Viajandão americano dá volta ao mundo por onde suas roupas são feitas

Kelsey em Honduras, na fábrica da camiseta do Tatoo
Kelsey em Honduras, na fábrica da camiseta do Tatoo

Essa eu peguei no This just in, o blog da Budget Traveler.

Kelsey Timmerman estava em sua casa em Muncie, Indiana, quando, ao vestir sua camiseta de estimação com a estampa do Tatoo da Ilha da Fantasia, resolveu xeretar onde poderia ficar a tal ilha. Foi ver na etiqueta: estava escrito made in Honduras.

Teve uma idéia de viagem: ir aos lugares onde são fabricadas as roupas que os americanos vestem. Completou seu itinerário com as roupas que estava usando naquele dia: cuecas de Bangladesh, um jeans do Camboja e sandálias de dedo da China.

A viagem virou um livro — e um site: Where am I wearing? (algo como “Onde estou vestindo?”)

E o que podia virar uma reportagem-denúncia sobre a globalização e as condições sub-humanas em que as roupas são produzidas mundo afora virou um relato apaixonado pelos lugares e pessoas que Kelsey conheceu pelo caminho — exploradas, miseráveis, mas que estariam ainda pior sem seus empregos.

O lugar de que ele gostou mais? Bangladesh, vejam vocês.

Se fosse pelas roupas que eu estava usando ontem, eu ficaria bastante tentado a fazer uma viagem como a dele. Minha Levi’s 501 foi feita na Colômbia; a camiseta Gap gola V, em Cingapura; e os sapatos Camper, em Inca, na ilha de Maiorca.

Se bem que, como legítimo Imeldo das Havaianas, eu teria que começar minha turnê por Campina Grande, na Paraíba.

:mrgreen:

24 comentários

Eu sempre elogiei muito a Varig, dos produtos Sadia e roupas da Richards.
A Varig e a Sadia quebraram e a Richards tá com um monte de roupas Made in China (o que eu acho uma vergonha!).
É por isso que eu não elogio o VnV. Toc toc toc…

    Zé , tem china e china 😉
    O china segunda linha de materia prima e mão de obra , que é o que mais tem por aqui , e o confeccionado na china , com padrões de mão de obra e aviamentos pré definidos , materia prima de primeira linha , modelagem ocidental , enfim , as coisas que tenho visto na Richards e em outras marcas de ponta .
    Feito na China , ou em qualquer outro lugar , só carrega atestado de má qualidade se tiver um preço abaixo do mercado .

    É verdade, isso vale não só para roupas, como também para produtos eletrônicos. A China é a fábrica do mundo. Mas há uma linha de montagem de primeira qualidade para as grandes marcas (de qualquer produto) e uma linha de montagem de décima qualidade para as marcas chinesas…

Quando der para tirar alguma peça de roupa eu verifico onde foi fabricada. Talvez lá para Novembro, quando as temperaturas resolverem subir… #friofriofrio

Muito interessante a idéia. E melhor ainda a pesquisa : sapato – brasileiro, calça – brasileira, cinto – brasileiro, camisa – turca, jaqueta – brasileira e do sul.

Portanto, estou trajando uma conexão Brasil/Turquia.

Tsk tsk tsk .. vou morrer em BsAs 🙄
Estou 100% vestida em produção Argentina .. tb com esse clima
polar que baixou aqui .. 😉

Interessante mesmo! A gloibalização está até nas nossas roupas, roupas que compramos em lugares que nem imaginaríamos que venderiam artigos “importados”. Fio rapidinho investigar a minha indumentária, e me surpreendi: terno chinês (mas com corte italiano, hein…), suéter espanhol (nunca imaginei que estaria usando uma roupa européia!), gravata, sapato e camisa brasileiros, meias chinesas. Dia desses, vi um documentário sobre as péssimas condições de trabalho na indústria do vestuário na India, desdea a colheita do algodão até a produção das peças de roupas, em si. E confesso que nem havia me dado conta de que poderia ter roupas vindas de tão longe!

Super interessante. Infelizmente, após dar uma verificada básica nas roupas que estou usando hoje só rolava viagem pra China. Vou tentar fazer esse relato quando tiver mais etiquetas assim a viagem pode ser mais longa.