Já passou o Réveillon em Buenos Aires? Conte como foi!

rojotango8

Achei outro dia um comentário muito interessante num fórum de internet: “o Réveillon de Buenos Aires é em Punta del Este”.

Mas muitos brasileiros vão estar na cidade, aproveitando os preços baixos e todas as outras coisas bacanas que a cidade tem a oferecer, mesmo no fim de ano.

E daí que todo dia aparece alguém perguntando o que fazer na noite do dia 31.

O que eu sei, mesmo sem nunca ter ido: que os fogos são em Puerto Madero. Que pegar táxi fica tipo impossível depois da meia-noite. Que muitos restaurantes fazem ceia. E que a balada é forte.

Quem está ali por Puerto Madero pode ficar no Asia de Cuba, que abre à 1h.

(Esta lista de baladas do site Oh! Buenos Aires também pode ser útil nesta hora.)

Você passou o Réveillon em Buenos Aires recentemente? Como foi sua experiência? Tem alguma dica para dar?

E você que está indo este ano: achou algo quente nas suas pesquisas? Conta pra gente!


558 comentários

Eu passei com minha mãe e minha irmã o reveillon de 97 para 98, faz tempo. Época de 1 para 1, jantar regado baratissimo, em Puerto Madero, com dança (acho que foi 80 dólares), festa e ainda conheci Jesus, um mexicano (no auge dos meus 20 e pouco aninhos, achei o máximo encontrar Jesus na 1a hora do ano). Mas os fogos eram um ploc ploc tímido. Fez frio mas com o aquecimento global isso deve ter mudado. Valeu pela viagem. Já passei em Punta (07/08), e é verdade, eles passam lá, logo é bom para a gente ir para BA ha ha (adoro los hermanos, sin problemas, solo un chiste)

    Cristina,

    Você lembra o nome do restaurante que você passou?

    Obrigada,

    Adriana

    Ih, Adriana, não lembro não, isso tem muitos anos, mas descobrimos lá mesmo. Pelos comentários que vi aqui, os preços subiram muito, não deve mais ser essa pechincha ;-(

Passei a virada de 2000/2001 em BsAs. Estava com amigos e foi bem animado. Achei a cidade bem movimentada, pelo menos naquela época, uma década (!) atrás. Neste ano, coincidentemente, eu, minha esposa e um casal de amigos passaremos lá novamente. Depois de vermos os preços que as pousadas no NE ou os hotéis do RJ estavam pedindo resolvemos fazer uma reserva no Faena (nada contra NE e RJ, nós adoramos ambos). O Faena não é barato, eu sei. E o preço do jantar/festa também é “salgado”, mas vamos para conhecer o hotel e as suas starkizitices (apropriei-me Riq ;-)), ja que conhecemos bem BsAs pois voltamos duas vezes depois daquele Réveillon. Enfim, vamos sem maiores expectativas, o que torna tudo mais interessante na minha opinião.

Desculpem o trocadilho, mas é mais quente do que no lugar mais quente do Brasil !!

Eu + a Mel + casal de amigos passamos dois réveillons seguidos em BsAs (2006/7 e 2007/8).

Adoramos — mas saiba que fomos pela cidade, não pela festa…

Queríamos curtir uma viagem pra um lugar bacana a um custo razoável: os pacotes (comprados com 3 ou 4 meses de antecedência) custavam o equivalente a qualquer outro feriado, e não 5x mais como a maioria dos destinos nacionais.

Então, como não tínhamos expectativa em relação à festa de virada do ano em si, curtimos muito! Em Palermo só rolam festas fechadas (escolha uma e torça pra ser boa!), enquanto em Puerto Madero a galera sai dos restaurantes, vai toda pro calçadão e fica dançando e curtindo por lá. Fica animado, mas sem muvuca, dá pra caminhar e curtir com tranquilidade.

A gente ignora as ceias: compramos na véspera garrafas de Chandon Pinot Noir, pães, queijos e frios — e tocamos pro Puerto Madero. (E se dá melhor quem está hospedado lá perto, porque é realmente complicado conseguir transporte.)

Se museus não abrem, lojas e restaurantes estão bombando — muitos abrem mesmo no 1o de janeiro. Então dá pra curtir muy bien!

O ponto negativo, pra nós, é que a temperatura chega fácil aos 38 graus (!) durante o dia. Derruba mesmo e limita um pouco a curtição. De resto, se você calibrar as expectativas e não esperar uma Copacabana, dá pra curtir muito! 😉

    Outra receita que vale para praticamente todos os lugares fora do Brasil! Ir sem expectativas para a festa, não cacifar um jantar caríssimo e apostar numa festa fechada…

Passei em BsAs há dois anos, num restaurante em Palermo, o Janio. Foi um dos pouco que fez ceia de ano novo. Comida e bebida fartas e boas, mas acho que foi a combinação das pessoas que estavam lá que fizeram a noite divertida. As duas mesas de brasileiros se juntaram com uns ingleses barulhentos e fizemos contagem regresiva, fomos comemorar na rua, dançamos, nos juntamos aos locais que vão prá rua soltar balões (como os nossos de são joão!). Acho que o responsável pela casa não deve guardar as melhores lembranças da noite, era prá ter sido um jantar mais comportado!
Eu queria mesmo saber é onde é o reveillon dos taxistas – somem todos! Foi difícil sair de lá.

    Também passei no Janio. Rs. Mas tem mais tempo: uns 6 anos, eu acho. Eu nunca passei um senhor reveillon fora do Brasil. Estava com um casal de amigos. Fomos para um barzinho ali do lado esperar uma danceteria abrir (acho que abria 3 ou 4 da manhã), mas a pilha acabou quando a fila estava começando a se formar na porta. Voltamos para o hotel e a pilha voltou, então fomos ver o sol nascer em Puerto Madero, mas não tinha mais ninguém na rua. Foi divertido porque estava com ótimos amigos. Mas quem quer festão, corre pra Copabana. Rs.

O que dizer sobre o reveillon em Buenos Aires? Sim, para os porteños ele é em Punta. A queima de fogos da Ponte de la Mujer é talvez a indicação mais clássica para os turistas (assim como Copacabana para os gringos, porém, reduza aí 150% de animação, de fogos e de gente).
Eles não têm o hábito de festejar e a noite é como outra qulaquer. As festas têm que ser farejadas em hostels (que produzem as suas próprias ou indicam outras) e com os locais.
Minha experiência foi 2008/09 e acabei caindo numa balada indicada pelo staff do hostel que estávamos hospedados.
O local: A boate Museum, projetada pelo mesmo construtor da Torre Eiffel e simplesmente muito bonita e gigante.
O valor: 100 pesos dava direito a um jantar (entrada+principal+sobremesa) e 5 bebidas (cerveja, vinho (taça) ou drink). O restante dos drinks consumidos eram pagos a preços não muito elevado (algo como 5 pesos).
As mesas eram reservadas por grupo, chegamos por volta dew 23hs o jantar foi servido ao som de um comediante local que nem teve a ousadia de fazer uma contagem regressiva de passagem de ano. Após a comédia, uma banda de pop-rock tocou por meia hora enquanto as mesas eram “abduzidas” da pista de dança que pouco depois ficou bem cheia ao som de um dj que tocava 90% de músicas latinas/caribenhas e 10% de eletrônia. O saldo da noite? Foi divertido porque estava com amigos e o local era muito bonito. Mas sinceramente, foi uma balada como outra qualquer.
O maior pesar de Buenos Aires no reveillon é que todas as instituições públicas (INCLUINDO museus e os jardins de Palermo) fecham nos dias 31, 1 e 2, então, se você tem intenção de visitar esses locais, tome cuidado com a duração de sua viagem, pois, você pode acabar voltando para casa sem conhecer muita coisa bacana em função do feriado de Ano Novo. Sem contar o preço das passagens para esta época que chegam a ser 300% mais caros que o restante do ano, mesmo assim, se essa for sua única oportunidade de ir a Buenos Aires, vale a pena!!!

    “As festas tem que ser farejadas em hostels” é uma grande dica :mrgreen: Aliás, isso vale para qualquer lugar do mundo onde se queira virar o ano numa festa sem pagar uma fortuna incalculável num jantar ruim…

Fomos no reveillon de 2006-2007. Houve alguns fogos, o pessoal passa em Puerto Madero mesmo, especialmente na ponte de La Mujer. Mas descemos para a rua, na frente do hotel, onde havia outros brasileiros. As ceias de hotel e de restaurantes são caríssimas e parecem não valer a pena. Mas eu não ligo para ano-novo, é que minha ex-noiva faz aniversário no dia 31/12, então esse sempre foi o motivo real da comemoração. (na verdade, acho Natal e ano novo um saco, se pudesse viajava para um país ateu e de calendário diferente do nosso. Talvez China, mas com a globalização eles devem fazer alguma festa também….rs)

Assim como pro Régis, meu reveillon em Buenos Aires foi um pouco frustrante, passei na casa de uns amigos porteños. Eles não estavam muito preocupados com a virada do ano e eu tive de avisá-los pra prestar atenção no relógio, pois não paravam de conversar. Uma coisa que achei interessante, diferente é que nos prédios vizinhos muitos apartamentos tinha rodos nas janelas, desses de limpeza, de tirar agua, e depois da virada as pessoas seguravam os rodos e cantavam uma música falando que o rodo estava levando o ano velho, com as dificuldades, tristezas, etc e limpando tudo de novo, coisa de cultura que acho que só descobri por estar na casa de pessoas de lá mesmo. Mas não voltarei a passar o Ano Novo lánão, nem se fosse de graça, talvez se me pagassem bem…

Estive lá em dois reveillons e os dois foram frustrantes. Buenos Aires fica vazia nessa época, e praticamente não há fogos. Na última vez, gato escaldado, fui para uma balada organizada pelo próprio B&B, mas nada de especial, quase que o pessoal esquece de fazer a contagem regressiva…E como por lá não há o costume de vestir branco, parece uma noite como outra qualquer.