalmente a favor do separatismo do Rio Grande do Sul! Só assim eu vou poder morar no estrangeiro…
:mrgreen: