Vai por mim: trem na Europa

  • 0
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

post55-sup2016

Estação Atocha, Madri

Vai pra Europa? Para mim o trem é a expressão máxima da civilização européia: eficiente, charmoso, democrático, tradicional mas em permanente modernização. No trem você viaja anônimo (só há check-in nos trens AVE espanhóis e no Eurostar, e a conferência de passaportes só acontece quando se ultrapassa a fronteira do espaço Schengen) e ninguém implica com o que você leva na bagagem de mão. Tampouco você é submetido às mesmíssimas explicações básicas toda vez que sobe num vagão. Quem nunca andou de trem talvez sinta falta daquele beabá que acompanha todo o penoso processo de check-in e embarque dos aviões. Mas basta chegar com alguma antecedência nas primeiras vezes, e logo você vai usar o trem com a mesma naturalidade dos nativos.

Para que serve

De Madri a Barcelona

O trem é o meio mais rápido e civilizado de chegar a qualquer lugar situado a até 4 horas de distância. Para comparar: um vôo de uma hora de duração costuma resultar (pelo menos) nas mesmas quatro horas de viagem, contando os perrengues envolvidos no deslocamento, check-in e recolhimento de malas. (Para comparar tempo de vôo x tempo de trilhos, acrescente sempre três horas à duração do vôo.) O trem deixa você no centro da cidade, muitas vezes a poucos passos do seu hotel. É imbatível para explorar regiões delimitadas, com paradas em cidades de médio e grande porte, onde o carro seria um estorvo.

Para que NÃO serve

Na hora de cobrir grandes distâncias, o trem perde feio para o avião. Oito ou dez horas num trem podem ser ainda mais desgastantes do que o mesmo período no ar. Trens também não são interessantes como se imagina para apreciar paisagens. Claro que existem as rotas realmente panorâmicas, mas são poucas (as da Suíça são imbatíveis). Nos trens de alta velocidade, então, só se vê um borrão na janela. Para apreciar o caminho (percorrendo estradas secundárias), o carro ainda é mais indicado na maioria dos lugares.

Estude sua viagem

Quanto tempo leva o trem entre Budapeste e Viena? (Resposta: 2h38.) Quais são as paradas intermediárias de Milão a Florença? (Resposta: Bologna.) Será que dá para ir e voltar confortavelmente de Paris ao Mont-St.-Michel no mesmo dia? (Resposta: não.)

O lugar para você começar a destrinchar a sua viagem de trem pela Europa é no site da Deutsche Bahn, a ferrovia alemã. Desde os primórdios da internet, a Bahn oferece o melhor (e mais amigável) banco de dados sobre as ferrovias de toda a Europa. Dica: simule viagens sempre nos próximos 30 dias.

Onde vão as malas?

Onde vão as malas (I)

Onde vão as malas? (II)

No trem europeu você não despacha as malas. Na imensa maioria dos casos tampouco há limite máximo de peso. A limitação está justamente no tamanho de bagagem que você consegue carregar sozinho para dentro do trem e armazenar nos compartimentos disponíveis. Malas maiores devem ser postas nas prateleiras que se encontram na entrada dos vagões; se já estiverem ocupadas, você vai ter que fazer força para pôr no compartimento acima do seu assento. (Alguns trens têm também espaço no vão entre assentos posicionados de costas uns para os outros).

A experiência leva os passageiros de trem a viajar leve. Procure viajar com uma mala de quatro rodinhas tamanho M (65 centímetros de altura, em pé). Leve também um cadeado de bicicleta para prender a mala ao gradil da prateleira, e assim não passar aflição enquanto a mala não estiver sob a sua mira.

Dá para ir na segunda classe?

É o equivalente à classe econômica dos aviões -- só que, com exceção dos trens muito antigos, é bem mais confortável do que a classe econômica dos aviões. É onde os europeus viajam.

A primeira classe tem assentos mais confortáveis e com um pouco mais de espaço; tem também menor disputa de espaço para colocar malas (até porque grande parte dos ocupantes são executivos que não vão com malas de turista). Em algumas ferrovias o wifi é incluído e pode haver café de cortesia. Na ponta do lápis, vale a pena quando aparece uma tarifa promocional.

Tem que reservar assento?

Assento reservado

Nos trens rápidos de Espanha, França e Itália, e em trens internacionais como o multinacional Thalys e o alemão ICE-Sprinter as reservas são compulsórias; só sobe no trem quem tem reserva.

Nos trens regionais em toda a Europa nunca é preciso reservar lugar (e na maioria das vezes isso nem é possível). Nesses trens pode-se inclusive viajar em pé.

Na Alemanha (com exceção do ICE-Sprinter), na Holanda (com exceção do Thalys) e no Leste Europeu os trens levam passageiros com e sem reserva. Os assentos reservados têm uma sinalização específica, que na maioria das vezes informa o trecho para o qual o assento foi reservado. Mesmo sem reserva, você pode ocupar esses assentos nos trechos em que não estejam reservados.

Normalmente dá para reservar os assentos durante o processo de compra da passagem online. Se você não conseguiu reservar assento, pode passar numa estação e reservar com um atendente num guichê. (No site alemão é possível entrar e reservar apenas o assento; selecione a opção "Reserve seat only" no motor de busca da home.)

Um bom lugar para viajar sem reserva (nos trens em que é possível embarcar sem reserva) são os vagões-bares...

Com que antecedência devo chegar na estação?

Se for viajar pelo Eurostar, que requer passar pela imigração (já que o Reino Unido não faz parte do Espaço Schengen), ou nos trens AVE espanhóis, que passam as bagagens pelo raio-x, chegue com pelo menos 45 minutos de antecedência. Nos outros trens, basta estar na plataforma 5 ou 10 minutos antes da partida. (É possível subir no trem até o apito que precede o fechamento das portas, que se dá na exata hora marcada na passagem.)

Para não dar sopa para o azar, enquanto você não tem experiência nesse tipo de viagem, vale a pena dar uma passadinha na véspera na estação onde você vai embarcar: você se localiza, vai até a plataforma de onde sairá o seu trem, já ganha segurança para não errar na hora.

Como funcionam as baldeações?

A malha ferroviária européia é montada de modo a proporcionar a máxima conectividade. Não estranhe se o site de qualquer cia. européia criar um itinerário com conexões apertadas, tipo 5 minutos. Quando isso acontece, provavelmente o próximo trem sairá da própria plataforma em que você desceu.

Aqui se vê outra diferença fundamental com relação ao avião: você não precisa esperar o trem parar para sair do lugar. Faltando 10 a 5 minutos para a sua parada, você já levanta, cata sua bagagem e vai em direção à porta de saída mais próxima.

Trem noturno: melhor na teoria do que na prática

Trem noturno na AlemanhaTrem noturno na AlemanhaTrem noturno na Alemanha

Muita gente sonha em viajar de trem à noite. Lamento informar que não é tão divertido quanto ver neve ou subir na Torre de Pisa. Trens chacoalham, fazem barulho, param em estações pelo caminho (ocasiões em que sobem e descem passageiros). Quem não está acostumado pode acabar pagando para passar a noite em claro. Chegar cedo demais ao destino também pode não compensar: poucas cidades funcionam antes das 9 ou 10 horas, e é provável que o quarto do seu hotel só esteja disponível depois do meio-dia (e o seu último banho deve ter sido há mais de 24 horas...)

Passes valem a pena?

Passes multipaíses não valem mais a pena. Hoje em dia não são mais emitidos por dias corridos, e sim por dias estanques de viagem. Na ponta do lápis, só valem muito a pena quando envolvem longos deslocamentos – justamente aqueles trechos que são melhor feitos de avião. Comprando com antecedência trechos ponto a ponto diretamente nos sites das companhias ferroviárias européias você consegue tarifas descontadas. No entanto, para compras de última hora – quando os descontos já se esgotaram – os passes podem se justificar economicamente também. A maior vantagem é poder mudar o itinerário (dentro da área de abrangência do passe). A parte chata é precisar fazer reservas de assentos em trens rápidos ou internacionais – e pagar entre €4 e €22 de taxa suplementar por viagem. Nos trens noturnos os suplementos vão de €25 (beliche num compartimento de seis) a €105 (cabine individual). Os passes mais vantajosos são internos, de um país só, em países onde a reserva de assento não é necessária: o German Pass (válido na Alemanha, com direito a ir até Salzburgo na Áustria e Basiléia na Suíça) e o Swiss Travel Pass, que dá direito também a barco e ônibus.

Passagens avulsas: saiba os macetes

O melhor negócio é descolar seus trechos ponto a ponto diretamente nos sites das companhias ferroviárias européias. Comprar com antecedência no site do país no qual se origina o trecho pode garantir descontos de até 70%. Na Deutsche Bahn (Alemanha), trechos de €19 e €29 aparecem 90 dias antes da data. Na Voyages-SNCF (França), as tarifas Prem e Loisirs começam a aparecer com 120 dias de antecipação. Na Trenitalia (Itália), as tarifas SuperEconomy também começam a aparecer com 120 dias de antecedência. Na Renfe (Espanha), as tarifas Web e Estrella começam a pulular entre 120 e 90 dias antes da viagem. Você também pode xeretar ofertas nos sites do Thalys (Paris-Bruxelas-Amsterdã, com um braço Bruxelas-Colônia), NS Hispeed (Holanda), ÖBB (Áustria), SBB (Suíça), CP (Portugal), CD (República Tcheca) e TheTrainLine (Reino Unido). Para comprar passagens no Eurostar saindo de Londres, use Eurostar.co.uk; saindo de Paris, Voyages-SNCF.

Passagens avulsas: entenda as pegadinhas

  • Não tente comprar com antecedência demasiada: antes dos prazos descritos no parágrafo anterior, os trens (e os descontos) podem ainda não estar inseridos no sistema. (Isso é ainda mais verdadeiro no fim do ano, quando todos os sistemas meio que param à espera da mudança de horário de inverno, que acontece lá por 10 de dezembro.)
  • Na Trenitalia, reserve os trechos em alta velocidade separadamente dos trechos regionais (que não oferecem descontos grandes porque já são normalmente baratos). A mesma coisa vale para passagens a Bruges; para conseguir desconto, compre a passagem até Bruxelas (o trecho regional quase não varia de preço e pode ser comprado na hora; não há reservas neste trecho).
  • Para comprar na maioria dos sites, você vai precisar que o seu cartão de crédito participe dos sistemas Verified by Visa ou MasterCard SecureCode (a gente explica aqui). Os sites da SNCF, da Renfe, da Deutsche Bahn e da Trenitalia também aceitam PayPal.
  • Antes de bater o martelo na compra da passagem, verifique qual o sistema de entrega que é oferecido. (Isso pode variar dentro de um mesmo site, de acordo com o trecho ou a classe tarifária.) Só compre se puder escolher e-ticket, ticket para imprimir em casa ou para retirar em máquinas numa estação do país de onde o trem vai partir. Não compre se a entrega for pelo correio (não dá pra confiar no nosso correio!).

Posso deixar para comprar a passagem na hora?

        Na grande maioria dos casos, a resposta é:

não! 

        A venda de passagens nos trens de alta velocidade funciona igualzinho à venda de passagens de avião: se quer pagar pouco, tem que comprar com antecedência. Na hora, você vai pagar tarifa cheia. E se o trem exigir reserva de assento (o que é o caso em todos os trens de alta velocidade na Espanha, na França, na Itália e no Thalys entre Paris, Bruxelas e Amsterdã), você pode simplesmente não conseguir embarcar.
          Só dá para deixar para comprar na hora se você for viajar em

    trens regionais

        , que circulam por trilhos de baixa velocidade. Esses trens normalmente não requerem reserva de assento e não apresentam variação de preço de passagem. Você pode comprar na hora trechos lentos como Florença-Pisa-Lucca, Nápoles-Pompéia, Milão-Como, Paris-Vernon (para Giverny), os trens Regio na Alemanha e todos os trens Intercity na Bélgica e na Holanda. E só.
      Para comprar trens de alta velocidade em toda a França, trens AVE e Altaria na Espanha, qualquer trecho do tronco Turim-Milão-Verona-Veneza-Bolonha-Florença-Roma-Nápoles na Itália, qualquer trecho de Thalys e qualquer trem que não seja Regio na Alemanha e na Áustria, compre com antecedência para conseguir tarifas descontadas.

    Onde comprar passagens avulsas

    O melhor é comprar no site da cia. ferroviária de onde o trem vai partir. Se você vai comprar Barcelona-Paris, veja primeiro na Renfe espanhola. Se comprar na SNCF francesa, verifique o método de entrega (se o bilhete não puder ser impresso em casa e tiver que ser retirado na França, você não vai conseguir pegar).

    Vale a pena comprar na RailEurope?

    A vantagem da RailEurope é ter um site amigável, totalmente em português. Mas nem sempre repassa todas as ofertas ou oferece todos os horários. Algumas vezes também cobra sobretaxas salgadas (outras vezes, não.) Sempre compare com o que você achar nos sites das cias. nacionais.

    Leia mais:

    post55-rod2016-07

    2391 comentários

    MAICON
    MAICONPermalinkResponder

    Olá Boia,
    Estou comprando 2 passagens de Milão para Interlaken para agosto pelo site voyages-sncf (pelo raileurope aos horários não me atendem).
    Mas aparece uma mensagem dizendo que eles conseguiram uma outra tarifa com o mesmo preço no mesmo trem, e que "O ingresso não pode ser trocado. O ingresso pode ser reembolsado antes da partida. Será cobrada uma taxa de reembolso de 20%".
    Não entendi o argumento deles, pode me ajudar?

    A Bóia
    A BóiaPermalinkResponder

    Olá, Maicon! Devem ser as regras da tarifa. Não é possível trocar a passagem, e se você quiser reembolso, perderá 20%. Mas para ter certeza, só vendo no original, essa tradução do Google é meio esquisita ('ingresso', por exemplo, deve ser 'passagem' ou 'bilhete').

    MAICON
    MAICONPermalinkResponder

    Então.
    O original é:
    "Ticket cannot be exchanged. Ticket may be refunded prior to departure. A 20% refund fee will be charged."

    A Bóia
    A BóiaPermalinkResponder

    Olá, Maicon. É exatamente o que eu tinha entendido. Essa tarifa mais baixa não permite alterações e, se você quiser cancelar a passagem antes da viagem, perderá 20% de multa.

    É normal, toda tarifa promocional tem restrições, igualzinho às passagens aéreas aqui no Brasil (e em qualquer lugar).

    Maicon
    MaiconPermalinkResponder

    Bóia.
    Surgiu outra mensagem:
    There are no seats remaining at the fare selected. We have selected for you the best price available on the same train. To view other fares, please begin a new search and select another train.
    Attention, some of your requests for seats cannot be satisfied
    Mas mesmo assim há opção de concluir a compra. Será que podem alterar minha passagem?
    Acho que não querem me vender. hehe

    A Bóia
    A BóiaPermalinkResponder

    Olá, Maicon! Aí já não sei... se for no trecho suíço do trem, você pode embarcar sem reserva de assento e viajar de pé. No trecho italiano você teria que ter reserva de assento.

    Você já tentou ver em http://www.sbb.ch/en ? É o site da cia. suíça. A SNCF é a ferrovia francesa, talvez não seja possível reservar assentos por ela.

    Veja também pela cia. italiana, http://www.trenitalia.com .

    MAICON
    MAICONPermalinkResponder

    Bóia, perguntei a eles e eles me responderam dizendo que é um avisa normal, se que se eu conseguisse concluir a compra, estaria tudo Ok.
    Eu comprei.
    E agora, como faço pra retirar a passagem? Por enquanto eu recebi apenas a confirmação no email. Isso vale como passagem?

    A Bóia
    A BóiaPermalinkResponder

    Olá, Maicon! Se é um e-ticket, vale.

    Marlei
    MarleiPermalinkResponder

    Posso comprar o german pass direto em uma estação de trem na Alemanha?

    A Bóia
    A BóiaPermalinkResponder

    Olá, Marlei! Não pode não. Tem que comprar fora da Europa. O único passe que dá para comprar em território europeu é o Swiss Travel Pass.

    Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
    Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
    Cancelar