Self check-in com etiquetagem de malas: já existe!

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Self-check em Amsterdã

Foi o maior susto de toda a viagem.

Chegamos ao aeroporto de Dubai com quase três horas de antecedência do horário do vôo -- um intervalo superconfortável. Eu não tinha feito o check-in pela internet porque não tinha como imprimir o cartão de embarque, então fui procurar o setor de check-in convencional da Emirates.

O primeiro setor por que passamos, à nossa esquerda, foi o de entrega (drop off) de bagagem para quem já tinha cartão de embarque na mão. E a fila estava imensa.

Logo em seguida, à nossa direita, apareceu um setor de totens de auto-atendimento. Não tinha fila. Oba! Lá fomos nós.

Fui seguindo as instruções da tela, consegui reescolher o assento, e estava preparado para receber o cartão de embarque e ir pra fila das bagagens quando apareceu a instrução: COLOQUE SUA MALA NA ESTEIRA.

Só então percebi que estava num quiosque de self check-in total, onde eu mesmo etiquetaria e despacharia as malas.

Na hora fiquei tão nervoso que nem atinei de documentar o processo com a cameritcha do iPhone. Tampouco achei vídeo no Youtube sobre o processo no aeroporto de Dubai. Mas o quiosque lá não é tão bandeiroso quanto este do vídeo do Schiphol de Amsterdã, não. Não tinha essa "casinha" toda. Havia só um vão estreito entre os totens, onde por acaso havia uma esteira (mas eu nem tinha percebido isso).

O esquema da Emirates é um pouco mais enrolado que esse do vídeo da KLM. A mala vai para a frente, é pesada, então é trazida de volta para a beirada. Só então a impressora cospe a etiqueta. A tela então manda destacar o recibo da bagagem e os três microadesivos com código de barras (que devem ser espalhados por lados diferentes da mala). Daí sim a gente destaca o adesivão e envolve na alça da mala. E finalmente, depois que a mala vai embora, a impressora cospe o seu cartão de embarque.

Tive que repetir o processo inteiro com a mala do Nick, mas daí já estava craque. Veterano. Gostei!

É o check-in do futuro? Certamente. Mas só em aeroportos que tenham área suficiente para instalar tantos terminais assim. É provável que quando esse sistema chegue ao Brasil aeroportos como Schipol ou Dubai já tenham operando o teletransporte de bagagem...

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire


18 comentários

Luiz Jr. (Blog Boa Viagem)

Que interessante esse método hiper desenvolvido de fazer o check-in e despachar as bagagens! Se for implantado no Brasil terá que existir também vários atendentes para auxiliar....

Claudio Motta
Claudio MottaPermalinkResponder

Já vi algo parecido no aeroporto de Genebra, mas era preciso passar pelo funcionário na hora da bagagem rolar. Só fico preocupado com as pessoas que tem dificuldade com a tecnologia. Quem nunca ficou esperando "horas" num caixa automático?

Eunice
EunicePermalinkResponder

Riq, Eunicinha me falou que no aeroporto de Atlanta tb tem essa opção.

Aline Lima
Aline LimaPermalinkResponder

Riq, a mala vai pra frente e pra trás antes de sair a etiqueta porque, além de pesada, é nessa hora que são tiradas as medidas da mala. No arcos acima da esteira é que estão contidos sensores que medem a bagagem.

Foto: http://i104.photobucket.com/albums/m189/ronerone/EKA380HKG/008.jpg

Gentilmente surrupiada daqui:

http://www.airliners.net/aviation-forums/trip_reports/read.main/178558/1/#86

Abraços das Arábias!

Ricardo Freire

Sim, eu percebi que ela estava sendo escaneada! Muito chique! Bjs!

Claudia Beatriz - Aprendiz de Viajante

Uia, que moderno o negócio. O máximo que já fiz aqiu no tio Sam foi escapar da fila do check in, mas deixar a mala com um atendente.

Alessandro
AlessandroPermalinkResponder

Hehe, em Munique também é assim, já faz uns dois anos! Faz-se tudo sozinho mesmo!

Thiago
ThiagoPermalinkResponder

De fato, é como se diz no primeiro comentário. Isso não dá certo em qualquer lugar. Aqui as pessoas passam horas para sacar dinheiro, parece que estão jogando videogame... com nosso alto índice de pessoas sem ou com pouco estudo, isso iria mais prejudicar que ajudar. Uma pena.

Luciana Bordallo Misura

Hahahaha teletransporte de bagagem foi otimo. Aqui nos EUA eu estou usando o cartao de embarque eletronico (na tela do iPhone), nao tem que imprimir nada. O codigo de barras aparece na tela e e escaneado diretamente nas maquinas do aeroporto. Perfeito pra quando a gente esta em transito e nao tem como imprimir os cartoes de embarque tradicionais.

Silvana Praça

E cada dia sobra mais serviço para nós... Somos nós que ensacolamos as compras no supermercado, imprimimos nossos talões, de cheques, compramos nossas passagens, fazemos nosso check in e despachamos nossa bagagem. E nada disso diminui o cutso de coisa alguma..
Cada dia, trabalhamos mais pelos outros, não recebemos nada por isso (além da própria culpa se algo der errado) e conclusivamente, temos menos tempos para nós mesmos.

Entretulipas
EntretulipasPermalinkResponder

Que moderno! Primeira vez que vejo.
Acredito que vai demorar um pouco para chegar aqui no Brasil.
Mas, pensando em um extravio de bagagem, quem será que é resposabilizado nesses casos de self check in? O passageiro que fez o check in ou a cia aerea? Pq e se o passageiro esquecer de etiquetar a bagagem? Curiosa!
Valeu pelo post!

Ricardo Freire

Acredito que os sensores não levem adiante bagagens não-etiquetadas. A esteira deve travar.

Manddy
ManddyPermalinkResponder

Muito legal esse check-in! Pena que eu nunca tive coragem de fazer. hahahaha Sempre observo as outras pessoas envolvidas com o procedimento, me bate uma curiosidade, mas fico com medo de fazer besteira e a mala extraviar! rs
A sua chegou direitinha no local?
Bjs,
Manddy (http://tourdubaiguide.blogspot.com/)

Ana Karina
Ana KarinaPermalinkResponder

Dubahia é chique! Tive minha experiência com essa maquininha agora no natal quando fui pro Brasil. Dá nervosinho mesmo. Medinho de fazer bobáj, de mandar a mala pra Addis Ababa.

Roberto
RobertoPermalinkResponder

Imagina a brazucada voltando de Miami, fazendo isso com suas 500 malas com milhões de kilos...a máquina ia explodir...

Izabel
IzabelPermalinkResponder

Oi Riq!!
Eu usei esse sistema em Dubai quando passei por lá no final de dezembro e confesso que fiquei com um certo receio de entregar minha mala. Conferi e reconferi as etiquetas umas 15 vezes, mas é realmente muito prático.
Uma das minhas malas estava acima do peso e a máquina rejeitou na hora. Reorganizei minha bagagem de mão e lá foi a mala.
Nada de filas nem perda de tempo. Em 10 minutos estava pronta p/ embarcar.

Amaury
AmauryPermalinkResponder

Riq,
Sei pergunta é fora do assunto check-in-self-service mas talvez alguem saiba e me ajude. Estou indo para NY via Toronto e li em algum lugar que é possível passar pela imigração americana no aeroporto em Toronto. É verdade? Como devo proceder? Minha entrada em NY é pelo La Guardia.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Amaury! Não apenas é possível, como é obrigatório. Não é preciso saber como proceder. Basta se dirigir ao seu portão de embarque, e haverá um posto da imigração americana antes da sala de embarque. Simples assim!

Desta maneira os vôos de Toronto para os Estados Unidos acabam se comportando como vôos domésticos, e a chegada é bem mais tranqüila!

A mesma coisa acontece em Aruba!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar