Trilhos a jato: mais velocidade entre Amsterdã-Bruxelas-Paris e na Itália

Alta Velocità italiana

O fim de semana de 12 e 13 de dezembro marcou a estréia de duas esperadíssimas linhas de trem de alta velocidade na Europa.

A mais comentada pela imprensa é a que estava mais difícil de desencantar: a extensão de Bruxelas a Amsterdã dos trilhos rápidos do trem Thalys, que já operavam entre Paris e Bruxelas. Na verdade os trilhos já estavam prontos há um tempão; o treinamento dos funcionários, e outros entraves burocráticos do gênero, é que estavam embaçando a mudança de velocidade.

A partir de agora, esses são os tempos de viagem entre as quatro cidades principais servidas pelo Thalys:

Amsterdã-Bruxelas: 1h53min

Amsterdã-Paris: 3h18min

Bruxelas-Colônia: 1h47min

Paris-Colônia: 3h14min

Paris-Bruxelas: 1h20min (ou seja, não mudou)

(E, antes que você pergunte: os trilhos Bruxelas-Bruges continuam lentos. Dá mais 1h de viagem.)

O Thalys holandês demorou tanto, que até a Itália conseguiu fazer seu upgrade um pouco antes — 24 horas, para ser mais exato. No sábado foi inaugurado o trecho de alta velocidade entre Bolonha e Florença, que é praticamente todo feito em túneis sob os Apeninos. Com isso, a Itália passa a ter um tronco de altíssima velocidade de norte a sul: a rota Turim-Milão-Bolonha-Florença-Roma-Nápoles-Salerno.

Em alguns horários (os que não fazem paradas intermediárias, e são descritos como ES AV Fast) dá para fazer Milão-Roma em 3 horas — o que é bem menos que qualquer executivo (ou turista) gastaria de avião. Nos horários com paradas em Bolonha e Florença, o tempo de viagem do ES AV entre Milão e Roma é de 3h30.

Ficam assim os tempos de viagem:

Turim-Milão: 45 min.

Milão-Bolonha: 1h05min

Milão-Florença: 1h45min

Milão-Roma: 2h59min

Bolonha-Florença: 37 min.

Florença-Roma: 1h35

Roma-Nápoles: 1h10

Nápoles-Salerno: 36 min.

E olha que interessante: o André Lot lembra que também a rota entre Roma e Veneza ficou uma hora mais rápida, porque também se aproveita do novo atalho entre Florença e Bolonha. Vou botar na lista, então:

Roma-Veneza: 3h50min

Mas o consumidor italiano está reclamando: além de aumentar a velocidade, os trens devem aumentar os preços, também. Se você não tem tanta pressa assim, compare no site da Trenitalia as tarifas dos trens de alta velocidade (ES AV) com os InterCity, que são os antigões, lentos e continuam baratos. Para conseguir descontos (de 15, 30 ou 60%) nos trens velozes, compre com 60 dias de antecedência (e reze para aceitarem o seu cartão de crédito no site).

Leia também:

Europa: avião, trem ou carro?

14 dias na Itália: um roteiro

Bate-volta: Roma a Nápoles e Pompéia

Vai por mim: Costa Amalfitana

De Paris a Amsterdã, com pit stop em Bruxelas

Trem na Europa: qual é a antecedência necessária para conseguir descontos?

92 comentários

Eu queria saber como eu faço para comprar aqui do brasil passagens de trem. Estou tendo dificuldades em achar sites que aceitem cartão de crédito brasileiro.

Caramba, muito legal. Fiquei curioso pra ver uma tabela comparativa com os preços e velocidades dos aviões.

Riq, hoje eu recebi um monte de posts no meu RSS sobre essa inauguração e dos mais variados jornais e portais, mas você foi o único que conseguiu dar todos os detalhes mastigados, incluindo todos os horários para os mais variados trechos. Além disso, foi o único a mencionar a inauguração na Itália também. Suas informações são sempre super completas. Quem não acompanha o VnV, não sabe o que está perdendo! Parabéns!

    Brigadinho!

    É que a gente assina as melhores agências de notícias. Neste caso, a André Lot Press, que vem cantando a bola dos trens italianos há algum tempo, e semana passada postou uma lembrançazinha, e a Dani G. Press, que me conta o que só sai em holandês sobre as trapalhadas da extensão do Thalys :mrgreen:

Ricardo,

Quando fiz Florença-Roma agora em setembro já era alta velocidade, foi 1h40min. Mas o interessante é que eu comprei os bilhetes na maquininha self-service, validei e fiquei com eles à mão, esperando pelo fiscal. A viagem acabou e… nadica do moço. Comentei com o marido que se fosse no Brasil ia ter muita gente arriscando-se a viajar de graça…

Eu ainda sinto saudades dos trens mais lentos, onde dava para curtir a paisagem, e quando não se previsava fazer um roteiro com tanta antecedência para obter um desconto.

    As cias. ferroviárias estão adotando a mesma sistemática das aéreas: maximizar a receita, vendendo bilhetes com antecedência mais baratos e salgando os preços para executivos, turistas em modo não-programado etc. que programam viagens em cima da hora. Agora mesmo, posso viajar de Rotterdam (perto de onde moro) para Paris pagando € 49 euros se comprar bilhete pro fim de janeiro, ou € 244 se quiser viajar amanhã cedo 🙂

    Um efeito colateral é que os passes ferroviários e trens noturnos vão perder ainda mais competitividade.

    Todavia, boa mesmo ficará a situação em 2011, qdo as linhas de alta velocidade serão abertas à concorrência. Já tem um grupo grande europeu investindo em trens para competir com as operadores estatais na Itália. Há outro pensando em implantar uma “Ryanair” sobre trilhos, com trens rodando fora do horário de pico, mais leves, sem restaurante ou qualquer serviço de bordo, vendendo passagens apenas pela Internet e tal. Veremos.

    Eu confesso que prefiro viajar com mais pesquisa, sabendo o que vou ver. Acho que não se perde muito da emoção, e dá pra fazer valer mais com o mesmo din-din. 🙂
    Acho que no fundo, a viagem planejada sai muuuuito mais barata. E sendo muuuuuito mais barata, vc consegue viajar muuuuuito mais. 😀
    O mesmo vale pros Hotwire/Pricelines da vida.
    Alias, em breve vou fazer um comentário com várias pechinchas bacanas que consegui.
    abs!

    Joao,

    Se vc tiver pechinchas envolvendo Roma-Florença-Veneza-Paris, por favor me ajude.

    Aliás, ajuda de todos os trips seria bem vinda. Meu “queridinho” Etap La Villette em Paris, q tem banheiro no quarto e está na boca da estação Laumiére de metro por miseros 58E está com blackout pro dia 11 de maio. Alguém sabe como contactar o hotel ou de alguma outra pechincha?

    Oi Dri!

    Todas essas cidades tem pechinchas.
    Mas as pechinchas que consegui em geral são mais de qualidade do que de preço. Deixa eu explicar: Não consegui muitos hotéis a preços ridículos, e sim hotéis excelentes a preços na média.
    Por exemplo: consegui o Hilton Milão (4*) por U$110, que dá 80 euros. Consegui o Hilton Veneza (5*) por 100 euros e o Novotel Paris Les Halles (4*) por 90 euros. São hoteis que eu jamais ficaria se nao fosse o priceline (todos da ordem de 200 euros pra cima pela diária), mas com o priceline eu consigo pegar por tarifas de hotéis 2 estrelas.

    Sugiro que você dê uma olhada nos seguintes sites: http://www.priceline.com, http://www.hotwire.com, http://www.betterbidding.com, biddingfortravel.yuku.com.

    Agora, vc tem que levar em contar as desvantages:
    – Quando vc descobre o hotel que vai ficar, vc já pagou! 🙂
    – Não tem como voltar atrás.
    – Não tem como cancelar nem pedir estorno.
    – Vc tem uma grande chance de descobrir quais são os hoteis usando os forums que te passei, mas nada te impede de pegar uma novidade, que pode ser uma furada. Eu estou muito no lucro.

    Eu já usei esse esquema nos EUA. Vai ser a primeira vez que uso na Europa. Mas já liguei pra alguns deles (sou desconfiado) e parece que consta como se fosse uma reserva normal.

    Se tiver mais algum dúvida, é só falar.

    Ah, e passando uma dica que vi aqui no fórum: Quando vc se cadastrar no priceline, vc tem que dar um endereço americano. Tenho uma tia que mora lá e por isso dei o endereço dela. Algumas pessoas aqui deram endereços dos correios.
    O hotwire não precisa de endereço americano, mas os preços são mais altos do que no priceline.

    João,

    Em primeiro lugar, muito obrigadinha!! Agora me diz, esses preços que vc conseguiu foram todos no priceline então? Os sites eu já conheço, mas sempre fico tensa por causa do lance de ser no escuro e da região marcada como do hotel ser muito ampla, então as vezes vc fica longe do metro e das demais facilidades…

    O cadastro eu até ja fiz, se não em engano, coloquei o endereço de um Hotel de NY…

    Só pra complementar… Eu fico muito, mas MUITO tensa com o quesito localização. O Hilton Veneza, por exemplo, é bem criticado por isso. No caso específico de Veneza, acho que vou ficar com a dica do Zé e da Débora, do BBZ : Hotel Bernardi. Mas obrigado de novo a todos q tem me ajudado!

    Sem stress. Todos são do priceline. Concordo com o que voce disse sobre a localização. Pode ser um tiro no escuro. Mas pra ter lucro tem que ter risco. 🙂

    Quanto ao Hilton, titubiei bastante antes de fechar (em Veneza vc pode ter certeza q vai pegar o hilton pq é o único 5 estrelas de lá). Mas pesquisei bastante, e estava achando lugares meio velhos, sem nenhuma infra, quase caindo aos pedaços, por 110 euros. Ai comparei com o Hilton, que é espetacular. Já viu as fotos de lá? Não é só porque é o Hilton, mas o lugar é demais. É uma antiga fábrica de farinha, com arquitetura linda, que é uma atração turística por si só. Tem o lado ruim dele ficar na Giudecca, que é uma ilha a 200 metros da ilha de Veneza, mas há um shuttle particular que faz o percurso de 15 minutos a cada meia hora (de graça), até 1 am. Sinceramente, não acho que vai me afetar. Acho que é diferente de ficar em mestre. Sem contar que o Hilton custa 265 euros nas minhas data, e saiu por 100. Bem, pra mim, valeu muito a pena. 🙂

    Se vc pesquisar direitinho nos fórums, vai ver que o leque de hotéis na Europa não é tão grande, e pra mim a maioria era bem aceitável. Se existe a chance de vc pegar um que não te agrade, não faça a aposta. É o que ocorreu comigo em Florença. Há alguns hóteis lá bem baratinhos. Mas um muito frequente é o NH Firenze, que é a 2km da Santa Maria Novella. Acho muito longe. Como não quero de jeito nenhum ficar nesse hotel, não vou fechar Florença pelo priceline.

    Em Paris, as regiões são bem divididas. Não tem muito como errar. Vou ficar no Novotel Les Halles, que é muito bem localizado. E se vc escolher um hotel 4 ou 5 estrelas, dificilmente você vai pegar uma localização bizarra.

    Em Roma, o único 5 estrelas é o Intercontinental de la Ville. O preços são um pouco mais salgado (vejo as pessoas conseguindo por 170 a 200 dolares). Mas dá uma olhadinha no hotel e na localização dele pela Internet. É de chorar.

    Bem, se tiver mais alguma dúvida, é só falar.

    Só pra fechar, queria compartilhar com todos uma observação que fiz desde que comecei a olhar hoteis com mais estrelas (antes só olhava 1 e 2 *, mas com o priceline dá pra olhar algo melhor).

    No tripadvisor, os reviews desses hotéis são mais críticos. De cara eu me assustei um pouco. Há vários hotéis 2* com classificação muito melhor do que os 4*. Mas depois caiu a ficha: a expectativa da pessoa que paga 200 euros por um quarto é muito diferente da que paga 80* numa oferta na Internet.

    As reclamações do pessoal do 4* são mais rebuscadas, reclamam desde o pessoal do front desk até a velocidade com que chamam taxi (e eu nunca ando de taxi…). Pro pessoal do 2*, um quartinho limpo,bem localizado, onde duas pessoas conseguem passar pelo corredor sem se esbarrar já garante notas altas.

    O que acham? Concordam? Ou estou tentando me iludir? 😀

    Outra classe difícil é o de hotéis baratos recomendados por guias. As pessoas pagam 100 achando que vão receber 300…

    Sei que muita gente Holanda = Amsterdam.

    Para quem pretende fazer algum roteiro combinado, seja pra ir aos moinhos do Kinderdijk, seja para os museus de Enkhuizen, para Den Haag e Rotterdam, tem uma novidade interessante

    O OV-Chipkaart http://www.ov-chipkaart.nl/?taal=en , um cartão magnético parecido com o Oyster usado em London e tantos outros por aí, agora pode ser usado tanto no transporte público de Rotterdam, Amsterdam e várias outras cidades como também para pagar passagens de trem entre cidades diferentes da NS (a cia. ferroviária holandesa).

    O funcionamento é simples: basta tocar um ponto de check-in e depois fazer o mesmo ao sair da rede ferroviária. A partir de julho do ano que vem, se nada mais atrasar, essa será a única forma possível para uso dos trens na Holanda, pois estão colocando cancelas nas estações e os trens se parecerão, neste sentido, com um gigantesco sistema de metrô.

    Joao,

    Será que eu podia me comunicar por email com vc, pra nao ficar enchendo a comunidade a toa?? amarques99 at ig com br

    thanks!

    Você tem toda razão. Quando se procura algo no Trip Advisor, é necessário ajustar a expectativa do público típico de cada hotel.

    Ze,

    Eu já reservei ele!! Todas as resenhas do tripadvisor reclamam apenas da grosseria dos atendentes, mas eu sei que é só não pedir um cappuccino q estarei a salvo!!!

    E suas dicas de como chegar do aeroporto/estação de trem me serão muito úteis!!

    João, faz muito sentido tudo o que você disse. Não vejo nada de errado no seu planejamento (cada um, cada um). Vai fundo, garoto!

    Dri, Roma já dei a dica do meu apezinho no outro post e Paris fiquei no http://www.tourism-hotel-paris.com que gostei. A localização foi boa pros passeios que fiz…é literalmente em cima do metro (pra alguns isso pode ser um defeito) e eles foram muito atenciosos comigo. Paguei em setembro 77 euros.

    CarlaZ e Zé Maria, muito obrigado pelo feedback. Assim que eu terminar as reservas volto pra contar como foi e o que (e por quanto) reservei afinal…

Beeeem bacana esta novidade, dei uma olhada no site e as tarifas para compra antecipada são incríveis!! Trenitalia não olhei, porque acho o site deles muito complicado, será que sou só eu?

    O site da Trenitalia foi alterado há alguns meses atrás. Agora, vc já visualiza logo na primeira tela horário e preço das várias alternativas. Vc visitou-o recentemente? A compra fica burocrática mesmo assim…

    Uma alternativa que uma aminha usou (não garanto que vá funcionar com todos) para comprar bilhetes lá é a de comprá-lo através do cartão Visa Travel Money que ela já tinha feito.

    Só para acrescentar, Roma-Venezia agora é feito em 3h50 com trens Frecciargento, que circulam em alta velocidade até Bologna e de lá para frente em linhas modernizadas até Padova e então em linhas de alta velocidade até Venezia.

    Essa do Visa Travel Money é uma boa idéia, pois assim não ficamos mais dependentes da aceitação de um cartão de crédito internacional. Se funcionar e virar moda nos outros países também, vai ser show!

    Eu nunca nem tentei usar o VTM pq nas regras eles dizem explicitamente que nao poderiamos realizar compras/reservas pela internet com ele… Mas vou tentar qdo for comprar os trechos Roma-Florença e Florença-Veneza…

    Eu também tinha isso na cabeça, mas várias pessoas já aconselharam usar o VTM no site da Trenitalia, começando pelo Zé, há dois anos.

    Basicamente, o que ocorre é que vc não tem como “contestar” uma compra facilmente, e isso dá trabalho. Mas eu já usei não só na Trenitalia, como na EasyJet, na Ryanair, na Amazon.com… a lista é grande.

    Tava lendo um post antigo dos trens aqui no VnV e algumas pessoas disseram que não conseguiram comprar no site da Trenitalia com o VTM não. Mas pelo que eu percebi, a porcentagem de acerto é maior. 🙂

    Alguém tem experiência negativa com o VTM na trenitalia? Alguém conseguiu entender algum lógica de que cartões eles negam?

    Viajo em Abril, então não cheguei na época de comprar, mas confesso que estou receoso. 🙂

    abs,

    João

    Não esquenta não. Se não conseguir online, o prejuízo é só de 15%. As tarifas de 60 e 30% de desconto são bem difíceis de conseguir.

Ricardo,
Não encontrei nenhuma informação no blog sobre Punta Cana, estou na dúvida também sobre Havana/Varedero acho que fica no mesmo preço. Vamos de pacotão, o que vc acha?
Abraço,
Nivia

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.