Itacaré

Índice de posts

  • 0
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Itacaré no Viaje na Viagem

Itacaré: como chegar, onde ficar, onde comer, o que fazer

Costa do Dendê: como chegar e se locomover

Trilhas em Itacaré: perigo de assalto mesmo com guias

Piscinas naturais: 7 dicas para não perder a viagem

De ônibus pela Costa do Dendê

Itacaré: quando dá praia?

7 comentários

Meiriellen Sá

Sempre que vou viajar, venho aqui para ver as dicas dos posts e os relatos dos viajantes. Diante disso, achei por bem fazer meu relato pós-viagem, para também auxiliar os próximos viajantes.

Fui para Itacaré/BA dia 14/10/2016, juntamente com minha família, estávamos em 4 pessoas ao todo.

Como chegar (pra quem vai de avião):

a. Avião para Ilhéus – É a melhor forma. Descendo no aeroporto de Ilhéus, é só pegar um táxi ou transfer até Itacaré. Fica a cerca de 1h e pouco de distância.
b. Avião para Salvador – Fica bastante longe, cerca de 8h de distância para Itacaré.
Pode descer no aeroporto de Salvador e de lá pegar um táxi direto pra Itacaré (cerca de R$ 600,00).
Pode descer no aeroporto de Salvador, pegar um táxi até o ferry boat (R$ 100,00 o taxi), fazer o percurso de Bom Despacho até Itaparica pelo ferry boat (R$ 4.80 por pessoa no ferry e dura cerca de 1h e 10), descendo do ferry, pode pegar um ônibus até Itacaré (empresa Águia Branca, pois tem ar condicionado e boa estrutura, preço de R$ 43 por pessoa, duração de 5h de viagem) ou um táxi até Itacaré (cerca de R$ 400,00).

Chegando em Itacaré:

Caso tenha ido de ônibus, desembarcará no terminal rodoviário. De lá para a maioria dos hotéis dá pra ir à pé. Provavelmente terá um guia credenciado com uma camiseta amarela, ele cobra R$ 10,00 para te guiar até o hotel e levar as bagagens em um carrinho de mão. Contrate-o.
Caso não queira andar, pegue um táxi até o hotel. Não deve passar de R$ 20,00.

Hotel:

Ficamos 3 dias na Pousada Pedra Torta e 4 dias no Hotel Terra Boa. O segundo é melhor! Ambos são do mesmo dono, mas o Pedra Torta é mais antigo e menor, mas é aconchegante, bonitinho e agradável. O Terra Boa, tem uma infra estrutura melhor, melhores acomodações também. É mais bonito e maior. Gostei bastante, não tenho queixas consideráveis. Recomendaria sim. Obs.: não são “pé na areia”.

Há todo tipo de pousada e hotel. Há ainda um albergue e Hostel. Praticamente todos, incluindo os que ficamos, estão perto do comércio (Rua Pituba).
Os hotéis de mais requinte são o Txai, Ecoresort Itacaré e Village. Todos ficam mais afastados.

Restaurantes:

Há todo tipo de restaurantes: frutos do mar, churrascaria, comida italiana, lanchonete e etc. Porém, quando eu viajo para a praia, me recuso a comer o que não é do mar, portanto, só fui comer frutos do mar.
O restaurante Flor do Cacau, é bastante simples, pequeno e sem atrativos visuais, porém, uma das melhores comidas que já comi em toda a minha vida! Gostaria de ter comido lá todos os dias! Também é o melhor custo beneficio que já vi na vida. Em que pese os pratos serem para 2 pessoa, servem tranquilamente 4 ou até 5. Durante nossa estadia comemos o filé de peixe grelhado (acompanha banana da terra frita, pirão, arroz e feijão e salada) ao preço de R$ 58,00; moqueca de peixe (acompanha arroz, farofa de banana da terra, pirão e salada), salvo engano por R$ 63,00; e bobó de camarão (acompanha arroz, farofa de banana da terra, feijão e salada), salvo engano, por R$ 65,00. Mas lá também tem pratos com carne vermelha e frango, para quem não come frutos do mar. Este restaurante fica na rua do comércio, bem fácil de achar, em frente ao lugar onde os hippies ficam vendendo artesanato.
O segundo restaurante que indico é o da Tia Deth, também bastante conhecido por lá. Fica em frente a praia da Concha/Coroa, é pequenino e simples, mas com decoração típica de lá. É um pouco mais caro que o de cima, mas muito bom também. Lá comemos uma moqueca (de peixe com camarão, catado de siri e polvo) por R$ 120,00 que serviu nós 4 (acompanha arroz, farofa e salada); também comemos lagosta grelhada (não tem no cardápio, se quiser tem de comunicar com 1 dia de antecedência pra eles trazerem, pois só é boa fresca) ao preço de R$ 150,00 pra nós 4 (acompanha pirão, arroz, farofa e salada).
Na minha opinião, esses dois são os melhores restaurantes por causa do sabor! Há muitos bonitinhos que não são muito bons no sabor, além de serem mais caros. Mas se eu tivesse de indicar um terceiro, indicaria o Pimenta Doce. Lá comemos um bobó no coco acompanhado de arroz de manga e uma moqueca de camarão. A comida é realmente muito bonita e enche os olhos, mas é mais bonita do que boa e de fato só serve duas pessoas. Mas gostei muito da sobremesa famosa que tem lá, uma banana recheada com chocolate e sorvete de coco (acho que custa R$ 13).
Tem um lugar que vende paleta, que é bastante barato (R$ 6,00) e tudo muito gostoso! Se for comprar picolé ou sorvete, compre lá, pois tem muitos sorvetes ruins... Acho que lá é o único que tem paleta.
Na praia do Jeribucaçu comemos um peixe rosa assado na grelha que foi delicioso! Por R$ 120,00, sendo que acompanhava arroz, vinagrete e farofa. É a segunda barraca (acho que são três, ela é a do meio).

Passeios/Praias:

Primeira coisa: sempre que for ao mar, imprima uma tábua da maré pra se situar quanto aos passeios e melhor horário de estar no mar.

Praias Urbanas:
A praia mais próxima dos hotéis é a Praia da Concha (mas não tem concha, aliás, não tem concha em nenhuma praia de Itacaré). Ela é simples... Tem barracas de restaurantes e alugueis de caiaque, sup e etc.
Para quem está de frente para o mar, o sol nasce à sua direita e se põe a sua esquerda. Ambos são imperdíveis (pra quem gosta de natureza e nascer e por do sol). Tanto numa extremidade quanto na outra tem um mirante com uma graminha e banquinhos feitos de toco de madeira.
Lá perto de onde o sol nasce tem o Farol. Tinha uma ponte que ligava até o farol, mas as fortes ondas o destruíram. Dizem que avistar o nascer ou o por do sol de lá é lindo, mas o acesso ficou dificultado... Ou você vai por cima das pedras quando a maré está bem baixa, ou de barco.

As outras praias urbanas são: Resende, Tiririca, Costa e Ribeira. Todas de fácil acesso seguindo pela Rua da Pituba.
A Resende é a primeira praia, dela dá pra ir por cima das pedras para Tiririca (ou ir pela pista, se não quiser subir nas pedras). A Tirica é a segunda praia urbana e ao meu ver a mais bonita das urbanas, tem uma pista de skate, comércio, pousada e uma bica de água doce.
Seguindo por cima das pedras (ou pela rua) está a Costa. Bem pequena e sempre vazia, isso porque suas ondas são fortes e tem pedras, tornando perigosa. Seguindo adiante pela rua está a última praia urbana, a Ribeira.
A praia da Ribeira é a mais movimentada, com muitas barracas, música, gente, frevo e etc. Por essa razão, odiei. Lá passa um riozinho que segue por dentro da mata.

Conclusão: sugiro que a Praia da Concha seja pra contemplação. 5h e pouco pra ver o nascer do sol e 17h e pouco pra vê-lo se por. Andar, sentir a brisa... descansar.
As praias urbanas podem ser todas conhecidas e usufruídas num único dia e sugiro que seja no primeiro! Penso que tem de ser no primeiro porque as coisas mais bonitas precisam ficar sempre depois, pra não causar uma decepção. Penso que tudo tem de ser gradativo, do mais fraco ou menos bom ao melhor, por causa do impacto psicológico mesmo.

Praias Rurais:

As praias rurais são: Prainha, Havaizinho, Itacarezinho, Engenhoca, Arruda, Jeribucaçu, São José.
A Prainha é a única praia rural que pode se chegar a partir da rua da Pituba. Não tem acesso de carro. O guia acompanha pela trilha até o mar, são cerca de 50 minutos de trilha (apesar da extensão, é tranqüila). Foi a minha preferida! Bastante vazia, sem comércio (uma única cabaninha), sem música, sem movimento, apesar das muitas ondas, a água é leve, muito gostosa pra fazer jacarezinho, é meio espumosa... bastante limpa. A areia é clara, mas se cavar fica preta e brilhosa. Da trilha tem muitos pontos com uma excelente vista. Deve separar um dia só pra ela. O preço (por causa do guia) é de R$ 25 a 30 por pessoa. Dá pra ir sem guia? Dá... Mas acho arriscado... Ps.: o melhor é ir de tênis.

O passeio das 4 praias é de um dia todo onde você conhece Engenhoca, Havaizinho, Camboinha e Itacarezinho. São uma seguida da outra. Também por meio de trilha e o melhor é ir de tênis. O passeio custa de 50,00 a R$ 60,00. O carro te deixa na pista, de lá você segue pela trilha rumo a Engenhoca com o guia e fica um pouco em cada, conforme sua vontade e o que combinar com o guia.
A Engenhoca é a primeira da trilha, tem ondas fortes e atrai muitos surfistas, também tem um riozinho que passa na frente do mar e a deixa bem bonita.

Seguindo pela trilha, a próxima praia é a do Havaizinho, com um mirante gramado, algumas cabaninhas, é uma praia pequena, vazia e bonita.

Seguindo, temos a Camboinha, ainda mais vazia e bem pequena.
Seguindo adiante tem vários pontos bonitos para fotografar e ao final a praia do Itacarezinho.
Apesar do nome, Itacarezinho é bastante grande! Talvez a maior praia de Itacaré. É a que tem maior infra estrutura. Pela trilha é lindo de se ver lá do alto, além de não pagar nada pra entrar. Porém, se quiser ir de carro direto pra lá, é possível, pois há um estacionamento na frente do restaurante, mas para ter acesso por lá tem de pagar R$ 30,00. O lugar onde fica o restaurante é bastante bonito, com ótima estrutura, mas para ficar ali é obrigado a ter um consumo mínimo. Se não quiser consumir nada, é ficar no velho esquema de colocar a bolsa na areia e ir pro mar... sem problemas, é bom igual (nós fizemos isso).
Pra quem está de frente para o mar, seguindo para sua esquerda vai encontrar uma bica de água doce (boa pra tirar o sal do corpo ou só se refrescar ou limpar o tênis). Seguindo pra direita, lá na frente vai encontrar um riozinho.
Se tiver ido pela trilha com o guia, no horário marcado o carro buscará no estacionamento pra te levar de volta ao hotel (ou seja, a trilha é só pra ida. A volta é de carro).
Minha opinião: recomendo fazer a trilha! É super bonita!!

A Praia Jeribucaçu demanda um dia todo só pra ela. Contratando o guia, o carro o deixará na pista, perto da ponte do rio, de lá adentramos a mata fazendo uma trilha. Nessa trilha passamos por um rio, uma cachoeira, mata, mangue e finalmente o mar. Também é indicado ir de tênis e levar um chinelo na bolsa. É uma caminhada um pouco longa com bastante sobe e desce, por isso cansa um pouco (lembrando que é trilha pra ir e pra voltar!). Passa um riozinho na frente do mar, bastante gostosinho! De lá, estando de frente para o mar, a sua esquerda, subindo pelas pedras, é possível chegar à praia do Arruda.
É coqueiro por toda a parte, muitos cocos acumulando um sobre o outro, se seu guia tiver um facão, é só pedir pra cortar e abrir! Cocos nativos, docíssimos, muito saborosos! Se não tiver, abra com uma pedra (meu irmão abriu pra gente quebrando com uma pedra grande).
Lá na praia do Arruda, como tem umas pedras, forma uma barreira, criando piscininhas quentinhas, um pouco de coral e peixinhos. Se tiver comendo coco, será ainda melhor.
No final da trilha de volta há um estacionamento onde o carro ficará esperando para levar de volta para o hotel, conforme combinado com o guia (mas o guia fica o tempo todo com vocês), por volta das 16h. O preço desse passeio é cerca de R$ 50,00.

Há um passeio no rio das Contas onde se pode descer de tirolesa e fazer rafting. Nós não o fizemos. Custa cerca de R$ 90,00.
A Praia São José parece ser bastante bonita, mas nós não a conhecemos. O acesso é por dentro de um hotel e por isso um pouco burocrático, mas acho que vale a pena, se tivesse mais tempo teria conhecido.
Há muitas cachoeiras em Itacaré, por falta de tempo só conhecemos a da Praia Jeribucaçu (acho que é chamada cachoeira da Usina). Até aqui, os principais lugares de dentro de Itacaré já estarão finalizados.

Há, porém, outros passeios oferecidos que não ficam dentro de Itacaré.
Fizemos Taipus de Fora + Lagoa do Cassange + Lagoa azul ao preço de R$ 100,00 por pessoa.
Taipus de Fora é onde tem os corais (não esqueça de levar o snorkel!!!!! É imprescindível!). É preciso que a maré esteja baixa. Se tiver 0.0 estará baixa demais e a praia não estará bonita porque os recifes ficarão amostra, o ideal é que a maré esteja 0.5! Aí sim fica bastante bonito!

A Lagoa do Cassange é super gostosa! Rasinha, a água fica quentinha e o fato de ser água doce deixa ainda melhor.

A Lagoa Azul parece ser bastante bonita, mas não a conhecemos porque tinha chovido e estava com lama.
O passeio para Camamu é da seguinte forma: seguimos de carro até Camamu, de lá pegamos a escuna. O preço é de R$ 100,00.
Atravessamos o mar na escuna o que oferece uma vista bem bonita. A primeira parada é a Ilha do Goió, cheia de conchinhas, bem bonitinha, pequena e com a água limpíssima!

De lá vamos para Barra Grande (não achei bonita... Acho que a parte realmente bonita é a Ponta, que não daria tempo de ir a pé), onde pegamos a “jardineira” até Taipus de Fora (onde tem os corais, que eu falei lá em cima). Saindo de Taipus, volta pra Barra Grande pra almoçar (quem quiser) e de lá vamos pra Ilha da Pedra Furada, bem bonita também.

A volta é na escuna, de onde avistaremos o por do sol. Chegando em Camamu pegamos o carro que nos leva de volta ao hotel. Chegamos ao hotel às 19h.

Guia
Há várias pessoas no centro oferecendo passeios. Fizemos todos com um guia só, que conhecemos logo que chegamos à cidade. Seu nome é Willians, ele é um rapazinho nativo de lá, muito educadinho e simples, com grande boa vontade em tudo. Gostamos muito de seus serviços.

Patricia Albieri Esteves

Obrigada pelo relato , super detalhado e ainda com valores me ajudou muito na pesquisa .

Murilo
MuriloPermalinkResponder

Muito obrigado pelo relato, isso ajuda é muito.

Anelise
AnelisePermalinkResponder

Obrigada pelas dicas, Meiriellen! Vou guardá-las para usar em seguida...

Eliseu
EliseuPermalinkResponder

Muito bom!!! Estamos indo em maio e este post vai ajudar muito.

Leonardo Falcão Lima

Obrigado pelo relato, estarei indo no dia 22 de setembro e descerei até caraiva. Como irei sozinho, esses relatos são de grande importância.

vanessa
vanessaPermalinkResponder

ótimas considerações..muito útil

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar