Turquia: as dicas da Carla Tolosa

Pamukkale

A querida Carla Tolosa, também conhecida como Carla2, esteve em junho de 2008 na Turquia. Durante doze dias, passeou por Istambul, Capadócia, Pamukkale e Éfeso (Kusadasi). Recentemente a Carla resumiu as dicas testadas durante a sua viagem para ajudar no planejamento da Mari Campos (que está no momento em Istambul) e da CarlaZ (que vai agora em setembro). Eu entrei no meio da conversa delas para pedir uma cópia desse precioso email, que repasso, com a devida autorização, para todos vocês.

Istambul

Fiquei quatro noites no Erboy Hotel, no bairro de Sirkeci; reservei pelo site Otel.com. Eu ficaria nesse hotel de novo só pela guest manager – um doce de pessoa, e resolveu nossa vida na Turquia, nos apresentando o Metin, que nos ajudou a montar o roteiro pelo interior (dados do Metin daqui a pouquinho). Ela se chama Ayse (pronuncia-se Aicha); seu email é [email protected].

Aconselho você a pegar um hotel em Sirkeci ou em Sultanahmet.

Quanto aos passeios, faça tudo que estiver no guia que você levar, e mais:

• Pegue o ferry-boat (no último píer, mais próximo da ponte) e fazer o passeio pelo Bósforo até o Mar Negro. O ferry vai parando em diversos pontos, mas a idéia é saltar na última parada, onde tem um castelo no ponto mais alto da vila. A subida é dureza, mas a vista compensa. Não esquecer de levar água!!!

• Às 20h tem um show de luzes e som na Mesquita Azul (é do lado que tem vários bancos do lado de fora). A dica é chegar cedo e ficar num restaurante muito agradável que tem em frente à mesquita (mesas no jardim), pois no intervalo tem um show dos dervixes rodopiantes – na verdade é meio fake, tem só 3 músicos (o original são 8 se não me engano) e apenas um dervixe. Mas se não der para ir até a cidade-sede deles (Konya, que fica na Capadócia, ao sul de Goreme e Ürgüp), pode ser um bom programa.

Depois de Istambul

O agente que montou toda a programação pelo interior da Turquia foi o Metin Koca, da Ensemble Travel. No pacote da Ensemble estavam inclusos: todos os trânsfers hotel/rodoviária/hotel, os hotéis (todos com café da manhã, e na Capadócia com 1 refeição), e os tours guiados na Capadócia e em Éfeso.

Capadócia

Pegamos um ônibus noturno na Nevtur de Istambul a Ürgüp (11 horas de viagem). Reservamos duas noites no Hisar Evi Cave Hotel (hotel na caverna) próximo a Uçhisar.

Nosso passeio de balão estava marcado para o dia seguinte. Custa entre 120 e 150 euros, mas conseguimos por 110 euros com a Ensemble Travel. Eles te pegam no hotel às 5h30 da matina, mas vale a pena. Às 8h você volta para o hotel, toma café da manhã, e sai para o tour pela Capadócia, incluindo visita à cidade subterrânea e aos “pombais”.

No último dia fizemos outro tour, visitando as igrejas construídas nas rochas e uma loja de cerâmica em Avanos.

Os passeios na Capadócia foram feitos com a Agra Tour. O atendimento era péssimo (fomos mal recepcionadas), mas o guia que nos acompanhou era fantástico!!! O nome dele é Onur Koksuyer.

Pamukkale

De Ürgüp pegamos outro ônibus noturno com destino a Pamukkale. (A cidade maior perto chama-se Denizli.)

Ficamos uma noite no Hotel Koray. Vi num guia que é o melhor da cidade – a cidade é pequena e o hotel, simples, mas agradável.

Atenção: em Pamukkale, não compre a visita guiada aos terraços de travertino e à Hierápolis. Os terraços ficam a 10min de caminhada do hotel (a cidade é pequena), e subindo os terraços chega-se à Hierápolis. Leve roupa de banho para os terraços e a piscina termal em Hierápolis. Dá para fazer os dois em um dia. Fizemos no mesmo dia da chegada, pois no dia seguinte íamos sair cedo para o próximo destino.

Éfeso (Kusadasi)

Pegamos um ônibus logo depois do café da manhã para Selçuk (três horas de viagem).

Ficamos hospedadas duas noites em Kusadasi, num confortável hotel de frente para o mar Egeu, o Pine Bay Marina.  Kusadasi é meio Guarujá, mas é um bom passeio, mar bonito, bons restaurantes, ocidentalizada. Pôr do sol no mar, lindo.

No dia seguinte fizemos o passeio a Éfeso, uma das ruínas mais importantes (senão a mais importante) da Turquia. Ali viveram de 400 a 500mil pessoas.  Foi capital da província romana na Ásia (ou seja, durante o império romano, era a cidade mais importante depois de Roma). Não fica muito longe de Tróia, que nós não visitamos. Dizem que São João Batista, encarregado por Jesus de cuidar de sua mãe após sua “morte”, levou Maria para viver em Éfeso. Não exatamente na cidade, mas numa casa nas montanhas a uns 10 km dali. A Casa de Maria é famosa e pode ser visitada no mesmo dia das ruínas. Leve uma ou mais garrafinhas para trazer as águas que brotam de três fontes no local. Nesse mesmo tour visita-se o museu localizado em Selçuk e o templo de Artêmis (do qual só sobrou uma coluna visível; para o restante é necessário olho de arqueólogo).

No terceiro dia na região passamos o dia em Sirince, uma cidade grega no alto da montanha – pega-se um microônibus em Selçuk (na estação de ônibus), que leva uma meia hora. A cidade é encantadora, pequenininha, não tem carros, e tem várias lojinhas e tendas pelas ruas. Procure pela Igreja (Kilise), e tome algo ou almoce no terraço do Kilise Restaurant – prove os vinhos de frutas que eles fazem lá.

Voltando a Selçuk, pegamos o ônibus noturno para Istambul.

Observações gerais

1) As viagens em ônibus noturno são cansativas. Sugiro gastar um pouco mais e fazê-las de avião, ainda que os ônibus sejam de primeira linha, confortáveis, com banheiro a bordo, café, água, bolinho…

2) Junho já estava muito quente. Somente na Capadócia as noites eram frias, mas de dia muito sol.  Istambul e Selçuk (ruínas de Efeso): muito, muito, muito quentes. Para ir no verãozão, talvez seja melhor ter mais dias, para fazer tudo devagarzinho. (O dia que visitamos as ruínas estava fazendo 43ºC, e não tinha muita sombra, não…).

3) Pelo tour pelo interior, pagamos 450 euros (fora o balão). Os preços começaram em 740 Euros (com deslocamentos de avião), baixaram para 680, depois tiramos os aviões… Esse pacote incluiu: todos os hotéis, todos os ônibus, todos os transfers, os passeios com guia (todos da Capadócia, Éfeso) – os passeios incluíam o almoço, e todos os hotéis tinham café da manhã.

4) O passeio de balão é IMPERDÍVEL – tem que ir, ainda que custe caro. Vale cada centavo.

5) Lugares aonde não fui, mas acho que merecem ser visitados: Ankara ( a capital, afinal de contas…), Tróia, e um cruzeiro de 4 dias no Sul, próximo a Olympus. Também ficaria mais dias na Capadócia, para fazer as trilhas que dava para ver do balão.

6) Li num dos guias que quanto mais a leste e para o interior do Mar Negro, o país vai ficando menos turístico (tanto na infra-estrutura quanto na quantidade de turistas) e o islamismo é mais sentido. Por onde andamos, não era necessário cobrir a cabeça, com exceção das mesquitas. Também usamos shorts, camisetas regatas, sem problemas. E a região Leste do país não é das mais tranqüilas politicamente.

7) Quanto ao assédio dos homens: nada grave, mas acontece.  No primeiro dia entramos numa loja no Grande Bazar e o vendedor ficava se encostando no meu braço, pegando pela cintura para conduzir o meu olhar a outras coisas. Demorei a perceber que aquilo era uma forma desrespeitosa (tenho certeza que ele não faria isso com uma turca), pois nós, latinos, estamos acostumados ao contato físico, e encostar o braço realmente não me incomodava. Comecei a achar estranho aquela mãozinha boba na cintura. Depois disso fiquei mais esperta, mas nem todos são assim. Eles gostam muito de conversar, e acho que para eles também é algo inusitado, as nativas não ficam dando trela.  Eles adoram o Brasil e o futebol brasileiro. Alguém com alguma cultura futebolística (a minha é nula) vai fazer mais sucesso, seguramente.

Obrigadíssimo, Carla!

Leia também:

348 comentários

Obrigadíssimo Riq. Já repassei a informação para o meu médico.
Carla, que viagem legal! Demais!!!

Carla, que bacana esse post. Sabe que a Capadócia e a Turquia estão em posições privilegiadas na minha Wish List, então eu agradeço as dicas desde já. Sabe que o meu pai, que é um profundo conhecer da Biblía e católico fervoroso se emocionou muito com a casa de Maria ao visitá-la. Deve ser um lugar santo sim. Mas achei meio complicada a logistica da viagem, hahaha. Cettamene precisa de muita programação. De qualquer forma, parabéns pelo post.

Riq, vc pode me indicar o site da companhia de ônibus em Lisboa? Meu médico me pediu um help pois não encontrou um horário de trem, Lisboa-Fátima-Lisboa, compatível com seu retorno ao Brasil e quer tentar o ônibus. Não encontro nada no Google e ele precisa saber os horários dos ônibus nesse percurso.

Quanto ao assédio , eu vejo extamente da mesma forma que a negociação de preços : é um traço cultural , neste caso , um exercicio do poder da sedução 😉

Este passeio de balão está na minha lista como um muuust 😀 (pendente )
Tem uma outra alternativa para os dervishes -derviches – dervish – que é na estação de trem http://www.istanbullife.org/whirling-dervish-ceromony-sirkeci.html

    Estou tão ansiosa pro balão que tenho até medo de não conseguir ir…

    Carlinha, procure marcar o passeio de balão para o primeiro dia na Cappadócia. Assim, se acontecer de não poder fazer, devido a condições metereológicas, vc ainda pode tentar no dia seguinte. No mesmo hotel que eu estava estavam 2 argentinas que deixaram o balão para o dia seguinte: não foram, não tinha condições. Eles devolvem o $$, mas não vale a pena perder o passeio.

    Sylvia, eu assisti em Sirkeci e gostei muito. Dizem que o melhor é ainda assistir no Mosteiro Mevlevi, em Galata, mas quando fui ele estava em reformas e não havia cerimônias.
    Outra alternativa (que não testei), é entrar em contato com o pessoal da Les Arts Turcs (www.lesartsturcs.com) e tentar agendar uma visita a um mosteiro fora da cidade, com pouquíssimas pessoas atendendo à cerimônia. Mas não é algo com dia certo então é difícil se planejar.

Sabia que esse post ia sair logo!!!
Riq eu já vi um monte de coisas, mas não sei se já indico ou deixo pra depois (ou se acho na minha zona de favoritos hehehe)
Aonde também tem muita coisa de Istambul é no Drieverywhere (drieverywhere.eplixo.net)
Eu ia falar justamente desse Turkey Travel Planner, é ótimo, mesmo sendo um pouco difícil de navegar.

    Dri devidamente editada, obrigado.

    Olha só: não acho a navegação do TTP confusa não, pelo contrário! O site é inteiro hiperlinkadinho por dentro, você dificilmente precisa voltar a um menu para se situar!

    Acho que foi por isso que achei ruim…nuca sei da onde eu vim e pra onde voltar hehehe
    O e-mail do Metin que usei foi [email protected] mas achei ele meio ruim de roda e me cobrou o dobro do que acabei fechando e com 3 trechos de avião!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.