31 comentários

eu de novo! Ricardo, queria muito te agradecer. já segui muitas de suas dicas, e nunca me dei mal.. rs
fiquei muito feliz de voltar na pousada da Tuca, em Itaúnas, e ela me contar – sabe aquele cara que vc adora, do guia que vc queria roubar quando esteve aqui ano passado? pois é, ele esteve aqui e minha pousada foi citada.. (as tarifas dobraram, but that’s ok, vale cada centavo, era muito barato mesmo).
e também numa pousada em Imbassaí, Club Imbassaí. pena, a reforma que vc previa no Freire’s nunca saiu, a grana do cara acabou.. mas além de lindinho, o lugar tem um super astral. nunca fui tão bem recebida – até festa de despedida eles fizeram pra mim. eles me mandam scraps no orkut até hoje, e me chamam de “a paulista da champagne”..rsrs. só pq sempro levo gfs de champa na mala pq sei que esses lugares nunca têm..rsrs.
Ricardo Freire, muito obrigada por tornar minhas viagens incrivelmente mais prazerosas e fáceis.
Espero um dia conseguir retribuir e te receber no “meu lugar”. Sei que és um cara importante e requisitado, mas o bairro é tão pequeno.. e ganhei uma estrela do Josimar já no mês de abertura. Deve valer a visita. Ah, a dica vale pros Detemperados também ..rsrs
Um super mega hiper obrigada a todos – turistas ou viajantes!
Beijos da Renata que sempre que consegue faz as malas, mas nunca sem antes consultar as dicas do Riq!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

a propósito, no reveillon de 2000/2001, plena noite de Natal, eu sem programa, uma turma propôs um pacote qq pra Orlando – logo depois do atentado em NY, preços lá em baixo… expectativa zero. eu na disney de novo? esquema pacotão num Holiday Inn qualquer… não tenho mais 15 anos.. e não é que foi umas das viagens mais memoráveis de toda vida?? vai entender…
oops, cheguei em casa e vi que o visto estava ok, mas o passaporte… não é todo mundo que sabe, mas se vc tiver uma passagem pra 24 horas ou menos, renovam em meia hora.. hummm

Não é à toa que o Freire tem esse séquito de seguidores. Um texto delicioso, dicas incríveis, que faz nos sentirmos “profissionais” viajando, mas sem arrogância.
Concordo plenamente – não é porque temos “as dicas” que podemos nos considerar melhores que ninguém..rs.
Como diz minha melhor amiga – viajar, até quando é ruim, é bom…
Mas sem piadas, o importante não é, pelo menos, suprir as expectativas? E cada um tem as suas.. suas razões para economizar o ano todo, para sair de férias, se propor a conhecer um lugar qualquer, enfim.. tem o turista alta temporada, aquele que segue o roteiro óbvio, o turista da baixa, nos melhores lugares na época mais conveniente, aquele que só faz o lerê, aquele que foge do lerê, gente que ama city tour, gente que detesta, gente que se vira sozinho, gente que tem um bom agente, gente que compra na CVC…
Assim como na própria cidade, gente que descobre coisas, gente que espera a Vejinha contar..
Acredito que tá sempre valendo. Sorte de que tem toda uma comunidade pra ajudar a tornar nossos preciosos momentos de férias memoráveis. Mas tá valendo, sempre. Afinal, viajar, até quando é ruim…

Riq, pior ainda é a definição acadêmica de OMT que (des)aprendemos na faculdade:

“Turista é um visitante que desloca-se voluntariamente por período de tempo igual ou superior a vinte e quatro horas para local diferente da sua residência e do seu trabalho sem, este ter por motivação, a obtenção de lucro.”

Se sou obrigado a viajar não sou turista? Se passar somente o dia em uma cidade não turista? Não posso ser um turista na minha própria cidade? Se vou a uma cidade fechar um contrato de negócios e conhece-la não sou turista?

Balela!

Eu gosto é de viajar — nem que seja na minha cabeça — e ponto! 😀

Riq, tenho que dar a mão à palmatória: sempre fiz distinção entre turistas e viajantes, mas isso acaba sendo um big preconceito com os ‘outros’…. e as diferenças têm que ser respeitadas. Depois de ler o seu texto, sou obrigada a concordar: rótulos não rolam mesmo. O “melhor” e o “pior” jeito de viajar estão mesmo na cabeça de cada um.

Turista é turista mexxxmo, concordo em gênero, número e grau. E andamos todos com roupas de turista, haha

Adoooooooooooooooooooooooooro quando o Riq faz isso!
Xô rótulos e preconceitos!
Parabéns, eu a-mei o texto!

Eu particularmente adoro me sentir turista… inclusive atração turistica… aquela curiosidade das pessoas quando vc diz de onde vem… Pelé, futebol, mulata… acho o maximo.

Quem ‘odeeeia’ city tour é viajante ou turista?
Que bobagem, né?
Quero ver o que os mega viajantes profissionais, vão falar aqui.ehehe…

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.