Vídeo do sábado: Jaisalmer, Índia

Esse papo todo sobre Índia me deu uma saudade louca do lugar mais surpreendente da minha primeira viagem, em 1993: Jaisalmer, uma cidade murada perdida no deserto do Thar, perto da fronteira com o Paquistão.

A cidade hoje já é meio manjadinha — virou um centro de turismo-aventura por conta de seus safáris de camelo — mas a falta de aeroporto e a proximidade a uma fronteira conturbada fazem com que o lugar não transborde de turistas.

Para chegar é preciso alugar um carro com motorista ou pegar o trem noturno — ambas opções em Jodhpur.

Não são só as muralhas que dão à cidade o seu aspecto das mil-e-uma-noites. Dentro delas encontram-se inúmeros havelis, palácios com fachadas esculpidas feito renda. (Alguns deles se transformaram em hotéis.) E o pôr-do-sol no deserto é de chorar de bonito.

A melhor época para ir é entre dezembro e fevereiro, quando os dias são quentes e secos e as noites, bem frias. Em janeiro e fevereiro Jaisalmer sedia o Festival do Deserto, com feiras, festas e espetáculos.

29 comentários

Obrigada, Jurema!
Nada mau…mas acho que, apesar de gostar de cair na estrada, ainda fico com a RTW padrão 😀
Eu já tinha lido um livro sobre um cara que fez Londres-Katmandu de ônibus, mas virou fichinha depois deste Ozbus.

Muito obrigada pelas dicas, Sylvia e Ricardo. Estou ansiosa pela viagem. E, sobre o acidente, que triste vermos mais uma vez um caso como este!!!!

Thanks Jurema !
Já mandei esta tua super dica para uns amigos que certamente vão
correr para esta inusitada rtw.
E eu
vou pedir de aniversario para ter durante 3 meses , a metade da idade
que vou fazer e dai encaro essa aventura numa boa 😳

O mais triste é que esse é o pior mês para ir a Phuket. 400 mm de chuva.

Me faz lembrar aquele ônibus que ia de Maceió pra Maragogi de madrugada na chuva para tentar pegar o finzinho da maré baixa na piscina natural — num dia e numa hora que não deveria ter saído de Maceió.

CACACA: 🙁 🙁 🙁

Um avião com mais de 120 passageiros da companhia de baixo custo One-two-go se acidentou neste domingo no aeroporto da turística ilha tailandesa de Phuket. O avião se partiu ao meio e “90% das pessoas devem ter morrido”, de acordo com representante do governo, mas o número não foi confirmado. Pelo menos 66 corpos já foram retirados da aeronave, de acordo com o governador da ilha, embora acredite-se que o número de mortos possa passar de 100.

http://noticias.terra.com.br/mundo/interna/0,,OI1911383-EI8143,00.html

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.