Viaje nas viagens

Tripulação,

Vou passar mais um dia fora da base e déscónéquitado, num bate-e-volta ponte-aeriano marcado tão em cima da hora que não dá nem pra combinar aquele convescote com os viajenautas dos dois lados da Baía de Guanabara.

(Mas oportunidades não faltarão, prometo.)

Enquanto isso, fiquem à vontade para colocar qualquer assunto na roda.

Mas se eu fosse vocês, subiria com o Arnaldo aos miradouros de Lisboa; daria uma geral em Punta del Este com a Carla; me esbaldaria na Antuérpia com o Marcio; pegaria carona com o Arthur para rodar a Paraíba todinha; percorreria as vielas de St.-Paul-de-Vence com o Jorge; seguiria a Carmen pelo sul da Bahia; e conheceria a Singapore Girl, devidamente apresentada pelo Rodrigo.

Quem tiver outras viagens para indicar, é só dar o link para o embarque na caixa de comentários.

Até mais!

117 comentários

Hugo, eu tinha me esquecido de falar sobre a locomoção em Noronha.
Se você tiver orçamento tranquilo, então alugue o bugue todos os dias.
Não estava dentro do meu orçamento ficar com um todos os dias, então eu só fiz isso no primeiro dia, para dar uma geral na ilha e planejar voltar nos lugares que eu mais tinha gostado. Depois, utilizei todos os meios disponíveis: taxi, a pé, ônibus, lotação, carona, barco, transfer…
Para ir ao centro ou para as praias do mar de dentro, eu pegava o ônibus (que passa a cada meia hora e é muito prático) e depois seguia a pé para onde queria. À noite, para ir ao Tamar e jantar, eu pegava carona (vc sempre conhece gente por lá) ou lotação, normalmente jipes (saindo do Tamar para a vila). Voltava de taxi para o hotel.
Quando ia mergulhar aproveitava o transfer da Atlantis do hotel para o porto e na volta também. Fiz isso também com o guia da trilha de Caieiras, que me pegou no hotel e me levou até o começo da trilha e me deixou no Forte do Boldró para o pôr-do-sol.
Apesar dos taxis, ainda saiu bem mais barato que alugar todos os dias.
Mas eu só recomendo esse esquema para quem for mais desencanado e também para quem gosta de caminhar (eu adoro, para mim é terapia). Caso contrário…bugue todos os dias.

Majô, Carmem e Arnaldo,
Valeu pelas dicas sensacionais de Barcelona e Paris…Tenho o maior orgulho de pertencer este blog…

Jussara ;
A primeira coisa é viajar em dupla.
A segunda é ler tudo o que passar pela frente;vc pode começar
salvando por cidade todos os comentarios aqui da VnV.
Podes ler a vontade nas maiores livrarias .
Vou fazer uma conta simples para vc :deixando de consumir 10 reais
em bobagens por dia vc guarda 3650 reais em um ano , que é
suficiente para fazer uma ótima viagem.
Se vc guardar o mesmo valor por dois anos vai ter quase 3 mil euros.

Com certeza conto com todos vocês Arnaldo, Daniela, Riq e cia.. Desde o início do blog estou por aqui diariamente viajando nas viagens de todos. Recentemente experimentei uma indicação da Carla em Miami e foi muito legal.O Brasil que conheci foi seguindo as dicas do Freires Praias e das reportagens na VT(assino desde o primeiro número que trazia N.York, justamente o lugar que eu estava indo naquele dezembro). O problema é como ir. Algumas vezes uso pacotes de operadoras que trabalham com pousadas recomendadas pelo guru Riq (aquelas do meio da lista pra baixo pq a grana é meio curta e sem ninguém pra dividir) e faço meu roteiro. O inconveniente: pago quase por dois.Outras vezes vou por conta para ter maior liberdade e acabo gastando muuuito. O que eu gostaria é do caminho das pedras para viajar de modo econômico e com conforto (espertinha hein?). Mas, isso no Brasil.Como vcs descobrem as barbadas que já vi por aqui? E como descobrem esses lugares maravilhosos da Europa, tão pouco divulgados? Quero ir a todos. Adoraria conhecer a região dos vinhedos da França, as vilas paradas no tempo. Por enqto, planejo para as próximas férias ir até Mendonza, na Argentina. Todas as dicas são bem vindas.
Será que é tarde para deixar o comentário por aqui?

Lana, Emília e Guilherme, muito, muito obrigada pelas dicas!!! Estou começando a achar que não vai sobrar tempo para ir ao congresso enquanto eu estiver em BH… 😉

Fábio, Toronto…….. hum… fiquei por lá 2 meses em 2000 numa casa de família. Na verdade não era uma família, era uma senhorinha italiana que vivia de alugar os quartos para estudantes em intecâmbio. A casa era uma festa!

Toronto é uma metrópole, vc vai encontrar tudo que encontra em outras(não sou muito entusiasmada com este tipo de viagem). Tem as dicas batidas, almoçar ou jantar na CN Tower, o Eaton Centre (shopping), se vc gosta, assistir a um jogo no Skydome…
Mas o que vale a pena de verdade é alugar um carro e ir a Niagara Falls (lindo! super turístico, mas é lindo e fica a menos de 1 hora de Toronto), Ottawa, Quebec, Montreal. O Canadá é um lugar maravilhoso! vc vai amar! se gosta de jazz, Quebec tem um festival enorme, mas acho que é em julho.
Eu faria um roteiro pra ir parando e marcaria a passagem de volta pela última cidade.