Vinícolas no Uruguai

Enquete | Vinícolas no Uruguai: deixe suas dicas!

Vinícolas no Uruguai

Visitar vinícolas é o novo esporte do brasileiro — e pode dar um toque especial à sua viagem ao nosso vizinho de baixo. Sim, existem ótimas vinícolas no Uruguai. Muitas estão nos arredores de Montevidéu. Carmelo, pertinho de Colonia del Sacramento, também tem suas bodegas (que é como se diz vinícola em castelhano).

A produção de vinhos uruguaios é pequena e quase toda consumida localmente. As estrelas são as uvas tannat e viognier, que dão um caráter todo próprio aos tintos e brancos do país.

Lembre-se que há tolerância zero para direção e álcool no Uruguai. Faça seus tours com traslados contratados.

Vinícolas no Uruguai: perto de Montevidéu

A região vinícola próxima a Montevidéu fica em Canelones, ao norte da capital, saindo pela Ruta 5. À bodega mais próxima, a Bouza, dá para ir tranqüilamente de táxi. Para as outras, você pode contratar um remis (carro com motorista) a partir de 100 dólares (seu hotel pode arranjar um para você).

  • Bodega Bouza
    A mais próxima (15 km) e mais bem-estruturada para receber visitantes. Tem também uma coleção de carros antigos. Seu restaurante funciona todos os dias. As visitas acontecem de 2ª a 6ª às 11h, 13h30 e 16h; sábado, domingo e feriado às 11h e 16h; custa 490 pesos uruguaios ou 17 dólares. Degustações ocorrem ininterruptamente das 10h às 18h; custam 1.000 pesos uruguaios ou 35 dólares e incluem a visita guiada. Reserve pelo site. Ruta 5, km 13 – Camino de la Redención, 7658 bis, tel. 598/2323-7491. Veja relato da visita da Lu Malheiros no Divindo a Bagagem.
  • H. Stagnari
    A H. Stagnari se apresenta como a mais premiada do mundo em tannat. A atração mais peculiar da propriedade é um labirinto de vinhas. A visita simples, sem degustação (inclui vinhedo, vinícola, cave e labirinto) custa 300 pesos ou 10 dólares. A visita com degustação de 4 vinhos custa 45 dólares; a visita com degustação de 4 vinhos de alta gama e um espumante sai 70 dólares. Se você for fazer uma degustação, é possível contratar o traslado diretamente com a vinícola; para duas pessoas, o traslado ida e volta sai 40 dólares. Reserve pelo site com 48 horas de antecedência. Ruta 5, km 20, La Puebla, tel. 598/2362-2940.
  • Antigua Bodega Stagnari
    A Antigua Bodega Stagnari é vizinha da H. Stagnari. Abre para visitas de 2ª a 6ª das 9h às 17h e sábado das 9h às 14h. É preciso reservar com 24 horas de antecedência por telefone. Não informa os preços da visita no site. Ruta 5, km 20, La Puebla, tel. 598/2362-2137.
  • Bodega Juanicó
    A 37 km de Montevidéu (e 6 km do centro de Canelones), a Juanicó é bem-estruturada para receber visitantes. As visitas se realizam de 2ª a sábado às 10h, 13h e 15h; domingo às 10h, 12h e 14h. Há quatro tipos de visita a escolher; duas delas incluem almoço. É preciso reservar os tours com almoço com 24 horas de antecedência. Use o formulário do site. Ruta 5, km 37, pueblo Juanicó, tel. 598/4335-9725.
  • Viñedo de los Vientos
    Perto da estrada que leva de Montevidéu a Punta del Este, o Viñedo de los Vientos está a meio caminho entre a capital uruguaia e seu balneário mais famoso. As visitas são feitas apenas por agendamento pelo site. Ruta 11, km 162, tel. 598/4372-1622.

Vinícolas no Uruguai: Carmelo

A uma hora de carro de Colonia del Sacramento, Carmelo está para o campo assim como Punta está para a praia: você não vai encontrar nada mais sofisticado, no gênero, no lado de baixo da América.

  • Finca Narbona
    A senha para visitar essa bela vinícola (que tem uma filial do restaurante em Punta del Este) é fazer uma reserva para almoçar no restaurante. Querendo o pacote completo, aproveite para se hospedar. Ruta 21, km 268, tel. 598/4540-4778. Veja a visita da Alexandra Aranovich no Café Viagem (role a página).
  • El Legado
    Despretensiosa e familiar, a El Legado recebe visitantes num espaço aconchegante. As degustações podem ser marcadas por telefone. Ramal Ruta 97, Carmelo, tel. 598/98-307-193. Veja relato da Mile Cardoso no Uruguai por uma brasileira.
  • Familia Irurtia
    Muito próxima ao centro de Carmelo, a bodega Familia Irurtia oferece visitas guiadas regulares 6ª. sábado, domingo e 2ª às 11h. Para visitas e degustações em outros dias e horários é preciso agendar com pelo menos duas horas de antecedência, por telefone. Ingiñero Químico Dante Irurtia, Paraje Curupí, tel. 598/99-692-545.
  • Los Cerros de San Juan
    Mais próxima a Colonia, a Cerros de San Juan é uma bodega histórica: funciona desde 1854. Oferece degustações com agendamento prévio: podem ser simples, com queijos e embutidos ou com churrasco. Ruta 21 km 213, tel. 598/91-949-494.

Você já visitou vinícolas no Uruguai?

Quais bodegas visitou, e quais valeram mais a pena? Como você foi? Quanto custou o transporte? Pode indicar algum guia ou agência?

Suas dicas podem ajudar muito no roteiro de outros leitores — como a Dri, que acaba de nos escrever contando sua dificuldade em planejar esta parte da viagem, por não encontrar remises que façam transporte particular às bodegas, como aqueles em Mendoza.

Aos comentários!

Leia mais:

47 comentários

A Pizzorno é bem bacana e bem perto. Dá para ir de uber ou dormir lá!
A Bodega Carrau tb fica perto. É mais familiar que a Bouza. Eu prefiro as menores!

Boa tarde! A Vinícola Artesana, perto de Montevideo, que faz visitas com degustação e almoço, alguma recomendação? A Tannat não é sua especialidade, e sim a uva Zinfandel, com custo-benefício bem interessante. Alguém já fez essa visita?
Grata pela ajuda.

    Olá, Livia! Vamos compartilhar sua dúvida no Perguntódromo. Havendo resposta, aparecerá aqui.

    Olá Lívia! Minha esposa e eu estivemos no Uruguai em novembro de 2015. Visitamos 9 vinícolas e entre elas, a Artesana.
    É uma bodega bem pequena e “artesanal” comandada por 2 amigas.
    A visita levou uns 20 minutos e depois almoçamos lá.
    O cardápio foi simples, mas bem preparado e estava gostoso. Entrada com frutas secas e castanhas, pães e patê. Prato principal foi um corte de carne assada com legumes e vegetais grelhados. Tinha sobremesa, mas não me lembro qual foi. Cada prato foi acompanhado de um vinho. Os vinhos são bons, nada extraordinário. Considero que das 9 vinícolas visitadas, a Artesana ficou na média do conjunto. Vinícola bem cuidada, apresentada por uma das proprietárias e pelo que entendi o almoço foi preparado pelo marido (que é chefe de cozinha) de uma delas. Fizemos outras visitas mais interessantes e almoços melhores, mas como você comentou, o custo-benefício da Artesana é bom, mas não espere muito. Para usar um termo comum no mundo do vinho, diria que a visita/almoço são honestos. Recomendaria as degustações/visitas na Juanicó (pelos vinhos, estrutura e degustação) e a Los Cerros de San Juan (pela história – mais antiga do Uruguai, pela degustação e vinhos). Almocei também na Narbona e Bouza, ambos melhores que na Artesana, mas tem seu preço! Destaco o atendimento em todas as vinícolas, sempre muito bons e simpáticos. Se quiser encarar outra vinícola pequena e familiar, mas também muito simpática, tente a Bodega Boutique El Legado, não sei se tem almoço, só fizemos a degustação. Espero ter ajudado. Bom passeio!

    Agradeço demais seu comentário tão completo! Vou anotar tudo e visitar os sites das vinícolas que sugeriu. Tenho lido muito sobre a Juanicó e a Bouzas. Quando li sobre a Artesana e não vi mais nenhum comentário que me enchesse os olhos, corri pra cá pra pedir ajuda. O que me chamou a atenção da Artesana foi o fato da Zinfandel ser a uva principal cultivada e não a Tannat, como de costume, e então resolvi pesquisar. Pretendo visitar somente uma vinícola, pelo curto tempo que terei em Montevideu, então vou escolher com mais cuidado e carinho, a partir do seu relato. Muitíssimo obrigada! Abraços.

    Boa tarde Lívia! Já estive 2 vezes na Artesana. A primeira em outubro de 2018. Tínhamos reservado um almoço, mas o tempo virou e cancelamos. No dia seguinte voltamos sem agendar a visita. Fomos super bem recebidos. Não foi possível almoçar. é uma vinícola pequena e não havia mais vagas para aquele dia. Mas nos foi servida uma tábua de queijos e frios da região, com um pão feito por eles mesmos, que foi sensacional. Ficamos umas 3 horas apreciando os vinhos e os petiscos. Em outubro de 2019 voltamos lá. Dessa vez conseguimos almoçar. O mesmo atendimento sensacional. Uma coisa interessante é que a vinícola fica numa reião chamada de Las Brujas. A vinícola é comandada por 2 mulheres… já viua a associação, né? rssss Vale muito a pena conhecer!

Olá! Estou em dúvida em como me locomever. Leio em td lugar que alugar carro é a melhor opção, mas como fica a questão da lei seca? Eu e meu marido adoramos vinho e pretendemos ir a várias vinícola, sempre há degustação e fico com receio. Já percebi que até as vinícolas mais próximas é possível ir de uber, mas e para voltar: Acha-se com facilidade? E nas mais distantes?

    Olá, Marilia! O melhor é contratar um remis para o dia, como se faz em Mendoza. Seu hotel consegue um para você.

    Marilia, eu visitei a Spiniglio, Carrau e Pizzorno de Uber/Cabify. Na volta demora um pouco para o carro chegar, mas não tive problema com cancelamento de corrida ou algo parecido. Em todos os casos, os motoristas que aceitaram a corrida cumpriram indo buscar nas vinícolas.
    A Bouza dispõe de um transporte exclusivo que te busca em seu hotel. Se você fizer a Experiência Bouza, ele está incluso. Se for só fazer a degustação (que conta com alguns acompanhamentos), você paga a parte. Fica quase o mesmo preço do motorista por aplicativo.
    Espero ter ajudado, mesmo quase 1 ano depois da sua dúvida 😅

Fui recentemente na Bouza, Viñedo de Los Vientos e na Bracco Bosca (20 minutos de carro da Los Vientos). A Bouza é aquela vinícola bem para turista mesmo: o almoço harmonizado vale por toda a visita (sou sommelier e indico o branco de Albariño e o Monte Vide Eu, tinto, se forem comprar algum). A Los Vientos e a Bosca são menores, e fomos os únicos visitantes: o Agustin da Los Vientos é uma pessoa excelente e muito apaixonada pelo que faz (entre os vinhos, o Licor de Tannat e o Anarkia – único vinho biodinâmico do Uruguai – me encantaram). E a Bracco Bosca… A proprietária Fabiana encantou a mim e a minha família com o seu carisma e paixão pelo vinho. Foram muito amáveis conosco, embora tenhamos ficado mais na parte de vinificação e um ótimo papo com ela. Recomendo a visita fortemente.

Só conheço a Bouza e volto para lá com certeza. É fácil ir de táxi e o almoço harmonizado foi muito bom.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.