St.-Barth para duros :-)

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Gouverneur, St.-Barth

Poucos lugares do Caribe são tão metidos quanto Saint-Barthélemy. No inverno do Hemisfério Norte a ilha vira uma espécie de Saint-Tropez des tropiques. O porto de Gustavia, a pequena capital, fica lotado de mega-iates que chegam antes de seus donos. Celebridades de todos os quilates desembarcam às dezenas, em busca de uma temporada de sol, rosé e paparazzi.

Gustavia, St.-Barth

O que quase ninguém sabe é que não é preciso ser quaquilionário para ficar íntimo de St.-Barth (na grafia francesa) ou St. Barts (como preferem os americanos). A ilha não é freqüentada apenas por quem pode pagar hotéis de €700 a diária ou passar as noites entretido em menus-degustação nos restaurantes top. Se a sua carteira não é tão recheada, basta seguir os europeus descolados e aproveitar a estrutura voltada para os ilhéus.

Gustavia, St.-Barth

Muito além do hype. A badalação é um dos grandes atrativos de St.-Barth, mas não é o único. Até porque a temporada do ver-e-ser-visto é curta -- começa no Natal, experimenta o auge no Réveillon e vai murchando aos poucos até desaparecer depois da Páscoa.

Gouverneur, St.-Barth

Em qualquer época do ano -- inclusive durante a altíssima temporada -- St.-Barth vale a pena por inúmeras outras razões. Não só pelo que tem (praias lindas, por exemplo), como sobretudo pelo que não tem. A saber: St.-Barth não tem prédios verticais, não tem hotéis enormes, não tem estrutura para atender a grandes navios de cruzeiro, não tem shoppingões. Você pode vasculhar a ilha de cima a baixo, e não vai encontrar um pingo de mau gosto. Não é preciso estar em ambientes caros para apreciar a beleza e usufruir do charme do lugar.

Flamands, St.-Barth

Hotéis BBB? Voilà. St.-Barth começa a se tornar viável para mortais quando você abdica de um endereço glamouroso ou de uma localização pé na areia.

stbarth-ape1Auberge de Terre Neuve, St.-Barth

Entre as pechinchas encontráveis na ilha, a maior é um flat que vem com um carro incluído. Ou seria o contrário? O Auberge de Terre Neuve pertence aos mesmos donos da locadora Gumbs, e por isso oferece um bem-bolado imbatível, incluindo o carro na jogada: você aluga um apartamento com varanda, cozinha equipada, wifi e a chave de um jipinho Suzuki Jimny. O check-in e o check-out são feitos no aeroporto, no guichê da locadora. Com o seu jipinho você chega em 5 minutos à bela praia de Flamands - e em pouco mais do que isso a Gustavia.

No centro, o Sunset Hotel tem quartos básicos porém charmosinhos . Perto da areia, o melhor negócio é oferecido pelo hotel Salines Garden, que tem cabanas a preço de pousada na Bahia, com café da manhã incluído.

Grande Saline, St.-Barth

Modo de usar. Bem-instalado num hotel abordável e com um carrinho à disposição (item de primeira necessidade), é hora de aprender a curtir o dia a dia de St.-Barth à maneira low-cost.

Não é difícil. As duas melhores praias da ilha, Gouverneur e Salines, são públicas, selvagens -- e gratuitas. Outras areias são ocupadas por clubes de praia esnobes, como o Nikki Beach e o Tom Beach na praia de St.-Jean, mas em Gouverneur e Salines toda atividade comercial é proibida. Os freqüentadores levam geladeirinhas equipadas com bebidas e queijos comprados no supermercado, mais saladas e sanduíches escolhidos a dedo num dos inúmeros traiteurs -- delicatessens, em francês -- de Gustavia e St.-Jean.

Shell Beach, St.-BarthShell Beach, St.-Barth

Nada impede que você leve a sua geladeirinha a praias onde há lounges. Muita gente faz isso em Shell Beach, a praia mais próxima do centro (se você está em Gustavia, pode ir a pé), onde fica o badalado bar Dõ Brazil, do ex-tenista Yannick Noah (que é casado com uma brasileira).

St.-Barth, menu do dia num restaurante do centrinhoLe Sélect, St.-BarthRestuarante L'Entr'acte, St.-Barth

O happy hour mais tradicional da ilha é num sujinho do centro, o Le Sélect, onde as Heinekens (tamanho caçula) saem por módicos €3.

Em vez de seguir a lista das revistas chiques, siga a sua intuição, e você vai descobrir lugarzinhos como o restaurante L'Entr'acte, no deque da marina de Gustavia, ou a delicatessen italiana Kiki e Mo, em St.-Jean, e comer por bem menos do que gastaria em Camburi ou Búzios.

Depois de alguns dias nesse esquema você vai se dar conta de que a sua estada na ilha mais metida do Caribe está praticamente econômica - e de repente vai se animar a fazer alguma extravagância, como marcar um jantar no célebre Maya's e entregar-se aos mojitos de €8 do hotel Tom Beach (ou do vizinho Nikki Beach), na praia de St.-Jean, e às noitadas muito loucas do 'Ti St.-Barth.

Praia de St.-Jean, St.-BarthPraia de St.-Jean, St.-BarthBar La Plage, hotel Tom Beach, praia de St.-Jean, St.-Barth

Como chegar. O acesso a St.-Barth é feito via St. Maarten/St.-Martin, e pode ser por aviãozinho ou barco.

Teco-teco a St.-Barth

Teco-teco a St.-Barth

Várias cias. aéreas operam o trecho em monomotores que levam menos de 15 minutos na travessia -- a aterrissagem é de arrepiar os cabelos, porque o teco-teco dá um rasante acompanhando o declive de um morro e precisa frear antes de alcançar a areia. Saindo do aeroporto do antigo lado holandês (hoje St. Maarten é independente), a Winair voa desde US$ 200 ida e volta. Saindo do lado francês, a St.-Barth Commuter cobra desde €120 ida e volta.

Teco-teco a St.-Barth

Aterrissando em St.-Barth

De barco, a Voyager opera rotas a partir de dois pontos de St.-Martin. Saindo de Oyster Pond (a primeira praia francesa da costa leste da ilha), a viagem leva 30 minutos. Saindo de Marigot (a capital, que fica na costa oeste), a viagem leva 60 minutos. Há pelo menos duas saídas diárias, pela manhã e à tarde (nem sempre do mesmo porto). O Great Bay Express faz a viagem em 40 minutos, saindo de Philipsburg.

Gouverneur, St.-Barth

Leia também:

Todas de St.-Barth no Viaje na Viagem

Guia de St. Maarten

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire

119 comentários

Dani G.
Dani G.PermalinkResponder

Me-ni-no é nóis na fita grin

Taí um lugar q sempre quis ir mas nunca tive tempo$ ! Agora depois de ler esse post me parece mais $impático !

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Muito muuuito bom !
Tava lendo e conversando c/ meus botões que uma série de posts *para durossmile* vai superar o ibope do vintage 'viajar de trem pela europa'.

Rosa
RosaPermalinkResponder

Sylvia, não é à-toa que você é tão querida!!! Idéia brilhante!!!
Assino em baixo: Série de posts *para duros*, porque o importante é viajar feliz...

zuzu
zuzuPermalinkResponder

Tá na minha wish list também.Excelente post!

Daniela Pereira

Sempre quis conhecer o lugar mas, achava que era só para os "ricos e famosos" depois dessas dicas, até coloquei esse destino na minha wish list !

Helio
HelioPermalinkResponder

Imaginava que ir de barco seria mais barato e mais seguro do que ir de avião, e que o tempo total de viagem (considerando check-in) seria semelhante. Quais os motivos para escolher o avião?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Helio! Parece que a viagem de barco não é tão sossegada assim, porque o mar é batido. Pense bem: são só dois horários de barco por dia, contra uns 20 horários de avião!

Luiz Ferreira
Luiz FerreiraPermalinkResponder

Hélio, realmente, é mais barato ir de barco.

Mas o mar bate, E MUITO! Especialmente na ida. Já sabendo disso, eu e minha mulher tomamos dramin e nada sofremos com enjôos.

Porém, fomos os únicos do barco que estavam tranquilos. TODOS os outros tiveram que fazer uso dos cestos, colocados estratégicamente abaixo dos assentos....

Então, se decidir ir de barco, duas dicas: tome dramin ou similar e fique com a janela aberta durante todo o trajeto.

Com as janelas fechadas, o cheiro deixado pelas pessoas que passam mal se torna insuportável.

Helio
HelioPermalinkResponder

Obrigado pelas ótimas dicas!

Beto Sempre
Beto SemprePermalinkResponder

Riq,

como sempre maravilhoso!!!!!

Vou conhecer este ano, depois volto pra contar!!!

Abs

Beto

Janaina
JanainaPermalinkResponder

otimo post ! agora ta faltando fazer um desses sobre a polinesia francesa lol

Ricardo Freire

Existe um jeito alternativo de ir à Polinésia, mas acaba sendo bem mais caro, as acomodações e tudo o mais bem mais rústicas e menos charmosas.

Mariana "de Toledo" @merel

Será que achei a minha ilha? grin

A geladeirinha está para o duro assim como o isopor para o farofeiro? wink

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Vou fazer uma dura ginástica pra endurecer músculos e poder ir a St. Barth! Seguro!!!

Adri Lima
Adri LimaPermalinkResponder

UAU, adorei o post!
Deu uma vontade danada de dar uma escapada!

Cristina L
Cristina LPermalinkResponder

amei!!!! quero ir!!!! só que agora, só depois da Sara nascer...

Luiz Ferreira
Luiz FerreiraPermalinkResponder

Riq,

Alguma dica de como/onde conseguir essas geladeirinhas?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Leve de casa! wink O Comandante acha que de repente dá pra comprar por lá num supermercado, mas aqui é mais barato. Geladeirinha = lancheirona.

Lorena
LorenaPermalinkResponder

Adorei o que St.Barth não tem! E com esse post, é só planejar...

Arthur | Agora Vai

Boa, já me deu vontade.

Gus
GusPermalinkResponder

Eu estive em St Barth no final de novembro e fiquei hospedado no hotel La Banane, com poucos quartos e super charmoso. O site do hotel é www.labanane.com
Final de novembro e começo de dezembro é um período com muuuuito sol, um pouco de vento pra refrescar, mar com água morna e transparente e risco de um pouquinho de garoas rápidas, mas nada que atrapalhe.
Recomendações:
1 - Leve e use repelente, inclusive quando vc estiver no quarto do seu hotel.
2 - Faça um tour pela ilha e conheça todas as praias.
3 - Alugue um jipinho suzuki ou um smart. Não é caro, vale a pena, e sem carro vc não terá como explorar a ilha.
4 - Peça ou alugue no seu hotel um guarda-sol, caso contrário, você terá que se abrigar debaixo de alguma árvore na praia.
5 - Compre e beba muita água e tenha sempre no seu quarto um snack para as horas que bater aquela fome. Restaurantes na ilha são pequenos e distantes, e alguns bem caros.
6 - Evite levar malas grandes ou em grande quantidade. O avião que leva até a ilha é pequeno e é um saco ficar transportando malas.
7 - Se você não enjoa em alto-mar e for voltar por San Marteen, faça a volta de barco. Várias saídas diárias e com um visual bem legal, sem contar que você estará em companhia dos moradores locais da ilha.
8 - Leve água e comida na praia pois lá não existe vendedor ambulante, quiosques, etc. E o mais importante: NÃO SUJE A PRAIA.

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Esse hotel Labanane é gostoso! magnífica dica, Gus!

Gus
GusPermalinkResponder

Desculpe, corrigindo o comentário acima, estive lá no final de junho. sorry...

Ricardo Freire

Gâzzz, eu também estive por lá por essa época. Quase nos encontramos entonces!

Claudia Beatriz - Aprendiz de Viajante

Eba... adorei essa e colocou no mapa pra mim.. smile

Ermesto, o pato

Riq

Também da para ir de barco, a partir de St Martin, com passagens a partir de 50 E por pessoa.

Andre L.
Andre L.PermalinkResponder

Riq, uma correção de menor importância apenas:

"aindo do aeroporto do antigo lado holandês (hoje St. Maarten é independente)"

Sint Maarten não é independente, não. O Reino dos Países Baixos (Koninkrijk der Nederlanden) é formado por quatro países (pense mais ou menos em Reino Unido = Escócia + País de Gales + Inglaterra + IRlanda do Norte):

- Nederland (Holanda)
- Sint Marteen
- Aruba
- Curaçao

Outras dependências holandesas (Bonaire, Sint Eustatius e Saba) são municipalidades da Holanda (Nederlandse Geementen), como qualquer outra (com pequenas exceções).

É assim que ficou o quadro político da Holanda após a dissolução das Antilhas Holandesas no fim do ano passado. Anyway, é só um detalhe, mas Sint Maarten não é independente, não. Tem certa autonomia, mas só.

“O que Marataízes tem?” (ou relato – gigante – da caminhada às falésias de Marataízes) « Rotas Capixabas

[...] Farofeiro? Eu? Tsc, tsc, tsc… Tá na hora de você rever seus conceitos. A não ser que as celebridades e ricaços que freqüentam as praias de Gouverneur e Salines em St. Barth, no Caribe, estejam incluídos no seu conceito de farofa. Duvida? Então dá uma lida aqui. [...]

Jeferson
JefersonPermalinkResponder

Dae Ric, mandando muito bem nos posts, estou indo pra St. Maarten e com ctza vou dar um pulo em St. Barth, mas me de uma dica, o que faço com a minha mala? Já que o amigo acima falou que é ruim de transportar? Daí levaria a mala de costas somente e deixaria a maior em St. Maarten se possivel, dicas?? grin
Valeu..

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Jeferson! Se você googlar "St Maarten" e "left luggage" vai achar um monte de perguntas e nenhuma resposta afirmativa.

O melhor é viajar leve. Os teco-tecos a St.-Barth aceitam bagagem até 20 kg.

Se você voltar para passar alguma noite em St Maarten, pode também deixar a bagagem à sua espera no seu hotel!

Elisa
ElisaPermalinkResponder

Alguém sabe mais dicas e contatos de hotéis com preço digno em St. Barths? Estou indo pra lá no princípio de maio e esses da matérias (acreditem!) já não tem disponibilidade! Estou tentando achar algum outro que seja acessível pois não estou podendo pagar 300 euros em uma diária no momento. Espero que alguém possa me ajudar! Obrigada!!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Elisa!

Nesta página você pode selecionar hotéis pela faixa de preço e ir tentando até ver qual tem disponibilidade:
http://www.st-barths.com/en/hotels.html

Boa sorte!

Elisa
ElisaPermalinkResponder

Então ... eu já tinha olhado essa página. Aliás, olhei tanta coisa que fiquei até perdida! Numa dessas páginas locais encontrei sobre um hotelzinho que parece legal (e os preços dignos). Alguém tem alguma informação? Chama-se Auberge Petite Anse e a página é:
http://www.auberge-petite-anse.com/

Obrigada mais uma vez!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Elisa!

É preciso ter espírito despojado para encarar as opções mais econômicas em St.-Barth, porque estão longe de oferecer os confortos de um hotel. Mas se você fizer esse estilo, provavelmente vai gostar deste hotel. As opiniões no TripAdvisor são favoráveis:

http://www.tripadvisor.com/Hotel_Review-g147338-d156974-Reviews-Auberge_de_la_Petite_Anse-St_Barthelemy.html

Elisa
ElisaPermalinkResponder

Bom, já tinha lido esses reviews favoráveis e depois de alguns contatos resolvi fechar com O Auberge de la Petite Anse. A diária na baixa temporada ainda inclui o aluguel de carro e o dono foi tão, mas tão simpático ao responder meus e-mails que não tive dúvidas ... fiz minha reserva. Vou dia 05 de maio e depois volto aqui para colocar minha opinião e quem sabe ajudar outras pessoas que se interessem (já que tenho tanta ajudar por aqui!).

Laura
LauraPermalinkResponder

Olá Ricardo ! Viajo para St Martin dia 30 de maio, voltando em 7 de junho. Gostaria de passar 2 dias em St Barth e pretendo ir de barco, pois tenho horror a teco teco. Será que 2 dias seriam o suficiente e há como ficar hospedado lá sem alugar um carro?
Abs !

Ricardo Freire

Todo mundo passa mal horrores no barco, Laura. Não é recomendável. E se não for para alugar carro... você não vai aproveitar a ilha. Repense.

Tatiana
TatianaPermalinkResponder

Oi Ricardo, tudo bom? Não conhecia seu site...fui pesquisar sobre St. Barth e St. Martin e cheguei aqui. Parabens, as informações estão otimas!

Estou indo dia 22/04 com uma amiga. Vamos ficar no Salines Garden em St. Barth e no Oyster Bay Beach em St. Maarten.

Vc conhece esses hotéis? estão bem localizados? Não conheço nada da ilha e estou com medo de errar.

Obrigada!!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Tatiana! Aqui quem responde é a Bóia. O Salines Garden foi indicado no texto acima. Para ver hotéis de St. Maarten / St.-Martin recomendados pelo Comandante, clique aqui: https://www.viajenaviagem.com/2010/07/st-maartenst-martin-como-escolher-seu-hotel/

André Luiz
André LuizPermalinkResponder

Estou indo a Saint Marteen no dia 03 de maio próximo e ficaremos até dia 10. irei com esposa e casal de amigos. gostaria de saber se é melhor comprar pacotes de passeios aqui pela net ou deixar para comprar quando chegar lá.
Gostaria de saber se vai ter algum brasileiro por lá nessa época, poderíamos nos encontrar e combinarmos algum passeio.
Aguardo respostas.

Obrigado!

Elisa
ElisaPermalinkResponder

Oi André, eu e meu marido estamos indo agora dia 26 e ficaremos até o dia 10. Passarei 3 dias em St. Barth e o restante em St. Maarten. Ficarei hospedada no Flamingo e depois no Love.

FREDERICA
FREDERICAPermalinkResponder

Estivemos em St Barth no final do mês de março de 2011, época que consideramos perfeita! Só não foi melhor pois ainda é alta estação, e os preços ainda estão inflacionados. A viagem iniciou pela Copa Airlines partindo de São Paulo com destino ao Panamá e do Panamá para Saint Maarten (aeroporto Princess Juliana). Em St Maarteen a recepção é aquela coisa bem caribenha, com musica, gritaria, pessoas gesticulando, uma alegria só... O impacto não foi dos melhores, esperávamos alguma coisa mais elegante, mais discreta, siclenciosa (na verdade, esperávamos St Barth). Em St Marteen não é assim. É muita festa e alegria, uma algazarra só. Não curtimos muito também a cidade em si. As pessoas já avisam sobre o perigo (ruas perigosas, táxis sinistros...) A cidade é meio suja, esculhambada, não sabemos dizer (ou apenas esperávamos demais de St Barth)... As coisas meio destruídas... muita areia, terra... enfim... não simpatizamos muito com a cidade. Optamos por ficar apenas um dia em St Marteen, o necessário para pegarmos o vôo para St Barth no dia seguinte. Ficamos hospedados no Mercure (achávamos ser uma rede conhecida) na praia de Baie Nettle, no lado Francês da ilha. Não tem absolutamente nada ali, meio deserto, sem movimento, pessoas ou coisas para fazer. A noite, fomos na Marina Royale em Marrigot, onde existem vários cafezinhos, barzinhos e restaurantes. Muito bons e agradáveis de ficar. Comemos uma pizza cada um e sobrou bastante comida (custava 12 euros). Fica a dica: no domingo não abre nada de lojas, nem no lado francês (Marrigot) nem no lado holandês (Philipsburg)... Em Philipsburg tem muitas lojas legais (amei a Tiffany) e de jóias (tudo com muita pedra preciosa caribenha), relojoarias... Mas fique atento: é impossível pegar taxi lá que te leve até o aeroporto. Nenhum taxista leva de Philipsburg até o Princess Juliana (acreditamos ser devido proximidade e a impossibilidade de pegar passageiros na volta). Tivemos que pagar o dobro para um aceitar nos deixar lá. E, também, atente para pegar táxi apenas em pontos ou de taxistas que possuam a plaquinha na frente. Optamos por pegar o vôo para St Barth no aeroporto secundário da ilha (Grand Case Airport). Isso porque ele possui muito menos vôos (praticamente só o nosso) e o checkin/imigração acabam sendo muito mais rápidos (embora tenham apenas 6 passageiros embarcando naquele horário, existe imigração e tudo o resto, até um mini free shop!). Isso é uma dica muito boa: pra ir para St Barth, de St Marteen, é necessário toda aquela história de policia federal e o aeroporto de St Marteen Princess Juliana é lotadéeesimo! Tem muita gente na fila, muita! Filas muito demoradas! Vale muito a pena embarcar em Grand Case. Fomos de taxi (25 euros). Em Grand Case pegamos o voo da St Barth Commuter (60 euros por pessoa). Tem também a companhia Win Air que faz os mesmos aeroportos. O vôo é rapidinho, embora seja bastante nervoso. Ele voa muito baixinho no mar, avião de hélice que, na hora de pousar, elas são simplesmente desligadas, com toda a historia de pousar “plainando”... Mas, então, todo o encantamento de St Barth supre qualquer medo do aviãozinho... A ilha é linda. Linda. E linda. Muito bem planejada, com casinhas muito fofas, estilo sueco, bastante européia (nada caribenha). Pessoas educadas, elegantes, som baixo, pessoas falando baixo, sem crianças infernizando (elas também são educadas), lojas bonitas, ruas limpas, sinalizadas... O aeroporto já e muito bonito, apesar de pequenino. Mas estamos aqui para falar do hotel. As propagandas do Christopher não eram as melhores. As pessoas referiam-se a ele como sujo, velho, quebrado, sem educação... Ficamos simplesmente apaixonados pelo Hotel. Estamos marcando nossa volta para o ano que vem. Já na nossa chegada de St Marteen fomos recepcionados sem atrasos pelo simpático Roman, sinalizado com a placa do hotel. Muito bem uniformizado, com um placa bem feita, pontualmente nos aguardando. Retirou nossas bagagens da esteira até o carro trasnfer do hotel de maneira muito cordial e elegante. O carro, uma mini van com ar condicionado novinho, em excelente estado. Ali, nos recepcionaram com toalhas de rosto levemente umedecidas e perfumadas, para nos refrescarmos e tirar o suor do rosto, mãos e braços. Também nos aguardavam com água gelada e biscoitos. Nos levaram até o hotel já explicando sobre a ilha. É outra paisagem. Ruas, hotéis, pessoas, restaurantes, bem cuidados, bonitos, limpos, inteirinhos. O hotel é belíssimo. Foi reformado inteiro no final de 2010 (neste réveillon ficou hospedada nossa top Alessandra Ambrósio). Todos os quartos foram reformados. Na recepção, aquele design bonito, bem arquitetado, flores frescas de decoração. Nos receberam com um coquetel (com ou sem álcool). Eles possuem profissionais que falam quase todas as línguas (inglês, italiano, Frances, alemão). Muito bem limpo e cuidado. Jardim impecável. Quartos lindos. Modernos, novinhos. O ar condicionado dos quartos é mantido e rigorosamente controlado o dia inteiro pela governança. Assim como a iluminação dos quartos (muito aconchegante). Elas vão o tempo inteiro arrumar e deixar o quarto arrumadinho. NO quarto, tínhamos um frigobar a disposição (sem custo). Apenas pagaríamos se precisássemos repor os itens (mas tinha bastante coisa, ficamos 6 dias e não esvaziamos a geladeira). Tem cafeteira no quarto (com todos os saches que imaginares para café: café tradicional, preto, amargo, açúcar, adoçante...) muito simpático. Tambem mimos: chinelinho para o quarto (tipo pantufa), chinelo para piscina (tipo havaianas). Roupao branquinho que era trocado todos os dias, toalha de banho gigante, rosto e higiênicas (sim, as pequeninhas também). Muitas. Eles trocam as tolhas 2 vezes por dia!!!! Alem de toalha para a piscina. Cama king size com lençóis de algodão egípcio. Luz de cabeceira de leds. Banheira, foutton com vista para o mar. Até onde vimos todas as suítes são iguais. O quarto sempre limpo. Os profissionais muito atenciosos. Comida muito boa. Sobremesas maravilhosas!!! Serviço de bar e piscina excelentes. É indiscritível a experiência no hotel. Muito alem das nossas expectativas. Somos atendidos o tempo inteiro, todos os dias, pelo manager do hotel. Ele está sempre presente. Percebe-se a preocupação em fazer o melhor sempre. O serviço éimpecável sempre. Todos os materiais, decoração e paisagismo novos, recém decorados... Muito bom gosto. Será difícil ficarmos em outro local em St Barth. A experiência foi maravilhosa. Ele deixou de ser, de longe um hotel baratinho e simplinho da ilha. Ele com certeza está entre os melhores. Bem vindo, Christopher. Estas entre o melhor de St Barth. Durante a estadia fomos muitíssimos bem tratados pelo maitre do restaurante, sempre muito atenciosos e corteses quando a comida não nos agradava (as vezes, é um pouco difícil acertar a que se refere o prato), chegamos a trocar de comida para aquela que nos agradava. Fizemos também o Cruzeiro privado em barco a vela, com um respeitoso “pic-nic”preparado pelo chef... Tinhamos vinho, vinho rose, sucos, água, comidinhas, sobremesas, sanduíches... muito carinhoso e de bom gosto. Muito elegante tudo no Christopher. Parabens. Viajamos muito, temos bastante experiência com hotelaria. Tabem somos bastante exigentes com relação a hospedagem. Viajamos todo o ano 3 vezes por ano depois que fizemos nossa boda de prata de casados. Alguma experiência possuímos e buscamos sempre a elegância e discrição. Fizemos questão de colocarmos nossa experiência neste hotel devido aos comentarios maldosos que recebemos inicialmente via internet. Esqueçam o que está escrito. Sejam bem-vindos a St Barth. Vao amar. E o Christopher é uma excelente pedida. Perfeito.
Com relação a ilha, tem muita coisa bacana. Lojas refinadas, até mesmo as de artesanato. Gostamos muito daquelas que vendem os produtos oficiais da Regata St Barth (competição de barcos a vela que tem 2 ou 3 vezes por ano na ilha). Eles vendem camisas, camisetas, bonés, echarpes.. tudo naquele estilo náutico.. coisa muito européia. Chiquérrimo. Também a Pati de St Barth (loja famosa de artigos para presente). Ela que vende aqueles famosos escritos “St Barth French West Indies”, muito bacana para presentear, embora bastante caros. Camiseta masculina (38 euros), camiseta feminina (45 euros). Boné (29 euros), canga (26 euros), imà de geladeira (10euros), sacola de praia (28 euros). Ou seja, compramos 7 presentinhos e gastamos 250 euros, 650 reais... depois, as maravilhosas Louis Vuitton, Hermes, Cartier, Bulgari, Ralph Lauren, Villebrequin... Preços de frança, igual aos do site. Tem joalherias (vendem relógios de todas as marcas, Rolex, Mont Blanc, Omega, Cartier, Tag Heuer, Hublot, Richards Milles). Várias dessas. Lojas que vendem perfumes e cosméticos (preços idênticos ao freeshop do Panamá e mais baratos que o duty free do Brasil).Vale a pena: bolsa, relógio, maquiagem, perfume, cremes, jóias... vale a pena se pensar nos preços do Brasil, certo? Comparando com Europa e USA os preços são muito parecidos. Para comer se gasta muito... 100 euros por casal por refeição... A media dos pratos é de 30 euros... mais sobremesa 15 euros... água 5 euros... 100 euros por refeição. Valeu a pena pegar o pacote do hotel com meia pensão, economizamos bastante. Deixavamos para comer na praia ao meio dia e lanches da tarde. Locais bons para comer: La Creperie, Nikki Beach (melhor para praia, 40 euros por casal para locar espreguiçadeiras e guarda-sol com toalhas, excelente serviço e cardápio), Le Isola (italiano), Du Brazil (Shell Beach, não muito ao nosso gosto, algo praia demais, do tipo surfista.. mas o segundo único bar de praia). Não possuem muito o hábito de bar de praia, exitem apenas estes dois. Por isso o Nikki Beach vale a pena. Gostamos muito também de uma lojinha que vende produtos locais de beleza (tem uma linha que chama-se Ligne St Barth, eles possuem tudo que é tipo de creme, sabonete liquido, sabonete, perfumes, óleos... bonito para colocar em lavabos ou presentear alguém). Também comprei o esmalte da ilha, chama-se Idalmi St Barth, que mulher nenhuma que se preze sai de lá sem esta recordação. Ele é vendido em farmácias comuns. Outra coisa a se deliciar é o supermercado (tem um ótimo em frente ao aeroporto). Muito vinho, champagne, cremes, xampu, esmalte, chocolate.... tudo francês e muito baratinho! Vá com sacola... eles não usam nem tem (nem pagando) sacolas plásticas, todo mundo chegava com as sacolas de tecido e papel dentro das bolas ou debaixo do braço.
Pra irmos embora, fomos pela St Barth Commuter novamente, mas para o Princess Juliana, onde pegamos nosso retorno para o Panama-Brasil pela Copa Airlines.

Elisa Barros
Elisa BarrosPermalinkResponder

Cheguei de St. Barths ontem e ainda estou em St. Maarten! As dicas estão fresquinhas!

Bom, ficamos incialmente 09 dias em St. Maarten e então fomos de ferry boat ao invés de avião. http://www.st-barths.com/great-bay-express/index.html
Pagamos U$234,00 pra mim e marido e confesso que a viagem foi tranquila dentro de um limite. Eu esperava mais "emoção". Tomei plasil pra garantir e só senti um mal estar na volta porque sacolejava demais, mas nada grave.

O hotel que fiquei é simples porém muito digno e limpo. Chama Auberge de la Petite Anse e o dono, Sugér, uma simpatia de pessoa! Pelos e-mails que trocamos já pude perceber e depois, quando o conheci pessoalmente a impressão se confirmou. Na baixa temporada eles fazem um pacote diária do hotel + carro e no fim, duas diárias que paguei cash em dólar ficaram U$300,00. Preço ótimo para ser em St. Barths e vale lembrar que os apartamentos tem cozinha e varandão com vista espetacular. Além disso são super privativos, da sua varanda só se vê o mar, lindo! Tudo simples mas bem limpinho e com localização muito boa. Pretendo voltar e ficar lá novamente!
http://auberge-petite-anse.com/

Bom, St. Barths é uma pérola no Caribe! Amei cada instante na ilha que mais parece um pedacinho da França com o upgrade do mar azul turquesa. E ao contrário do que eu mesmo previa acabei gastando relativamente pouco. Optei por levar uma excelente bolsa térmica do Brasil então segui as dicas de levar sanduíches e bebidinhas para as praias. Farofeira chique, comendo parma e tomando vinho de frente pro mar. Muito legal mesmo!

Os supermercados oferecem produtos franceses maravilhosos a preços muito atrativos. Prova disso é que voltei cheia de sacolas porque acabei fazendo comprinhas e trazendo pra St. Maarten (onde tb estou num apart hotel). Tudo com aquela qualidade típica da gastronomia francesa, excelente!!! Estive em dois supermercados: um no centro, pertinho da marina da Gustavia, na rua principal e outro em frente ao aeroporto num centrinho comercial.

Como passávamos o dia na praia comendo sanduichinho e tomando vinho no fim só saímos para jantar-lanchar a noite. Lá tudo é cedo, então era sempre por volta de 7 no máximo 7:30 que íamos. Recomendo a aqui citada Kiki-Mo (melhor panini e tiramissu da vida!).
Também gostamos demais do Andys Hideaway (que fica em St. Jean, escondidinho num centro comercial da rua principal perto da Kiki-Mo) Pizza excelente por 13 euros http://www.hideaway.tv/
Ao lado do Hideaway tem uma rotisserie maravilhosa (não lembro o nome) com sobremesas espetaculares, sanduíches e comidinhas. Recomendo muito. Nas duas vezes que fomos no Hideaways comemos a sobremesa nela.
Em Gustavia recomendo uma creperia (la Creperie) muito boa. O rapaz que nos atendeu foi mega simpático e indicou várias coisas legais para se fazer. Fica na rua atrás da principal, numa esquina.

Bom, como foram só 3 dias acabei não conhecendo tanto quanto gostaria. Minha praia preferida da vida é Anse du Gouverneur, calma, com árvore grandona pra nos abrigar do sol e super bem frequentada. Fui dois dias por lá. Salines é linda porém se vc não tem guarda sol vai torrar porque lá não tem onde se abrigar.

No mais achei mil vezes melhor que St. Maarten, sem comparação mesmo! Pessoas lindas e educadas, preços dignos (se pensar que é em euro e vc está numa ilhota no meio do Caribe) e tudo limpinho, organizado! As estradinhas são um pouco sinistras e é preciso muito cuidado para dirigir nas curvas e morros de lá mas compensa demais!

Alguns poucos lugares não achei quem falasse inglês mas na maioria deles a gente consegue se comunicar muito bem com a língua da terra do rio Sam. Lembrando que o idioma oficial da lingua é mesmo o francês!

Não dá pra ficar sem carro por lá, definitivamente! E não recomendo a ninguém que vá só para passar o dia. Eu fiquei 3 dias e achei pouco. Devia ter me programado para ficar mais mas ok ... é uma boa desculpa para poder voltar.

St. Barths vale cada centavo ( de euro) gasto! É a creme de la creme do Caribe!!!

Rogério
RogérioPermalinkResponder

Oi Elisa..
Estou indo pra St. Barts em março e gostaria de saber se vc viu lá lugares para alugar cadeiras e guarda-sol, como em St. Maarten, mas para levar para as praias isoladas (Governeur e Saline).

Rogério

Alexandre
AlexandrePermalinkResponder

Acabei de voltar de St Barth! Há anos que eu queria ir pra lá, minhas expectativas eram as mais altas possíveis, e todas foram superadas! Vale cada centavo e cada hora gasta pra se chegar lá!

marcelle
marcellePermalinkResponder

olá,
estou indo pra st maarten e st barth agora em junho, e tenho uma duvida:
como ainda nao resolvemos se vamos de barco ou teco teco, queria saber se preciso comprar de uma vez as passagens ou se posso deixar pra olhar la mesmo.... dizem q tem muitos horarios de saida e retorno , tanto do barco quanto dos avioezinhos... existe a chance de acabarmos ficando na mao????
estou pensando em fazer um trecho de barco e o outro de aviao... o que da menos medo? a chegada de aviao em st barth ou a decolagem???
tenho medo de teco teco!!!
onde o mar bate menos ? indo pra st barth ou voltando??
se alguem puder me responder!!
obrigada,
marcelle

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marcelle! Você pode deixar para comprar lá. Lembre-se que a agonia do teco-teco dura 10 minutos, e que o enjôo do barco dura uma hora e meia.

MURILO BROCCHINI

estive em 2001 em st barth, para montar o cardapoio do restaurante Dõ brazil em shell Beach, Gustavia....uma experiencia inesquecivel!

Alan Kirszenwurcel

Bom Dia a Todos! Tomei coragem e reservei 6 noites no maho beach e 4 noites em um chottage c/kichenet (assim escreveram) no Salines Gardens. Estou pensando em alternar entre aluguel de carro em St Marteen e de uma scooter em St Barth, o que voces acham? Existe este tipo de servico na ilha? As estradas sao de areia ou de asfalto?

Abs e PARABENS pelo blog, cada post e uma viagem MESMO!

Alan

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Alan! Invista num jipe, é mais seguro. As estradas são estreitas, há muitas ladeiras e curvas sinuosas.

Flavia Monalisa

Riq, tem uma série de posts para "duros"?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Flavia! Aqui quem responde é A Bóia! Não existe formalmente uma série "para duros", mas temos alguns posts com esse tema mrgreen

Mais um sobre St.-Barth para duros: https://www.viajenaviagem.com/2011/05/st-barth-para-duros-a-elisa-foi-e-comprovou/
Rio de Janeiro para duros: https://www.viajenaviagem.com/2011/06/a-boia-em-rio-de-janeiro-para-duros-mirante-da-paz/
Lima para duros: https://www.viajenaviagem.com/2011/02/lima-para-duros-por-sylvia-lemos/
Ponte-aérea para duros: https://www.viajenaviagem.com/2011/01/a-boia-em-ponte-aerea-para-duros/
Viagens econômicas: https://www.viajenaviagem.com/seu-estilo/economico/

Maria Fernanda Cortez

Gostaria de saber se existe transporte de Punta Cana para St. Barts, se vale a pena fazer isso, quanto tempo leva e quanto gastaria...
Se alguém puder me responder, agradeço!!!
Tks...

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maria Fernanda! Não existe. Você precisaria ir a Santo Domingo (4 horas de carro ou ônibus) e lá embarcar num avião a St. Maarten (pela Insel Air, reservável em http://www.expedia.com ) e então pegar um teco-teco a St. Barth. Ida e volta sairia pelo menos 500 dólares.

rafael monteiro

Estou pensando em passar minha lua de mel em julho em St Marteen, e esse post me interessou em conhecer também a ilha vizinha. A dúvida é se preciso do visto francês para entrar lá.

Se puderem me esclarecer isto, agradeceria muito =)

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rafael! Não há exigência de visto! Leia mais: https://www.viajenaviagem.com/2010/09/caribe-para-principiantes/

rafael monteiro

Ótima notíica! =)

Muito obrigado!

Alberto
AlbertoPermalinkResponder

Oi, acabei de voltar de Punta Cana e gostei muito. Principalmente do agito na praia e muita gente bonita para todo lado. Estou pensando em voltar ao Caribe no carnaval st barth também tem praia lindas cheias com gente bonita ou é mais vazio?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Alberto! Carnaval é alta temporada em St.-Barth. O estilo, porém, é totalmente diferente. Você vai precisar alugar um carro e o consumo na praia, nas praias onde há bares, é bastante caro. A freqüência é muito bonita.

Arnaldo de Castro

Putz, otimas dicas cara ! Gostei mesmo, estou desde ontem vendo tudo que vc escreve sobre a região de st. maarten e resolvi fechar um pacote ! Inclusive saiu bem barato pela CVC, paguei 3mil passagem e hotel.

Não vejo a hora de pousar em St. Barts com esse dehaviland da WinAir

PS; Aviãzinho e teco-teco? Ai vc mata minha categoria rs

Diógenes
DiógenesPermalinkResponder

Barato Arnaldo?? 3000 mil por pessoa?
Não sei onde vc mora mas caso seja alga cidade que tenha voo da copa vc poderia aproveitar que ela ta com preços excelentes? Por exemplo, brasilia - st maarten ta saindo por 1500 reais, já incluído as taxas.
Caso seja um casal vc gastaria 3000 reais e ainda sobraria 3000 reais pra vc gastar com hotel( comparado ao preço da CVC ). E com 3000 reais ( cerca de 1700 dólares) vc escolhe um hotel melhor que o da CVC!

Christiano
ChristianoPermalinkResponder

Ola Boia, Ricardo,

fiquei com uma duvida quanto ao transporte vai maritima de St Martin/Marteen para St Barth: diariamente ocorrem as saidas? Pois vi no site http://www.saint-barths.com/index_navette_bateaux.php?lang=uk sobre o operador MV que voces comentaram e aparentemente nao opera no domingo. Eh isso mesmo? Planejo ir pra la em Maio e gostaria dessa informacao....ha outros operadores ou particulares (tipo taxi) que facam esse traslado de uma ilha a outra tambem?

Obrigado,

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Christiano! A página que você indica fala que o Voyager está abrindo uma NOVA linha saindo da Bobby's Marina em Philipsburg.

Eles operam também desde Oyster Pond e Marigot. Há pelo menos duas companhias fazendo a rota.

O site da Voyager está linkado no texto. Há horários diários até maio, mas sem especificação de porto de partida. Você pode mandar emails ou confirmar ao chegar.

http://www.voyager-st-barths.com/TTIDotNet/Transport/TransportNetFO/Voyager/transport_fiche_contact.aspx?view=UsrDispoCalendrier&taskId=7df1cbbd-3041-4d6f-9b6a-f1a9d78fbe05&ViewName=GuideHoraire&GRAPHNAME=CreationDossier

Tomé Gonçalves

Cristiano,

Estive em St. Barth em Janeiro e comprei as passagens com antecedencia atraves deste site:
http://www.sbhferry.com/booking.html

Os horarios estão disponiveis no link abaixo:
http://www.sbhferry.com/ferry-schedule.html

Totalmente confiavel, recebi por email o comprovante de compra. A passagens você pega na hora de embarcar. A recomendação é chegar pelo menos 45 minutos antes do horario de saída, mesmo porque você precisará passar na imigração para carimbar o passaporte.

A travessia não demora mais do que 45 minutos saindo da Bobby's Marina in Philipsburg.

Espero ter ajudado. Boa viagem!

Jayme
JaymePermalinkResponder

Christiano

Apenas complementando a info da Boia, a saida de Marigot leva 1h 15 e a saida de Oyster Pond leva 40 minutos. Para quem nao gosta muito de barco ou tem risco de enjoo, a melhor opção é por Oyster Pond, mas fica uns 45 minutos do aeroporto em função do pessimo transito na ilha de St. Martin.

Minhas dicas de Saint Barths: bem completas (updated again) « tem a ver comigo

[...] Vamos às dicas (e quem quiser mais dicas, sugiro muito dar uma olhada nas dicas da Paulete de St Barth que são mega completas (clica  aqui), nas do Glamurama (clica aqui) e pra quem quiser uma St Barth “barata” – vê as do Ricardo Freire (clica aqui) [...]

Philipp
PhilippPermalinkResponder

Comandante e bóias, preciso de um pequeno auxílio.

Qual restaurante recomenda para um jantar especial, o Maya's mesmo?Para reservar, email em Ingles funciona (leia-se bem recebido)? Meu frances é ainda très pauvre sad.

Merci!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Philipp! Todos em St. Barth falam inglês, não se preocupe.

O Maya's é o restaurante mais autêntico da ilha, mas é bastante despojado. Não espere luxo.

Como cenário/localização/vista, um restaurante que impressiona mais (mas sem ser rebuscado) é o Bonito. Reserve uma mesa com vista.

http://ilovebonito.com/

Philipp
PhilippPermalinkResponder

Contato fácil e simpático, reservado! B-)

Obrigado pela dica

Espero apenas que o tempo melhore, pois anda chovendo bastante por lá.

Aline
AlinePermalinkResponder

Tempo perfeito e quando chove só chuvisca rs rs rs.
Vai ser perfeito...
To procurando dicas para as nights locais

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Alô, Aline! O Comandante dá algumas dicas no texto wink

St-Barthélemy: do turquesa ao rosé | Siamo Arrivati

[...] a ilha dos bacanas. O Ricardo Freire explicou direitinho que Saint-Barth também é dos plebeus aqui e comprovado aqui, e foi seguindo estas dicas que fomos parar em um dos locais mais paradisíacos [...]

Clara
ClaraPermalinkResponder

Acabo de voltar de St. Barth, em Lua de Mel, seguindo o roteirinho para duros! Funcionou que é uma beleza! Jojo's BUrger é o melhor que já comi na vida!

Fiquei no Christopher e voltei encantada! Não esperava tanta qualidade pelo preço que paguei! Quem quiser experimentar, é melhor correr, poque ouvi dizer por lá que até o fim do ano o hotel vai subir na classificação e ficar bem mais salgado pra quem está buscando uma St.Barths light!

Bernardo barros

Clara quanto deu sua viagem aproximadamente? Voce saiu do brasil de qual cidade? Quantos dias ficou? Quero ir pra la em janeiro, so que tenho varias duvidas!rs
Qualquer coisa me manda um email
Bernardoseabra@hotmail.com

Renata Brito
Renata BritoPermalinkResponder

Olá!
Uma amiga vai para o Caribe, veio me perguntar algumas coisas e eu disse para ela vir correndo para cá para pegar tooodas as dicas.
Aí me dei conta que as minhas últimas viagens foram todas planejadas com o que pesquisei por aqui... e deu tudo tão certo!

Então me dei conta que nunca deixei nenhum comentário aqui agradecendo o Ricardo (Ricardo, um beijo!). E nem para falar como foi tudo.

Então decidi falar um pouco sobre os dias que passei em St Marteen e St Barth. Foram 11 dias no total.

Primeiro ficamos sete noites no hotel Westin em St Marteen (seguindo sugestão do Ricardo!!) e adoramos!

No primeiro dia você já acha a praia do hotel incrível! Até conhecer as outras.

Mullet Bay também virou minha preferida, estive três vezes lá e sonho com aquele lugar até agora...

Alugar carro é obrigatório mesmo, o bar perto da praia dos aviões é uma delícia, brincar de ficar perto quando as turbinas dos aviões são ligadas tem graça não, mas há quem goste...rs

Trânsito ruim, ruim... obras... mas não foi um grande problema.

O preço de bebidas é incrível. Mercados duty free em todo lugar. Vodka, whisky, champa... tudo baratin, baratin... Fazer a farofa chique e levar tudo pra praia é perfeito! Não esqueça de levar a sacola térmica ou o cooler aqui do Brasil, encha de gelo no hotel e seja feliz o dia todo em alguma praia linda. Opção não falta.

De lá seguimos para St Barth. Outra experiência. Coisa fina, gente! Ficamos hospedados em uma pousadinha chamada Salines Garden. Indico muito. Honestíssima. O dono é um francês desencanado e gente boa. Não tinha mais ninguém hospedado por lá, ele só vinha conferir se estava tudo bem com a gente no café da manhã e sumia! Ficamos sozinhos na pousada e foi ótimo, super privativo. Sorte mesmo.

Tem uma mini cozinha, então compramos coisinhas ótimas no supermercado e fizemos jantarzinhos com produtos tipicamente franceses. Um luxo!

Ah, foi o próprio dono da pousada que agilizou o aluguel do jipinho para a gente.

Pra comer em restaurantes, é caro. Não dá pra fazer compras em lugar nenhum, a não ser no supermercado. Tudo carésimo. Nesta hora, dá saudade de Saint Marteen. Mas passa logo. As praias de Saline e Gouverneur são incriveis. Comprar baguetinha, queijinho, levar o champanhe que vc comprou barato em Saint Marteen (não se esqueça disso, traga bebidas da outra ilha!) e seguir para um dia de praia é o programa.

Será que eu vou ver aquele azuuuuuul que todo mundo fala??? Vai! Nas duas ilhas. Azul bebê na veia!!!

Tem muito mais, mas acho que o mais importante é isso. Você vai gostar, eu garanto!

PelaMordi
PelaMordiPermalinkResponder

PelaMordiDeuz

Que lugar lindo! E eu que moro aqui, praticamente ao lado, em Roraima, já estive diversas vezes em ilhas no Caribe. Mas, sempre protelando à ida em St. Barth e Marteen. Depois desse relato, sem dúvidas, meu próximo roteiro de viagens.

Qualquer hora relato algumas aventuras do ABC caribenho dentre outras.

Parabéns pela riqueza dos detalhes.

Angello Birman
Roraima

fernanda schwedick Gaspar

Acabo de chegar de Lua de Mel,e não poderia deixar de descrever a minha viagem aqui:

1 noite no Panamá,2 noites em San Barths e 9 noites em San Maarteen.
Voamos pela Copa até o Panamá;aqui começa a dica nº1:Fique atento aos horários dos voos da Copa que costumam ser de madrugada.Após o casamento relaxamos tanto que perdemos o nosso voo que estava marcado para o dia 15/10 às 13h50, com o corre corre do casório nunca mais olhamos a passagem e deu no que deu segunda dia 15/10 às 12h00 eu deveria estar fazendo o check-in em San Marteen,e estava em casa quando a agência de viagem me liga dizendo que haviamos perdido o voo.
1- que bom que eles ligaram,pois já estavamos programando a nossa chegada no aeroporto jurando que embarcaríamos no dia 15 à noite,rs.
Só conseguimos embarcar no dia 17/10 e com uma condição de dormirmos um dia no panamá e foi maravilhoso o hotel em que ficamos é bem próximo ao aeroporto e chama-se Riande tem uma ótima piscina,transfer do aeroporto gratuito para o hotel.Tinhamos uma sugestão para jantarmos na marina,mas desistimos assim que o taxista cobrou 180,00 dolares.Então resolvemos ficar no hotel mesmo e não nos arrependemos,pois o mesmo tem um restaurante bem legal.Eu voltaria nesse hotel com certeza.
Dia 18/10 embarcamos para San Maarteen o voo foi super tranquilo,fomos muito bem recebidos no aeroporto pelo Stephan que virou nosso amigo na ilha.Como chegamos as 11h30 e nesse horário não há barco para San barths tivemos que esperar até às 19h00 onde pegamos o Barco Voyager(eu não passei mal,mas o meu marido passou e muito).
Antes nos tinhamos reservados 3 noites no Eden Rock,mas com toda essa confusão só confirmaram 2 noites ,e lá estavamos nos naquele paraíso sem fim,e isso sem contar o atendimento do hotel maravilhoso,cozinha perfeita,quarto impecável e tivemos direito ao 1 carro por conta do hotel.
No outro dia pegamos o nosso carro e partimos com uma mapa na mão e fomos conhecer a ilha.Todas as praias são lindas ,mas Gouveneur e Shell Beach foram as minha preferidas,sem contar a própria praia do hotel (st jean )que também tem a sua particularidade.Jantamos uma única noite no hotel e achamos o valor um pouco salgado gastamos 150,00 euros,então na segunda à noite fomos ao um mercadinho que fica em frente ao aeroporto e compramos queijos e vinhos maravilhosos.
Dia 20/10 voltamos para San Marteen e ficamos hospedados no Sonesta Maho Beach quando chegamos ficamos chocados com a diferença de San Barths;a localização do hotel é excelente,mas o hotel é muito cheio e para piorar estava em reforma,não ouvimos o barulho de nada ,mas o guindaste estava lá e junto lagartos de todos os tamanhos.Para esse hotel eu não voltaria.
Aqui alugamos um carro e fomos conhecer a ilha.
Quanto as praias todas são lindas,mas recomendo as do lado francês são maravilhosas como: Grand Case,Orient Beach,Anse Marcel que fica dentro do Radisson Blue;e nesse mesmo caminho existe uma reserva natural de pelicanos muito interessante.
As padarias do lado francês são espetaculares entre elas Seraphina,hum.
Melhor lugar para as compras é sem dúvida o lado holandes,aqui você pode encontrar joias,tenis,brilhantes maravilhosos,perfumes e óculos.
O passeio mais esperado foi o encontro com os golfinhos que aconteceu em uma ilha chamada Anguilla aqui é necessário levar o passaporte,pois é uma ilha britanica.Aqui nadamos e brincamos com os golfinhos foi maravilhoso.
Outras dicas:
a)Mulheres caso queiram comprar shampo da Kerastase ou Morroconoil esses vocês vão encontrar dentro de salão de beleza;o shampo custa 25,00 dolares e compensa muito perto dos preços daqui.
b)Fomos jantar em um restaurante chamado Farm Tourist é maravilhoso fica entre Grand case e Orient Beach tem uma placa com o nome de Pic Paradise.
c)Ver o por do sol no Sunset é muito bacana e o hamburguer deles é bem saboroso.
d)Levar Repelentes`
e)a saída da tomada é diferente da nossa caso precise carregar a bateria da máquina dirija-se a recepção do hotel.
f)O aeroporto do Panamá é muito frioooooooooooooooo

Duty Free
Do Panamá é maravilhosoooooooooooooooooo
De São Paulo achei que o da volta estava com um preço mais legal do que o da ida.
O preço da Mac no Panamá é mais barato.

Pablo Pasuch
Pablo PasuchPermalinkResponder

Olá Fernanda preciso de uma ajuda.

Irei passar o natal e reveillon em St. Maarten/St. Martin e St. Barth. Minha escala no Panamá será rápida, apenas 40 min de espera.

O Duty Free do Panamá tem eletrônicos também?
Eu estou precisando comprar uma Máquina Fotográfica da Sony nex c3. Você viu se têm digitais para vender no Duty Free do Panamá?
Os preços são bons no Panamá ou melhores em St. Maarten?

Obrigado.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Pablo! O Panamá tem preços melhores, mas em 40 minutos você não terá tempo de passar no free shop não.

Cláudia
CláudiaPermalinkResponder

Olá pessoal,

Adoro as dicas do Ricardo e de todos vcs! Minha pergunta é: dá prá se divertir sozinha em St. Barth? Estou pensando em ir prá lá em abril'13.

Já viajei bastante sozinha e sempre curti, mas confesso que agora estou mais "preguiçosa" prá esse tipo de aventura. Se não for prá lá, capaz de ir para Paris/Provence ou prá Orlando mesmo, que é sempre divertido.

Outras sugestões de roteiro são super bem-vindas!

Abs,

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Cláudia! Abril não haverá a muvuca do Réveillon. Mas sempre dá para conhecer gente interessante.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar