Não falo inglês. Posso viajar ao exterior mesmo assim?

  • 0
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Placa em papiamento, em Curaçao

Volta e meia essa pergunta aparece aqui no site. Às vezes o inglês vem substituído por espanhol ou francês, mas a origem da preocupação é a mesma.

Dominar um idioma -- arranhar também já vale -- ajuda muito quando você viaja ao exterior. No entanto, não falar línguas não é impedimento para fazer nenhuma viagem.

O que não falta por aí é gente que viaja só com a cara de pau e a mímica, e volta com histórias deliciosas para contar. É preciso desprendimento e um certo espírito de aventura, mas na imensa maioria das vezes tudo dá certo. O turismo é a maior indústria do planeta, e você vai se surpreender com as maneiras com que você vai ser ajudado.

Minhas recomendações para você encarar uma viagem ao exterior mesmo sem saber nada de gringuês:

1. Vá com tempo sobrando

Nada de agenda cronometrada. Você precisa ter tempo de cometer uma ou outra mancada e refazer a operação. Viajar slow diminui a tensão e dá a chance de você superar o pânico inicial.

2. Estude bastante antes de viajar

Leia tudo o que puder sobre o destino. Faça Google Maps com os seus objetivos de cada dia. Leve guias de bolso do destino junto com você. Serão seus guias em português.

3. Comece por lugares fáceis

É mais fácil aprender os macetes das viagens internacionais em destinos simples de ser entendidos. Vá a Buenos Aires (com passaporte, não com RG). Faça sua primeira viagem a Europa em Portugal ou na Espanha -- Itália, quem sabe. A Flórida é um lugar onde você vai estar sempre a dois passos de alguém que fale espanhol. No Caribe de fala espanhola (Cancún, República Dominicana, Cuba), além de Aruba e Curaçao, não há barreira da língua. Tudo o que você experimentar nessa viagem de iniciação terá utilidade em lugares onde o portunhol não tem uso.

4. Não pense que os outros não pagam mico

Viagem sem ao menos um mico não é viagem. Todo mundo está sujeito a eles -- inclusive os que dominam vários idiomas, e podem ser vítimas do excesso de autoconfiança. Leve o bom-humor na bagagem e aprenda a se divertir dos (eventuais) pratos incomíveis ou voltas dadas à toa.

5. Use e abuse dos postos de turismo e agências de receptivo

Os postos de informação e as agências de receptivo (a recepção do seu hotel representa várias) têm paciência infinita com turistas malversados no idioma local. Recorra a eles sempre que estiver em apuros.

Leia mais:

118 comentários

Atenção: os comentários estão encerrados.

Gustavo -  Viajar e Pensar

Lembre=se sempre existe a língua dos sinais e mímicas.
Prepare-se para a apontar e fazer negativo e positivo (este com algumas interpretações diferentes em algumas culturas).
Realmente informação é o importante!!!

Carlos
CarlosPermalink

Viajar é muito bom, e não é fato de não falar a lingua. Até porque para ser realemnto bem entendido vc tem que falar muito bem.
Sem falar nada (apeser de ter boas noções) sempre me virei bem.

Claudia Beatriz
Claudia BeatrizPermalink

Até quem acha que sabe a lingua, na primeira vez que tem que realmente se virar fora do Brasil, pode tropeçar!
O que vale é a vontade!
E fui pra França, sem falar uma palavra de francês e morrendo de medo porque todo mundo dizia que o povo não gosta de falar inglês. Levei um dicionário de bolso, estudei as palavras mais comuns e na primeira oportunidade voltava pro Ingles. Fui sozinha e me virei por duas semanas!
Não sei se acontece com vocês, mas por ser brasileira, sempre fui muito bem recebida em todo mundo. Tem sempre alguém pra contar uma história, pra dizer um Tudo Bem, perguntar de Pelé e carnaval.

Luciana Bordallo Misura

Minha experiência é igual a sua Claudia! Fui morrendo de medo pra França e não encontrei nenhum francês carrancudo porque eu não falava francês. Sempre fui muito bem tratada, tanto na França quanto no Japão, embora só falasse obrigada e por favor, bom dia e boa noite, essas coisas aprendidas em guias de viagem. Faltava vocabulário, mas nunca faltava cara-de-pau!

Denise Spada
Denise SpadaPermalink

Excelente sua colocação Claudia.
Muitas pessoas acabam tendo impressões erradas sobre alguns lugares, simplemente pela referência de "outras" pessoas. O melhor é viajar e depois tirar a própria conclusão. Em Paris não encontrei nenhum "monstro" pela fente. Aliás, fui MUITO bem tratada em todos os lugares (hotel, comércios, restaurantes, cafés, etc.). Acho que a gente precisa sempre lembrar que a nossa postura também influi no tratamento que recebemos. E a palavra mágica é educação... não tem jeito!
E concordo 100% com a colocação que brasileiro é MUITO bem tratado no exterior. Então, se você é marinheiro de 1ª viagem, não tenha medo. Jogue fora os pré-conceitos que te passaram e saiba que o mundo AMA o Brasil e os brasileiros.

Marcia Kawabe
Marcia KawabePermalink

Eu não preciso nem sair daqui pra dar fora! Mas quando fui a Buenos Aires, a guia do meu pacote estava nos esperando no hotel pra explicar como funcionaria nossa estada por lá, daí que fiquei feliz da vida por estar entendendo tudo que ela dizia e pensei com os meus botões que espanhol nem era tão difícil assim. No final da conversa, meu amigo disse a ela: "Parabéns fulana. Você fala muito bem português". Aí descobri que ela tava falando português com sotaque e eu pensando que era espanhol, hahahaha!

yara cynthia
yara cynthiaPermalink

Eu falo espanhol - morei no Chile e na Argentina por algum tempo. Inglês, me viro bem. Leio, falo, não escrevo. Francês, só dou vexame. Mas, mico mesmo, passei em Portugal. Gente! Que idioma eles falam por lá?

juliana amorim
juliana amorimPermalink

eles não vêm com legenda yara! Muito menos tecla SAP pra " brasileiro" como eles chamam nossa língua tropicalmente mestiça, do lado de cá do Atlântico

Ana Karenina
Ana KareninaPermalink

Yara, achei que só eu tinha essa percepção!!!!!!!!! Ás vezes, é mais fácil entender qualquer outra língua do que o português de Portugal! Estou lembrando de váááários micos por lá...

Ana Carolina
Ana CarolinaPermalink

ai, eu também sofro muuuito... quando advogava tive uma cliente portuguesa e era um parto entendê-la (bem mais fácil entender outros gringos, argentinos, italianos e até um iraniano).

Carlos
CarlosPermalink

Pois. é meus amigos também acham graça, mas tinha vindo de 1 semana em Madrid, outra em Paris, mas a mais sofrível foi em Portugal. Acho que eles nos entende, mas entender aquela língua foi barra.

Carolmay
CarolmayPermalink

Amei o post, sou meio travada para falar outros idiomas e meu ouvido é bem ruim (até para portugês!). Não sou surda, só não entendo mesmo... Mas para mímica não tenho vergonha. Usei bastante agora na última viagem pela Europa.

juliana amorim
juliana amorimPermalink

Em inglês, francês, alemão, espanhol, português, "brasileiro" hahaha, russo, japones ,eu faço cara de que estou entendendo tudo sempre. Meu marido me pergunta: " o que ele te perguntou?" minha resposta é : sei lá!!!! Continua andando!"
Mas vamos combinar: as pessoas podiam ganhar sessões de fono gratuitas!

Sílvia Soares
Sílvia SoaresPermalink

Sabendo falar pizza e taxi a gente se vira no mundo (quase) todo...não morre de fome nem fica perdida..rs...essa é a minha filosofia...rs

Lucia Malla
Lucia MallaPermalink

E "bar" e "café", palavras praticamente universais! grin

Carla
CarlaPermalink

Meninas, vou ter essas 4 palavrinhas na ponta da língua na Ásia... lol (Eu, que sempre fui perfeccionista com essa coisa de falar idiomas direitinho, estou só esperando pra ver no que vai dar essa minha incursão por esses lugares de língua desconhecida... lol )

Sylvia
SylviaPermalink

Hehe vais adorar , Carlinha !
Pra quem fala papiamento é uma degustação permanente de sotaques e misturanças lol

Carla
CarlaPermalink

Sylvitcha, eu tenho é medo de voltar com uma listinha de uns 4 ou 5 idiomas "exóticos" que eu PRECISO aprender... wink

Oscar
OscarPermalink

Nunca tivemos problemas com idioma em nossas viagens... Para dizer a verdade alguns micos acontecem, mas depois chega ate a ser divertido..
Mas tenho que dizer que o negocio fica mais complicado quando o alfabeto e diferente do nosso.... Pois de uma forma ou de outra muitas palavras chaves sao muito parecidas nas linguas ocidentais.. Mas quando pensamos em chines, japones, o negocio e mais complicado.

JULIO CORRÊA
JULIO CORRÊAPermalink

Suas dicas foram ótimas!
Embora o português esteja sendo cada vez mais usado, pelo menos nos bons hoteis e nos aeroportos, é fundamental que a pessoa comece com destinos mais fáceis.
Minha dica? Evite Nova Iorque na primeira viagem. A não ser que vc vá com alguém que fale bem o inglês. Os nova-iorquinos não têm muita paciência com quem não fala inglês. E além do mais a cidade está cheia de imigrantes que falam um inglês muito enrolado. Se pra quem sabe já é difícil...
abração

Claudia Beatriz - Aprendiz de Viajante

Julio,

mas só o que se vê o dia inteiro em Nova York é gente falando em português!

Marcelo Galvão
Marcelo GalvãoPermalink

Nesta área, uso-o e abuse muito dele: o Google translator "órrrr" tradutor. É muito bom! E está com uma nova versão.

Arthur | Agora Vai
Arthur | Agora VaiPermalink

Uma vez li uma matéria sobre o "Globês", que é uma versão bem simplificada do inglês e que vem se espalhando devido ao turismo e comércio internacionais. O globês não é uma invenção, é uma constatação. Aí cheguei à conclusão que são esses os dois idiomas estrangeiros que eu falo: globês e portunhol...

Dani G.
Dani G.Permalink

Parei num posto em Wales e queria comprar um simples café e pluft, não entendi NA-DA que o cara me disse. Nem eu nem o Marc. Depois de alguns minutos a gente se deu conta q a máquina tava quebrada e o cara tava querendo explicar! razz

Olha, se eu fosse me preocupar c o idiomas q nao falo, nao estaria passando esses 3 anos aqui na Romênia ! Passo o dia no mimiquês e inventando palavras em Romenês (o novo portunhol), rs. Qdo chegamos aqui e nao sabiamos mesmo nada de romeno, fomos ao supermercado e o Marc queria 300g de salame, como ele nao sabia falar direito acabou pedindo errado e veio quase 1kg. Passamos a semana inteira comendo salame hahahahha Daí mandei ele levar um papelzinho pra escrever sempre a quantidade que queria. Deu certo ! razz

Adri Lima
Adri LimaPermalink

Quando vou viajar para países de idioma incompreensível, eu estou buscando equilibrar com uma chegada ou saída com idioma mais agradável...

Eu não falo nada de francês e ficava bem irritada em não conseguir me comunicar na Provence. É uma característica minha que descobri: esse esforço de comunicação realmente me estressa um pouco - nada que comprometa a viagem, claro...

Agora vamos à Alemanha e, pra balancear, os primeiros dias vamos passar por Portugal. É uma combinação experimental, mas acho que vai dar certo!

Cristina
CristinaPermalink

Dri, boa viagem. Na Alemanha, eu usava o dedo para comer - apontava a comida e pedia 1, ou seja, usava a mão tb wink

Paying a Little Monkey
Paying a Little MonkeyPermalink

[...] Ricardo Freire fez um post ótimo com o título “Não falo inglês. Posso viajar ao exterior mesmo assim?” e lendo os comentários, lembrei de um caso que virou clássico da minha estadia aqui no Tio [...]

Rosa
RosaPermalink

Só falo mesmo português, mas vou onde dá vontade, onde tenho a oportunidade e onde o meu dinheiro dá. Me viro em tudo que é lugar. Meus próximos destinos: Espanha (relativamente tranquilo) e Sérvia (Belgrado), tudo bem que tenho uma pessoa conhecida lá, mas ela trabalha... Não deixo de viajar pela questão do idioma, mas acho que quando pintar uma viagem para lugares mais exóticos, talvez eu recorra a uma excurssão.

Rosa
RosaPermalink

Quero dizer "Escursão", um esse apenas.

Marilia Pierre
Marilia PierrePermalink

eu adicionaria mais uma dica:

6 - simpatia e educação redobradas: não é taxado e não dá excesso de bagagem nas viagens (mesmo assim tem gente que viaja sem)

Alexandre
AlexandrePermalink

Talvez a melhor dica para qualquer viajante, falando inglês ou não! Tudo fica bem mais fácil quando nos expressamos sorrindo e sendo gentis com todas as pessoas que nos prestam algum serviço, a viagem inteira flui de forma muito mais fácil.

CarlaZ
CarlaZPermalink

Concordo, falar sorrindo é a melhor opção...todos são mais atenciosos e mostram maior boa vontade assim
(quem me ensinou foi a irma da Adri Lima smile )

Cristina
CristinaPermalink

Carlinha, eu adiciono o olhar de quem precisa muito de ajuda rss

Augusto
AugustoPermalink

Não falar inglês não é impedimento de viagem, entretanto acredito que pode se tornar um bom motivador para o aprendizado do idioma. Provavelmente se vc viajar a primeira vez para o exterior orientado pelas dicas do VnV vai querer repetir várias vezes a experiência. Neste caso entrar em um curso de inglês é uma excelente idéia. Principalmente pq o inglês que vc precisa é instrumental. É o básico do básico. Não é necessário um conhecimento profundo do idioma. Algumas frases, um vocabulário orientado e pronto.
Viaje mesmo sem falar inglês, mas quando voltar assista algumas aulas. A sua experiência turística terá um upgrade.
Abçs

Walter F Leite
Walter F LeitePermalink

Realmente eu sou cara de pau, nem meu português eu aprendi direito. Lá fora? Nem mímica tô fazendo mais, um simpres gesto e o cara já me entendeu.Jamais vou me preoculpar com língua. Outro dia um amigo meu me perguntou como eu me virava com a língua nas minhas viagens? A resposta eu já tenho na ponta da língua: Eles é que se virem, tô nem aí. Tem mais, estou construindo um blog (aprendendo) e de início, tô lá contando todos os meus micos e causos passados em minhas viagens, conto bem direitinho e tudo verdadeirinho.
A maior burro que já vi por ai, é aquele cara que aprendeu algumas palavras de um idioma e chega nos lugares falando com as pessoas do local onde, 80% das palavras que fala estão erradas, 19% ninguém entendeu o que ele quiz dizer e somente 1% saiu correto.O cara que atendeu fica bravo com o que estão fazendo com a língua dele e os colegas do grupo ficam rindo da cara do idiota.
Ricardo, parabéns pelas dicas e também adicionaria a Educação e Simpatia já postada no comentário de Marilia.

Ana Carolina
Ana CarolinaPermalink

Concordo que educação e simpatia ajudam, mas acho que não é necessário acrescentar ao texto porque parto da ideia de que precisamos ser gentis e cordiais em qualquer situação e qualquer idioma. Fica mais fácil continuar a ser simpático e educado, mesmo nervoso de não saber exatamente como se explicar, do que exercitar polidez e urbanidade apenas em determinadas situações.

Anna
AnnaPermalink

As palavras que eu sempre aprendo antes de viajar é: "Por favor, eu não falo xxxx", sendo xxx a língua local, e depois emendo em inglês: Você pode me ajudar?

Até hoje funcionou! Outras palavras obrigatórias são: obrigada, pão e café....
Pelo menos não morro de fome...rsrsr!

Marco Cavalheiro - Buenos Aires Dreams

Além de apaixonado por Buenos Aires eu sou professor de inglês, e a cada ano recebo vários alunos desesperados porque tem viagem marcada e precisam "aprender" inglês para a viagem. Eu sempre digo que memorizar uma frase específica é fácil, tipo "where is the museum", mas entender a resposta é bem mais complicado. Claro que dá pra viajar sem falar quase nada, mas para realmente aproveitar sua viagem um pouquinho de conhecimento da língua local ajuda bastante! A língua mais usada nas viagens pelo mundo é o "apontanês", apontamos para algo!! para facilitar este processo existe um livro genial, o Point It. É um livro apenas com imagens que representam as necessidades mais comuns em viagens. Um clássico!!

Deixo um link para a Amazon: http://www.amazon.com/Point-Travellers-Language-Dieter-Graf/dp/3980313026

O inglês (odiado e amado por tantos...) ainda é a língua "oficial" das viagens, se você ainda não estuda, comece. É como seguro de saúde, mesmo que você ache que nunca vai precisar usar, é bom ter. Mas não exagere. Por exemplo, há alguns anos um aluno entrou em contato comigo para praticar inglês, pois tinha viagem marcada para a Europa e todos diziam que falar inglês era importante para viajar para a Europa! Quando perguntei o destino da viagem, ele me diz: 15 dias em Lisboa... wink

Ana Carolina
Ana CarolinaPermalink

apontanês é ótimo!

Márcio Cabral de Moura

Com idioma eu só tive algum problema na Hungria. Tudo bem que eu falo bem inglês, consigo me virar no francês e arranho o alemão.

O problema húngaro foi mais de alfabeto do que de idioma, mesmo. smile Era difícil lembrar se a rua que eu tinha que entrar era a Szcknvenk ou a Szvchnkndo. smile O que é que os húngaros têm contra vogais, hein?

Mas dificuldade, mesmo, eu só tive para comprar água mineral no supermercado. Depois de passar uns 5 minutos analisando garrafas diversas e tentando ajuda de algum local (ninguém falando inglês), eu cheguei à conclusão que eles usavam as cores de forma diferente que a gente. Vermelha era sem gás e azul com gás. Mas e a rosa, significava o quê? Não sei porque, resolvemos comprar uma rosa. Quando fomos beber, ela tinha gosto de ferrugem. Resolvemos comprar uma Coca, que não tinha erro.

Em geral, a parte mais difícil é nos restaurantes. Bom, na Hungria, que era o lugar mais complicado, limitei-me a comer na Pizza Hut, em outros lugares, eu termino tendo sorte e consigo pedir algo comestível.

O engraçado é que o maior aperto que eu tive em restaurante foi numa McDonald's (isso mesmo). Lá em Genebra, eu pedi, em francês macarrônico, um Big Mac, mas me esqueci de pedir com o Le, na frente, como todo mundo que já assistiu a Pulp Fiction sabe que tem que fazer. Resultado, em vez de um Big Mac veio um Vigi Mac (que deveria ser Vixi Mac), que era um hamburguer vegetariano, com carne de soja, que meus princípios filosóficos (e meu paladar) me impedem de comer. Mas eu consegui trocar por um Big Mac, mesmo já tendo dado uma mordida. E nem tive que pagar a diferença (o Big Mac era um pouco mais caro).

Ana Carolina
Ana CarolinaPermalink

Menos é mais!
Aprendi viajando que o mínimo é o máximo quando não se conhece uma língua e percebi o quanto florear frases pode ser desastroso observando minha mãe na última viagem que fizemos, ao Chile.

É fato que para nós o espanhol é bem mais compreensível que o português para quem fala espanhol, embora eu não consiga entender a razão do caminho só ter uma via. Daí que minha mãe entendia as histórias e queria se comunicar do mesmo modo, formando frases complexas com todas as preposições e adjetivos que podia. Ninguém entendia nada. Dei a ela a receita que uso instintivamente há anos e que costuma funcionar bem: o negócio é falar gentilmente o mínimo possível - mímica + poucas palavras + sorriso suave. Quanto menos palavras a pessoa tiver que 'adivinhar' mais fácil fica, ex:

- "Por favor - banheiro" funciona melhor que "Por favor, a senhora pode me informar onde fica o banheiro?".

Na Itália, ano passado, tive uma semana para me preparar entre a data em que resolvemos ir e a partida. Comprei um dicionário básico no aeroporto mesmo e passei o vôo decorando as palavras chaves em italiano, principalmente as necessárias para explicar, morrendo de medo de ser barrada na imigração, que eu não tinha passagem aérea de volta porque voltaria num cruzeiro: repeti "nave" internamente uma dúzia de vezes durante o vôo. No fim só o sorriso funcionou, mas foram muito úteis expressões simples como: "por favor", "obrigada", "bom dia/tarde/noite", "onde estamos?" (acompanhado do mapa e de cara de ponto de interrogação). Também acho que aprender números, pelo menos a primeira dezena, seja fundamental, embora para números dedos e os algarismos escritos funcionem muito bem também.

Carla
CarlaPermalink

Ana, isso tem a ver com o fato de que o português é mais rico em fonemas do que o espanhol. Por exemplo, nós temos muitos sons vocálicos: a, an, é, ê, en, i, in, ó, ô, on, u, un (estou sinalizando o som nasal com o /n/, porque o computador não aceita botar o til em todas as vogais...) Além disso, ainda fazemos distinção entre consoantes que para eles são idênticas, como o /b/ e o /v/. Já viu, né? A gente faz uma frase com mil floreios, nasalidades e inflexões e eles ficam perdidinhos... wink

Helo
HeloPermalink

Olá, parabens pelo post, Riq, exelente como sempre!

Eu e o Breno K não encaixamos perfeitamente neste post. Falamos um ingles básico, mas para compensar, planejamos detalhadamente as nossas viagens independentes, tendo em mente sempre minimizar problemas. Nossas recomendações que deram muito certo conosco:

- começar a planejar uma viagem com muito tempo de antecedencia, por exemplo, uns 6 meses. Isso possibilita, geralmente, reservas nos hoteis mais bem cotados e melhores preços nas passagens de trem/aviao.

- escolher com maior carinho os hoteis, optando por aqueles bem localizados, que oferecem passeiose transfer para aeroporto.

- contratar transfer com o hotel em cidades com fama de terem taxistas malandros nos aeroportos, estações de trem. Nada melhor do que chegar em uma cidade e ver alguem segurando uma placa com o seu nome.

- viajar com pouca bagagem, ate mesmo com mochilão, mesmo tendo mais de 30, o que é o nosso caso. Isso garante boa mobilidade nas estações de trem/onibus para evitar o assédio dos taxistas.

- imprimir todos os emails trocados com os hoteis reservados, as passagens aereas, de onibus, etc e encaderna-los. Ter em mãos este "manual" da sua viagem na hora de check in em aeroportos e no hoteis. Já aconteceu conosco do hotel querer nos cobrar mais caro a diaria, pois tinhamos feito a reserva com antecedencia com o preço antigo. Mostramos os emails trocados com o hotel constantes no manual, o que nos garantiu o preço antigo.

- contratar um bom seguro de viagens;

- imprimir no google maps ou no site o mapa do hotel e acrescentar estas paginas no "manual", inclusive para mostrar para o taxista. E ter em mãos o cartão do hotel, principalmente se a lingua for estranha

- evitar chegar em uma nova cidade de madrugada. Se não tiver jeito, contratar um transfer com o hotel ou então escolher um hotel bem pertinho de uma estação de trem/metro.

- saber umas palavras basicas, como bom dia e obrigado, na lingua local.

- ter impresso no manual os telefones da embaixada brasileira/consulado.

Dani S.
Dani S.Permalink

Riq: =)
Na dúvida, e especialmente para indicações de lugar, aplica-se o princípio do meu marido: prestar atenção na primeira frase da resposta, notando o movimento corporal da pessoa (todo mundo aponta pra onde se deve ir, é automático). Seguir a orientação. E perguntar de novo em seguida! Assim, ele se desobriga de entender a explicação toooooda - e que pode ser até em russo, que ele segue direitinho!

LILIAN AZEVEDO DE MORAES

Não saber falar outra lingua não deve ser impeditivo de viajar mas se puder aprender facilita muito.Eu fico pensando como tive coragem de viajar para Europa em 1994,só eu ,meu marido e o guia FROMMERS ,arranhando o inglÊs.Fiz aulas particulares de "inglês para viajante"durante 4 meses e lá fomos nós,perguntávamos sem inibição mas entender as respostas !!! Resolvi voltar a estudar e estou fazendo "inglês para seniors" no IBEU da Tijuca (RJ) há 1 ano e meio .Me sinto mais segura mas entender o que eles falam continua sendo complicado.Sempre que viajo faço um caderno no qual anoto frases que poderei precisar em diferentes contextos,por exemplo,no aeroporto:se não encontrar as malas,se o voo atrasar,no hotel: se o chuveiro estragar,se precisar de mais toalhas.... .Imprimo o cardápio de alguns restaurantes,colo nesse caderno e anoto a tradução de pratos,ingredientes etc...E se eles não me entenderem escrevo, mostro,peço para falar devagar ou escrever a resposta.Ja consigo ler e entender muita coisa e assim tive a noção do quanto já perdi de informação por não saber inglês.Esse ano estava doida para ir à Alemanha mas não tive coragem de ir sozinha e o preço dos pacotes......

CarlaZ
CarlaZPermalink

Eu ainda nao tive "medo" de nenhuma lingua nao...
Em Paris realmente me trataram muito mal por nao falar frances (ok eu sei que preciso aprender) mas nao foi em todos lugares...mas foram nos primeiros entao e meio traumatizante...
E na Turquia onde achei que seria mais dificil...todos tinham mega boa vontade e tentaram de todas as formas me entender...nao sei como mas sempre conseguia me comunicar de alguma forma wink
Acho que lingua nao deve ser impedimento em viagens nao...

Paulo Torres
Paulo TorresPermalink

Fui à Alemanha em 2006, após dois semestres de aulas de alemão meio nas coxas. Quando o inglês não resolvia, eu ia no alemão-de-índio mesmo: o mínimo de palavras possível, todos os verbos no infinitivo, com "bitte" (por favor) e o "Ich spreche nicht Deutsche" (eu não falo alemão) na ponta da língua.

Leandro
LeandroPermalink

Acabei de chegar da Europa. Na Alemanha, em muitos lugares turísticos, ninguém fala nada além de alemão. Resultado: eu falava português mesmo e eles respondiam em alemão, muitos gestos e todo mundo acabava se entendendo. As pesquisas pré-viagem valeram 90% das dores de cabeça evitadas. Se você não fala inglês, vá à Alemanha - porque saber falar inglês lá é, muitas vezes, inútil mesmo...

LILIAN AZEVEDO DE MORAES

Leandro,eu e meu marido temos loucura para conhecer a Alemanha mas como agora eu só quero fazer viagens por conta própria,desistimos exatamente por não termos dominio do inglês.Chegaríamos e partiríamos de Frankfurt,iríamos à Munique de trem e de lá faríamos a tal rota romântica .Mas uma brasileira que mora na Alemanha me disse que nas cidades menores não seria comum encontrar pessoas que falassem inglês.Como seria em restaurantes ?E numa estação de trem?
Fomos ver pacotes e os preços eram caríssimos além de saídas apenas em datas já estabelecidas.Conclusão estou organizando viagem para Buenos Aires.Agora o seu depoimento já me reanimou.

Marilia Pierre
Marilia PierrePermalink

Meu pai, minha mãe e minha avó fizeram esta viagem da rota romântica de carro lá em 1994.
O inglês do meu pai não passa do please

helo
heloPermalink

Oi Lilian, sei como se sente...a primeira vez que eu e o Breno K nos atravemos a viajar independentes pela Europa mesclamos com um pacote. Chegamos mais cedo em Viena, a cidade inicial do pacote, viajamos por conta propria acho uns 10 dias e depois pegamos o tour organizado. Adoramos a experiencia e com isso, ficamos encorajados a voltar no ano seguinte para Europa, mas desta vez viajando totalmente independentes! Mas planejamos o maximo, tentando minimizar problemas. Se quiser, te mando um dos nossos roteiros bem detalhadinho para vc ter uma ideia do que fizemos. helo.bhz@gmail.com

Leandro
LeandroPermalink

Lilian, vá sim! Buenos Aires só é bom para compras. E cartões de crédito são poliglotas, basta puxá-los e tudo que precisa ser dito está dito. Pesquise bastante antes de viajar e, na dúvida, coma no McDonalds ou coma um Bratwurtz que nunca dá errado.
Outra dica é comer nas estações de trem dos lugares menores, porque lá sempre há cardápios com fotos ou pessoas que falam outras línguas, estão acostumadas com gente de fora viajando...

Georgia
GeorgiaPermalink

Helo, Já que vc foi assim ultra solícita e ofereceu um roteiro para a Líliam, posso te pedir o seu roteiro da Escandinávia/ Bálticos pra dar uma olhada? Obrigada!

helo
heloPermalink

OI Georgia, logico!! Terei o maior prazer!! Não o disponibilizei na internet, porque ainda não aprendi a colocar para download planilhas em um blog.

Georgia
GeorgiaPermalink

Lílian, também acho que a Alemanha não é um lugar a ser excluído da sua listinha por não falar Inglês. Mas um inglesinho básico ajuda muuuuito. Pra se familiarizar com o jargão e mandar e-mail para hotéis e etc sugiro que vc leia resenhas de hotéis e também o forum do tripadvisor.com (sem o br). No forum se pergunta de tudo (tudo mesmo)! Quanto dinheiro levar, que roupa usar, como chegar, onde se hospedar, quanto custa um café e tudo o que vc imaginar. Mais ou menos como fazemos aqui. In English! Dá uma olhadinha. É muito bom!

Luís Fernando
Luís FernandoPermalink

Não falo nada de inglês, será que terei muitos problemas em St. Maarten?

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

Leia o texto. Ele vale para qualquer lugar.

Angela
AngelaPermalink

Olá Leandro, nao concordo com vc! Moro na Alemanha e até o motorista de ônibus aqui fala inglês!!! Os alemaes falam sim e muito bem o inglês!!! Nos restaurantes e lojinhas de lembrancinhas falam inglês. Sinceramente, nao entendi esta de nao se falar inglês na Alemanha. Novidade!!!! Na escola dos meus filho, o inglês é matéria que reprova! Tem que saber falar e é uma lígua muito útil por aqui.Na Oktoberfest em todas as barraquinhas o pessoal fala inglês!! Se vcs quiserem treinar o seu inglês, venham para a Alemanha ou se vc nao fala nada, aprende aqui. Ah,e de quebra, vc aprende um pouquinho de alemao também!

Regis
RegisPermalink

Concordo com você, Angela. Acabei de voltar da Alemanha e é impressionante a quantidade de gente que fala um excelente inglês. A Alemanha, junto com a Áustria, está completamente preparada para o turista. Recomendo muito esses destinos, o povo é amável e bastante solícito, bem mais gentis que franceses e italianos.

Angela
AngelaPermalink

É isso aí, Regis!!!! O povo alemao agradece!!!

Andre L.
Andre L.Permalink

Regis, acho complicado generalizar coisas como

" o povo é amável e bastante solícito, bem mais gentis que franceses e italianos."

Que a habilidade com o idioma inglês é maior na Alemanha que na Itália e França, em média, não se discute. Todavia, isso não faz de franceses e italianos menos gentis e solícitos que alemães.

augusto
augustoPermalink

Em Heidelberg precisei abastecer o carro e pedir informações. Perguntei para o frentista se ele falava inglês. Ouvi um sonoro " Of Course " como se fosse descabida minha pergunta. O interessante na postura do alemão é que não há expectativa que vc fale o idioma germânico como acontece com os franceses. Ninguém precisa falar alemão para visitar a alemanha.
Abçs

Leandro
LeandroPermalink

Angela, estive em lugares turistíssimos da Alemanha, como o Park Sanssouci em Potsdam e ninguém lá, além da mulher da bilheteria, falava inglês. Tenho poucas e boas histórias para contar sobre os meus diálogos com o resto dos funcionários do parque.

Angela
AngelaPermalink

Olá Lilian, vc está totalmente desinformada!!! Nos restaurantes e principalmente nos trens e ônibus se fala inglês. Que horror o pessoal dar este tipo de informaçao!! Moro na Alemanha e quando cheguei aqui, nao falava nada de alemao. O inglês me salvou um montao. Até com a professora de alemao o inglês me ajudou...o carteiro sempre falava inglês comigo pois sabia que eu nao era alema. Venha para cá sem medo. Vc vai se surpreender com a Alemanha!

LILIAN AZEVEDO DE MORAES

Angela que ótima informação ,li alguns posts no seu blog,vi fotos lindas ,fiquei babando e achando que teria que enfrentar um pacote.Sendo assim me animo de planejar a tão sonhada viagem para Alemanha e aproveitarei as dicas suas ,do Ricardo e dos comentaristas .

LILIAN AZEVEDO DE MORAES

Georgia,boa dica essa do forum pois apesar de usár o trip advisor para ver os comentarios de viajantes não tinha me dado conta do forum.

LILIAN AZEVEDO DE MORAES

Helo,nota dez !!!!!!!!!!!!Vou te escrever pois adorei essa ideia de conhecer um roteiro que foi realizado ,é uma excelente base que pode ser acrescida de outras ideias ou mesmo ser repetida.Obrigadão.

VAL
VALPermalink

E tem lugar que falar inglês não vale nada. Em junho estive no interior da Hungria e, além do húngaro, eles só falam alemão. Mas o pior mesmo foi numa cidadezinha da Eslováquia onde só a mímica não foi suficiente e tivemos que apelar para os desenhos pro recepcionista do hotel entender que queríamos vaga pra 6 pessoas!

Sandro Marques (UmLitrodeLetras)

Estou deixando São Petersburgo, na Rússia, após 4 dias. A cidade é linda, com um enorme potencial turístico, mas pouquíssimos russos falam inglês. Não é um lugar muito fácil de se virar, considerando que nem o alfabeto é igual ao nosso. Poucas estações de trem tem "legendas", embora no segundo ou terceiro dia vc comece a pegar o jeito, se tiver um bom ouvido.

Aderbal Elesbão
Aderbal ElesbãoPermalink

Gente que diz achar mais fácil entender inglês do que "português de Portugal": burros fundamentais, e orgulhosos de sua burrice. Deixem de ser jecas, por favor!

Paulo Gaeta
Paulo GaetaPermalink

Angela, tambem estou morando aqui na Alemanha e gostaria de assinar
embaixo de tudo o que voce falou, inclusive a professora de alemao,
mesmo que nao goste muito fala Ingles tambem. A unica coisa que acho educado eh nao entrar de cara no Ingles e antes perguntar em Alemao:
Sprechen sie Englisch? (Voce fala Ingles?)

Andre L.
Andre L.Permalink

Uma dica que funciona para abrir sorrisos extras: em países como Holanda, Bélgica, toda a Escandinávia, Alemanha, Áustria, Suíça, toda a geração mais nove de 30-35 anos tem uma relação particular com o inglês. Não saber inglês é visto como um sinônimo de "burrice", de ser o "jeca" nas acepções locais.

Ao contrário do que pensamos, jovens desses países (eu estou nessa faixa etária e moro aqui) tem as mesmíssimas aspirações cosmopolitas, de serem "antenados" e "plugados". E, em um continente de países pequenos, falar inglês (mesmo que apenas o básico) é visto como algo importante. Em alguns países, o fato de que os mais novos falam inglês mas entre quem tem amis de 40/50 só alguns adquire contornos de conflitos geracionais ("aqueles caretas que só trabalhavam e nào aproveitavam a vida").

Assim, se vc encontrar alguém novinho nesses países da Europa do Norte, em geral ajuda se vc usar frases como "may I speak in English" ao invés de "do you speak English?". Aqui na Holanda ninguém vai te dizer na cara, mas se perguntados "do you speak English" alguém com menos de 30 vai achar que vc o considera burro.

Claro, o "speak" é entendimento básico. Claro, em hoteis e restaurantes vc acha mais gente que fala inglês. Claro, é uma simplificação o que eu escrevi - mas fica a dica mesmo assim.

Lídia Mota Sousa
Lídia Mota SousaPermalink

Gente gostaria de informações
Estou indo viajar para espanha em dezembro e eu não falo inglês e nem espanhol, estou co medo de ser deportada de não saber falar
porque eu vou passar alguns dias lá e depois vou para o marrocos,
meu noivo vai chegar um dia depois de mim se ele chegasse antes ele podia me ajudar.
Em uma situação dessa o que eu devo fazer é a 1° vez que eu vou para o exterior.

Andre L.
Andre L.Permalink

Se eles perguntarem algo, peça um intérprete. E diga a verdade: meu noivo chega dias depois etc. Mas seia melhor vcs viajaram juntos. Embora eu não duvide de sua história, oficial de imigração pode acender uma bandeira amarela ao tomar conhecimento da sua história na entrevista.

Alice
AlicePermalink

Numa ilusão de ótica li "Babá do viajante" em seu link "Beabá do viajante". Mas até que faz sentido smile)

Paulo
PauloPermalink

Riq e Andre L., acompanho informacoes suas em diversos sites a respeito de viagem. Enfim, obrigado a todos q postam e compartilham informacoes... ja fiz algumas viagens, sempre com estas consultas, Meu ingles 'e basico... ja tive problemas, micos... mas estou na área sempre! Nao deixo de viajar pelo Ingles, mas estudo-o e imprescindivel fazer a licao de casa, em qq viagem, sempre! Peço uma dica: Chegar em Frankfurt ... com ingles basico, locar veiculo, sendo eu e esposa... qual seria um trajeto `economico` e belissimo (tipo, nunca deixe de conhecer!!!)- na Alemanha e/ou proximidades???. Ja estudei diversos outros trajetos Munich-Salzburg-Viena-Budapeste-Praga, mas orcamento apertado... Enfim, to com bilhetes-premio, improrrogaveis, e 15 dias. So falta mesmo a $$$$... Alem do q, as 'cidades-leres' basicas ja fiz...

Paulo
PauloPermalink

Valeu Riq. Show de informacoes nesse link. Obrigado, vou fazer uma lição e escolher... Grato.

Alessandra
AlessandraPermalink

Eu me encaixo perfeitamente neste post. Já que não falo outra língua, na verdade mal falo o nosso português. Porém deixar de viajar para fora nunca. Sei fazer mímica e não tenho medo de pagar uns micos. Assim aproveito e tenho várias histórias engraçadas para contar das minhas viagens.

Enilda
EnildaPermalink

Olá Ricardo! Fiz em setembro/outubro/2010 uma linda viagem por alguns países da Europa com suas dicas, foi perfeita!!!!Em 2012 pretendo conhecer Moscou, Istambul, Praga e um pouquinho da Costa Amalfitana. E suas preciosas dicas vão me orientar novamente, até porque falo espanhol, mas o ingles...quase nada, mas eu me viro e pior que viajo sempre sozinha. Daí vale mímica, turismês e etc.Abraços da Enilda

Lúcia Helena Gomes
Lúcia Helena GomesPermalink

Alguém pode me indicar uma pousada BBB en Búzios na praia Ferradura?

A Bóia
A BóiaPermalink

Alô, Lúcia Helena! Este é um post que não tem muito a ver com o assunto. Por favor, veja o "Búzios pro Fabio": http://www.viajenaviagem.com/2007/09/buzios-pro-fabio/comment-page-1/#comments