Viagens aos Estados Unidos sob Trump

Enquete: a eleição de Trump influencia sua intenção de viajar aos Estados Unidos?

Viagens aos Estados Unidos sob Trump

Pergunto isso só para saber se tem muito mais gente como eu: nesse momento, tenho vontade zero de viajar a um país que elegeu um xenófobo protecionista intolerante em pleno 2016.

Acho que os Estados Unidos vão precisar gastar muita saliva pra me convencer de que eu sou bem-vindo por lá. (Sem contar a raiva por terem nos dado de presente um novo ciclo de instabilidade cambial, totalmente inesperado.)

Será que estou exagerando? Será que dá perfeitamente para separar as coisas? Que como turistas não sofreremos discriminação? Que o Trump presidente pode ser mais light que o Trump candidato?

Como anda sua vontade de viajar aos Estados Unidos, hoje? (Eu confesso que tô doido pra ir pro México.)

Mais enquetes:

146 comentários

Eu não deixaria de viajar aos EUA, mesmo com esse maluco racista no poder. Também tenho a impressão de que entre o discurso e a ação vai haver muita diferença. Nos lugares onde me sinto bem (A Costa Oeste inteira, NY, Nova Inglaterra, Illinois, Havai) a rejeição às “idéias” do Trump foram e sempre serão muito grandes. Já fui e não planejo voltar aos lugares (o cinturão biblíco do meio oeste e o Sul racista) onde o apoio para esse louco é enorme. Não tenho nenhum interesse em me misturar com esses rednecks caçadores e fanáticos religiosos, que acreditam que o Homem surgiu de Adão e Eva.
Tento ver o lado positivo, pois quatro anos passam rápido, e agora, para compensar e tentar esquecer um pouco os problemas, vou poder fumar um baseado legalmente em Boston, Las Vegas ou na Califórnia…

    Comandante, aproveito e faço outra pergunta. Você vai deixar de visitar o Rio de Janeiro nos próximos anos, apesar da triste eleição de um bispo/pastor/cobrador de dízimo fanático e intolerante para a prefeitura da cidade?
    Espero que não, pois nem todos os cariocas são culpados por isso…Grande abraço!

    Hehe, bom ponto 🙂

    Morro de medo dessa mistura de política com religião, mas ficaria mais preocupado se isso acontecesse no plano nacional ou, pior, no judiciário. Não acho que o prefeito tenha sido eleito com esse mandato, e confio que o Rio rechace tudo o que for contra a carioquice. (Confio mais nos cariocas do que nos senadores republicanos.)

    Talvez o que aconteceu no Rio tenha sido mais fácil de assimilar porque se desenhou bem antes do desfecho. O trauma da eleição americana foi ter se arrastado por tanto tempo e ter tido um desfecho imprevisto por todo mundo que não a Fox.

    Mas obrigado pelos argumentos, vocês têm me consolado 🙂

    Tá fazendo falta uma função “curtir” nesse espaço de comentários 🙂

Eu tenho uma irmã que mora em NY mas estou pensando seriamente em não a visitar mais por causa disso… não é só pelo próprio Trump, mas pela decepção com os próprios americanos, que escolheram alguém tão “vilão de filme do James Bond” para os representar perante ao mundo, só mostra como a maioria das pessoas estão em retrocesso… to achando que o Canadá vai ganhar muitos turistas hehe

    Uau! Eu não deixaria de visitar uma irmã ou uma cidade por causa do presidente eleito. Se assim fosse, teríamos que começar abandonando nosso próprio país ou deixando de visitar cidades brasileiras…Mas, cada um tem uma opinião, e isso faz parte da democracia…

Ai meu deus do céu

Vou pra lá mês que vem, inclusive, e vou pra lá toda vez que os três fatores de sempre combinarem: vontade + oportunidade + dinheiro

Não sou imigrante ilegal e não vou lá pra cometer crime, não tenho nada do que temer do Trump. Pelo contrário, acho que os EUA tem tudo pra se tornar um país levemente melhor e mais seguro pro turista com ele do que com a Hillary (mas é minha opinião).

De qualquer forma acho desnecessário trazer política dessa forma, ainda mais baseada em frases de efeito como “xenófobo protecionista intolerante”… sim, ele é tudo isso e o americano é mesmo um povo desprezível que vota nele…

Não vejo o que o seu site tem a ganhar com isso, de verdade.

    Alexandre, o site realmente não tem nada a ganhar com isso. É só uma questão de higiene mental do blogueiro. Pessoas que usam o Facebook compartilham suas inquietações no Facebook, eu não gosto de usar Facebook, tenho direito de compartilhar aqui.

    O post não incrimina ninguém que queira viajar aos Estados Unidos nem incita ao boicote. É apenas uma enquete, sem relevância estatística nem nenhuma importância no mundo real. Você não tinha nenhuma obrigação de responder, mas deu sua resposta. Agradeço 🙂

    Sem dúvida, Ricardo, você tem todo o direito de postar, afinal o site e blog são seus.

    Você não incriminou quem quer viajar, mas indiretamente acusou metade da população de um país de ser ou burra ou igualmente xenófoba e intolerante e não acho que isso seja benéfico.

    Até porque há 4 e 8 anos essa mesma população elegeu e re-elegeu um presidente negro filho de um imigrante queniano.

    Enfim, você pode usar seu espaço como quiser, só ACHO que usar o site referência em viagens no Brasil pra ventilar frustrações políticas sobre um outro país não parece ser um bom caminho. Até porque boa parte da imprensa brasileira e internacional já havia transformado a cobertura que devia ser jornalística nisso…

    Abraços e obrigado!

    Bom, se você acha que os termos desta enquete diminuem ou invalidam as dicas de serviço e estratégias de viagem que a gente posta aqui, é um direito seu também.

    De forma alguma acho isso e em momento algum foi o que eu disse ou sugeri.

    Ter que ficar pulando ou desviando de opiniões políticas pra chegar ao conteúdo que é o motivo que me traz aqui é sim decepcionante e tende a afugentar uma parte do público, ao menos na minha singela opinião.

    Claro, Alexandre! O site tem 100.000 page views por dia, 80% acessadas via Google por pessoas buscando uma informação específica. Dos 70.000 leitores diferentes que temos por dia, a imensa maioria passa longe da home, e não tem a mínima idéia do que seja o blog ou de quem seja eu. Daí este post aqui, que ao fim do dia vai ter 2.000 views no máximo, vai afugentar todos os outros 1.198.000 leitores do mês que o Google manda para cá porque identifica que aqui estão as respostas mais completas para o que procuram, porque estarão indignados com os adjetivos que eu escolhi para definir um presidente americano. Perfeito! Vamos marcar um chopinho pra você me dar dicas de SEO também. De repente levo minha sócia e você dá também uns pitacos na parte comercial. Abraço!

    Ok, Ricardo

    Meu ponto já se perdeu no meio de insinuações que passam longe do que falei.

    Mais uma vez parabenizo você pelo excelente trabalho com o seu site/blog e paro por aqui.

    Abraços e obrigado mais uma vez!

    Só porque eu sou desses chatos que não resiste, quero dizer que a população que elegeu Obama seguramente não é a mesma que elegeu Trump. A interseção dessas populações deve ser minúscula!

O Danilo tirou as palavras da minha boca. O absolutismo terminou no século XVI, então um presidente não governa sozinho. Além disso, os EUA são um país extremamente globalizado, e qualquer tentativa de alterar isso vai provocar muita resistência. O Trump falou o que o eleitorado pouco instruído quer ouvir, é um estrategista, mas não vai tomar nenhuma medida de muito impacto com relação aos demais países e visitantes.

Não muda nada para o turista, exceto o fato de pagar mais caro pelo dólar nas primeiras semanas.
Creio que ele criou um personagem para se eleger, que não será o mesmo que tomará posse no dia 20/01, então sim, creio que ele será mais light.
E lembrando que ele foi eleito presidente, e não ditador dos EUA, uma democracia de quase 350 anos, que tem os mecanismos de pesos e contrapesos para lidar com esses “imprevistos”.

    Concordo super com o Danilo. Acho que o Trump eleito fará menos mal que o Trump candidato. #oremos

    Acho o mesmo que Danilo, ele é antes de mais nada um show man e encarnou um personagem ,que não agradou a muitos, porém a mídia se encarregou de amplificar o lado ruim e Hillary gastou o dobro que ele na campanha, ele não me convence. Assista o programa do Jorge Pontual sobre ele, vale a pena.

    Concordo contigo Danilo. Tb acho que muda muito pouco. Ainda tenho pra mim que, mesmo que o Trump fosse dar uma de louco, o Partido Republicano, com a maioria nas duas Casas, conseguirá dar uma “segurada” no cara. Afinal, o Legislativo não pode impedi-lo de falar besteiras, mas pode aprovar ou não aprovar leis, tornando o discurso do Trump vazio (se for um discurso de doido). Por outro lado, haverá uma onda conservadora, com certeza, só que isso não afeta o turismo (na minha opinião).

    Ou seja, apesar de muita gente continuar de picuinha com os EUA (mesmo antes do Trump e por causa do visto e outros mimimis), eu não mudo minha vontade de voltar lá. Nem acho que o número de turistas deva cair no longo prazo.

    Então vc pressupõe que ele trairá seus eleitores? Sim, afinal aqueles que votaram nele querem que ele seja o Trump das eleições. Vc diz que teremos um estelionato eleitoral made in USA?

    Santa ingenuidade, Nico! Você acha que será a primeira vez que um candidato não cumpre o que prometeu?
    A propósito, estou vendendo um terreno na Lua muito barato…Linda vista!

    Ah bom Pablo! Achei que na América era diferente! (tinha um traço de ironia no meu comentário)

    Então peço desculpas, Nico. E retiro a oferta do terreno. As ironias escritas as vezes confundem..
    Um abraço!

    Concordo, Danilo. Pra gente, turistas, não muda nada, exceto a instabilidade cambial que deve rolar agora e quando ele tomar posse.

    Ai gente não confio nesse louco não, nada é tão teatro assim… acho que ele reflete o perfil de maior parte de americanos… por mais que ( (seee for) seja personagem criado para eleições… e se está eleito é porque a população pensa como ele…. sabe-se que grande parte deles realmente é assim, mas acredito que estava bem inibida por causa do Obama presidente… agora a coisa muda…muito triste pessoas com esse perfil de ditador intolerante ser eleito o presidente mais importante do mundo! será que a humanidade está regredindo? em fim , vou aguardar vcs irem e contarem aqui rsrsrs…. por enquanto minha passagem será p outros lugares rs… bjos!

Se fosse uma viagem curta, não adiaria. Mas, também, tenho o privilégio de não fazer parte de nenhuma das minorias hostilizadas abertamente pelo Trump (a não ser que a gente conte mulheres……………………..), então dificilmente acho que minha viagem seria impactada… Mas, estou planejando uma estadia longa, de pelo menos um ano, para estudos nos EUA. A moradia longa estou repensando e retomando a ideia de estudar na Inglaterra.

Tenho cada vez menos vontade de ir pra lá! Menos que zero – minha vontade é negativa, tipo menos 20, 30! Eca mil vezes!

Ricardo, bom dia!

Pensei EXATAMENTE a mesma coisa que você nesta manhã. ONTEM à noite estava planejando uma viagem aos EUA para o ano que vem e desisti depois do resultado das eleições. Prefiro ver como a banda vai tocar antes de pisar novamente por lá…

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.