Um guia para viajar sozinha

    viajesozinha400.jpg

Minha crônica desta semana na Época, adaptada da orelha que eu escrevi para o excelente livro da Flávia e da Maristela. 

Por um detalhe, digamos, anatômico, eu nunca vou saber o que é viajar desacompanhada. Mesmo assim, mulheres vivem me pedindo opiniões definitivas sobre o assunto. No fim do ano passado, cheguei a escrever uma coluna intitulada Dicas para uma viajante solitária (ÉPOCA 446, 4/12/06).

Não sei se fui de alguma ajuda. Minha melhor contribuição talvez tenha sido ponderar que, muito mais útil do que repassar conselhos manjados (evite países muçulmanos!), seria trazer as experiências de mulheres que viajaram para onde bem entenderam e voltaram sãs, salvas e cheias de histórias para contar.

Eu não tinha como saber, mas naquele momento as jornalistas Flávia Soares Justus e Maristela do Valle estavam terminando de escrever Viaje Sozinha (Panda Books, R$ 42,90) – este sim, um ensaio definitivo sobre o assunto, que está chegando agora às livrarias.

Maristela já mochilou pela Europa; Flávia passou seis meses seguidos na estrada, fazendo uma volta ao mundo. Sozinhas e separadas, as duas estiveram nos lugares mais civilizados e também nos mais exóticos; já enfrentaram cantadas e mãos-bobas; aprenderam a jantar sem companhia e também a se enturmar. Suas dicas não ficam só na teoria: cada capítulo vem recheado de histórias contadas na primeira pessoa, por elas ou por outras mulheres que retornaram de suas viagens com algo mais do que souvenirs na bagagem.

Já no primeiro capítulo, Flávia e Maristela rebatem, um por um, todos os argumentos que você possa ter para não viajar desacompanhada. Bastam poucas páginas para você se convencer de que pôr o pé na estrada sozinha não é a opção de quem não tem outra alternativa – mas uma alternativa interessante em si mesma, capaz de proporcionar experiências únicas.

Claro que, numa viagem solo, nenhum cuidado é muito – e por isso as duas se demoram em estratégias tanto para evitar contratempos, como para afastar engraçadinhos e mal-intencionados. Um pequeno dicionário multilíngüe ensina a dizer “Vá embora” em 25 línguas, e a gritar “Socorro!” em outras vinte. A propósito – você sabia que, para se livrar de um indiano inconveniente, basta falar bem alto “Bad karma!” (Mau karma!), e ele se afastará? Eu não sabia; espero que também funcione com os falsos guias que aparecem no nosso caminho sem ser solicitados.

Com exceção de alguns tópicos que não encontram correspondência no universo masculino (como menstruação, depilação e gravidez), “Viajar Sozinha” é um livro que também serve a viajantes barbados. Cantadas e mãos-bobas à parte, muitos homens receiam viajar sozinhos por motivos muito semelhantes aos das mulheres: o medo da solidão, a sensação de vulnerabilidade, o temor de se virar num idioma que não domina e numa cultura que desconhece – ou seja, exatamente os aspectos que caracterizam as viagens mais memoráveis. Se tantas mulheres estão enfrentando esses obstáculos sozinhas, não há por que um marmanjo amarelar.

Para as viajantes mais inseguras, Flávia e Maristela compilaram uma lista de hotéis clubes-da-luluzinha, que só aceitam mulheres, e outra de hotéis com andares ou áreas exclusivas para o público feminino. Para as que querem se enturmar, dão o caminho das pedras dos albergues e dos clubes de hospedagem.

Nesse instante, em qualquer lugar do mundo que você queira visitar, existem inúmeras mulheres desacompanhadas descobrindo coisas, conhecendo-se melhor, fazendo novos amigos e vivendo momentos inesquecíveis. Siga os passos de Flávia e Maristela e você será mais uma delas.

70 comentários

No desespero vim procurar na net e encontrei este forum.Estarei indo pra europa dia 28/12/08.Já estou com td aertado, mas vou precisar trocar de aviao em Frankfurt e estou morrendo de medo.Nunca sai do Brasil e nem estive em aeroportos.A amiga que iria comigo não poderá mais me acompanhar e dependia do ingles dela kkkk.Não tenho ideia de como é o aeroporto lá.Seu eu precisar de ajuda consigo?Se alguem puder me ajudar, agradeço…

Eu viajo às vezes acompanhada e às vezes sozinha.
Gosto muito de viajar sozinha tenho a impressão de ter uma liberdade ilimitada. Vou onde quero, durmo a hora que quero, como o que quero.
Falo com quem eu quero. A única coisa que me deixa um pouco chateada é que a gente não tem com quem trocar idéias, de fazer comentários sobre determinada paisagem ou coisa que apareça de repente. Agora viajar acompanhada só com parceria muito afinada porque senão é roubada.

Eu viajei a Europa sozinha.. mas esse nao era o meu plano..
morrava fazia 3 meses na Alemanha e tinha 3 semanas de ferias e ninguem para ir comingo. em casa eu nao ia ficar neh gente… reservei albergues comprei passagens de trem e avião em promoção e fui me viver a Europa.
Munique – Berlin – Amsterdam – Londres – Barcelona – Paris – Roma – Veneza.
muitasss aventuras, eu sem dinheiro e com a iluste compania de apenas, nada mais do que eu mesma.
fantástico.. aprendi mto comigo e de mi mesma.. me surpreendi.

Gente, achei este forum atraves do google!!!quero viajar, mas vou sozinha…pensei em NY, pensei em Paris + Londres ou Italia ou Madri.;..mas não falou outra lingua a não ser nosso portugues!!!!o que fazer, será mtu complicado p mim para, por exemplo, pedir para ir ao aeroporto, passar pela alfandega, sempre q viajei fui em grupo, tinha sempre alguem p fazer isso por mim, mas agora é preciso o voo solo, mas tem varias duvidas?!!!! se voces puderem dar dicas, quero viajar em setembro, uns 9 dias…Q Q eu FAÇO????

Carol, já viajei sozinha várias vezes e gostei muito. New York, Roma, Paris nãotem problema nenhum. Vc vai encontrar várias mulheres sozinhas em shows, teatros e restaurantes.
A sensação de liberdade e a oportunidade de, por poucos dias, se dar ao luxo de escolher o que vc quer fazer sem se preocupar se o (a)outro(a) gostaria ou não, é muito gratificante. Do mesmo modo, viajar com quem v gosta é uma delícia. Costumo escolher sempre um ou dois países e uma ou duas cidades (10 dias de viagem). Um livro legal é: Guia do Brasileiro Pelado em Paris, autora: Mariléa de Castro, Editora Artes e Ofícios. O assunto central é viajar gastando pouco mas, como ela viaja sozinha, acaba dando dicas muito legais.

Carol, viajar sempre é bom, não sei para onde você pretende ir, na Europa você verá muitas mulheres viajando sozinhas na boa. 😉

Meu namorado não vai mais para Fernando de Noronha comigo, e eu vou sozinha! E tenho 25 anos. Ficarei 6 dias por lá…. Alguem tem alguma dica boa para me dar?

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.