Tony Wheeler, um turista no eixo do mal

35 anos depois de fundar, meio que por acaso, aquela que viria a ser a maior editora de guias de viagem do mundo, Tony Wheeler continua viajando 6 meses por ano. E, de preferência, para lugares que não estão no mapa dos outros.

bad-lands.jpgMas o próximo livro do Mr. Lonely Planet não é um guia, e sim um relato de viagem a nove países malvistos pelo Ocidente. O título é Bad Lands: a tourist on the Axis of Evil — ou, traduzindo by the foot of the letter, “Maus Lugares: um turista no Eixo do Mal”. 

O grupo de destinos visitados é desigual. Tem um paraíso turístico, Cuba. Um destino bem estabelecido nas rotas alternativas, a Birmânia. Três países que recebem turistas, sim, mas pouca gente sabe: Irã, Albânia e Líbia. Dois lugares onde o turismo é bem limitado para o ocidental: a Arábia Saudita e a Coréia do Norte. E, finalmente, dois lugares perigosíssimos, o Iraque e o Afeganistão.

Para além do relato de viagem, o passageiro do livro tem direito a um belo papo-cabeça sobre o que faz um país ser realmente maligno. Tô louco pra ler.

Quer um aperitivo? O Observer de domingo publicou um divertido trecho do capítulo dedicado ao Irã.

31 comentários

Sylvia:
Na volta ao Japão, estarei em transito em Pequim e para sair do aeroporto eh necessario visto. A validade do visto chines eh de tres meses e creio que não estarei de volta antes de expirar o prazo, portanto tirar o visto para duas entradas eh furada. Acho que vou procurar outra rota, o fator limitante eh que quero passagem de ida e volta aberto para um ano. A China podera ficar para outra oportunidade, afinal eh tão pertinho daqui.

Luca: Eu adoraria receber dicas da Turquia sim. Adoro lugares exoticos, rusticos, diferentes…
Meu e-mail: [email protected]